Padre Antônio Vieira e a delação premiada

Enviado por Alfredo Maria

DELAÇÃO PREMIADA, prisão preventiva, delatores, delatados e inquisidores, segundo o Padre Antônio Vieira, in De Profecia e Inquisição, p. 175 e ss:

5.º Disse — réus — e não disse bem, porque nem todos os réus são presos, nem todos os presos são réus; porém como em todo o tempo que corre entre a prisão e a sentença, todos são tratados igualmente com a mesma severidade e opressão, é força coligir que desde o instante da prisão os têm os inquisidores por condenados na sua idéia; porém enfim se descobre seu abuso, porque a primeira sentença imaginária dos mesmos inquisidores, que os maltratam no cárcere, como réus, é derrogada pela segunda, que os qualifica e trata como inocentes, restituindo-lhes honra, liberdade e fazenda.

6.º Vedes aqui as ações da inquisição diametralmente opostas; porque, antes de lhe constar da culpa do preso, trata-o como réu, contra toda a razão, contra toda a justiça, e contra toda a humanidade, e depois de cerrado o processo o declara livre por inocente.

7.º Responderão que onde há indícios de delito se podem ou devem tratar os presos como réus, assegurando-os em o cárcere: não impugno isto, porém seja cárcere que os segure como pessoas indiciadas, não que as atormente como convencidas, condenadas e contumazes, como fazem, enterrando indiferentemente a uns e outros em calabouços subterrâneos, obscuros, e asquerosos por si, e pela muita imundícia que os faz infeccionados, sem que os alimpem senão uma vez cada quinze dias, ou três semanas.

Leia também:  Além de R$ 72 mil, Michelle recebeu mais R$ 17 mil da esposa de Queiroz

8.º Disto procede que respirando os miseráveis presos um ar imóvel, infeccionado de crepúsculos imundos, que saem de tanta corrupção, sem jamais gozar o benefício de uma saudável ventilação, altera-se a constituição do sangue, de forma que, perdendo a saúde, acham-se atormentados de incuráveis achaques e enfermidades, as quais muitas vezes se terminam com a morte intempestiva, ocasionada de mau-trato, acompanhado do temor de perder a honra, a fazenda e a vida, sem culpa nem pecado, como muitas vezes sucede: é força, pois, que esse sangue inocente esteja dando vozes e bramidos diante do tribunal de Deus, exclamando contra juízes, que, sem razão e sem justiça, são causa de antecipar-lhe a morte: é força que Deus sumamente irritado desembainhe a espada da sua vingança contra juízes, que, atropelando as leis divinas e humanas, atrevem-se a jactarse, que são inquisidores como Deus! Ó temeridade! Ó imprudência!

9.º Apure-se este assunto, aclarando-se mais esta pretendida semelhança.

(…).

20.º Considere-se, pois, se processos fundados sobre depoimentos de testemunhas não contestes, que não receiam castigo, ainda que sejam falsos; que não sentem que se lhes prove a coartada, incógnitas totalmente ao réu, com quem, não só os não confrontam, mas nem ainda os nomeiam; que pela maior parte são vis, corruptíveis, néscios, e se talvez são homens de honra, depõem de outros, para se livrar de si, se estão presos; ou para que não os prendam, se estão livres, obrigando-os o temor de perder a honra, os bens e a vida, a forjar na sua idéia entes de sem razão para salvar a mais importante destas partes essenciais da humana felicidade, ou todas se for possível.

Leia também:  Comissão Pastoral da Terra se despede de Dom Pedro Casaldáliga

21.º Se se devem admitir estas testemunhas em um tribunal que se jacta exercitar a mesma jurisdição de Deus! Se seus depoimentos têm as circunstâncias que Deus manda em os precitados textos do Deuteronômio! Se padecem inumeráveis exceções tanto os depoimentos como as testemunhas! Se tais testemunhas e tais atestações bastam para constituir réu ao deletado; para obrigar aos juízes a tirar-lhe a fazenda, a honra e a vida com uma morte ignominiosa e cruel, fazendo aos pais desgraçados, aos filhos órfãos, às mulheres viúvas, e a todos pobres e miseráveis, obrigando-os a mendigar o sustento pelas ruas e pelas portas, e a padecer por falta de abrigo as insofríveis inclemências do inverno e os perniciosos calores do estio! E presumem que o mundo julgue e chame caridade e misericórdia ao que é crueldade e inumanidade? Isto não pode ser.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Nas entrelinhas das recentes

    Nas entrelinhas das recentes declatações do PGR fica claro que essas provas obtidas pelo Juiz do PSDB serão recusadas. Não apenas por terem sido colhidas por pressão e tortura psicológia e, possivelmente física, mas, talvez, também, em pagamento de “favores” prestados por uma certa esposa que está “alugada” para a liderança demotucana. Uma coisa é certa: se chegarem ao Supremo serão todas ANULADAS. Ainda não valem, em um regime democrático de direito, a DELAÇÃO EXTORQUIDA. 

  2.  
    … AINDA SOBRE VINGANÇA E

     

    … AINDA SOBRE VINGANÇA E ÓDIO!

    ##############################################

    ENTIDADE DE ADVOGADOS DIZ QUE MORO USA PAU DE ARARA

    A Associação dos Advogados de São Paulo (AASP), manifestou preocupação com a condução da Operação Lava Jato da Polícia Federal que investiga denúncias de corrupção na Petrobras, levadas à cabo pelo juiz Federal Sérgio Moro; segundo o presidente da AASP, Leonardo Sica, disse estar preocupado com a “elasticidade das garantias fundamentais e do direito de defesa”; “Por exemplo, essa combinação entre prisão preventiva e delação premiada soa para nós como uma espécie de tortura soft, como um pau de arara virtual, onde as pessoas são presas preventivamente e só são soltas se confessarem”, disparou

    1 DE MARÇO DE 2015 ÀS 16:06

    (…)

    FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/171656/Entidade-de-advogados-diz-que-Moro-usa-pau-de-arara.htm

    ou aqui:

    http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,prisao-preventiva-com-delacao-premiada-e-pau-de-arara-virtual-diz-sica,1642213

  3. O Paraíso dos Tucanos torturadores

    As Guantánamos de ontem e de hoje! Os donos da verdade, torturadores de todo o sempre… Dr. Moro o tucano mais emplumado do Sul Maravilha. Terra onde os tucanos proliferam como praga. Não têm predadores.

  4.  
    … Eu queria ver a atuação

     

    … Eu queria ver a atuação do juiz ‘Moro no PSDB’ se o réu fosse o Daniel Dantas!

    E/ou o Aécio ‘Never’!

    E/ou o Eduardo Azeredo!

    E/ou o Agripeno Maia!

    E/ou o DEMÓstenses Torres!

    E/ou o Policarpo da ‘veja’!

    (…)

    RESCALDO: as mesmas ‘[sórdidas] mãos invisíveis’ que monitoram e respaldam o tal juiz inquisidor…

    São as mesmas que monitoram e respaldaram o Joaquim Barbosa!

     

    É o golpe jurídico-midiático, estúpido!

  5. Brasil, mesma mentalidade do séc. XVI

    INCRÌVEL, como tudo está igualzinho ao século XVI. Mudam só os nomes.

    Dias de Hoje:

    ” … porque nem todos os réus são presos (psdb, milinários, e seus protegidos), nem todos os presos são réus (bode expiatórios).”

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome