Dono do Ebay vai investir US$ 250 milhões em projeto jornalístico de Greenwald

Por sergio g

Dono do EBay investirá 250 milhões de dólares em projeto de mídia de Greenwald, o jornalista que vem publicando os arquivos de Snowden.

Tomara que um novo jornalismo, mais ético, surja daí.

Deu na Folha.

Da Folha

 
JOSH HALLIDAY
 
O bilionário fundador do eBay prometeu US$250 milhões para financiar uma start-up de jornalismo online que será dirigida pelo jornalista Glenn Greenwald, que acaba de deixar o “Guardian”, no qual recebeu e publicou documentos de inteligência dos EUA vazados por Edward Snowden.
 
Pierre Omidyar disse que quer usar parte de sua fortuna de US$8,5 bilhões para financiar uma organização que defenda o que ele descreveu como sua “preocupação crescente com a liberdade de imprensa” em todo o mundo, trabalhando com Greenwald e também outros jornalistas envolvidos na divulgação dos arquivos trazidos à tona por Snowden.

 
“Sempre considerei que o tipo certo de jornalismo é uma parte crucial de nossa democracia”, disse Omidyar em entrevista ao analista de mídia Jay Rosen. “Isso reúne alguns de meus interesses na participação cívica e na construção de diálogos e, é claro, a tecnologia, mas de maneira muito criativa.”
 
Nascido em Paris, filho de pais iranianos, Omidyar passou de codificador de computadores a bilionário da noite para o dia em 1998, quando as ações do eBay foram postas à venda na bolsa Nasdaq. O site que ele pessoalmente codificou e cujo nome inicial foi Auction Web fez dele um dos expoentes do boom ponto.com, e ele permanece até hoje na direção do eBay.
 
Mas o magnata do Vale do Silício convertido em filantropo da mídia talvez não tivesse optado por seu novo empreendimento se tivesse conseguido comprar o “Washington Post” este ano. Em vez disso, porém, o jornal foi vendido por US$250 milhões a outro plutocrata da tecnologia, Jeff Bezos, fundador da Amazon.
 
Em lugar disso, enquanto crescia sua preocupação com a liberdade de imprensa, Omidyar teria sido convencido a lançar um novo veículo de jornalismo independente. A partir de sua residência no Havaí, este mês, ele decidiu unir-se a Greenwald, o ex-jornalista do “Guardian” que esteve por trás de uma série de artigos de destaque sobre programas de espionagem secreta no Reino Unido e Estados Unidos.
 
Num post de blog em seu site na internet, o filantropo disse que o novo empreendimento vai cobrir “notícias de interesse geral, com a missão fundamental de apoiar e empoderar jornalistas independentes cobrindo muitas áreas. A equipe vai construir uma plataforma de mídia que eleve e apoie estes jornalistas e lhes permita ir em busca da verdade em suas áreas. Isso não significa apenas reportagem investigativa, mas todo o noticiário.”
 
A iniciativa chega cinco meses depois de o “Guardian” ter começado a divulgar detalhes sobre a extensão dos programas secretos de espionagem, com informações obtidas de documentos revelados a Greenwald por Edward Snowden, ex-técnico da Agência Nacional de Segurança americana.
 
Glenn Greenwald anunciou na terça-feira que deixaria o “Guardian” para formar o novo veículo de mídia, algo que descreveu como “uma oportunidade jornalística dos sonhos, algo do tipo que só acontece uma vez na vida”. Acrescentou que vai “criar a unidade jornalística inteira a partir do zero, recrutando jornalistas e editores que compartilhem o mesmo éthos jornalístico e moldando tudo na imagem do jornalismo que eu respeito mais”.
 
Greenwald vai trabalhar ao lado de dois dos jornalistas investigativos que estão no cerne das revelações sobre a NSA, Jeremy Scahill e Laura Poitras, cineasta documentarista que vem tendo papel instrumental nas revelações. É provável que o grupo se torne ator importante em qualquer divulgação futura dos arquivos vazados por Snowden e que o apoio de Omidyar dê respaldo financeiro à empreitada.
 
Tradução de Clara Allain
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Das falsas equivalências no jornalismo ao discurso de ódio, Sylvia Moretzsohn analisa imprensa e redes sociais na TV GGN

5 comentários

  1. Que tenha muitissimo boa

    Que tenha muitissimo boa sorte!  Mas…  pera la, com esse dinheiro todo ate eu quero escrever la!

    Sou baratinho, spiko inglich, e ja sou espionado!

  2. Minha próxima aventura em Jornalismo

    PIERRE OMIDYAROMIDYARGROUP.COM | 16 DE OUTUBRO DE 2013

    ***

    “Estou, agora, nos primeiros estágios de criação de uma nova organização de mídia de massa. Eu ainda não sei como ou quando ela será lançada ou como vai ficar.”

    ***

    “Desenvolvi um interesse em apoiar os jornalistas independentes de forma a aproveitar os seus trabalhos, na maior medida do possível, em prol do interesse público. Quero encontrar maneiras de converter os leitores tradicionais em cidadãos engajados. Eu acho que há algo mais que pode ser feito neste espaço e eu estou ansioso para explorar as possibilidades.”

    ***

    “O que eu posso dizer é que o empreendimento será independente das minhas outras organizações e que irá cobrir notícias de interesse geral, com a missão principal de apoiar e capacitar jornalistas independentes (…). A equipe vai construir uma plataforma de mídia que eleva e apoia esses jornalistas e permite perseguir a verdade.”

    ***

    “Eu acredito que os jornalistas independentes como Glenn, Laura e Jeremy desempenham um papel importante na nossa sociedade.”

    ***

    “Você foi o repórter mais consistente e bem informado sobre a ilegal – e agora supostamente legal – escuta telefônica (executada) desde a divulgação no governo Bush.”  (Omidyar para Greenwald)

     ***

    Resumo da Ópera:

     ‘Cutucaram a cobra com a vara curta’ e o poderoso Greenwald arrasou…

  3. Maravilha, poderia convidar

    Maravilha, poderia convidar tambem o Franklin Martins como colaborador no topico “liberdade de imprensa”.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome