A morte de Paulo Moura

Tristeza.

Um caipira paulista cosmopolita e gênio musical.

http://www.dicionariompb.com.br/paulo-moura/dados-artisticos

http://pt.wikipedia.org/wiki/Paulo_Moura

Paulo Moura (São José do Rio Preto, (17 de fevereiro de 1933 – 12 de Julho de 2010) foi um compositor, arranjador, saxofonista e clarinetista brasileiro de choro, samba e jazz.

Em 1982, compôs a trilha sonora do filme “O Bom Burguês”, dirigido por Oswaldo Caldeira.

Em 2005 fez turnê nacional e internacional do espetáculo “Homenagem a Tom Jobim”, ao lado de Armandinho, Yamandú Costa e Marcos Suzano.

Participou do documentário “Brasileirinho”, do finlandês Mika Kaurismaki, que em 2005 foi uma das atrações da mostra Fórum do Festival de Berlim. Sua última apresentação foi no Copacabana Palace em um evento da Sachal Records.

O músico estava internado na Clínica São Vicente, no Rio, desde o dia 4 de julho com um linfoma (câncer do sistema linfático), falecendo 8 dias após[1].

http://www.paulomoura.com.br/sec_biografia.php

1997

O “Festival Internacional Paulo Moura” é criado em sua cidade natal, São José do Rio Preto, por iniciativa do prefeito Liberato Caboclo, carioca de nascimento e riopretense por adoção. Passam por este festival como convidados: a Orquestra Sinfônica Brasileira, a Orquestra de Câmara de Genebra, Wagner Tiso, Djavan, Leny Andrade, Oscar Castro Never, Paquito D’Rivera, entre outros. Dá nome a uma praça. 

Salve, grande Paulo Moura

// O corpo a morte leva / A voz some na brisa / A dor sobe pra’s trevas / O nome a obra imortaliza / A morte benze o espírito / A brisa traz a música, Que na vida é sempre a luz mais forte, Ilumina a gente além da morte…


0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador