A destruição da política científico-tecnológica pelo governo Bolsonaro

Bastou Bolsonaro acabar com as bravatas verbas para que os idiotas da objetividade passassem a argumentar que foi enquadrado pelas instituições. Hoje, a destruição do país é feita de forma silenciosa.

Recebo o seguinte relato de professores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul:

Há informação repassada pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e CNPq (Conselho Nacional de Pesquisa) a alguns pró-reitores (acabo de ouvir do pró-reitor da minha universidade) da consolidação de algumas mensagens enviadas nos últimos meses.

A primeira: as bolsas do CNPq não serão mais enviadas aos PPGs (Plano de Desenvolvimento da Pós-Graduação), e serão acessadas somente por meio de editais. Este semestre tivemos uma série de cancelamentos de bolsas (que não foram renovadas após as defesas dos estudantes), que seriam parcialmente compensadas por um edital específico. Mas o atendimento nacional da demanda do edital foi próxima a 30%. Ou seja, houve redução enorme no número de bolsas ofertadas pelo CNPq neste semestre, e isso continuará no ano que vem. O bloqueio da cota é anterior à abertura do edital, então além da redução drástica no numero de bolsas teremos um vazio na nossa capacidade de captação de estudantes. Que estão cada vez mais deprimidos, ansiosos, desesperançosos com seus projetos profissionais e saindo do país (somente tomando a mim como exemplo, tenho 4 doutores formados recentemente que seguiram para fora do país).

A segunda se refere às bolsas de pós-doutoramento da CAPES, do programa PNPD (Programa Nacional de Pós-Doutorado). Este programa é fundamental, tanto pela absorção de pesquisadores no tempo entre o fim dos seus doutorados e um concurso (ainda mais importante nesse momento atual, onde não há concursos para docentes) quanto pelo fato de que esses são uma das principais forças de trabalho científica no país. Como consequência deste processo, teremos uma redução drástica na nossa capacidade de produção cientifica, de manutenção de pesquisadores no país, de interesse de jovens pela carreira e uma aceleração da diáspora dos nossos pesquisadores.

E todas essas informações foram acessadas somente através de conversas individuais de gestores, nenhuma informação oficial está disponível, é impossível nos planejarmos e estamos continuamente enxugando gelo para tentar manter os Programas de Pós-Graduação em funcionamento, alunos e docentes engajados mesmo nesta situação insustentável. Esse processo terá como provável consequência o fechamento de programas com avaliações menores, enquanto as (poucas) bolsas se sustentam somente nos programas de excelência (principalmente no centro-sul do país).

Bastou Bolsonaro acabar com as bravatas verbas para que os idiotas da objetividade passassem a argumentar que foi enquadrado pelas instituições. Hoje, a destruição do país é feita de forma silenciosa.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

3 comentários

  1. Pode ser que tenha relação com a PEC, mas acho que faz parte do processo de desmonte do país. Se lembrarmos como era o ensino público antes do golpe de 64 e como ficou depois, vamos entender que para dominar um povo tem que atacar o pensamento

  2. mas, Nassif, vc foi um dos crédulos de q o boçal havia sido enquadrado pelo stf. e lauro jardim do jornaleco o globo confirmou sua assertiva de q fucks (acepção de merval pereira imortal da abl) e tofu de milicos (minha acepção) mudaram os votos no q se refere à presidência das casas legislativas. obviamente q a informação foi escondida nalgum nicho virtual. ou seja a globo tem o poder de influenciar o stf e a abl. estão mais plenos de poder do q nunca pois não há oposição possível senão armada. desconstruíram as políticas do PT em menos de 2 anos e estouraram a inflação. só haverá uma possível volta ao jogo do estado democratico de direito daqui uns 30 anos. até lá estaremos presos nesse vórtex de ‘estado de direito’ armado. e imaginar q criticam o chavismo e o psdb controla sp há mais de 30 anos. como diz Criolo: não existe amor em sp…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome