As fases do desenvolvimento de um país: agricultura, serviços não sofisticados, indústria e serviços sofisticados. Por Paulo Gala

Entenda a maneira interessante do passo a passo do desenvolvimento dos países ou as fases do crescimento econômico

As fases do desenvolvimento de um país: agricultura, serviços não sofisticados, indústria e serviços sofisticados

por Paulo Gala
em seu site 

Bob Rowthorn, dentre muitos outros economistas, analisou de maneira interessante o passo a passo do desenvolvimento dos países ou as fases do crescimento econômico. Num primeiro momento as economias pobres empregam a maioria de seus trabalhadores na agricultura. O progresso se da num segundo momento pela industrialização, trabalhadores são transferidos dos setores agrícolas de subsistência para manufaturas com produtividade mais elevada (A. Lewis). Parte das pessoas que migram para as cidades não conseguem empregos na manufatura e vão para o setor de serviços não sofisticados (varejo, garçons, atendentes, etc). Se o processo de desenvolvimento avança, novos empregos são criados em manufaturas high tech e serviços sofisticados (financas, advocacia, marketing, TI, design). A disseminação de empregos em setores de manufatura high tech e serviços sofisticados, de alta produtividade, puxam para cima também os salários dos outros setores (além dos salários desses setores, Baumol, Balassa e Samuelson). Alguns países não conseguem chegar nesse estágio e ficam presos na armadilha de renda média, com indústrias low tech e serviços de baixa complexidade (Brasil). O gráfico abaixo mostra dados de % de empregos para 35 países no mundo a partir das bases da WIOD  (http://www.wiod.org/new_site/home.htm) para 2011. Os países ricos a direita se caracterizam por ter um grande setor de serviços sofisticados. Os pobres à esquerda (em termos de renda per capita) tem enorme contingente da população ainda empregada na agropecuária. O setor manufatureiro emprega muita gente nos pobres e ricos. A grande maioria dos empregos de qualquer economia está no setor de serviços não sofisticados.

Leia também:  Keynes previu a Alemanha nazista em 1919, diz cientista político no NYT

vídeo que gravei sobre o tema:

*paper Bob Rowthorn aqui:

https://www.imf.org/external/pubs/ft/wp/wp9742.pdf

**paper Gabriel Palma sobre desindustrialização aqui:

http://incubadora.periodicos.ufsc.br/index.php/necat/article/download/3118/4060

***paper Jesus Felipe sobre o tema:

transformacao da asia

****trabalhos sobre o tema de Jesus Felipe:

https://ideas.repec.org/f/pfe429.html

****paper dos graficos abaixo aqui:

https://ideas.repec.org/p/ris/adbewp/0549.html


Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Parabéns pela Pesquisa. Mas isto eu já sabia há 200 anos. A AgroPecuária é a base de tudo? Sabemos. A partir destas Atividades Econômicas alavancamos outras? Também sabemos. Quando se tem estabilidades e segurança alimentar, pode se abrir mão de parte desta Força de Trabalho em direção à Atividades mais sofisticadas, sem prejuízo nem risco de abastecimento de recursos básicos à sobrevivência? Evidente !!! Só que estamos num Novo Planeta e nova condição histórica, finalizando a Guerra Fria e estruturas do Pós Guerra. Alimentos, Recursos Naturais, Água, Terras Férteis, Sol,… serão a cada dia Bens mais preciosos e vitais. E daí? Quem possui tudo isto em abundância? Começa com B e termina com RASIL…..E o restante de bens e produtos sofisticados? Podemos produzir. Aliás, já podíamos na década de 1930, quando o Mundo em desespero procurava o Brasil como Porto Seguro. Cabeça então torna-se em rabo, na Nossa Guerra de Secessão, onde a ignorância e ao atraso ganham a batalha. Diferentemente dos EUA. O restante da história, são estas 9 décadas de tragédia e aberração em que vivemos. Com Sol por 365 dias, com Minerais, com Petróleo, com Milhares de Kms de Oceano, com Terras Agricultáveis Inigualáveis, com quase toda Água Doce do planeta, o que precisávamos para dar errado? A escolha de seguir uma Ditadura Caudilhista Esquerdopata Fascista e todos Lacaios que se promoveram com o pária Assassino: Carlos Prestes, OAB(1930), UNE(1938), USP(1934), MEC(1930), Estado Parasitário, Justiça do Trabalho, Legislação Fascista, CLT baseada em Legislação Fascista, Carlos Lacerda, Francisco Dornelles, Ivete Vargas, Dutra, Leonel Brizola, João Goulart, Tancredo Neves, Aécio Neves, Coronelato Nordestino de Pessoas (vice de GV), Calheiros, Maias, Coelhos, Bezerras, Magalhães, Collors,… “De onde você menos espera que saia alguma coisa é que não sai nada mesmo”. Barão de Itararé. O Brasil de fácil explicação. Ou é preciso desenhar? Pobre país rico.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome