Atuação da PM paulista se torna problema para Doria

Governador foi eleito prometendo mudanças na segurança pública, e agora enfrenta oposição dentro da área, onde muitos são alinhados ao bolsonarismo

Foto: Governo do Estado de São Paulo

Jornal GGN – Os debates em torno da atuação da Polícia Militar de São Paulo se tornaram uma dor de cabeça para o governo de São Paulo, ao ponto de o recorde de óbitos por coronavírus em 24 horas chegar a ficar em segundo plano.

Segundo informações do jornal Folha de São Paulo, as diversas denúncias de violência policial dos últimos dias levaram o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e sua equipe a anunciarem um novo programa de treinamento da polícia, que acabou por acirrar a relação entre a tropa e as autoridades.

A hostilidade entre Doria e os policiais militares é mais ampla do que o visto em governos anteriores, tanto por conta do histórico de relacionamento entre as forças e o PSDB – a tropa culpa os tucanos pelo arrocho salarial da categoria – além da frustração em torno da política de “atirar para matar” e da promessa de chegar ao segundo melhor salário do país quando, na verdade, o aumento oferecido foi de 5%.

A animosidade também pode ser atribuída ao bolsonarismo: a estratégia adotada por Doria durante a campanha eleitoral casava com o discurso de Jair Bolsonaro e, agora que está rompido com o presidente, Doria passou a condenar os excessos policiais e afastou os profissionais envolvidos, afirmando que eram casos isolados.

Uma parcela expressiva da polícia paulista é alinhada ao bolsonarismo, e policiais chegaram a declarar que o compromisso de Doria com a classe foi uma jogada de marketing.

 

Leia Também
Justiça paulista determina reintegração de posse e 21 famílias são despejadas na pandemia
Brasil pós-COVID terá “legião de pacientes que perderão produtividade e qualidade de vida”
GGN Covid-19: explosão de óbitos diários médios, com 26,5% em apenas um dia
Do Banestado à Lava Jato: um dossiê sobre o passado de Sergio Moro

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

André

- 2020-06-28 21:54:56

Fantasmas, monstros e cobras criadas... não dá para servir a dois deuses! A parada é sinixtra!

Lúcio Vieira

- 2020-06-28 13:43:42

Precisa ser estudada a participação do olimpismo por trás desta onda. O polêmico major-senador, que ascendeu no bolsonarismo e se descolou, após desentendimentos com a família Bolsonaro, sobre o comando do PSL no estado de SP, se envolve há anos na defesa da "rebeldia" na PM. Já defendeu os PMs acusados no massacre do Carandiru e desde o governo Alckmin é um ativista há muitos anos, em manifestações anti-governo em SP, principalmente com o mote da questão salarial. https://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,major-deputado-convoca-greve-da-pm-e-ameaca-marchar-ate-o-palacio-em-sp,1079093 https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/10/voto-bolsodoria-esbarra-em-major-olimpio-que-ve-psdb-como-inimigo-publico-no-1.shtml https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2017/09/22/interna_politica,902720/em-novo-protesto-major-olimpio-bloqueia-passagem-de-carro-de-alckmin.shtml http://g1.globo.com/sao-paulo/protestos/2013/cobertura/nota/07-09-2013/143485.html https://www.facebook.com/olimpio.major/videos/3117451284994690/?v=3117451284994690 https://www.cabosesoldados.org.br/nova-convocacao-para-11-11-manifestacao-no-palacio-dos-bandeirantes/ https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,em-novo-protesto-major-olimpio-bloqueia-passagem-de-carro-de-alckmin,70002012022

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador