Bula da cloroquina e governo paralelo foram o auge da CPI até agora, diz senadora Eliziane

Para Eliziane, Queiroga não deve trazer grandes revelações pois está há pouco tempo no cargo. Já Barra Torres pode contribuir com bastidores sobre as vacinas e a cloroquina

Edilson Rodrigues - Agência Senado

Jornal GGN – A senadora Eliziane Gama (Cidadania), que vem participando da CPI da Covid por meio da bancada feminista, disse em entrevista à TVGGN, na noite de quarta (5), que até agora as informações mais importantes obtidas pela comissão dizem respeito à tentativa do governo federal de alterar a bula da cloroquina e a história de que Jair Bolsonaro tinha um “assessoramento paralelo” ao Ministério da Saúde sob Luiz Henrique Mandetta, o que levava o presidente da República a tomar medidas contrárias à ciência.

Mandetta revelou à CPI que esteve em uma reunião onde apresentaram a ele um esboço de decreto presidencial para alterar a bula da cloroquina. A ideia era fazer constar que o remédio seria indicado para tratamento de Covid-19, mesmo sem evidências científicas de sua eficácia nesse sentido. Mandetta não revelou mais detalhes sobre a reunião.

Da mesma forma, o ex-ministro da Saúde não soube apontar quem faria parte desse governo paralelo que induz, desde o início da pandemia, Bolsonaro a confrontar as medidas sanitárias. Mandetta apenas fez referências aos filhos de Bolsonaro, sobretudo Carlos Bolsonaro, que teria participado de reuniões sobre a pandemia, “tomando notas”. Eduardo Bolsonaro foi citado no contexto de criação de conflitos desnecessários com a China, o que teria atrapalhado a importação de insumos.

Na quarta (5), a CPI ouviu o ex-ministro Nelson Teich, que confirmou que deixou a Saúde por falta de autonomia e por discordar da promoção da cloroquina para “tratamento precoce” contra Covid.

Nesta quinta (6), a CPI ouvirá o atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres. Para Eliziane, Queiroga não deve trazer grandes revelações pois está há pouco tempo no cargo. Já Barra Torres pode contribuir com bastidores sobre as vacinas e a cloroquina, entre outros pontos.

Assista à entrevista de Eliziane a partir dos 24 minutos:

Recomendado:

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora