CAC e proximidade com militares: o outro lado de Kássio Nunes Marques

Escolhido de Bolsonaro para o STF não só consolida proximidade com o centrão como evidencia ligação com religiosos e armamentistas

Desembargador Kassio Nunes Marques, indicado por Jair Bolsonaro para uma cadeira no STF. Foto: Reprodução

Jornal GGN – A escolha de Kassio Nunes para a vaga de Celso de Mello no Supremo Tribunal Federal (STF) representa tanto o peso político do centrão no estágio atual do governo Jair Bolsonaro, como acena para as bancadas da Bíblia e da Bala.

Texto publicado na revista Veja mostra que Nunes conta com uma espécie de “biografia conservadora” para acalmar os bolsonaristas mais arredios por conta da boa relação que o desembargador mantém com petistas como o governador do Piauí, Wellington Dias.

Pelo lado religioso, será destacado o passado de estudos no Colégio de Padres Diocesano São Francisco de Sales, em Teresina (PI), além de ser um “CAC” – isto é, portador de “CR” (certificado) de Colecionador, Atirador e Caçador Esportivo, e conta como uma pistola calibre 380 e uma pistola calibre 9 milímetros em sua coleção, embora já tenha atirado com rifles e armas maiores. O próprio Bolsonaro confirmou a um seguidor que seu candidato é um CAC, como é possível ver na postagem abaixo:

Entre os militares, foi reconhecido pelo Exército e pela Aeronáutica, e ganhou do Exército a Medalha do Pacificador, por serviços prestados à instituição, no ano de 2012. No ano seguinte, foi condecorado com a Ordem do Mérito da Aeronáutica, também por reconhecimento pelos serviços prestados.

 

Leia Também
Caso confirmado, Kassio pode julgar casos dos Bolsonaros no STF
Valeska Zanin no Cai na Roda: Lava Jato conseguiu o descrédito total da Justiça

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora