Clipping do dia

As matérias para serem lidas e comentadas. 
 
Leia também:  Multimídia do dia

24 comentários

  1. Pororoca (autor Tony Goes)

    http://tonygoes.blogspot.com.br/2013/10/pororoca.html

    Alguém aí esperava que Marina Silva se filiasse ao PSB de Eduardo Campos? Eu tinha certeza que ela iria para o tal do PEN ou algum outro partideco que pudesse dominar. Marina já havia mostrado que, se não for a capitão absoluta do time, recolhe a bola e sai do jogo.

    Mas pelo jeito eu ainda não a conheço direito: nunca esperei que ela topasse ser coadjuvante de Campos, o mais que provável candidato à presidência dos socialistas. Deve ter pesado a estrutura do partido, o tempo de TV e… que mais? Plataforma? Faz-me rir. Marina se faz de diferente, mas é só na embalagem. E já deu provas de uma desorganização que não pega bem numa aspirante ao cargo máximo da república.

    Mas sua aliança com Campos praticamente joga a eleição do ano que vem para o 2o. turno. É uma pororoca amazônica no caminho de Dilma, que agora vai ter que rebolar rebolar rebolar.

  2. Avô escreve carta para filha homofóbica

    Por Charles Nisz | Vi na Internet

    Foto: Reprodução

    Muitas vezes, vemos na Internet cartas sobre filhos e netos gays, cheias de carinho e compreensão por parte dos familiares. Mas não é o caso desta carta, escrita por um avô: a filha Christine expulsou Chad – filho dela – de casa porque o rapaz é gay. O avô resolveu defender o rapaz. Veja a tradução da mensagem:

    Cara Christine:
    Estou decepcionado com você como filha. Você está certa de que temos uma “vergonha na família”, mas está equivocada sobre quem é a vergonha.
    Expulsar Chad da sua casa, simplesmente porque ele disse que era gay, é a real “abominação” aqui. Um pai renegando seu filho é o que vai “contra a natureza”.
    A única coisa inteligente que ouvi você dizendo em tudo isso foi que “não criou o seu filho para ser gay”. Claro que você não criou. Ele nasceu assim e você não deveria persegui-lo, da mesma forma que não o persegue por ser canhoto. Você, no entanto, teve escolha e decidiu magoá-lo, ser tacanha e atrasada.
    Assim, já que estamos nessa de renegar os filhos, acho que vou aproveitar este momento para dizer adeus a você. Agora tenho um neto fabuloso (como falam os gays) para apoiar e não tenho tempo para uma filha sem coração.
    Se você encontrar o seu coração, ligue para a gente.
    Papai

    O que achou da reação do pai: foi exagerada ou foi certeira? (vi no blog OLadoBomDoMundo)

  3. Mensagem subliminar no meio de relatório de funcionários

    Funcionários prejudicados por paralisação nos EUA enviam mensagem subliminar no meio de relatório

    “Por favor, nos pague”, escreveram empregados de serviço de meteorologia do Alasca

    Os funcionários do Serviço Nacional de Meteorologia de Anchorage, no Alasca, estão cansados de trabalhar sem ser pagos por causa do fechamento do governo dos Estados Unidos. Em um relatório de previsão de tempo, os empregados escreveram uma mensagem secreta no meio do texto: “Por favor, nos pague”.

    Washington Post

    “Please pay us” (por favor, nos pague) dizem as letras destacadas da previsão do tempo 

    Como se vê na imagem, a primeira letra das primeiras 11 frases do texto formavam a  mensagem. Quase simultaneamente, o órgão republicou a previsão, sem o pedido de pagamento.

    Leia mais:
    Com fechamento de governo, EUA deixam de pagar funcionários e não conseguem honrar contas

    O Seviço Nacional de Meteorologia isentou cerca de 3935 empregados da paralisação, considerando-os essenciais. 

    “Não há dinheiro para pagá-los”, afirmou Dan Sobien, presidente da organização de funcionários do órgão nacional, segundo a revista Popular Science. “Ninguém sabe quando alguém vai ser pago”.

    O governo dos Estados Unidos fechou parcialmente na terça-feira (01), depois que o Congresso não chegou a um acordo sobre o orçamento para o novo ano fiscal. Quase um milhão de funcionários estão em uma espécie de licença não remunerada até que a administração reabra. Outros empregados, considerados essenciais, continuam a trabalhar, sem receber pagamento.

    *Com informações do Washington Post 

  4. Pequena feliz notícia

    http://atarde.uol.com.br/politica/materias/1538774-isidorio-deixa-psb-alegando-incompatibilidade-com-gays

    Isidório deixa PSB alegando incompatibilidade com gays

    Patrícia França

    Incompatibilidade de gênero com a prática sexual de gays e lésbicas no partido. Foi assim que o deputado estadual Pastor Sargento Isidório justificou, neste sábado, 5, a sua desfiliação do PSB. O deputado entrou em choque com ativistas gay recém filiados à sigla e optou por retornar para o Partido Social Cristão (PSC) – do deputado federal paulista Marco Feliciano, autor do polêmico projeto de Cura Gay, já arquivado.

    Isidório informou que o estopim para a saída do PSB, onde respondia um processo disciplinar  interno por conta de declarações homofóbicas, foi sua proposta de criar o Núcleo de Héteros (NH) no partido, com o objetivo de “preservar a espécie”

    A ideia surgiu na semana passada, dias depois da filiação do presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), Marcelo Cerqueira, ao PSB. A nova tendência, explica Isidório, tinha toda legitimidade.

    Saiba mais

    02/10/2013 | Comentários(0)

    Isidório cria o “Núcleo de Héteros” no PSB

     

    “Eles (os homossexuais) já estão em todos os cantos: é político bicha, jornalista bicha, juiz bicha, delegado bicha, médico bicha”, declarou à época, completando em seguida: “Não tem projeto de preservar bicho, de preservar baleia? Quero preservar o homem”.

    Perversão

    A desfiliação do deputado Sargento Isidório foi selada na última quinta-feira, segundo relatou, em comum acordo com a senadora Lídice da Mata, presidente do Diretório estadual do PSB.

    A reportagem não conseguiu falar, neste sábado, com a senadora, que é pré-candidata ao governo da Bahia em 2014. Isidório garante, contudo, que não ficaram mágoas.

    “A senadora tinha pedido para eu moderar minhas declarações, mas não tem como. Casamento é homem com mulher, não tem outro jeito”, prega o pastor Isidório.

    Afirmando ser amigo da senadora e do ex-deputado e secretário do Turismo, Domingos Leonelli, o parlamentar  disse que se sentiu “constrangido” e percebeu que não teria mais espaço, com o fortalecimento do ativismo gay na agremiação.

    “Claro que estão errados. Coloca um homem e uma mulher numa ilha e veja o que vai dar. Agora, coloca dois homens numa ilha e duas mulheres noutra ilha. Vai ser uma perversão”, afirma ele. “Eu estou falando o que eu sei, porque já fui gay”, confessa sem rodeios o agora deputado social-cristão.

    As posições radicais do parlamentar  em “defesa da família”  e do que “professa a Bíblia” também foram as razões que, em 2002, o forçaram a deixar o PT.

    O motivo, diz ele, foi a ” intolerância do estatuto” e a reação contrária ao projeto de cura gay proposto por ele na Assembleia Legislativa. “O projeto criava condições para quem estava sofrendo, deprimido, por estar desviado ou ter dúvida sobre o sexo de poder se tratar psicologicamente”, explica ele.

    Fora do PT, Isidório foi para o PSC, onde perdeu a eleição para deputado federal. Em 2010 filia-se ao PSB e se elege novamente deputado estadual. Agora retorna ao PSC, para “continuar a resistir”.

    “Eles querem a volta do tempo dos imperadores, que eram todos gays, e jogavam aos leões cristãos e evangélicos que professavam a bíblia e palavra de Deus”.

    • Nojo

      Ele deveria deixar o planeta, ele e Feliciano, ambos de braços dados. O que me deixa indignada, enojada, é saber de que partido são: Partido Social CRISTÃO. Aliás o ‘Doutor’ Rey fará parte deste partido também. 

  5. Arthur Zanetti é campeão mundial nas argolas

    Arthur Zanetti confirma favoritismo e é campeão mundial nas argolas

    DE SÃO PAULO

    Arthur Zanetti, 23, confirmou seu favoritismo nas argolas e tornou-se campeão do mundo no aparelho, no Mundial de Ginástica Artística da Bélgica, neste sábado, ao receber a nota 15,800 dos árbitros no Palácio de Esportes da Antuérpia.

    Aleksandr Balandin (15,733), da Rússia, ficou com a segunda colocação, e Brandon Wynn (15,666), dos Estados Unidos, fechou o pódio.

    Medalha de ouro na Olimpíada de Londres-2012, o brasileiro foi o terceiro ginasta a se apresentar na decisão e vibrou muito ao término de sua série, quando cravou a saída do aparelho. O atleta, no entanto, não utilizou o movimento batizado com seu nome.

    “Optamos por uma série mais conservadora hoje para chegar com fôlego ao final da apresentação e conseguir cravar a saída. Sabíamos que isso seria o diferencial para alcançar o pódio”, explicou Zanetti em entrevista ao canal Sportv depois da cerimônia de premiação.

    “O resultado foi o que eu estava esperando. Estou alegre, claro, mas não foi uma supresa, foi tudo muito bem planejado. Uma etapa da minha vida e da minha carreira foi concluída hoje. Agora falta um objetivo que é o ouro nos Jogos Panamericanos”, acrescentou.

    Pela manhã, o ginasta Diego Hypolito foi o quinto colocado na final do solo.

    Arthur Zanetti, ganhador do ouro nas argolas, posa entre o russo Aleksandr Balandin (prata) e o americano Brandon Wynn (bronze)

    SUPREMACIA

    Nascido em São Caetano do Sul, Zanetti estreou em Mundiais em 2009, aos 19 anos, com um quarto lugar nas argolas, aparelho no qual é especialista. Desde então, venceu quase todas as grandes competições que disputou.

    Em 2010, Zanetti ganhou os Jogos Sul-Americanos (por equipe e nas argolas).

    Um ano depois, conquistou o título da Universíade, espécie de olimpíada universitária. Também ganhou ouro (equipe) e prata (argolas) nos Jogos Pan-Americanos de 2011. Ainda naquele ano, Zanetti ficou na segunda posição no Mundial de Tóquio.

    O ouro em Londres, no ano passado, teve status de façanha. O título consagrou-o como o primeiro ginasta sul-americano a subir ao topo de um pódio olímpico.

    A temporada de 2013 começou com o bicampeonato da Universíade, novamente nas argolas, além de títulos em etapas da Copa do Mundo.

    Na Antuérpia, o brasileiro ficou em segundo na fase de classificação, atrás do chinês Yang Liu, 19, estreante em Mundiais.

    http://www1.folha.uol.com.br/esporte/2013/10/1352405-arthur-zanetti-confirma-favoritismo-e-e-campeao-mundial-nas-argolas.shtml

     

  6. Mais de 100 parlamentares trocam de partido

    Mais de 100 parlamentares comunicam troca de partido ao Congresso
     

    Karine Melo e Carolina Gonçalves
    Repórteres da Agência Brasil

    Até o meio-dia desta sexta-feira (4) mais de 100 deputados e dois senadores haviam comunicado a troca de partido à Secretaria-Geral da Mesa da Câmara e do Senado. O prazo para os que querem concorrer nas próximas eleições termina amanhã (5).

    Durante a semana, a prática foi condenada em discursos de vários parlamentares e reacendeu as discussões sobre a necessidade de uma reforma política, embora muitos reconheçam que atualmente a possibilidade é remota.

    “O troca-troca de partidos mostra a fragilidade do sistema político brasileiro. Mostra que há um conjunto grande de partidos sem densidade programática”, disse o senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF). Apesar de não ver perspectivas nessa legislatura, Rollemberg defendeu que, a partir de 2015, com Congresso renovado, a reforma política possa finalmente ser votada. “Do jeito que está não dá para continuar.”

    “A culpa e a responsabilidade desse fato lamentável são do Congresso”, disse o senador Paulo Paim (PT-RS). Segundo o parlamentar, apesar de ter reconhecido a fidelidade partidária, o Legislativo não manteve uma posição firme em relação a novos partidos, e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) entendeu que as regras de perda de mandato para candidatos que mudam de legenda não se aplicam nos casos em que a migração é feita para um partido novo.

    “Essa situação delicada, com esse troca-troca, foi um erro do próprio Congresso. Se as regras fossem mais duras, as mudanças não ocorreriam em 90% dos casos”, avaliou Paim.

    Na Câmara, até o meio-dia, o Partido Social Democrático (PSD) foi a legenda com mais pedidos de adesão (52), enquanto, no Senado, a sigla já perdeu um representante: a senadora Kátia Abreu (TO) que, desde ontem, integra o PMDB.

    “Passo a fazer parte do maior partido de oposição no estado [o Tocantins], para compor uma frente ampliada. O objetivo é somar forças com outros importantes partidos, recuperar o Tocantins e preparar o seu futuro”, destacou a senadora.

    Outra mudança no Senado foi comunicada por Vicente Alves que migrou do Partido da República (PR) para o Solidariedade. O parlamentar ocupa, há dois dias, a liderança da nova legenda no Senado. O Solidariedade foi um dos partidos recentemente criados e aprovados pelo TSE, liderado por Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (SP).

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-10-04/mais-de-100-parlamentares-comunicam-troca-de-partido-ao-congresso

  7. Cardozo questiona tramitação da PEC 215

    Cardozo encaminha documento a Henrique Alves questionando tramitação da PEC 215
     

    Iolando Lourenço
    Repórter da Agência Brasil

    Brasília – O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, encaminhou hoje (4) ao presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), nota técnica questionando a tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 215, que transfere para o Congresso a competência para a aprovação de demarcação das terras indígenas e a ratificação das demarcações já homologadas.

    O documento, que foi entregue na presidência da Câmara, é um parecer jurídico, elaborado pela Secretaria de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça, que aponta inconstitucionalidades na PEC 215. Ele tem o objetivo de deixar clara a posição do governo em relação à proposta.

    Segundo o texto, a proposta não poderia ser admitida “tendo em vista incorrer nas vedações impostas pelo Artigo. 60, Parágrafo 4º, da Constituição, que proíbe a deliberação de proposta de emenda tendente a abolir a forma federativa de Estado, o voto direto, secreto, universal e periódico, a separação dos Poderes, ou os direitos e garantias individuais”.

    A nota técnica diz que a PEC tem insanável inconstitucionalidade, além de ausência de interesse público na sua tramitação por violar “cláusula pétrea da separação de Poderes, por atribuir função típica do Poder Executivo ao Poder Legislativo”, por atentar contra os direitos e garantias individuais dos povos indígenas.

    Consta ainda no documento que a PEC não atende aos objetivos “fundamentais da República de construção de uma sociedade livre, justa e solidária, e de promoção do bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”. E acrescenta que a proposta não é de interesse público “por promover o agravamento dos conflitos fundiários envolvendo a demarcação de terras indígenas no Brasil”.

    Ele foi encaminhado à Assessoria Jurídica da Câmara para análise e a fim de instruir o presidente da Câmara sobre as medidas a serem adotadas e comunicadas ao ministro José Eduardo Cardozo.

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-10-04/cardozo-encaminha-documento-henrique-alves-questionando-tramitacao-da-pec-215

  8. Milionário joga esgoto de sua mansão em galeria fluvial

    Milionário joga esgoto de sua mansão em galeria fluvial

    Algumas situações são difíceis de compreender diante de fatos que, a princípio, parecem impossíveis de acontecer. Como por exemplo, o esgoto da mansão do milionário Sérgio Lins Andrade, dono da construtora Andrade Gutierrez, uma das maiores do Brasil e com várias obras no exterior, que não está ligado à rede pública de coleta e que custaria menos de R$ 2 mil para ser feito. Apesar desse custo, irrisório para um milionário, o ilustre morador do Condomínio Jardim Pernambuco, no Leblon – um dos metros quadrados mais caros do país – preferiu jogar os dejetos na galeria fluvial do bairro, conforme flagrante dado pela Secretaria Estadual de Ambiente nesta quinta-feira (3/10).

    O robô-espião da SEA não deixou dúvidas quanto ao derramamento de esgoto nas galerias fluviais e Sérgio Gutierrez, cuja casa é avaliada em mais de R$ 20 milhões, deixou de fazer uma obra de baixo custo para evitar a poluição da Praia do Leblon. Por não ter gasto cerca de R$ 2 mil, Gutierrez foi autuado em flagrante e será multado por infringir o artigo 93 (poluir corpos hídricos) da Lei 3469/2000, que dispõe sobre sanções administrativas derivadas de condutas lesivas ao meio ambiente do Estado do Rio de Janeiro. O proprietário foi notificado pela Cedae e pelo Inea, que estabeleceram prazo inicial de 48 horas para que seja corrigido o problema.

    Após o flagra, Gutierrez soltou uma nota afirmando que pediu a um dos milhares de engenheiros que trabalham para ele fazer um laudo sobre a ligação clandestina e concluiu que  “todas as ligações de água e esgoto estão corretas”. Ele ainda se colocou à disposição dos órgãos estaduais para quaisquer esclarecimentos.

    O despejo ilegal de esgoto da mansão, situada no número 76 da Rua Graça Aranha, foi flagrado por técnicos da empresa Norbrasil Saneamento, contratada pela SEA, em blitz ecológica promovida pela Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais (Cicca), da SEA, com a participação do secretário do Ambiente, Carlos Minc.

     Ao constatar o crime ambiental praticado pelo proprietário da mansão, Minc afirmou, irônico: “Os filhos da família desta mansão de R$ 20 milhões mergulham no Leblon nadando no seu próprio xixi”.  Para evidenciar a irregularidade praticada pela residência, técnicos da NorBrasil despejaram um corante em sua rede de saída de esgoto, mapeando então seu trajeto até uma galeria de água pluvial do condomínio. Ficou comprovado assim o crime ambiental. Também foi realizado um teste de colimetria da água que chegava à galeria pluvial, com resultado positivo para presença de coliformes fecais, uma vergonha para gente tão abastada.

    http://www.jb.com.br/rio/noticias/2013/10/04/milionario-joga-esgoto-de-sua-mansao-em-galeria-fluvial/

  9. Pimentel Favorito em MG
    Pimentel é favorito em todos cenários06/10/2013
     

     

    Além de líder atual das pesquisas, o pré-candidato a governador pelo PT, Fernando Pimentel (ministro do Desenvolvimento) também é favorito em quaisquer cenários diante de seis opções rivais apresentadas. Nesses cenários avaliados, em um contexto polarizado entre PT e o PSDB e respectivos aliados, o petista venceria a todos individualmente: o vice-governador, Alberto Pinto Coelho (PP), o presidente da Assembleia Legislativa, Dinis Pinheiro (PSDB), o presidente regional do PSDB, Marcus Pestana, o ex-prefeito de Belo Horizonte, Pimenta da Veiga (PSDB), e o atual prefeito da capital, Marcio Lacerda (PSB).

    Os dados fazem parte da pesquisa contratada e divulgada pelo PR (Partido da República). De acordo com os dados, apurados pelo instituto Multidados Pesquisa Profissional Avançada, Pimentel teria 44% contra 25% de Alberto Pinto; 45% contra 26% de Dinis Pinheiro; 50% contra 22% de Marcus Pestana; 45% contra 29% de Pimenta da Veiga e 42% contra 32% de Marcio Lacerda. Essa foi a primeira vez que o nome de Pimenta da Veiga aparece em uma pesquisa. Ele foi reinserido na política mineira pelo presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, após 10 anos fora de Minas e da política.

    A pesquisa foi feita de 12 a 19 de setembro e ouviu 2.009 pessoas em 169 municípios sorteados aleatoriamente em todas as microrregiões mineiras, incluindo todos com mais de 100 mil eleitores. A margem de erro é de 3% e o intervalo de confiança é de 94%.

    Além do formato tradicional estimulado, no qual o eleitor manifesta sua preferência entre os nomes apresentados, o instituto recorreu a outra fórmula, chamada “pergunta em profundidade”, quando, além do nome, apresenta, numa 2ª etapa, pequeno perfil deles.

    Aécio vence em Minas

    As eleições para presidente mostraram que a maior exposição de Aécio na mídia espontânea e partidária (rádio e TV) foi favorável a sua pré-candidatura. Em pesquisa anterior da Multidados, realizada em março de 2013, a presidente Dilma Rousseff (PT) vencia com 45% contra 43% de Aécio; hoje, o quadro já mostra 51% a 39% a favor do tucano.

    Anastasia favorito

    Confirmando as expectativas e o grande medo dos adversários, o governador Antonio Anastasia (PSDB) é o favorito na disputa pela única vaga ao Senado em 2014. Ele obteve a preferência de 68% dos entrevistados. Por conta disso, nenhum dos rivais, seja do PMDB ou do PT, tem interesse na disputa.

    http://www.hojeemdia.com.br/m-blogs/orion-teixeira-1.88649/pimentel-%C3%A9-favorito-em-todos-cen%C3%A1rios-1.177628

     

  10. Marina afasta Campos do PT

    Realiza-se o pior pesadelo de Lula

    Kennedy Alencar – Blog do Kennedy – 05/10/2013

    Realizou-se o pior pesadelo eleitoral do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Se o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), chegar ao segundo turno, terá chance de reunir toda a oposição e parte das atuais forças governistas contra a presidente Dilma Rousseff (PT).

    Para Lula, Campos sempre foi o candidato mais perigoso para Dilma. Por isso, o ex-presidente ter insistido tanto para evitar a saída do PSB do governo federal. Contra sua vontade, Dilma e o PT estimularam o rompimento. Uma vez derramado o leite, Lula recomendou deixar as portas abertas para um recuo de Campos em relação à candidatura ou para um eventual apoio no segundo turno.

    Agora, Campos atravessou o Rubicão. A filiação da ex-senadora Marina Silva ao PSB adensa o projeto presidencial do pernambucano, aumentando a sua chance de estar no segundo turno. Mais: ressentida em relação ao PT, atribuindo ao governo um conspiração para vetar a criação da Rede, a ex-senadora dará a Campos uma tonalidade ainda mais oposicionista. Isso deverá ter reflexos nas alianças estaduais, afastando-o de vez do PT.

    *

    Guardadas certas diferenças, o tom do discurso de Marina hoje foi bem parecido com o do ex-governador José Serra. Nas entrelinhas, ela deixou claro que o inimigo é o petismo.

     

  11. @josecarloslima
     15 min

    Corrupção e contravenção na ditadura

     Retweetado por Expandir16 min

    As festas dos ricaços paulistas nos EUA. Artigo de Leonardo Sakamoto —

     Retweetado por Expandir14 min

    O longo domínio que Berlusconi exerceu sobre a política italiana está no fim. Por Mino Carta http://bit.ly/1bAp4Gr 

     Retweetado por Expandir4 out

    “É significativo q os índios estejam a reivindicar o cumprimento da Constituição, enquanto alguns juristas a atacam”

     Retweetado por Expandir10 min

    O fato é que o PSB caminha para a direita e pode ser o PSDB de 2014. Marina será apenas uma peça decorativa e rancorosa em 2014.

     Retweetado por Expandir9 min

    Carta Maior – Blog do Emir Sader – Todos contra a Dilma

     Retweetado por Expandir6 min

    90 livros para ler antes de morrer ==> Universia Brasil => Tudo de graça para o download ==>

     Retweetado por Expandir20 min

    Bom dia, chavistas!

     Retweetado por Expandir51 min

    Perguntas p Marina, patrocinada pelo Itaú e Natura: 1 – O você acha do imposto de renda progressivo sobre heranças? /Dica

     Retweetado por Expandir1 h

    toda a esquerda fora pt e pc do b renegando o chavismo… pra quem esse povo fala? pros leitores de veja?

     Retweetado por Expandir51 min

    2 – Marina, o que você acha da ideia de taxar grandes fortunas? /Dica

     Retweetado por Expandir50 min

    3 – Marina, o que você acha da sonegação fiscal? /Dica

     Retweetado por Expandir51 min

    Se Marina fosse cabeça de chapa e houvesse um segundo turno, sairia arrasada de um debate c/Dilma; perderia o rumo de casa.

     Retweetado por Expandir51 min

    ..Marina disse que é preciso acabar com o “chavismo” no Brasil – e não com a iniquidade.

     Retweetado por Expandir46 min

    via As 10 consequências da decisão de Marina Silva

     Retweetado por Expandir50 min

    Marina Silva é Silas Malafaia, Feliciano e todos aqueles que desejam curar os gays e receber seus dizimos.

     Retweetado por Expandir46 min

    Marina: “fui vítima do ‘chavismo’ ” http://folha.com/no1352545  via

     Retweetado por Expandir40 min

    Gosto do porque ele é um Reinaldo Azevedo que não esconde de onde vem o seu financiamento.

     Retweetado por Expandir44 min

    apoiar um governo que distribui Renda e luta contra a miséria é Chavismo, então eu sou CHAVISTA.

     Retweetado por Expandir33 min

    RT : Bom dia e se der 2o turno PT x PSDB, quem o Eduardo Campos e a Marinada vão apoiar?/PSDB. Financiadores querem

     Retweetado por Expandir28 min

    Príncipe se acha com moral para julgar Dirceu

     Retweetado por Expandir27 min

    Amarildo e a cultura da violência. Artigo de Luciano Martins Costa —

     Retweetado por Expandir1 h

    Estados Unidos podem parar também o mundo

     Retweetado por Expandir1 h

    Se agora a Globo, o Itaú e a Natura decidem o que Marina tem que fazer, imagina se ela for eleita.

     Retweetado por Expandir16 h

    Vocês perceberam: a Globonews pára tudo e cobre em tempo real o comício de Campos/Marina.Tudo e todos contra Dilma/Lula.Contra o projeto PT.

     

     

  12. Mais uma das Organizações Globo

    Nassif,

    O Globo publica a matéria, abaixo, em forma de denúncia e não conta que foi parceira dos bicheiros torturadores. É muita cara de pau!

     

    http://oglobo.globo.com/pais/bicho-cresceu-no-rio-com-ajuda-de-torturadores-10267365

     

    Bicho cresceu no Rio com ajuda de torturadores

    Aliança militares e policiais migraram dos porões para a contravenção e levaram a guerra às ruas do RioComentarEnviarImprimir 

    CHICO OTAVIO E ALOY JUPIARA (EMAIL·FACEBOOK·TWITTER)

    Publicado:6/10/13 – 8h00

    RIO — Isolado na tropa, o capitão Aílton Guimarães Jorge pediu demissão do Exército no dia 9 de março de 1981. O gesto do oficial, ao trancar a farda no armário, selou uma aliança que mudaria o perfil do crime organizado no Brasil: a de agentes da ditadura com a contravenção. Capitão Guimarães é a face mais exposta desse processo, mas não a única. A partir dos anos 1970, um pequeno pelotão de agentes migrou dos porões da tortura para as fileiras do jogo do bicho, levando junto a brutalidade, a arapongagem e a disciplina da guerra suja contra as esquerdas. Bicheiros ajudaram a perseguir inimigos do regime, e a ditadura retribuiu com proteção e impunidade.

    Pesquisas a documentos de dois arquivos públicos e da Biblioteca do Exército e depoimentos de agentes, policiais, vítimas da repressão e especialistas permitiram ao GLOBO revelar detalhes e personagens desse processo. Pelo menos dez agentes, entre militares e civis, atuaram na máfia da jogatina ou colaboraram com ela, chegando a ocupar cargos na hierarquia do bicho, principalmente a partir do desmonte gradual do aparelho repressivo no governo Geisel. Sob a influência da doutrina militar e ao custo de uma guerra nas ruas, o jogo do bicho — antes fracionado e informal — tornou-se centralizado e organizado.

     

    VEJA TAMBÉM

    Nos porões da contravenção: ‘Irmãos’ na guerra do jogoGuimarães, ‘o comandante’ na Liga das Escolas de sambaAmizade de Guimarães com Tio Patinhas abriu as portas do bichoEntenda os casos Mariel e Baumgarten

     

    Esvaziados pelo processo de distensão política ou excluídos por envolvimento em crimes comuns, agentes da repressão encontraram abrigo na máfia do jogo do bicho quando a guerra suja perdia a força na metade dos anos 1970. O coronel Freddie Perdigão Pereira, os capitães Ronald José Motta Baptista de Leão e Luiz Fernandes de Brito, o sargento Ariedisse Barbosa Torres, o cabo Marco Antônio Povoleri, os delegados Luiz Cláudio de Azeredo Vianna, Mauro Magalhães e Cláudio Guerra, e o detetive Fernando Gargaglione, além do Capitão Guimarães, todos com folha de serviços prestados à ditadura, são citados por essas fontes e documentos como integrantes desse pelotão arregimentado pelo bicho.

    Com eles, a experiência de violência e espionagem adquirida nos porões somou-se às práticas da contravenção. Guimarães, que caíra em desgraça no Exército ao ser flagrado comandando uma quadrilha de contrabandistas fardados, encontrou na jogatina fora dos quartéis o caminho para o topo de uma nova hierarquia, à paisana. Aniz Abraão David, o Anísio da Beija-Flor, estabeleceu seu clã político na Baixada Fluminense e se blindou da ação da polícia sobre seus negócios. Castor Gonçalves de Andrade e Silva, o Castor da Mocidade Independente, íntimo de agentes da repressão, negociou com o regime, sendo beneficiado quando sua metalúrgica beirava a falência. Ângelo Maria Longas, o Tio Patinhas, expandiu seus negócios em Niterói com a ajuda de Guimarães.

    Assassinatos do período misturaram interesses militares e civis, envolvendo bicheiros e ex-torturadores, desde o de pequenos contraventores, como Agostinho Lopes da Silva Júnior, o Guto (em junho de 1979), cujos pontos em Niterói, São Gonçalo e Itaboraí foram assumidos pelo Capitão Guimarães, a crimes famosos, como o de Misaque José Marques e Luiz Carlos Jatobá (em janeiro de 1981), acusados de invadir a casa de Anísio em Piratininga, Niterói, e do policial Mariel Maryscotte de Mattos (em outubro de 1981), depois de tentar comprar os pontos do bicheiro Jorge Romeu, o Jorge Elefante, em Niterói.

    Repressão contra políticos da baixada

    A guarnição da 1ª Companhia de Polícia do Exército (PE), da Vila Militar, em Deodoro, foi a gênese desse fenômeno. No final dos anos 60, a PE desencadeou uma repressão contra políticos da Baixada Fluminense, a maioria prefeitos e vereadores cassados pelo regime sob acusação de corrupção. Foi essa limpeza que abriu o terreno para que, em Nilópolis, o clã liderado por Anísio assumisse o controle político local e se apoderasse dos pontos de pequenos bicheiros. Nos anos 1970, Guimarães, Luiz Fernandes e Povoleri, todos da PE e integrantes de um grupo processado por extorquir contrabandistas, começaram seu movimento em direção à contravenção.

    Dois dos principais centros de tortura do Rio, o Destacamento de Operações de Informações (DOI) da Rua Barão de Mesquita, na Tijuca, e a “Casa da Morte”, aparelho montado pelo Centro de Informações do Exército (CIE) em Petrópolis, também foram incubadoras de capangas da contravenção. Na Casa, por exemplo, atuou o então comissário e depois delegado da Polícia Civil Luiz Cláudio, codinome na repressão “Laurindo”, mais tarde braço-direito de Anísio. O sargento Torres, que teria feito parte da equipe de interrogadores do ex-deputado Rubens Paiva, desaparecido em 1971, é outro que migrou do DOI à contravenção. Ele se tornou segurança de Anísio e chefe de barracão da escola de samba Beija-Flor.

    Os resultados dessa aliança, pouco depois, seriam vistos com a consolidação de uma nova cúpula do bicho — a verticalização do poder, a eliminação gradual de lideranças de pequeno e médio porte, a anexação de territórios antes fracionados e a organização de rotinas. São dessa época a adoção do sistema de atas nas reuniões e o mapeamento dos pontos, até então distribuídos de forma improvisada. Também foram os agentes da ditadura que ensinaram os bicheiros a grampear seus adversários.

    Sistema de “acusações, apurações e punições”

    Unidos pelos interesses da contravenção e por um projeto de poder, Castor, Anísio e Guimarães (que passara a controlar a Unidos da Vila Isabel) fundaram em 1984 a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa). Castor foi o primeiro presidente, entre 1984 e 1985; Anísio, o segundo, entre 1986 e 1987; Guimarães reinou entre 1987 e 1993, e, depois, entre 2001 e 2007.

    — O sistema discricionário de acusações, apurações e punições da ditadura militar deu poder excepcional a certos grupos ligados às polícias, ao SNI e ao sistema DOI-Codi. Deu-lhes, especialmente, tecnologia e know-how para conseguir ou fabricar informações que custavam vidas e rendiam muito dinheiro. Montou-se com a ajuda desses operadores da repressão e da tortura a quase inexpugnável rede mafiosa do jogo do bicho e empresas de arapongas. A Liga das Escolas de Samba é patrocinada e dirigida por contraventores. Ironicamente, no carnaval, nenhum político ou governante posa ao lado de seus organizadores, embora a Liesa seja financiada com dinheiro público — diz Maria Celina d’Araújo, cientista política da PUC-RJ.

    Procurados pelo GLOBO, os agentes ou parentes não quiseram falar ou não foram encontrados. Os advogados de Guimarães e Anísio não retornaram as ligações.

    Personagens do bicho:

    Castor de Andrade

    Filho do bicheiro Eusébio Andrade, herdou do pai territórios de jogo na Zona Oeste, mantendo o poder com mão de ferro. Foi presidente de honra do Bangu Futebol Clube e da escola de samba Mocidade Independente de Padre Miguel. Íntimo de militares, manteve negócios com o Exército. Seu poder entrou em declínio em 1994, na Operação Mãos Limpas, quando o Ministério Público e a PM estouraram sua fortaleza e apreenderam livros-caixa. Na contabilidade, foram encontrados nomes de políticos e policiais suspeitos de dar proteção aos contraventores em troca de propinas. Morreu de infarto em 1997. Seu filho e sucessor, Paulo Andrade, foi assassinado em outubro de 1998, na guerra por seu espólio.

    Capitão Guimarães

    Oficial de Intendência, serviu na PE da Vila Militar-RJ e no DOI-Codi-RJ até 1974. Era conhecido nos porões pelo codinome “Doutor Roberto”. Recebeu a Medalha do Pacificador com Palma em 1969, depois de matar um integrante da VPR. Pouco depois, envolveu-se com o contrabando, cooptado por policiais corruptos, e se demitiu em 1981. Tornou-se banqueiro do bicho em Niterói, apadrinhado por Ângelo Maria Longa, o Tio Patinhas, e chegou à cúpula em quatro anos. Passou a controlar o jogo em Niterói, Região dos Lagos e no Espírito Santo, deixando um rastro de violência. Presidiu a Unidos de Vila Isabel e a Liesa. Foi preso na Operação Marselha, em 1989, no processo presidido pela juíza Denise Frossard, em 1993, e na Operação Furacão, em 2007.

    Anísio Abraão David

    Líder do clã que, com a ajuda dos militares, passou a controlar politicamente Nilópolis, na primeira metade dos anos 1970. A pretexto de combater a corrupção, agentes do regime perseguiram e cassaram os adversários da família. Fortalecido, Anísio dominou o jogo do bicho na Baixada Fluminense e na Região Serrana, chegando, no mesmo momento, à cúpula da contravenção. Patrono da escola de samba Beija-Flor de Nilópolis, tricampeã em 1976, 77 e 78. Em 1981, foi acusado de envolvimento no assassinato de Misaque José Marques e Luís Carlos Jatobá. Preso em 1993, por formação de quadrilha, e em 2007, por corrupção ativa e passiva.

    Luiz Fernandes de Brito

    Como capitão, foi acusado de integrar uma quadrilha de contrabandistas. Mais tarde, teria ajudado Mariel Maryscotte a fugir.

    Mauro Magalhães

    Delegado de Petrópolis em 1971, apoiava a Casa da Morte. Mais tarde, apareceu na lista da propina de Castor de Andrade.

    Marco antônio Povo Leri

    Braço-direito de Capitão Guimarães na repressão, foi expulso do Exército e atuou depois como segurança do bicheiro.

    Luiz Cláudio de Azeredo Vianna

    Policial civil, apontado como torturador em Petrópolis, ajudou Anísio a dominar o jogo do bicho na Baixada Fluminense.

    Cláudio Guerra

    Delegado no Espírito Santo, serviu à repressão. Mais tarde, aliou-se ao Capitão Guimarães, ajudando-o a expandir os domínios.

    Ariedisse Barbosa Torres

    Um dos acusados do desaparecimento de Rubens Paiva, virou segurança de Anísio e chefe de barracão da Beija-Flor.

     

  13. Será mais uma do Estadão ou

    Será mais uma do Estadão ou será mais uma do governo?

    Caixa ignorou alerta ao bancar Minha Casa Melhor

    A Caixa ignorou análises feitas pela própria área técnica ao bancar o programa Minha Casa Melhor, uma linha de crédito para a compra de móveis, computadores e eletrodomésticos. Da forma como foi feito, o programa, considerado uma vitrine eleitoral da presidente Dilma Rousseff, pode representar riscos para a saúde financeira do banco, segundo documentos obtidos pelo jornal “O Estado de S. Paulo”.

    Leia também:

    Tesouro pode ficar com “rombo” do Minha Casa Melhor

     

    Os documentos mostram que a possibilidade de calote nessa linha, que é direcionada para os mutuários do Minha Casa, Minha Vida, chega a 50,73% na faixa das famílias mais pobres da população, a 30,31% nas intermediárias e a 28,52% na faixa de maior renda atendida pelo programa. Com esses níveis potenciais de perda, apontam os documentos, a necessidade de compensação pelo Tesouro é de R$ 2,9 bilhões até 2016.

     

    Além do potencial eleitoral, o programa está alinhado com a estratégia do governo de estimular a economia via crédito para bens de consumo e tem ajudado a aumentar as vendas do varejo num momento de retomada lenta do crescimento do PIB. O Minha Casa Melhor deve ser ampliado para permitir também a compra de produtos como smartphones e tablets.

     

    O parecer técnico da Caixa, produzido poucas semanas antes do lançamento do programa, adverte que a decisão do Tesouro, prevista na então Medida Provisória 620, de dispensar a Caixa do recolhimento de parte dos dividendos para a cobertura do risco de crédito dos financiamento dos bens de consumo, faz, “contabilmente, com que a operação seja deficitária desde o começo”.

     

    “Na medida em que as operações fossem sendo realizadas, custos e despesas seriam acumulados, podendo ser caracterizada uma antecipação de subvenção, dado que lucros e dividendos ainda não foram pagos, nem sequer realizados”, afirma um dos documentos.

     

    Subsídio

     

    Segundo a nota técnica, assinada pelo superintendente Nacional de Contabilidade, Marcos Brasiliano Rosa, e pelos consultores do banco Dannyel Lopes de Assis e Eduardo Bromonschenkel, a falta dessa cobertura poderá ser questionada pelo Tribunal de Contas da União, por caracterizar que a Caixa está subsidiando um programa de governo, o que é vedado pela Lei de Responsabilidade Fiscal. O entendimento técnico é de que a proposta de dispensar o recolhimento de parte dos dividendos para cobrir o risco de crédito vai contra o estatuto da Caixa.

     

    Dessa forma, segundo fontes do governo, a equalização da perda do programa deveria ser compensada com outra modalidade de recursos, e não com os dividendos. “Logo, a proposta do Tesouro, ao estabelecer que a operação se inicie deficitária, vai contra o que rege o estatuto da Caixa”, diz a nota. De acordo com outro documento, a opção pela dispensa de recolhimento dos dividendos não é adequada para a Caixa “no atual momento de necessidade de capital”.

     

    A MP 620, já aprovada no Congresso, autorizou ainda o aporte de R$ 8 bilhões feito ao banco e destinado ao “funding” em si do financiamento, não podendo ser usado para cobrir perdas. Isso indicaria porque na época do lançamento do programa, em junho, o banco e o Ministério da Fazenda se recusaram a explicar como os subsídios do programa seriam bancados. Segundo fontes, ficou pendente de resposta a origem real dos recursos para pagar as perdas que, necessariamente, deverão sair dos cofres do Tesouro. O risco de o TCU questionar o programa já é dado como praticamente certo na área técnica

     

    Procurada, a Caixa informou que o programa foi formatado com respaldo do departamento jurídico. Segundo o banco, o risco de crédito e os custos operacionais estão cobertos pela União com a autorização dada pela MP 620 para dispensar o recolhimento de parte dos dividendos, respeitado, portanto, o seu estatuto. O banco diz que foram feitos estudos internos sobre possíveis níveis de inadimplência em todas as faixas, que permitiram a aprovação da operação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

    • Da vergonha analizar uma

      Da vergonha analizar uma coisa dessas, Evandro!  Nao eh pra mim.

      Um BANCO “ignorou” a potencial perda de muitissimo dinheiro?!?!?!?!?!?!?!?!  Que analfabeto bolou esse item?

      Peca pra eles olharem pros bancos aparelhados pela direita nos anos 90 -pois “aparelhamento” eh o que eles estao sugerindo.  A outra opcao eh “incompetencia” dos anunciantes deles, entao que o falem abertamente.  Que coloquem a propria sobrevivencia no pau de arara em nome do “jornalismo” deles!

      Eles sao muito caras de pau, isso sim.

  14. Marina pode ser surpreendida com Lula e Fernando Henrique

     

    Nassif, Não consegui pegar o link, mas deu no Jornal do Brasil: Marina pode ser surpreendida com Lula e Fernando Henrique Decisão da ex-senadora acendeu sinal de alerta Jornal do BrasilHoje às 15p8 – Atualizada hoje às 15p9 Após a surpresa de todo o país com a união de Marina Silva e Eduardo Campos, começam agora as contas das perdas e ganhos dos novos coligados e seus adversários com a formação dessa chapa para 2014. Enquanto PSB e Rede ainda comemoram, a apreensão tomou conta da cúpula do PT e do candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves. A decisão de Marina pode ainda ter desencadeado outros processos que estava hibernado à espera dos acontecimentos, como a candidatura de Lula e Fernando Henrique Cardoso.  No tabuleiro do xadrez político, a situação de Aécio Neves é sem sombra de dúvida a mais delicada. Em terceiro nas pesquisas e sem conseguir superar a casa dos 12% das intenções de voto, o candidato tucano está assistindo à união de seus possíveis aliados num segundo turno e com grande possibilidade de um encolhimento já nas próximas pesquisas. Como alternativa de sobrevivência, Aécio poderia ceder o lugar para outro tucano, talvez o da mais alta plumagem do partido: Fernando Henrique Cardoso que teria o próprio Aécio como vice.  Indagado sobre essa possibilidade, Fernando Henrique desconversa, mas não assume uma posição frontalmente contrária a essa hipótese. Ao se tornar imortal, assumindo a cadeira 36 da Academia Brasileira de Letras (ABL), disse que já havia dado sua contribuição para o país quando esteve na presidência, argumento um tanto vago para quem não quer concorrer. No PSDB a possibilidade de Fernando Henrique e Aécio concorrerem em 2014 vem sendo vista como a chapa dos sonhos do partido. Já na outra ponta, a decisão de Marina também assanhou os que defendem a volta de Lula para concorrer no próximo ano no lugar de Dilma. Essa ala do PT acha que a possibilidade da presidente ter que encarar um segundo turno, com Marina e Campos, seria um risco muito grande. Lula, ainda com altos índices de popularidade em todo o país, poderia matar a fatura logo no primeiro turno. A percepção do eleitorado com relação a Dilma é de que a presidente é honesta e trabalhadora, mas não consegue fazer com que a economia do país reaja. Caso os indicadores continuem patinando até o início do, as chances do retorno de Lula aumentarão consideravelmente. 

  15. P-55 deixa estaleiro em Rio

    P-55 deixa estaleiro em Rio Grande rumo à Bacia de Campos

     

     

     

    A plataforma P-55 saiu neste domingo (06/10) do Estaleiro Rio Grande 1 (ERG-1), localizado na cidade de Rio Grande (RS), após serem concluídos os serviços de integração dos módulos e comissionamento da plataforma, conclusão dos testes e inspeções para obtenção das certificações necessárias.

    A semissubmersível P-55 está entre as nove novas unidades que serão instaladas nos campos de petróleo em 2013, contribuindo para o aumento da produção de petróleo e o alcance da meta de produção de 2,75 milhões de barris por dia, prevista para 2017.

    Com capacidade para produzir 180 mil barris de petróleo e tratar 4 milhões de metros cúbicos de gás por dia, a plataforma P-55 entrará em operação ainda em 2013 e é uma das maiores semissubmersíveis do mundo e a maior construída no Brasil. 

    Projeto integrante do Módulo 3 do Campo de Roncador, localizado na Bacia de Campos, a P-55 ficará ancorada a uma profundidade de cerca de 1.800 metros e será ligada a 17 poços, sendo 11 produtores e seis injetores de água. A exportação de petróleo e gás natural da plataforma será realizada por dutos submarinos acoplados à unidade.

    A obra gerou cerca de 5 mil empregos diretos e 15 mil indiretos e alcançou o índice de 79% de conteúdo nacional, proporcionado principalmente pelo fato de a construção e a integração terem sido feitas totalmente no Brasil. A edificação da plataforma foi realizada em duas partes construídas de forma simultânea, casco e topside, e posteriormente unidas.

    O casco da unidade teve as atividades executadas no Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em Pernambuco, de onde seguiu para o ERG-1, em Rio Grande (RS), para continuidade dos serviços. No ERG-1, foram feitas as instalações do convés e dos módulos, bem como a integração dos sistemas da plataforma. A construção dos módulos de Remoção de Sulfato e Compressão de Gás também foi feita no local; já os módulos de Remoção de CO2, Compressão Booster e TEG foram construídos em Niterói (RJ) e, quando concluídos, transportados até Rio Grande.

    A operação que acoplou as duas grandes partes da plataforma (convés e casco), chamada de DeckMating, é considerada o marco mais desafiador da construção da unidade e uma das maiores já executadas no mundo, em função do peso da estrutura (17 mil toneladas) e a altura a que foi levantada (47,2 metros). A manobra foi realizada dentro do dique-seco do ERG-1, em junho de 2012.

    O tempo de reboque da P-55 até a Bacia de Campos será de aproximadamente 12 dias, quando iniciarão os procedimentos para ancoragem da unidade e interligação aos 17 poços.

    Dados da P-55:

    Processamento de petróleo: 180 mil barris/dia

    Tratamento de gás: 4 milhões m3/dia

    Conteúdo Local: 79%

    Tratamento de água de injeção: 48 mil m/dia

    Geração elétrica: 100 MW

    Profundidade de água: 1.800 m

    Número de linhas de ancoragem: 16

    Número de risers: 42

    Tripulação: 100 pessoas

    Peso total da plataforma: 52 mil toneladas

    Aérea total: aproximadamente 10 mil metros quadrados.

    Altura total: 130 metros

    Geração de empregos: 5 mil diretos e 15 mil indireto

     

     

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome