Coronavírus: Bolsonaro diz que Brasil está “vencendo a pandemia”

Declaração foi dada em visita a ferrovia na Bahia; enquanto isso, país se aproxima do total de 130 mil vidas perdidas para a covid-19

Presidente da República, Jair Bolsonaro acompanhado das autoridades presentes caminha sobre a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL). Foto: Alan Santos/PR

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (11/09) que o Brasil “está praticamente vencendo a pandemia” do coronavírus, e que o país foi um dos menos afetados por conta das medidas tomadas pelo governo. Enquanto isso, o país se aproxima dos 130 mil óbitos.

“Estamos praticamente vencendo a pandemia. O governo fez tudo para que os efeitos negativos da mesma fossem minimizados, quer seja com auxílio emergencial que atingiu 65 milhões de pessoas no Brasil, quer seja com estímulos a pequeno e micro empresas com créditos, investindo também massivamente na questão de meios e recursos para que governadores e prefeitos não faltassem junto a saúde como atender aos possíveis infectados e estamos vendo, já começa a aparecer, em especial nas mídias lá de fora, porque a mídia aqui dentro é difícil aparecer boa notícia, que o Brasil foi um os países que menos sofreu com a pandemia dados as medidas tomadas pelo governo federal”, concluiu, segundo informações do jornal Correio Braziliense.

Por outro lado, dados do boletim Covid-19 do Jornal GGN mostram que o Brasil está na terceira colocação dentre os países com maior número de casos per capita, sendo superado apenas pela Espanha e pela Colômbia. Segundo o Ministério da Saúde, o país acumula 129.522 vidas perdidas para a pandemia até esta quinta-feira (10/09), com 4,238 milhões de casos confirmados.

O pronunciamento de Bolsonaro foi feito na cidade baiana de São Desidério, onde visitou as obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, onde também elogiou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, e declarou que o governo concluirá obras antigas antes de iniciar novos empreendimentos. Vale lembrar que as viagens de Bolsonaro para o Nordeste tem sido uma estratégia do presidente para ganhar terreno na região, a única onde não venceu nas eleições 2018, com foco na disputa da reeleição em 2022.

Leia também:  Lewandowski nega analisar recurso da Globo contra censura no caso Queiroz

 

 

Leia Também
Por ser investigado, Bolsonaro deve depor pessoalmente, decide Celso de Mello
Com a crise do arroz, Guedes é a versão da anti-vacina da economia
Em vez de revogar portaria que dificulta aborto legal, Saúde promete alterações
Advogados se articulam para pedir afastamento de Bretas da Lava Jato

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. Isso é inegável.

    Fizemos a reabertura sem enfrentar uma segunda onda.

    Vencemos o bloqueio imposto por muitos governadores ao tratamento precoce com hidroxicloroquina e Invermectina.

    Protocolo é oficialmente bloqueado pelo atendimento do SUS, mas largamente usado na rede privada e, mesmo pelo SUS, é feito sem alarde por médicos, mesmo com a possibilidade de serem expulsos.

    Meu irmão e sua esposa é um exemplo. Sua filha de 19 anos pegou covid. Assim que tiveram noticia foram correndo ao médico, eles tem plano de saúde UNIMED e este receitou o tratamento profilático com hidroxicloroquina, Azitromicina, Invermectina, Zindo e vitaminas D e C. A médica foi informada que eles, por conta própria já tomavam suplemento de vitamina D e Invermectina, ambos tem mais de 60 anos mas sem comorbidades.

    Nem chegaram a pegar. Fizeram o exame e deu negativo, refeito 14 dias depois às próprias custas.

    Uma pena, na verdade um verdadeiro crime não dar um atendimento digno aos doentes e contactantes de doentes pelo SUS.

    Deve ser por isso que o Boulos se revoltou em saber que 90% dos internados por Covid em hospitais da periferia acabam morrendo. Ao aparecer os primeiros sintomas os médicos do SUS receitam Dipirona, remédio que foi proibida a venda pelo FDA americano como perigossíssimo à saude, e a instrução de voltarem se e quando sentirem falta de ar.

    Não entendo como a esquerda se deixou levar, e ao inves de lutar pela vida, decidiu lutar lado a lado com as grandes corporações farmaceuticas e sem sequer ler, endossou os estudos que apontavam perigos à saude ao se ministrar os remédios citados, sem atentar que estavam dando sempre superdosagens quando toas as pessoas esclarecidas sabem que a diferença entre o remédio que cura e o veneno que mata está na dose.

    Agora a esquerda perdeu o bonde e é tarde para alcançá-lo.

    Nem sequer a vacina será necessária.

    A curva descendente da Covid no Brasil está se acelerando.

    Dentro de 1 mes será mínima. Na virada do ano será praticamente zero.

  2. Correto. O pior já passou mesmo.

    Fizemos a reabertura sem o repique e não haverá uma segunda onda.

    Vencemos o bloqueio imposto por muitos governadores ao tratamento precoce com hidroxicloroquina e Invermectina.

    Protocolo é oficialmente bloqueado pelo atendimento do SUS, mas largamente usado na rede privada e, mesmo pelo SUS, é feito sem alarde por médicos, mesmo com a possibilidade de serem expulsos.

    Meu irmão e sua esposa é um exemplo. Sua filha de 19 anos pegou covid. Assim que tiveram noticia foram correndo ao médico, eles tem plano de saúde UNIMED e este receitou o tratamento profilático com hidroxicloroquina, Azitromicina, Invermectina, Zindo e vitaminas D e C. A médica foi informada que eles, por conta própria já tomavam suplemento de vitamina D e Invermectina, ambos tem mais de 60 anos mas sem comorbidades.

    Nem chegaram a pegar. Fizeram o exame e deu negativo, refeito 14 dias depois às próprias custas.

    Uma pena, na verdade um verdadeiro crime não dar um atendimento digno aos doentes e contactantes de doentes pelo SUS.

    Deve ser por isso que o Boulos se revoltou em saber que 90% dos internados por Covid em hospitais da periferia acabam morrendo. Ao aparecer os primeiros sintomas os médicos do SUS receitam Dipirona, remédio que foi proibida a venda pelo FDA americano como perigossíssimo à saude, e a instrução de voltarem se e quando sentirem falta de ar.

    Não entendo como a esquerda se deixou levar, e ao inves de lutar pela vida, decidiu lutar lado a lado com as grandes corporações farmaceuticas e sem sequer ler, endossou os estudos que apontavam perigos à saude ao se ministrar os remédios citados, sem atentar que estavam dando sempre superdosagens quando toas as pessoas esclarecidas sabem que a diferença entre o remédio que cura e o veneno que mata está na dose.

    Agora a esquerda perdeu o bonde e é tarde para alcançá-lo.

    Nem sequer a vacina será necessária.

    A curva descendente da Covid no Brasil está se acelerando.

    Dentro de 1 mes será mínima. Na virada do ano será praticamente zero.

  3. Bozo é maluco, e piorou com a hidroxicloroquina ingerida na sua crise de covid.
    Nao sabe o que fala. Só um boca aberta cuja responsabilidade nas mortes precisará ser investigada.
    Nao temos uma 2a onda pois a 1a não acabou, ainda está matando em alto patamar.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome