Coronavírus: Com filas no comércio, Ceará ultrapassa 73 mil casos

Na segunda-feira os comércios abriram a porta como parte do plano de retomada da economia em Fortaleza, o epicentro do vírus com 29.711 infectados

© Marcello Casal jr/Agência Brasil

Jornal GGN – O terceiro estado com maior número de infectados pelo novo coronavírus, o Ceará contabilizou 73.879 casos e 4.663 óbitos confirmados da doença até às 14h20 desta quinta-feira, 11 de junho. Os dados, da Secretaria da Saúde (Sesa) divulgados por meio do painel IntegraSUS, não param de subir em meio a flexibilização do isolamento social no estado. 

A capital Fortaleza é o epicentro do vírus com 29.711 infectados. Já no interior do estado, o maior número de casos se concentra na cidade de Sobral, com 3.660 pessoas contaminadas; e em Caucaia, que soma 2.783 diagnósticos positivos. 

Nas últimas 24 horas, foram registradas 13 novas vítimas fatais da doença e a taxa de letalidade subiu para 6,3. Ainda, 54.512 casos estão sob investigação. Com isso, 76,59% dos leitos municipais de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) estão ocupados.

É neste cenário que o governo do Ceará decidiu flexibilizar as medidas de isolamento social, indicada como medida de contenção na transmissão da doença pelos órgãos de saúde, incluindo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Na segunda-feira, 8 de junho, comércios abriram as portas como parte do plano de retomada da economia em Fortaleza. Shoppings foram liberados para funcionar com 40% os funcionários, das 12h às 20h, sob protocolos sanitários. 

Segundo o plano, o fluxo de pessoas nesse não pode ultrapassar a 30% da capacidade do empreendimento, mas já nos primeiros dias foram registradas filas de pessoas nas portas do comércio. 

Por entender, que o número de infectados não para de subir, apenas Fortaleza voltou às atividades, mesmo sendo a cidade com maior número de casos da Covid-19.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora