Covid: Governo brasileiro acha “prematuro” debater distribuição da vacina

    Não é possível debater logística ou critérios de imunização sem os "detalhes das vacinas", diz o Ministério da Saúde

    Jornal GGN – É destaque em O Globo desta quarta (29) a informação de que o governo brasileiro, sob Jair Bolsonaro, acha que é cedo demais para começar a discutir o planejamento da distribuição da vacina contra coronavírus.

    O País está testando duas vacinas em fase adiantada: a de Oxford, com a Fiocruz, e a da empresa chinesa Sinovac, com o Instituto Butantan. Em tese, se tudo der certo, o Brasil teria milhares de doses garantidas.

    Segundo O Globo, o “Ministério da Saúde informou, por meio de sua assessoria, que o Brasil tem tradição em distribuir 19 tipos de vacinas diferentes pelo SUS, e que esse conhecimento será utilizado no caso do imunizante que deverá existir contra a Covid-19.” Antecipar o debate sobre a distribuição, agora, seria “prematuro”, porque não se conhece os “detalhes das vacinas” para “debater a logística ou os critérios de imunização.”

    Ao jornal, Felipe Carvalho, coordenador da Campanha de Acesso a Medicamentos da ONG Médicos sem Fronteiras no Brasil, disse que alguns países, mesmo aqueles com tradição em vacinar, podem enfrentar problemas porque a “logística se soma a uma questão geopolítica, em que países mais ricos estão comprando os primeiros lotes, mesmo que eles talvez não estejam no pico da doença.”

    “Fala-se muito da distribuição justa, primeiro para profissionais de saúde e depois para populações mais vulneráveis. Mas é preciso levar em conta grupos com menos acesso à saúde, como comunidades e refugiados, como prioritários”, comentou. “Há um desafio político sobre produção, preço, como os países estão agindo sobre essas vacinas… É uma corda bamba entre a cooperação internacional e o cada um por si.”

    O Brasil tem, hoje, 2.484.649 casos confirmados e 88.634 mortos por Covid-19.

    Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

    Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

    Apoie agora

    1 comentário

    1. O cara nomeou uma cupincha inepta para chefiar uma representação do ministério que por ora usurpa no estado de Pernambuco. O milico tem cara de idiota, mas sabe comer pelas beiradas.

      E ainda pagamos pra esses canalhas se formarem, não fazerem chongas e, armados, nos ameaçarem e reprimirem. E, no fim dos seus dias, mamarem uma boa grana do erário. Até bem poucos, até as netas “adotadas”.

      Canalhas!

    Deixe uma mensagem

    Por favor digite seu comentário
    Por favor digite seu nome