Dallagnol e equipe influenciam R$ 8,5 bilhões negociados pela Odebrecht nos EUA

Em acordo de leniência consta a previsão de que grande parte da multa negociada nos EUA entre Odebrecht e Departamento de Justiça americano - cerca de R$ 8,5 bilhões - seria disponibilizada aos procuradores de Curitiba

Jornal GGN – É destaque no Conjur desta terça (2) que os procuradores da Lava Jato em Curitiba, liderados por Deltan Dallagnol, também negociaram o controle de um caixa com R$ 8,5 bilhões, em acordo de leniência assinado com a Odebrecht em 2016.

Os termos do acordo refletem negociação da Odebrecht com autoridades dos Estados Unidos (Departamento de Justiça) e com a Procuradoria Geral da Suíça. A empresa que caiu na Lava Jato aceitou pagar uma multa aos três países para encerrar um processo nos EUA. E a parte que cabe ao Brasil (80% do valor) ficaria sob a responsabilidade dos procuradores de Curitiba.

“Do que ficar no Brasil, 97,5% serão destinados aos “entes públicos, órgãos públicos, empresas públicas, fundações públicas e sociedades de economia mista” que foram lesados pelos atos da construtora. Ou seja, R$ 6,63 bilhões terão seu destino definido pelo MPF. Os outros 2,5% serão destinados à União, como parte da confissão pelo cometimento de improbidade administrativa”, descreveu o Conjur.

Ainda de acordo com o portal, os detalhes sobre a destinação do dinheiro estão sob sigilo e o ex-juiz Sergio Moro impediu, três vezes, acesso ao documento.

“Embora o acordo seja público e uma de suas cláusulas diga que o dinheiro ficará à disposição do MPF, sua destinação está descrita num trecho sigiloso do documento, o ‘Apêndice 5’. Esse documento não foi divulgado pelo Ministério Público e vem sendo tratado com bastante cuidado pela 13ª Vara Federal de Curitiba, que teve o hoje ministro da Justiça Sergio Moro como titular durante toda a lava jato. Em pelo menos três oportunidades, Moro negou pedidos de acesso a esse apêndice sob o argumento de que ele poderia atrapalhar investigações em andamento.”

A defesa de Lula tenta acessar o acordo desde 2017, sem sucesso.

A FUNDAÇÃO LAVA JATO

O caso é semelhante ao que ocorreu após o acordo feito entre a Petrobras e o Departamento de Justiça dos EUA (DOJ), em setembro de 2018. Naquele mês, a estatal admitiu pagar uma multa bilionária para enterrar uma acusação em solo americano.

O DOJ abriu mão de 80% da multa em favor das “autoridades brasileiras”. Quase 4 meses depois, a Petrobras assinou com a turma da Lava Jato outro termo que dá destinação ao valor que seria pago no Brasil.

Dessa maneira, os procuradores da Lava Jato idealizaram um fundo com R$ 2,5 bilhões provenientes da Petrobras. Metade dos recursos seriam injetados em um fundo patrimonial para investimentos em ações sociais e anticorrupção, igualmente sob a influência da equipe de Dallagnol. A outra parcela ficaria retida por um período de tempo, para pagamento de indenização a acionistas brasileiros que acionaram a Justiça contra a Petrobas.

O caso foi parar no Supremo Tribunal Federal, que avalia se o acordo entre MPF e Petrobras é legítimo. Os procuradores de Curitiba também são investigados pelo Conselho Nacional do Ministério Público. A participação da juíza Gabriela Hardt, responsável por homologar o acordo, é apurada pelo Conselho Nacional de Justiça – que delegou parte da investigação ao TRF-4.

Leia mais no Conjur.

22 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

euclides de oliveira pinto neto

- 2019-04-06 05:42:39

Não vamos nos iludir... Qualquer reação popular , principalmente em países latinos, precisa de líderes para ser realizada ! Em um país que os próprios dirigentes, "escolhidos pelo povo", se encarregam de entregar as riquezas nacionais para abutres estrangeiros, não se pode esperar grande coisa... Ainda mais com a omissão descarada daqueles que têm por obrigação funcional preservar nossa soberania. Falta espirito nacionalista aos brasileiros.

Arthemisia

- 2019-04-05 08:35:21

???

Arthemisia

- 2019-04-05 08:34:41

Ao contrário. Trump nomeou como primeiro secretário de Estado do seu governo, o cara que era CEO da Exxon quando esta corrompeu diversos agentes de países africanos

republicano arrependido

- 2019-04-03 10:53:13

é só seguir o dinheiro....

AMORAIZA

- 2019-04-03 10:39:17

Não sei, do jeito que esse dinheiro brilha, as mariposas do STF podem acabar sendo tentadas e, rodeando em volta dessa luz, junto com o MPF, deixar tudo por isso mesmo. Pobre Brasil!

Geraldo Oliveira

- 2019-04-02 21:57:45

Dallagnol e sua equipe abateram as empresas brasileiras e as entregaram mortas aos americanos. Pergunta se os americanos não defenderiam suas empresas diante do Mundo? Dallagnol e sua equipe são traidores da Pátria!

Valdir Neris Santiagi

- 2019-04-02 21:41:31

Essa operacao lava jato e um verdadeiro crime contra o Brasil.Angariar recursos que foram desviados e o fim da picada. Se tens desvio, devolva para a uniao.Nao precisa nem prender ninguem, que so da gasto. E so pegar todos os recursos dos envolvidos independente de onde veio , inclusive familuares e mandar ir trabalhar pra ganhar outro dinheiro.

Marco

- 2019-04-02 21:29:39

Já imaginaram o valor do Dízimo!

Olyrio

- 2019-04-02 19:50:07

Quando o judiciário passa a se interessar demais pela prisão dos acusados, algo começa a acontecer. No caso lava jato, foram com muita sede ao pote. Garimparam à exaustão e quando alcançaram o ouro, era o ouro dos tolos. E agora, vai ficar por isso mesmo?

C.Poivre

- 2019-04-02 19:27:10

Em português claro: a Farsa a Jato foi criada para extorquir a Odebrecht e outras empreiteiras e enriquecer os componentes da "força-tarefa". Nunca o desvio de recursos por servidores públicos foi feito tão às claras.

Raimundo de Carvalho

- 2019-04-02 19:09:16

Tá explicado porque Lula foi preso e continua preso. Agora estamos sabendo quem são os corruptos de verdade.

Paulus

- 2019-04-02 18:31:47

Quero ver esse Rubens Pier, algemado e na cadeia.

luiz alberto dos santos monjeló

- 2019-04-02 18:29:53

Tem eh que abrir o sigilo bancário dos envolvidos mil dignos procuradores e suas excelências juiz e juíza

Wanildo Alves

- 2019-04-02 17:57:29

A ex-presidenta Dilma, falou que não ia ficar pedra sobre pedra. Muitos desses procuradores e juízes envolvidos no golpe juridico-parlamentar de 2016, no futuro terão que prestar contas a sociedade por todas essas falcatruas contra o sofrido povo brasileiro.

Wilson

- 2019-04-02 17:45:43

Ladranhol e sua quadrilha de procuradores querem surrupiar 2.5 bilhões da Petrobrás. Fica se comportando como paladino da moralidade mas é tão corruptos qto os que investiga.

Antonio Carlos Záccaro de Oliveira

- 2019-04-02 17:41:45

Não é engraçado como toda essa falácia de anti corrupção Somente serviu para expor empresas brasileiras, que eram responsáveis por centenas de milhares de empregos? Para fazê-las pagar somas vultosas a governos estrangeiros? Para quebra-las sem se preocupar com os interesses dos trabalhadores brasileiros? Esse povo parece com os Pardais do Game of Thrones. Querem ser tão puros e do trazem desgraça . Que tenham o mesmo fim. Não literalmente, é claro, mas o fim de desaparecem e todos que assistiram se regojizarem com seu fim

AMORAIZA

- 2019-04-02 15:08:21

O bom disso tudo é que eles podem se enforcar com a própria corda. Vamos dar tempo ao tempo.

Lúcio Vieira

- 2019-04-02 14:29:22

foi este senhor quem fez o powerpoint da sua dita maior organização criminosa do Brasil? Deve ter se baseado no plano de negócios da Famigerada Afundação Leva Jetons

Henrique Finco

- 2019-04-02 13:35:25

Isto tem cheiro e gosto de corrupção grossa... Este DD é o mesmo citado por Tacla-Durán?

Carlos Elisio

- 2019-04-02 13:29:28

Tem que investigar seriamente esta turma. Este acordo com os EUA está cada vez mais suspeito. Tudo o que estamos passando no país desde 2015, o sofrimento de mais de 13 milhoes de desempregados, as perdas sociais, a desesperança, o fatiamento e a entrega de ativos de nossas grandes empresas, tudo isso que culminou neste desgoverno foi apenas para beneficiar os EUA e alguns grupelhos nacionais? Isto é crime extremamente grave contra um pais!

- 2019-04-02 13:16:10

De onde se conclui que misturando num grande caldeirão: a criminalização da Petrobrás; usando a teoria do Dominio de Fato, criminaliza-se também a Uniao; um pouco mais de mídia e criminaliza-se todas as políticas de um governo anterior. Tudo isto misturado torna a Lava Jato , um processo altamente rendoso e lucrativo para alguns que se auto proclamam como a única força pura do país. E no caldeirão eu ja contei 10 bilhoes . Quanto mais vão lucrar?

Edivaldo Dias de Oliveira Oliveira

- 2019-04-02 13:10:15

Num portugues claro e simples ou parodiando a historia do jacaré do Brizola; tem cara de achaque, tem jeito de achaque, parece com achaque...o que será que é?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador