Ex-secretário de Saúde investigado por corrupção gravou conversas com Witzel e Pastor Everaldo

Para firmar o acordo de delação com a PGR, Edmar aceitou devolver R$ 8,5 milhões aos cofres públicos

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O ex-secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Edmar Santos, decidiu gravar conversas com deputados, o governador Wilson Witzel e o pastor Everaldo, presidente do PSC. A iniciativa ocorreu porque Edmar sentia-se “fritado”. Ele é investigado por desvio nos contratos emergenciais da Saúde no Estado durante a pandemia.

As gravações, segundo o jornal O Globo desta sexta (14), serão utilizadas em sua defesa. Edmar, preso em 10 de julho sob acusação de comandar o esquema no Rio, busca um acordo de delação premiada e nega que seja o mentor dos crimes. Os contratos investigados somam R$ 1 bilhão.

“Para firmar o acordo com a PGR, que pode livrá-lo da denúncia, Edmar também se prontificou a devolver R$ 8,5 milhões aos cofres públicos. Esse foi o valor encontrado em espécie durante as ações de busca e apreensão da operação Mercadores do Caos, conduzida pelo Ministério Público”, anotou o jornal.

Witzel e Everaldo disseram que desconhecem o conteúdo das gravações.

O caso tramita no Superior Tribunal de Justiça.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Um cheque em branco para Eduardo Paes?, por Roberto Bitencourt da Silva

1 comentário

  1. Entendo agora o que é “Delação Premiada”: Voce rouba 1Bi. É pego e faz delação. Devolve 8,5Mi, bota tornozeleira e vai pro ap no Leblon.
    Vida dura a de bandido…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome