Imóvel de Flávio Bolsonaro no RJ foi enquadrado na ‘lei do puxadinho’

Senador tenta reverter notificação recebida da Prefeitura sobre varanda de apartamento na Barra da Tijuca; valor é de R$ 90 mil

Flávio Bolsonaro, senador. Foto: Reprodução

Jornal GGN – O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) veio à público afirmar que o valor de entrada para a compra de sua mansão em Brasília veio da venda de um apartamento no Rio de Janeiro – contudo, esse apartamento é alvo de disputa com a Prefeitura por conta da chamada “lei do puxadinho”.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, a Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro exigiu a cobrança de R$ 90 mil em 2016 para que fosse regularizado o fechamento da varanda do apartamento do senador. Flávio Bolsonaro recorreu, e o processo está em andamento na Justiça para reverter tal decisão.

Além disso, as condições sobre a venda do imóvel não estão públicas uma vez que a transação ainda não foi informada ao Registro de Imóveis – o comprador é responsável por tal informação, e não existe prazo para que o registro seja feito.

A escritura pública da compra da mansão em Brasília, no valor de R$ 6 milhões, revela que a parcela inicial do financiamento representa mais da metade da renda declarada por Flávio e a esposa.

Vale lembrar que Flávio Bolsonaro é acusado de liderar um esquema de “rachadinha” durante seu mandato como deputado estadual na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), envolvendo 12 funcionários fantasmas entre 2007 e 2018. O senador também foi denunciado pela Promotoria do Rio de Janeiro em novembro de 2020 pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Ele nega as acusações.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora