Lewandowski indica que Fux e Weber não tiveram “disposição” para combater fake news nas eleições

Artigo defendendo que TSE tinha recursos para investigar e punir as fake news que favoreceram o lado de Bolsonaro, em 2018, lança luz sobre a curiosa atuação de Fux

Jornal GGN – O ministro Ricardo Lewandowski assinou na Folha de S. Paulo desta terça (13) um artigo defendendo que a Justiça Eleitoral já dispunha de recursos e conhecimento técnico para, se assim quisesse, combater a proliferação de fake news durante a eleição que culminou na vitória de Jair Bolsonaro.

O crime deveria ter sido encarado como “abuso de poder econômico”, pois favoreceu um dos lados, e não era necessário, como fez Luiz Fux à frente da Justiça Eleitoral, gastar tempo e energia discutindo a elaboração de novas leis para enquadrar as fake news. Só era preciso “disposição” em aplicar a legislação já existente e usar a Polícia Federal para investigar as milícias digitais, anotou Lewandowski.

“Não cabe invocar dificuldades técnicas para detectá-las ou a inexistência de leis apropriadas para reprimi-las. Primeiro, porque a Justiça Eleitoral —coadjuvada quando necessário pela Polícia Federal— dispõe de um corpo de especialistas em informática altamente qualificado. Depois, porque, embora seja sempre possível aperfeiçoar a legislação vigente, certo é que o nosso ordenamento jurídico já contempla os instrumentos necessários para coibi-las adequadamente. ”

O artigo lança luz sobre a atuação curiosa especialmente de Fux durante o ano eleitoral. O ministro passou o bastão da presidência do Tribunal Superior Eleitoral para Rosa Weber quando o pleito, de fato, aconteceu. Mas durante os meses preparatórios da eleição – que entrou para a história por romper com a polarização entre PT e PSDB – Fux promoveu debates inconclusivos sobre como atuar em relação às fake news, que não tiveram nenhum resultado efetivo quando o problema solidificou.

Leia também:  Os trogloditas das Dez Medidas e o exemplo que vem de Nova York

Além do mais, discutir nova lei foi logo de cara criticado por especialistas que temiam pela censura prévia na internet.

Após o vazamento de conversas de Telegram entre membros da Lava Jato, soube-se que Fux participou de palestras pagas junto a figuras do mercado financeiro, que queriam discutir justamente as eleições presidenciais.

Analistas questionaram se Fux não estava recebendo pressão do mercado para manter um ambiente estável o suficiente para garantir a derrota do PT, ou praticando crime de inside information.

Encerrada a eleição, com um Bolsonaro eleito presidente, Weber – que tampouco soube responder ao desafio à altura, sobretudo quando, no segundo turno, as fake news beiraram ataques criminosos à honra dos candidatos – se preocupou em rebater apenas as notícias falsas que envolviam os trabalhos do TSE, como, por exemplo, histórias de fraude nas urnas.

“Nada justifica que, em nosso país, se deixe de combater com o necessário rigor tal prática deletéria, tornada viável graças à extraordinária expansão das mídias sociais, seja investigando fraudes passadas, seja prevenindo futuras, com a consequente punição dos responsáveis e beneficiários”, escreveu Lewandoski.

Para o ministro, as fake news são como “um novo modo de manipular o resultado das eleições, tão deletério para a democracia quanto o conhecido abuso do poder econômico, que desequilibra a paridade de armas entre os concorrentes.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Brasil vai levar 15 anos para retornar ao patamar de pobreza de 2014

14 comentários

  1. “Analistas questionaram se Fux não estava recebendo pressão do mercado para manter um ambiente estável o suficiente para garantir a derrota do PT, ou praticando crime de inside information”:

    Me disseram que esse assunto vai voltar aa tona e nao eh com Lew… ate agora, *so* temos Fux, Fachin, e Barroso envolvidos na LavaBunda, e surpreendentemente, gilmar mentes ainda nao apareceu!!!

  2. Lewando, Lewando, chegaremos em fux que não acende e rosa que se despetala: todos fuinhas de mesma buraqueira: a que dá votos aos inimigos dos votos. Bando é muito pouco: batalhão.

  3. Realmente uma boa idéia dos estudantes…..

    Por que os partidos de opsição e as centrais não criam o trairometro? Deixar permanentemente exposto os nomes dos trairas que acabaram com as aposentadorias……expostos para o povo não esquecer e expurgá-los da vida publica……

    Pra ontem……

  4. Mas as dúvidas são essas: 1) Se Lewandovski comenta isso na Folha é porque sabe do que está falando – e está falando, obviamente, em prevaricação de Fux e de Rosa – ou seja: por que não os denuncia oficialmente a quem tenha competência para iniciar um processo criminal contra dois togados supostamente cúmplices dos interesses de quem ganhou desonestamente a eleição? 2) Se sabe que não adiantaria tentar processá-los porque fardados, políticos no poder e até mesmo quem teria competência para iniciar tais processos, toda essa laia agiria politicamente para proteger outros interesses, então não seria o caso de Lewandovski tirar a toga no meio do plenário, mijar e cagar em cima dela e declarar-se oficialmente fora daquele antro, convocando ao mesmo tempo que nos rebelemos para valer e ataquemos os bandidos e seus cúmplices? Afinal, é só hipocrisia que resta? Temos que saber de algo assim através de um ministro do STF e fica tudo por isso mesmo? Olhemos nos nossos espelhos, minha gente brasilsão afora e vejamos as caras de covardes que estão do lado de lá….Falta-nos vergonha na cara para agir…….infelizmente…..e nessas condições um tiro no meio da cara é o melhor remédio……

    • Kkkkkkkkkkkkkkkkkk Tô imaginando a cena! (não seria o caso de Lewandovski tirar a toga no meio do plenário, mijar e cagar em cima dela e declarar-se oficialmente fora daquele antro …)

  5. Se a direção do PT e os deputados e senadores da esquerda não usarem esse artigo para abrir uma representação contra Fux e Rosa Weber por prevaricação e advocacia administrativa, entre outros crimes, merecem mesmo se foder! Não é com lives para os convertidos que vamos enfrentar essa quadrilha de milicianos travestidos de juízes, promotores e outros picaretas de concurso público.

  6. O que mais me revolta é que todos(as) participaram como testemunhas diretas de uma tragédia que estava para acontecer e não fizeram nada para impedir…

    por mais estranho que possa parecer, acredito que ainda iremos confirmar que o único que tentou impedir foi o Cunha.

    Sigamos, pois, ainda como espectadores de palavras, porque de soluções, já era, teremos que nos contentar apenas com uma testemunha que foi escolhida por eles para reorganizar o espetáculo dantesco do golpe a partir de outra narrativa

    E o que nos restará, senão apenas acreditar!?

  7. “Gostaria imensamente que houvesse uma solução pronta e eficaz, mas, de fato, não temos”. – Rosa Weber

    “Não sei fazer milagres”. – Rosa Weber

    Fake News são um problema insolúvel na cachola da Rosa Weber

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome