Mais de 10% da dissertação de mestrado de Decotelli é plágio, diz professor

O economista e professor do Insper, Thomas Conti, divulgou uma thread no Twitter afirmando que detectou plágio na dissertação de mestrado do novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli

GGN PREPARA DOSSIÊ SOBRE SERGIO MORO.
SAIBA COMO AJUDAR O PROJETO INDEPENDENTE AQUI

Jornal GGN – O economista e professor do Insper, Thomas Conti, divulgou uma thread no Twitter na noite de sexta (26), afirmando que detectou plágio na dissertação de mestrado do novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli.

Segundo Conti, a dissertação reproduz sem dar crédito vários trechos de um relatório da Comissão de Valores Mobiliários. Utilizando um software que detecta plágio, o professor apurou que mais de 10% do trabalho de Decotelli é uma cópia.

Analisando o trabalho, Conti ainda identificou trechos reproduzidos sem créditos de outros autores. “Difícil não chamar de plágio”.

Confira a thread abaixo:

Leia também:

Novo ministro da Educação não tem doutorado, diz reitor de universidade argentina

 

Silvio Almeida sobre Decotelli: “O que fará diante de um governo disposto a destruir o país?”

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

3 comentários

  1. Bem, só dá para lamentar. Mais uma desmitificação que empalidece e arranha a autoridade do novo ministro. Deveria ser mais autêntico e menos vaidoso. Se fico desapontado, imagino como se sentem os membros mais esclarecidos da comunidade negra. Sua exposição em cargo tão importante tinha tudo a ver com meritocracia e política pedagógica no melhor sentido humanitário. Mas parece que ele agora se igualou a tantos e tantos brancos mentirosos, demagogos e oportunistas. Bem, é bom frisar: só mostrou a imperfeição do ser humano, seja ele azul ou amarelo. Sua entrada no cenário não foi boa. Espero que se recupere e não se revele a terceira frustração na área da Educação.

  2. Gente, fosse só isso!! O Lattes do camarada é uma beleza! Disseram q corrigiu o doutorado, mas com data de atualização de hoje, ele não excluiu o doutorado, apenas trocou o título da tese por “concluiu os créditos” e o nome do orientador por “sem defesa de tese”!!!! E no texto de entrada diz q tem doutorado! Ele teria q EXCLUIR q tem doutorado. Se ele não tem doutorado, como fez pós-doutorado na Alemanha entre 2015-2017? Ou não é pós-doutorado, pode ser algum outro tipo de curso, ou ele mentiu para a instituição… Ou seja, de um jeito ou de outro não pode ser o que diz ser… Nesse mesmo período de pós-doc, 2015-2017, consta q seguiu dando aulas na FGV em uns 5-6 cursos diferentes de MBA, sendo de 6-11 disciplinas diferentes entre os cursos, ministrados entre 10-22 cidades diferentes, abrangendo até 8 estados diferentes, de morte a sul. O cara é fantástico, fez posdoc na Alemanha e seguiu dando tudo isso de aula pelo Brasil todo e ainda fez um curso (sem carga horária informada) em NY! Além de fantástico é muito rico pra dar todas essas voltas! Isso fora outra pérolas… Pra quem tem que atualizar o Lattes toda hora por causa de avaliações e de projetos com informações verdadeiras, isso é aviltante!
    Pra uma turma que despreza conhecimento e ciência, esse povo gosta muito de mentir com títulos q não têm!

  3. O doutorado é mentira. O mestrado é copiado. Consta que é autor de um livro de matemática financeira intitulado “Matemática Financeira Aplicada”, editado pela FGV, em 2009. Na capa, consta como o terceiro autor. Será que ele escreveu mesmo? Ou foram os coautores? Seria interessante verificar. Pelo visto até agora, a “capivara” do ministro parece que é maior que seu currículo acadêmico.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome