No Telegram, procurador comentou falta de provas em 2 delações usadas contra Lula

Pedro Corrêa e Delcídio do Amaral foram detratores de Lula em várias ações da Lava Jato. O GGN vem apontando a falta de consistência e provas nos depoimentos dos delatores ao menos desde 2016

Jornal GGN – Conversas de Telegram entre membros da Lava Jato reveladas pelo Intercept Brasil e UOL, nesta terça (10), mostram que até procuradores reconheciam que as delações de Pedro Corrêa e Delcídio do Amaral, usadas em processos contra o ex-presidente, tinham “caráter genérico” e careciam de “elementos de corroboração”.

A frase acima foi disparada em 30 de julho de 2017 pelo procurador Rodrigo Telles, que atuava na Lava Jato pela Procuradoria-Geral da República. O contexto era a discussão sobre a proposta de delação do deputado federal cassado Eduardo Cunha. Alguns procuradores, principalmente os de Curitiba, insistiam em não negociar com o ex-presidente da Câmara, alegando que ele era “vago”, que só admitia caixa 2, mas não crime de corrupção, e que suas declarações não vinham acompanhadas de provas.

Pela sentença de Telles, entende-se que se “caráter genérico” e “falta de elementos de corroboração” eram critérios para rejeitar delações, Pedro Corrêa e Delcídio do Amaral não deveriam ter sido contemplados com acordos.

Delcídio foi, no caso triplex, um dos principais detratores de Lula. Desde ao menos 2016, o GGN vem apontando elementos que demonstram que a delação do ex-senador era incompatível com outras informações levantadas pela própria Lava Jato. Leia mais aqui.

Em depoimento a Sergio Moro, Delcídio foi ouvido como testemunha, não como delator. Foi ele quem disse, contudo, que Lula tinha conhecimento de todo o esquema de corrupção que existia nas entranhas da Petrobras, permitindo à Lava Jato classificar o ex-presidente como “maestro” ou “chefe da propinocracia”.

Ainda em 2016, a delação de Delcídio transformou Lula em réu em Brasília. O ex-presidente foi acusado de comprar o silêncio de Nestor Cerveró. Em setembro de 2017 – dois meses depois que o procurador Telles enviou a mensagem no Telegram criticando a delação de Corrêa e Delcídio por falta de provas – Lula foi absolvido nesta ação penal.

O próprio procurador da causa, Ivan Cláudio Marx, pediu a absolvição de Lula admitindo que a delação de Delcídio era farsesca. Ele também opinou pela anulação dos benefícios concedidos ao delator.

À época, o GGN publicou um artigo (veja aqui) traçando um paralelo entre a atitude nobre de Marx, que não insistiu numa condenação sem provas, e a conduta dos procuradores da Lava Jato em Curitiba – que pediram para Moro condenar Lula com base na “teoria da abdução das provas”, uma tese “esdrúxula” em que o acusador cria uma hipótese condenatória e usa a convicção para validá-la, abandonando o “in dubio pro reo”. Saiba mais aqui.

Já Pedro Corrêa também foi ouvido como testemunha no caso triplex. Ele admitiu que mudou o depoimento para corroborar a denúncia apresentada pelo Ministério Público ao então juiz Sergio Moro. Relembre aqui.

Leia mais: Lava Jato prevaricou engavetando denúncia feita por Cunha em proposta de delação

O GGN prepara uma série de vídeos explicando como os EUA influenciaram a Operação Lava Jato. Quer apoiar o projeto? Saiba como em catarse.me/LavaJatoLadoB

 

 

10 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Edno -

- 2019-09-12 12:34:57

Não pelos motivos de Bolsonaro, que fique claro, mas a Globo como organização indutora ao "não devido processo legal", e também como beneficiária de volumosas verbas de publicidade, conseguida nos porões, nos achaques que faz, e principalmente pelo que não publica, deveria começar a pagar a conta...não sei como, mas deveria!!!!!

altamiro souza

- 2019-09-10 20:50:44

o the intercept comprova que foi o conluio mais infame de nossa história contra oi país e a democracia.

Paulo José

- 2019-09-10 17:07:49

Espera o sargento Garcia prender o zorro, que você verá o Lula livre.

Jus Ad Rem

- 2019-09-10 16:33:39

Essa prisão do Lula foi o processo mais fraudulento e imoral que aconteceu no Brasil desde o Golpe de 1964. As "excelências" de capa preta deveriam se envergonhar e colocá-lo em liberdade imediatamente, sob pena de serem confundidos com cães capa preta.

Mauricio Felício de Matos

- 2019-09-10 14:44:00

Foda-se, estamos em formação de tropa pra aniquilar os farsantes com consciência moral...

- 2019-09-10 13:19:19

A injustiça para fazer justiça , Será que precisava ,? Era tão óbvio que havia corrupção Que há ,e sempre haverá.

Rui Ribeiro

- 2019-09-10 12:57:01

$érgio Moro interroga Gilberto Gil: O senhor conheceu o ex-ministro José Dirceu? – Sim, claro. Ele foi ministro ao mesmo tempo que o senhor? – Sim. O senhor teve conhecimento de quando ocupava o Ministério do senhor Dirceu em algum esquema de corrupção? – Não. O senhor conheceu durante o seu cargo no Ministério o senhor Antonio Palocci? – Sim. O senhor teve conhecimento durante o exercício do seu cargo como ministro do envolvimento do senhor ministro Antonio Palocci em algum esquema de corrupção? – Não. O senhor chegou a conhecer o senhor João Santana? – Sim. O senhor teve contato com ele durante o período que o senhor ocupou esse cargo como ministro da Cultura? – Sim O senhor teve conhecimento de envolvimento dele em algum esquema de corrupção ou de lavagem de dinheiro, na época que o senhor ocupava esse cargo de ministro? – Não. Não tive conhecimento de nada desse tipo. (Moro repete a pergunta por corte de sinal) – Não, não tive conhecimento nenhum. O senhor teve conhecimento que tanto o senhor Antonio Palocci quanto o senhor João Santana são confessos em relação à prática de corrupção e lavagem de dinheiro? – Tenho ouvido notícias a respeito dessa possibilidade. Mas na época o senhor não tinha conhecimento? – Não".

hccoelho

- 2019-09-10 12:01:12

Tudo pode-se resumir a isso: a turma da lava jato tinha "certeza" que o Lula tinha que ter algo de corrupto. Antes de achar, denunciaram, e se comprometeram com o crime de acusar sem prova. Estavam em uma enrascada. Estavam perdidos. Mas aí entra a globo e o resto do sistema, que era mil vezes pior que eles, e os premia, os insulfla e os empurra para o crime geral de insistir em uma acusação nula, na calúnia, na difamação. Esta é a lavajato sócia da globo e da grade mídia. Outros cúmplices medrosos vieram a se somar, como os "superiores", e deu nesta desgraça que agora sofremos.

Rui Ribeiro

- 2019-09-10 11:31:16

"Rotineiramente desqualificamos testemunhos e exigimos comprovação. Isto é, estamos tão convencidos da justeza de nosso julgamento que invalidamos provas que não se ajustem a ele. Nada que mereça ser chamado de verdade pode ser alcançado por esses meios". - Marilynne Robinson, The Death of Adam

Romanelli

- 2019-09-10 11:18:48

"Lula foi absolvido" ..mas o prejuízo esta todo aí ..com o EX preso e ainda com parte do povo ressabiado de ir ao seu encontro. Assim como com a ação do TRIPLEX que, se, SE fosse verdadeira, já começaria mentindo no titulo, pois não se trata dum triplex, mas duma TROCA entre o apto do 6o andar - legalmente adquirido - com este da cobertura. "..desafio a qualquer um que me mostre, em TODO PROCESSO de SERGIO MORO, a página em que o juiz mostra uma UNICA prova contra o ex presidente LULA.." ..não, não foi LULA quem proferiu esta frase, nem seus advogados, mas REINALDO AZEVEDO e o STF de Toffoli e do General Vilas Boas ainda tem a coragem de manter este homem preso !!! ..é ou não é a certeza da impu8nidade que move essa ESCUMALHA, hein ?!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador