O PT e o compromisso com o erro, por André Araujo

Não é possível governar um grande Pais sem contar com a LEALDADE de quem se nomeia, ou será que Putin e Xi Jen Ping nomeiam gente que lhes pode prender?

O PT e o compromisso com o erro, por André Araujo

Assisti ao nascimento do PT em São Bernardo, onde tinha fábrica e o sindicato adverso era o do Lula. Na memorável greve de 41 dias em 1979 fechei o acordo representando a FIESP tendo do outro lado o Sindicato dos Metalúrgicos de S. Bernardo e Diadema, na Delegacia do Trabalho em Santo André. Do outro lado da mesa um Lula ainda só sindicalista. Conheço portanto, o PT antes do berço.

Por essas voltas da vida tornei-me depois por outras vias amigo de José Dirceu muito antes da vitória do PT em 2002, apresentado por um amigo comum, Dorival de Abreu, então presidente do PTB de São Paulo. Viajei depois várias vezes com Dirceu para os EUA onde ele foi considerado o líder do PT e assim recebido em Washington.

Já contei aqui mais de uma vez o pedido da então Secretaria de Estado Condolezza Rice para almoçar com Dirceu em 2006, Dirceu já não era mais nada mas ainda assim tinha enorme prestigio em Washington.

O PT teve magnifica vitória em 2002, mas seu declínio começou logo, em 2005, quando Lula sacrificou Dirceu no “mensalão”. Dirceu era o sucessor natural de Lula, jamais Dilma. Não compro a tese de que Dirceu seria o canidato de Lula se não fosse o “mensalão”. Não seria mesmo sem o mensalão. O candidato de Lula para 2010 seria Palocci e não Dirceu.

Dirceu como Presidente ofuscaria Lula e Lula sempre cuidou de proteger seu capital politico pessoal  mesmo com a destruição do PT.

Não vou me alongar com esse assunto e vamos analisar a trajetória atual do PT e seus notórios erros, sem perder tempo com criticas a estratégia ou a falta dela nas eleições de 2018, Os erros foram tantos e tão seguidos que abriram caminho para um grupo até então inexpressivo conquistar o poder sobre o Estado brasileiro. O PT tem grande responsabilidade sobre esse fato histórico. Não só erros do passado, mas tambem atuais.

1 º erro – VENEZUELA – Custou a eleição de Haddad em 2018. Muitos, os votos que faltaram,  não votaram no PT sob o raciocinio ” Não quero que o Brasil seja uma nova Venezuela”, a crise humanitária dos venezuelanos chocou e choca os brasileiros, não há nada que atenue essa tragédia

Lula se aliou com Chavez em 2002, tinha certa lógica. Após a morte de Chavez os laços desapareceram, Maduro NÃO era desde o inicio uma boa aposta. Por que apoia-lo?  Maduro foi um erro de Chavez, havia nomes muito melhores, como José Rojas, Vice Presidente Executivo da PDVSA e depois representante da Venezuela e de mais oito paises, inclusive Colombia e Espanha, no FMI. Homem preparado, formado em economia na França,
chavista. Porque Chavez escolheu um semi-analfabeto condutor de ônibus como Maduro, não poderia dar certo, o PT deveria ter se afastado à francesa.

A Presidente do PT ir à posse de um desgraçado, fracassado e inviável  Maduro  é inexplicável, mais que um crime, um erro, como diria Joseph Fouché à Napoleão a respeito do assassinato do Duque de Enghien. Já não bastam os problemas no Brasil, o PT procura problemas na Venezuela?

2º erro –  Marcio Tomaz Bastos, mero advogado criminalista de ricos, nenhuma categoria como jurista, foi o algoz de Lula ao indicar gente completamente inconfiavel para o Supremo e a PGR. Todos os carrascos de Lula foram indicados por esse péssimo Ministro da Justiça. Fiquei horrorizado quando convenceu Lula a usar meias suissas de seda, o que é isso? Bajulador, inventou Joaquim Barbosa e outros que enforcaram Lula. Não adianta dizer que uma vez Ministro do Supremo é independente. No mundo real NÃO é assim. Na maior democracia do mundo, os EUA, o Presidente ESPERA E COBRA lealdade dos juízes da Suprema Corte que indica. Não há essa franciscana “neutralidade”, politica é politica em Brasília, Washington ou Pequim. O Juiz do Tribunal Supremo não precisa afrontar a lei para proteger seu padrinho, MAS também não deve ter o prazer de ser carrasco. Roosevelt tinha marcação cerrada na Suprema Corte que ele indicou. Lealdade funciona na Paris, em Berlim e em Brasília, não se trai impunemente e Lula foi traído escandalosamente por juízes por ele nomeados por sugestão de seu guru legal. Minha opinião NÃO é isolada, no meio jurídico há muita gente que pensa como eu.

Não é possível governar um grande Pais sem contar com a LEALDADE de quem se nomeia, ou será que Putin e Xi Jen Ping nomeiam gente que lhes pode prender? Isso não existe em grandes países, nem nos mais democráticos. A perseguição a Lula é inexplicável historicamente a não ser por erros anteriores do próprio Lula. O erro nas indicações cruciais para quem pode denunciar e prender custou a liberdade perdida de Lula hoje.

3º erro – Não reconhecer a realidade. Hoje o PT perdeu o jogo federal, MAS ainda tem considerável capital politico: 57 deputados na Câmara e os Governadores do Nordeste, não é pouco. MAS é preciso estratégia para usar essa capital. Como o PT não se juntou ao bloco progressista de oposição na Câmara, todos os partidos progressistas formaram um forte bloco, de mais de 100 deputados MAS o PT não se aliou, porque? Qual a LOGICA? O PT quer o que exatamente?

Tampouco fez composição na Mesa da Câmara. Lá não é questão de ideologia, é a divisão de tarefas de administração da Casa, pode-se compor com o pior inimigo, ficando de fora da mesa. Sendo o maior partido de eleitos no dia da eleição da Mesa, jogou fora poder na Casa, não tem logica.

A força do PT depende de alianças das forças que tentarão barrar a ultra  direita mas tem que ser em conjunto, como faz um exercito aliado numa batalha.

A liderança estratégica do PT é um fracasso absoluto no momento em que há um jogo complexo que exige estrategistas brilhantes e não fanáticos monotrilhos de visão estreita, provincianos e sem uma exata compreensão da trajetória histórica deste grande Pais.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora