Partido alemão pede que Merkel rompa parceria estratégica com Brasil por causa de Bolsonaro

Esquerda alemã chama Bolsonaro de "fascista" e diz que Merkel deve cumprir suas responsabilidades em termos de direitos humanos e suspender parceria com Brasil

Jornal GGN – Os ataques de Jair Bolsonaro aos direitos humanos e, mais recentemente, a decisão de celebrar o aniversário do golpe militar de 1964, motivaram a esquerda alemã a exigir de Angela Merkel que retire do Brasil o status de parceiro estratégico. Segundo o jornalista Jamil Chade, o partido de esquerda Die Linke afirma que Bolsonaro é “fascista” e merece uma resposta.

“Pedimos ao governo federal da Alemanha que mande uma mensagem clara e que cumpra suas responsabilidades em termos de direitos humanos, suspendendo, por exemplo, a parceria estratégica com o Brasil”, disseram os membros do Die Linke.

“‘Bolsonaro ameaça limpar os esquerdistas e, ao comemorar a ditadura, ele comemora assassinos e torturadores’, declararam. ‘Isso é tão nojento e desumano que é quase impossível encontrar palavras’, atacaram, apontando que o partido permanece solidário com as ‘forças progressistas, indígenas, LGBT’ e outras minorias”, acrescentou Chade.

A relação estratégica entre Brasil e Alemanha existe desde 2002. Somente em 2017, a Alemanha exportou ao Brasil 9 bilhões de dólares. Chade informou que Berlim teme que o rompimento com Bolsonaro favoreça empresas dos EUA. “Consultados, membros do Ministério das Relações Exteriores da Alemanha admitem o ‘mal-estar’ causado pelas declarações de Bolsonaro. Mas, com o objetivo de defender os interesses das empresas alemãs no Brasil, por enquanto nenhuma medida radical deve ser adotada adotada”, explicou o jornalista.

Leia mais.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Mentiras envenenam a imagem do presidente e ofuscam as boas notícias

4 comentários

  1. …”Berlim teme que o rompimento com Bolsonaro favoreça empresas dos EUA.”

    Não é difícil entender porque os Bolsonaro, Moro, Dallagnol e cia. golpista não sentem o menor constrangimento – pelo contrário, se sentem motivados – em falar e fazer absurdos: eles imaginam que tendo apoio dos administradores do dólar privado – Facebook, WhatsApp, NRA, irmãos Koch etc. – e de seus prepostos nacionais – Itaú, Bradesco, Globo, OESP e firmas desses ramos – conseguem manter o povo brasileiro anestesiado, cooptado, repetindo à zumbis que “o capitalismo é jóia, só precisa ajustar”.

    Vai ser difícil ajustar o capitalismo já que as instituições estatais – as únicas que poderiam fazer algo a respeito – estão também cooptadas. Dessa vez o golpe foi forte…

  2. Condenaram Luiz Inácio Lula da Silva por tudo que é de melhor para o Brasil, como por exemplo: fazer propaganda; por fazer grandes parcerias para o Brasil e para as nossas empresas; por fazer o Brasil ser respeitado e ser admirado internacionalmente, entre outros importantes benefícios. Porém, para aquele que em menos de 100 dias de governo não só destrói quase tudo de bom que foi feito para o Brasil, ainda provoca e destrata antigos e tradicionais parceiros pela estupidez, incompetência, ignorância e pela total incapacidade de conviver com a paz, a harmonia, com o respeito, a integração entre povos e principalmente dar a entender que quer fazer do Brasil um país submisso, subserviente e eternamente servil e dependente.

  3. O Brasil, nessa toada, começará a se parecer com a Coréia do Norte em termos diplomáticos.
    Com a diferença que a Coréia do Norte não se interessará pelo Brasil.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome