Por elogiar Ustra, Mourão é alvo de queixa-crime no STF

Durante entrevista, Mourão afirmou que o torturador “era um homem de honra e um homem que respeitava os direitos humanos de seus subordinados”

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Jornal GGN – O vice-presidente, general Hamilton Mourão, é alvo de uma queixa-crime protocolada no Supremo Tribunal Federal (STF), por suas declarações de exaltação ao torturador coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, durante em entrevista ao programa Conflict Zone, da TV alemã Deutsche Welle (DW).

De acordo com informações de Lauro Jardim, no O Globo, a ação foi feita por um advogado carioca, que pediu a investigação de Mourão por “apologia de crime”. O relator do caso no STF é o ministro Luís Roberto Barroso.

Em entrevista à DW, Mourão disse ser íntimo e elogiou Ustra. O coronel morto em 2015 é apontado em vários depoimentos como o líder das torturas físicas e psicológicas durante a ditadura militar.

Mas, segundo Mourão, Ustra “era um homem de honra e um homem que respeitava os direitos humanos de seus subordinados”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Republicanos partem para ataque contra Facebook e Twitter

6 comentários

  1. …respeitava os direitos humanos de seus SUBORDINADOS”…
    Nas organizações criminosas (Máfia, milícias, facções, quadrilhas, gangues) a “camaradagem” e a “lealdade”
    entre os comparsas não é algo raro, um protegendo o outro. E o que isso vale?
    Além de cada vez mais medíocres, nosso oficialato de “arto níver” tem cada vez menos senso de ridículo.
    O que será que andam ensinando em nossas academias e colégio militares?
    Ou será que são cursos no estrangeiro e eles sequer entendem?
    Preocupante…

  2. O nome do advogado é André Barros, Advogado da Marcha da Maconha, mestre em ciências penais e membro da Comissão de Direitos Sociais e do Instituto dos Advogados Brasileiros.

  3. Isso não basta. As vítimas do criminoso Brilhante Ustra tem todo direito de ajuizar indenização por dano moral contra o vice-presidente. Ao elogiar um torturador assassino, Mourão desdenhou o sofrimento que as vítimas dele sofreram no passado. De fato, a conduta do vice equivale à renovação do mal causado.

  4. A responsabilidade de todo o ativismo judicial está nessas pessoas que a cada pio de uma autoridade já vão chorar as pitangas no STF.

    A elas responderia, nas palavras de Sting.

    What might save us, me and you
    Is if the russians loves their childrens too.

  5. Os verdadeiros bandidos de alta periculosidade são pessoas que, como Mourão, estão nas mais altas esferas do poder político. O corporativismo permite que eles possam cometer toda sorte de delitos, mas com eles nada acontece pois podem controlar a máquina pública em todos os aspectos. O exemplo mais recente é o do senador flagrado com grana da corrupção no rêgo da bunda; seus pares já estão agindo para que ele saia ileso da situação. O Brasil está nas mãos de uma quadrilha de bandidos.

  6. Outra queixa crime deveria ser aberta contra o outro sujeito, também general, que ameaça com arapongagem da tal abin a liberdade constitucional dos brasileiros de se opor a ideias esdrúxulas e fascistas de alguns integrantes deste desgoverno.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome