Quarentena faz taxa de reprodução do coronavírus no Brasil cair de 3,5 para 1,4

O isolamento social reduziu a propagação do vírus, mas taxa acima de 1 ainda significa que o crescimento é exponencial

Jornal GGN – A taxa ou número básico de reprodução do coronavírus no Brasil caiu de 3,5 para 1,4. Isso significa que, no início da pandemia em terras tupiniquins, quando o isolamento social não estava em uso, um brasileiro com covid-19 passava o vírus para mais 3,5 pessoas, em média. Após as restrições de mobilidade social, cada dois brasileiros transmitem o coronavírus para outros três.

O valor menor mostra que, de maneira geral, a quarentena tem surtido algum efeito nos estados. Mas o resultado ainda está aquém do esperado. Enquanto a taxa de reprodução permanecer acima de 1, o coronavírus continuará crescendo exponencialmente, com o número de casos dobrando a cada 9 ou 10. Hoje, o País tem mais de 260 mil casos positivos.

O estudo focado no número básico da reprodução foi feito pelo físico nuclear Rubens Lichtenthäler Filho, professor da Universidade de São Paulo (USP), e seu filho, Daniel, médico do Hospital Israelita Albert Einstein. A versão preliminar da pesquisa foi divulgada na última sexta (15) no portal MedrXiv. A informação é do jornal O Globo desta terça (19).

No começo de maio, o Imperial College divulgou um estudo centrado no Brasil, avaliando que a quarentena no País não tem sido rigoroso como foi na Ásia ou na Europa. Nas duas regiões, o engajamento da sociedade colocou a taxa de reprodução abaixo de 1.

A título de exemplo, enquanto na região da Lombardia, na Itália, a quarentena fez a mobilidade social cair 75%, no Amazonas e São Paulo, “a redução máxima observada foi de apenas 18% e 21%, respectivamente.”

Leia também:  Estatais financiam canais que veiculam fake news no YouTube

O Estado de São Paulo não descarta decretar lockdown se a taxa de isolamento social não subir acima dos 50%. Nesta semana, o governador João Doria e o prefeito Bruno Covas anunciaram a antecipação de feriados para manter as pessoas em casa.

Para o Imperial College, com taxa de reprodução do vírus acima de 1, “a transmissão permanece descontrolada” e “na ausência de medidas mais rígidas que levem a novas reduções de mobilidade, o crescimento da epidemia continuará.”

Imperial College: Brasil está no início da pandemia e deve ser mais “rigoroso” no isolamento

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. A respeito do Covid, como está aquela produção de cloroquina que bozo solicitou as FAs?
    O incompetente não comete crime por ordenar fabricação em larga escala de um produto que podera deteriorar nas prateleiras e por isso tenta por decreto criar a demanda?

  2. O Calor da Primavera da Europa derretendo Histeria e Doenças do rigoroso Inverno Europeu !!!! E ninguém sabia disto ?!!! Apenas dez dias que se completam esta semana, da reabertura da normalidade na Europa e TODA Europa já volta ao normal !! E Ninguém sabia disto??!! Quem sai às ruas com Temperaturas de menos 10 graus ou ainda menores, que faz no Inverno Europeu? O Calor da Primavera anunciando as Altas Temperaturas do Verão Europeu a e alta Estação de Férias no Hemisfério Norte !! Alguém acreditava que justamente na época que o Hemisfério Norte funciona, que as Pessoas saem às ruas e passeiam em Férias que duram todo Verão, alguma coisa estaria fora do normal, fechado, bloqueado ou isolado?!! E aonde toda Nossa Elite Politica Brasileira vai passar as férias, se estivesse tudo fechado? Diz aí Bruno Covas: “Quem não vai todo ano para a Disney”, não é mesmo menino?!! Onde estão os corpos, a histeria, os doentes, o apocalipse da semana passada? Sumiu, junto com o frio?!! Aqui vamos tentando derrubar o Presidente da República inflando o caos, a histeria, os suicídios, os feminicidios, a falta de assistência aos doentes e colocando tudo na conta de Coronavírus. Mas lembremos de um fato que já relatei. Até 2 semanas atrás TODOS morriam de Covid em SP. Ricos e Pobres. Famosos e Anônimos. Então Dória baica decreto, embala corpos em sacos plásticos, impede velórios, despedidas, dignidade, humanidade, adeus, respeito, luto… Corpos em valas ditatoriais, o mais rápido possível. O Estado Ditatorial Absolutista da Velha Política e sua mão pesada. Mas e os Famosos? E os Endinheirados? E os Bem Nascidos? Aqueles que tinham ligações e contatos com o Poder, a tal Elite? Estes, voltaram a morrer de “qualquer outra morte”. Laudo Natel? Luis Lauro Filho/PSDB? Celso Pinto? Luiz Maklouf Carvalho?… Mas deve ser tudo coincidência. Afinal estamos na Pátria das Coincidências. Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome