Salles pode prejudicar investigação da PF, diz MPF

Jornal GGN – O procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Rocha Furtado, entrou com pedido para apuração de eventual “ato de gestão ilegal” do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, “a favor de supostos criminosos” envolvidos na maior apreensão de madeira da história.

Segundo o jornal Correio Braziliense, Furtado também pediu ao TCU que determine à Casa Civil o afastamento temporário do ministro, uma vez que Salles poderá atrapalhar as investigações da Polícia Federal caso siga à frente da pasta, ele poderá atrapalhar o andamento das investigações da Polícia Federal.

O pedido do procurador tem base em uma notícia-crime apresentada pelo ex-superintendente da Polícia Federal no Amazonas, delegado Alexandre Saraiva, ao Supremo Tribunal Federal (STF). De acordo com o documento, Salles teria cometido crimes de organização criminosa, obstrução de investigação ambiental e advocacia administrativa ao proteger desmatadores ilegais na floresta.

O delegado diz ainda que Salles realizou diligências e tentou fazer perícias para isentar os desmatadores das acusações – e um dos protegidos teria mais de 20 infrações ambientais em sua ficha. Saraiva também acusou o senador Telmário Mota (Pros-RR), que seria integrante de uma rede de apoio no Poder Executivo para evitar o avanço das diligências contra madeireiros.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora