Sara Winter é expulsa do DEM

De acordo com nota, a decisão da sigla se dá “pelo descumprimento dos deveres éticos previstos estatutariamente”

Jornal GGN – A militante de extrema-direita e bolsonarista, Sara Winter, foi expulsa nesta terça-feira, 2 de junho, do Democratas (DEM). De acordo com nota, a decisão da sigla se dá “pelo descumprimento dos deveres éticos previstos estatutariamente”.

Próxima a Bolsonaro, na última semana Winter esteve no centro de diversos escândalos políticos, após ser alvo de operação de busca e apreensão coordenada pela Polícia Federal, autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, no inquérito das fake news.

Em ofensiva a decisão de Moraes, Winter gravou vídeo ameaçando a Corte Suprema, que viralizou nas redes sociais. “Hoje, o senhor tomou a pior decisão da vida do senhor”, disse a Moraes. “Pena que ele mora em São Paulo, porque se estivesse aqui eu já tava lá na porta da casa dele, convidando ele para trocar soco comigo”, esbravejou durante a gravação.

Ainda, há três dias da operação da PF, Winter e seu movimento bolsonarista “300 do Brasil”, comparado ao grupo de supremacistas dos Estados Unidos Ku Klux Klan (KKK), realizou um protesto anti democrático em frente ao STF.

Após as ações – que podem ser enquadradas como crimes contra a segurança nacional, a ordem política e social – Moraes denunciou Winter, que será julgada pelo Ministério Público Federal do Distrito Federal. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) também entrou com ação contra a apoiadora de Bolsonaro por ameaças após o inquérito das fake news.

Candidata a deputada federal pelo DEM do Rio de Janeiro nas eleições em 2018, Winter não levou o cargo e passou a coordenar protestos contra integrantes do próprio partido, como o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Ontem, 1 de junho, já havia rumores sobre a articulação de parlamentares para expulsão de Winter do DEM. Hoje, a ação foi confirmada em nota assinada pelo presidente da sigla, ACM Neto.

Leia também:  Secom e Damares entram na mira da Polícia Federal por atos antidemocráticos

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome