Três governadores tentam barrar impeachment

Chefes do Executivo no Rio de Janeiro, no Amazonas e em Santa Catarina enfrentam processos por má gestão ou falta de diálogo com deputados

Da esq. p/dir: Wilson Witzel (PSC), governador do Rio de Janeiro); Wilson Lima (PSC), governador do Amazonas; e Carlos Moisés (PSL), governador de Santa Catarina

Jornal GGN – Pelo menos três governadores viraram alvo de pedidos de impeachment por suspeitas de irregularidades em suas gestões durante a crise do novo coronavírus, ou mesmo por reclamações de falta de diálogo com o Legislativo.

Caso os processos tenham continuidade, o Brasil pode apresentar seu primeiro caso de impeachment de um governador desde 1957, quando Muniz Falcão foi afastado do mandato em Alagoas.

Para evitar destino semelhante, Wilson Witzel (PSC – governador do Rio de Janeiro), do Rio, e Carlos Moisés (PSL – governador de Santa Catarina) tentam mudar a relação mantida com os deputados, seja indicando nomes que agradam o Legislativo para tratar da articulação política, ou pagando emendas.

No Amazonas, o governador Wilson Lima (PSC) parece apresentar uma situação mais tranquila, uma vez que nem a oposição acredita em seu afastamento do cargo.

No caso de Witzel, seu processo de impeachment está relacionado às suspeitas de desvios na Saúde, que já levaram um ex-secretário, dois ex-subsecretários e outros envolvidos à cadeia. No caso de Lima, alega-se fraude na compra de respiradores.

Contudo, o impeachment do governador catarinense não tem ligação com a pandemia: assinado por um defensor público, o pedido de afastamento de Carlos Moisés tem por base o aumento supostamente indevido dado a procuradores do Estado sem a aprovação de projeto de lei na Assembleia Legislativa. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

 

Leia Também
Alesc abre processo de impeachment contra Carlos Moisés
Impeachment de Witzel sai no Diário Oficial. Saiba os próximos passos

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Gramática da manipulação: o jornalismo que esconde a motivação de atos contra o Carrefour

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome