Trinta anos sem Vinícius

Nassif e amigos,

Repito hoje, com uma pequena mudança (troquei a palavra amanhã por hoje), um post que coloquei ontem aqui no fora de pauta sobre o Vinícius de Moraes. Afinal, acredito ser muito importante lembrarmos de sua obra pois hoje completamos exatamente 30 anos sem ele. Abraços

Caro Nassif,

Estava escrevendo os agradecimentos do meu CD e lembrei de Vinícius… Hoje, dia 9 de julho de 2010, completaremos exatos 30 anos sem o nosso querido “poetinha”, Vinícius de Moraes. Carlos Drummond de Andrade afirmou em uma ocasião que Vinícius, dentre todos os poetas brasileiros, havia sido o único a ter vivido verdadeiramente como um poeta. O poeta do amor e da paixão. Sua influência foi e é enorme. Quando ele morreu eu tinha apenas 5 anos de idade e estou aqui a escrever sobre ele… Isto por que o seu trabalho artístico ficou marcado em nas diversas canções da bossa nova. Mas mesmo tendo sido parceiro de Tom Jobim, Baden Powell, Carlos Lyra e Toquinho, Vinícius foi também parceiro de Chico Buarque e Pixinguinha, dentre tantos outros – o seu trabalho poético musical vem de muito antes da bossa nova e ultrapassa a bossa nova.

A obra musical e poética de Vinícius de Moraes é viva através de todos os sentimentos expressos por ela, sempre a inspirar as gerações de sua época e também as futuras, como a minha e a de tantas outras pessoas…

Aqui vai uma pequena homenagem: 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora