O “choque de gestão” em Minas

Vamos abrir uma discussão sobre o choque de gestão em Minas Gerais. Tenho feito a defesa dele aqui, e recebido informações a favor e contra. Posto duas contrárias. Vamos montar daquelas discussões campeãs, com argumentos (mais que adjetivos) a favor e contra, para permitir um quadro mais objetivo sobre o processo.

Enviado por: Lucas

Caro Nassif,

há muito se fala a respeito de um bloqueio ou controle da imprensa em Minas Gerais com origem no Palácio da Liberdade e com reflexos em toda a cobertura da administração pública.

Há tempos venho postando aqui no blog comentários eventuais sobre isso, sobre a pirotecnia de marketing que é o tal Choque de Gestão (que consistiu em um aumento absurdo da burocracia para a avaliação da performance dos funcionários – aumento proporcional às estratégias empregadas por Chefias e funcionários para escapar ou ludibriar o sistema de controle – bem como uma estrutura salarial absolutamente inacreditável (carreiras que exigem o Mestrado como qualificação mínima pagam mais do que outras próximas ou similares do que outras que exigem o Doutorado – como é o caso do Pesquisador da Fundação João Pinheiro).

Agora, uma pergunta: é a segunda vez que o Governador Aécio Neves exige uma Lei Delegada em início de governo; se fosse o Lula a imprensa não iria em peso acusar o Governo petista de anti-democrático e etc?

Enviado por: iza

Caro Nassif.

Não acredito que o Sr. seja outro ludibriado pelo governador Aécio Neves?

A enganação agora está chegando a esfera nacional?

Essa estória de ajuste (choque de gestão) em Minas é pura balela, enganação, truque, mentira.

Ajuste em cima de quem cara pálida? Dos servidores públicos? Do corte de investimento em setores essenciais para a população carente?

Procure informar-se mais Sr. Nassif. Procure saber qual é o piso salarial de um professor aqui em Minas. Enquanto a enganação desse governador estava circunscrita ao estado eu não me assustava tanto, agora começa a chegar aos círculos nacionais e ninguém o questiona, isso é surpreendente. Não é possível que a imprensa nacional seja também calada pelo dinheiro fácil do estado de Minas como o governador fez com a imprensa local.

Diga-me Sr. Nassif, como um governador (candidato a presidente) de um estado rico, pagava R$212,00 de piso para um professor? Que reestruturação elogiada é essa?

Menos que um salário mínimo.

Saiba Sr. Nassif que o “grande” Aécio reclamou de Lula quando o governo federal passou o salário mínimo para R$350,00. Como é que pode o governo Lula fazer isso? Nosso “choque de gestão” não previa pagar mais de R$212,00 reais de piso para o professor e agora temos que aumentar o piso.

Sr. Nassif sempre lhe admirei muito, por isso, solicito-lhe que procure ouvir o outro lado (sindicatos, oposição etc) sobre a tal “Reconstrução do Estado” levada a ferro e fogo, passando por cima de todos, não aceitando opiniões contrárias.

Abraços e obrigado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora