Brasil tem 4ºdia de alta de casos da COVID-19. Confira o TV GGN 20h, com Luis Nassif

Confira o comentário diário de Luis Nassif sobre os últimos acontecimentos na política e na economia do Brasil nesta quarta-feira, 28 de outubro

No TV GGN 20 horas desta quarta-feira (28/10), um dos temas será o quarto dia consecutivo de alta de casos de covid-19 no Brasil. Veja este e outros destaques a seguir:

O programa começa com os dados da covid-19 na Europa, destacando a segunda onda da pandemia na região e o avanço do contágio em países como França, Alemanha, Itália e Reino Unido.

No caso do Brasil, a média diária semanal saltou de 21.908 para 24.214 em apenas cinco dias – “ainda não dá pra falar que é tendência, mas é um sinal amarelo”

Na avaliação estadual, 11 estados apresentam alto crescimento e quatro tem ritmo de avanço moderado, enquanto apenas dois registram queda de casos (Rio Grande do Norte e Sergipe).

“A terceirização do SUS é uma loucura. Há uma incompreensão sobre o que é o serviço público e o serviço privado. As organizações sociais tem um amplo espaço para corrupção”

“Quando você pega plano de saúde, você paga independentemente do seu uso. Eles tem uma medida de eficácia, que dá o melhor tratamento possível para o paciente. Ele gerencia custos, e as organizações sociais não tem o menor interesse em serem eficazes pois elas ganham por atendimento”.

“Além disso, a regulação com as organizações sociais seria feita com os conselhos de saúde da região, que vão fiscalizar o trabalho. E como estão esses conselhos? Você sequer consegue saber a remuneração dos diretores das organizações sociais”.

“Quando você tem um trabalho público, você tem espaço para maus contratos mas com o funcionalismo fiscalizando. E se o cara tem estabilidade, ele corre o risco de perder o emprego se compactuar”.

“A Parceria Público-Privada implica no setor público pagar ao setor privado, e a margem de lucro é obtida via compressão dos custos. É caminho aberto para a mutretagem”

Leia também:  Trump elimina as opções de Biden para impulsionar a economia

Nassif também comenta sobre o interesse de João Doria em acabar com os órgãos de planejamento – “se você monta órgãos de planejamento, o setor privado tem que obedecer um conjunto de normas científicas, de política urbana e tudo”.

“O plano de desenvolvimento do Paulo Guedes é uma das coisas mais ridículas, copiando inclusive o do Eliseu Padilha no governo Temer. O Paulo Guedes é aquele sujeito do Business Plan em Power Point”

“(Guedes) não tem a menor noção de como fazer, e ainda se descobre que foi copiado do Michel Temer. O pessoal de Chicago está revirando no túmulo”

Sobre a incapacidade da análise econômica e a crise da economia brasileira, Nassif entrevista o economista Paulo Gala, da Fundação Getúlio Vargas. Veja a íntegra aqui – https://www.youtube.com/watch?v=IPiXaN-DcIc

“No Brasil, o bonde foi perdido nos anos 90 (…) As chances que o Brasil perde estão diretamente ligadas ao interesse imediato do rentista”.

“Quando você sai do FHC, mesmo com aquela crise de 2008, os grupos econômicos ganharam um poder expressivo e a capacidade de instabilizar a economia. (O Brasil) É um país muito atrasado”

Vinícius Amaral, comentarista sobre setor público, aborda os resultados do último Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes, que colocaram as universidades públicas em destaque pela qualidade de seus cursos.

“Se você cria critérios técnicos, que são civilizatórios, você cria limitações para o pleno lucro das empresas. E as empresas ficam soltas, elas definem o que é relevante para as políticas públicas, e não a contribuição delas para as políticas públicas – o que tem espaço”

“Aqui eles querem terra arrasada, e nada que se coloque como fator de redução dos riscos”

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome