newsletter

Luis Nassif Online

Faria melhor dar uma freada de arrumação e indicar pessoas capacitadas para a área econômica; por Luis Nassif
5 comentários
Informação de O Globo mostra que Veja mentiu sobre ter iniciado a apuração da reportagem contra Dilma e Lula na terça
48 comentários
Há dois fantasmas assombrando o mercado: contas fiscais eimpulsividade da presidente. Medidas heroicas não resolvem
23 comentários

O orgulho de ser gay do CEO da Apple

Jornal GGN – Em um artigo publicado na revista americana Bloomberg Businessweek, o CEO da Apple, Tim Cook, resolveu sair definitivamente do armário. Embora sua homossexualidade já fosse sabida no Vale do Silício, Cook resolveu falar sobre isso para ajudar outras pessoas a lidar com a sexualidade. "Se saber que o CEO da Apple é gay puder ajudar alguém na luta pela aceitação de quem ele ou ela é, ou ajudar a trazer conforto a alguém que se sinta sozinho ou inspirar as pessoas que insistem pela igualdade, então vale a pena abrir mão dessa privacidade".

do Estadão

Tim Cook, CEO da Apple, diz ter 'orgulho de ser gay'

Executivo-chefe da Apple revela homossexualidade em artigo publicado nesta quinta-feira,30, na revista Bloomberg Businessweek

Tim Cook: "orgulho de ser gay"

Leia mais »

Sem votos

A terra vista do céu em fotos de Yann Arthus-Bertrand, 2

Sugestão de Antonio Francisco

Fardos de algodão, Thonkaha, região de Korhogo, Costa do Marfim.

FARDOS DE ALGODÃO, THONAKAHA, REGIÃO DE KORHOGO, COSTA DO MARFIM

Esta, e outras belíssimas fotos, no link

http://terravistadoceu.com/foto/fardos-de-algodao-thonakaha-regiao-de-ko...

Leia mais »

Sem votos

Luciano Martins Costa: Sociedade e poder, uma ruptura

do Observatório da Imprensa

Sociedade e poder, uma ruptura

Por Luciano Martins Costa 

 

Os leitores e leitoras que ainda leem com atenção os principais jornais brasileiros devem estar curiosos com o noticiário pós-eleitoral, que retoma o estilo predominante até o final do ano passado. Embora o cenário político e os fatos da economia proponham uma grande diversidade de assuntos, pode-se notar que as reportagens, declarações e o conjunto das opiniões selecionadas pela imprensa mantêm um alto índice de convergência, como se as redações combinassem entre si o que vão colocar em destaque.

Mesmo que se saiba que as empresas de comunicação trocaram há alguns anos a concorrência comercial pelo correligionarismo político, ainda chama atenção a grande proporção de coincidências entre temas, interpretações e abordagens, o que torna enfadonho o lazer dos cidadãos que observam as primeiras páginas dos diários enquanto caminham pela cidade. Com pequenas diferenças nos assuntos regionais, pode-se notar que essa convergência aproxima até mesmo os paulistas O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo do carioca O Globo.

Não. O observador não vai fazer referência ao mitológico PIG – Partido da Imprensa Golpista. Essa é uma expressão superada pelo desempenho dos principais veículos de jornalismo na última eleição. A sigla ficou sem sentido porque, ao exagerar na manipulação de fatos reais, factoides, declarações e boatos, as grandes emissoras, os principais jornais e as revistas informativas de maior circulação avacalharam o próprio conceito de partido político. A imprensa se coloca acima das agremiações partidárias, e agora confronta diretamente os poderes republicanos, sem intermediários.

Leia mais »
Sem votos

O caminho do centro, por Motta Araujo

Por Motta Araujo

O CAMINHO DO CENTRO - O quadro politico do segundo mandato da Presidente Dilma em 2015 é completamente diferente daquele de 2011. A margem de manobra foi reduzida em função da menor diferença, das condições da economia e do reagrupamento das oposições, hoje com maior expressão do que em em 2011.

A presidente foi eleita pela parcela mais carente da população mas provavelmente 90% do PIB votou contra.

A história mostra que governar contra as elites a médio e longo prazo é na prática impossivel. Mas é possivel governar com amplos programas sociais se houver um acordo com as elites, Getúlio e Lula no primeiro mandato fizeram esse acordo, Jango também fez tanto que foram os empresários que financiaram a campanha do plebiscito que lhe restituiu os poderes presidenciais. Jango só se perdeu porque rompeu o acordo de 1963 com as elites, tinha a seu lado eficientes operadores como Walther Moreira Salles e San Thiago Dantas, descartou-os por causa de Brizola e partiu para o grande erro, encampar a agenda historicamente fracassada da esquerda radical.

Leia mais »

Média: 1 (3 votos)

A eleição em tempos de internet e a vitória de Dilma

Sugestão de Assis Ribeiro

da Rede Brasil Atual

'Sem internet, Aécio teria vencido eleição', diz cientista político

Para Sérgio Amadeu, PSDB adota 'estratégia do cinismo'. Ele considera inaceitável que a bandeira de combate à corrupção seja conduzida por 'forças da corrupção'

por Renato Brandão, especial para RBA 
 
JAILTON GARCIA/RBA
Amadeu

Amadeu defende reforma política para se alcançar uma legislação mais democrática dos meios de comunicação

São Paulo – Carro-chefe da editora Abril, a revista Veja lançada na última sexta-feira (24) divulgou como matéria de capa uma acusação de que a presidenta reeleita Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ambos do PT, tinham conhecimento de um esquema de corrupção na Petrobras. Sem apresentar qualquer prova, o conteúdo da reportagem era baseado em suposto depoimento do doleiro Alberto Youssef à Polícia Federal, que foi desmentido por seu advogado logo após a publicação.

Considerada a última “bala de prata” da oposição para tentar impedir uma nova vitória petista sobre os tucanos, a reportagem foi contestada duramente pela presidenta durante seu último programa eleitoral na TV na mesma sexta-feira. Ainda naquele dia, a Justiça considerou a publicidade da revista como “propaganda eleitoral” e também concedeu direito de resposta ao PT no site da revista.

Leia mais »
Média: 5 (3 votos)

Amilcar De Conte e o fabuloso Grupo X

Por Regina De Conte e Luciano Hortencio

Agora eu digo como diz o dito: Quem procura, acha! Na busca de encontrar informações precisas sobre o Grupo X, tive a felicidade de conhecer Regina De Conte, filha do violonista e um dos fundadores do Grupo X, Amilcar De Conte. Regina, como não poderia deixar de ser, é entusiasta e fã de carteirinha do Grupo X. Trocamos muitas figurinhas e fonogramas, tivemos várias conversas e resolvemos fazer esse Post conjuntamente.

Leia mais »

Imagens

Vídeos

Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Veja o vídeo
Média: 5 (1 voto)

Bolsa retoma 52 mil pontos e fecha em alta de 2,52%

Jornal GGN - A bolsa brasileira fechou o dia retomando o patamar dos 52 mil pontos, em um dia marcado pela divulgação de balanços importantes para o índice e pela repercussão da surpreendente decisão do Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central).

O Ibovespa (índice da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo) terminou as operações de quinta-feira em alta de 2,52%, aos 52.336 pontos e com um volume negociado de R$ 13,047 bilhões. Com isso, o índice passa a acumular ganho semanal de 0,76%, mas ainda perde 3,29% no mês, 1,61% no ano e 3,39% em 12 meses. No índice, os setores com melhores desempenhos foram Bancos; Petróleo/Petroquímico; Holding Financeira; e Agronegócios.

O destaque do dia ficou com a decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), que aumentou a taxa básica de juros do país para 11,25% ao ano, contrariando o consenso de mercado que indicava a manutenção do indicador em 11% - em um indicativo que foi interpretado pelos mercados como um sinal de disposição das autoridades em alterar a política econômica no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. O índice oficial da bolsa abriu em alta e manteve-se assim ao longo de todo o dia, ficando descolado dos indicadores internacionais, principalmente nos Estados Unidos.

Leia mais »

Média: 5 (2 votos)

Os 85 anos do crash da Bolsa de Nova York

Por Motta Araujo

OITENTA E CINCO ANOS DA QUEDA DA BOLSA DE NOVA YORK - Em 29 de outubro de 1929 ocorre a grande baixa das cotações na Bolsa de Nova York dando inicio à chamada Grande Depressão. A queda foi o furo numa bolha de alta de cotações que não tinha justificativa econômica. O raciocínio lapidar do velho John Rockefeller ecoa até hoje:

"Quando meu engraxate começou a me pedir dicas sobre açõs, resolvi vender tudo" Rockefeller saiu ileso da crise, ele quis dizer que quando alguém que não entende nada resolve comprar ações é porque o mercado está sem lógica.

O jogo com ações virou febre na população americana, lastreada numa onda de otimismo injustificado. A grande queda foi simplesmente o reconhecimento da ilusão. A queda das ações atingiu de imediato o preço de commodities, de imóveis e de todos os bens econômicos.

Leia mais »

Sem votos

A segunda chance de Dilma

As comemorações do mercado com o aumento da taxa Selic, pelo Banco Central, é a repetição recorrente do autoengano nas avaliações econômicas.

Os efeitos são conhecidos:

  1. Nova rodada de apreciação cambial, dificultando a recuperação da economia.
  2. Necessidade de ajustes fiscais adicionais, para comportar os efeitos da alta de juros na dívida pública e manter a trajetória de queda da relação dívida/PIB.
  3. Impacto na atividade econômica, na geração de emprego e nos resultados da Previdência Social.
  4. Retração dos investimentos privados, já que a Selic mais alta desestimula wa migração da renda fixa para os investimentos de longo prazo.

Leia mais »

Média: 5 (3 votos)

Clipping do dia

As matérias para serem lidas e comentadas.

Sem votos

Fora de Pauta

O espaço para os temas livres e variados.

Média: 3 (1 voto)

Multimídia do dia

As imagens e os vídeos selecionados.

Sem votos

Sessão das Dez: XXY - Intersexualidade

Sugestão de Antonio Ateu

XXY - INTERSEXUALIDADE

 

Média: 3.8 (4 votos)

Em meio a críticas, entidades repercutem decisão do Copom

Jornal GGN - A decisão do Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) em aumentar a taxa básica de juros para 11,25% não só surpreendeu os economistas, como também gerou críticas entre algumas entidades representantes do setor produtivo que, além de abordarem o impacto da medida, ressaltaram a necessidade de que outras iniciativas sejam tomadas para conter o avanço da inflação.

Na visão da diretoria do sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), "a economia brasileira passa por um período de baixo crescimento, piora da inflação, erosão do quadro fiscal e aprofundamento do déficit externo". Em nota, a entidade também mostra preocupação com a trajetória futura de inflação, levando em conta a necessidade de correção dos preços administrados. "Os desequilíbrios são inúmeros e o Sistema FIRJAN considera que a solução não passa por mais juros. Particularmente, é condição necessária uma nova postura no campo fiscal, com retorno à transparência e diminuição dos gastos públicos de natureza corrente, permitindo um recuo efetivo da inflação. Só assim voltaremos a ter um ambiente econômico mais saudável, com crescimento sustentável, inflação dentro da meta e juros em queda.”

Leia mais »

Média: 3.7 (3 votos)

Lula: "Veja foi o melhor panfleto da campanha de Aécio"

 

Jornal GGN - Em vídeo divulgado pelo Instituto Lula, o ex-presidente petista sugere que a revista Veja não pode ser considerada, seriamente, uma revista de informação, apesar de se vender assim no mercado. Para Lula, a publicação pode ser entendida como um "panfleto" da campanha eleitoral de Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República.

A dois dias do segundo turno presidencial, Veja cravou em uma de suas capas mais polêmicas da história que tanto Lula quanto a presidente Dilma Rousseff (PT) sabiam de tudo no caso Petrobras. O texto foi escrito com base em um suposto depoimento do doleiro Alberto Youssef dado às autoridades no âmbito da delação premiada. O Tribunal Superior Eleitoral considerou a publicação uma peça publicitária em favor de Aécio, e concedeu à Dilma o direito de resposta.

Lula: “Se você olhar a Veja como um panfleto do Aécio, você sofre menos”

Da CartaCapital

Leia mais »

Média: 4.4 (29 votos)