Revista GGN

Assine

Lira acata pauta que acelera processo de impeachment

Jornal GGN – A Comissão Processante do Impeachment no Senado está discutindo o organograma apresentado por Antonio Anastasia, do PSDB, para fazer frente à segunda parte do processo contra a presidente afastada e eleita por 54,5 milhões de votos, Dilma Rousseff. Esta etapa do processo é denominada "pronúncia".

O senador Raimundo Lira, do PMDB, acatou, no início da reunião, questão de ordem de Simone Tebet, do PMDB e senador por MS, pedindo redução de 15 para cinco dias corridos do prazo para as alegações finais da defesa e da acusação. Segundo ela, isso aceleraria o fiim desta etapa do processo, com base no artigo 404 do Código de Processo Penal, que especifica cinco dias para alegações finais.

A decisão de Lirar revoltou os aliados da presidente eleita e afastada, que o acusaram de sofrer pressão do vice-presidente e hoje presidente interino e provisório, Michel Temer, para acelerar o processo, que interessa muito a ele e ao seu grupo.

José Eduardo Cardozo, ex-Advogado Geral da União e responsável pela defesa da presidente afastada, presente à reunião, lembrou que definição do rito do processo de impeachment, ainda na Câmara dos Deputados, quando nas mãos do Supremo Tribunal Federal, foi adotado como parâmetro o rito adotado em 1992, usado para o ex-presidente Fernando Collor.

O ex-AGU colocou que redução deste prazo implica em violação à decisão do Supremo e à defesa da presidente Dilma Rousseff. Disse, também, que a fase de alegações fi nais é a mais importante do processo, pois que a manifestação acontece depois que todas as provas já estão reunidas.

“Não estou sendo pressionado por ninguém. Até porque não aceito nenhum tipo de pressão. Não vou desonrar minha história e minha vida aceitando pressão. Achei que era certo porque todas as consultas que fiz [à assessoria técnica] foram no sentido de acatar a questão de ordem”, esbravejou Raimundo Lira, que manteve a decisão acolhida na questão de ordem.

Após a aprovação da admissibilidade do processo contra Dilma no Senado, em 12 de maio, a presidência do julgamento em plenário, saiu das mãos de Renan Calheiros, do PMDB, e foi transferida para o Supremo Tribunal Federal, sob a tutela de Ricardo Lewandowski. Ele também é responsável por dar a palavra final sobre questões que não estejam pacificadas na Comissão.

É da previsão de Anastasia, que o julgamento do juízo de pronúncia no plenário do Senado seja concluído até 2 de agosto. Caso a redução do prazo para alegações finais seja mantido, o fim será antecipado para a segunda quinzena de julho. Bem entendido que é esta segunda fase.

A reunião ainda não terminou e deverá também definir o cronograma da fase de pronúncia, sendo que os senadores têm 48 requerimentos que pedem oitivas e compartilhamento de informação para apreciar.

 

Média: 3.7 (6 votos)
10 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

Dois movimentos

Acredito que dois novos movimentos tem por fim enterrar de vez as chances do golpe ser revertido no senado. Um deles, mais vistoso, é a “delação”dos Odebrechtr: mesmo que seja algo pequeno, vai-se fazer um estardalhaço enorme em função do que for “encontrado”, de forma a calcar o rótulo de corrupta à Dilma e a constranger senadores que poderiam reverter o quadro. Outro é a aceleração do ritmo do golpe no senado: certamente esta aceleração é para que as “denúncias” dos Odebrecht ainda estejam quentes – e que não haja tempo para desmentidos eficazes. De novo fica provado que a reversão do golpe deve ser política: as estratégias jurídicas e legalistas vão dar em nada, já que o judiciário e o congresso estão “dominados”. O Lula e a Dilma têm que ir para as ruas, imediatamente e sem trégua, pois este é o único jogo que não está completamente viciado. No senado, os senadores anti golpe tem que exigir que o prazo para defesa continue a ser 15 dias e não os cinco que os golpistas querem.

Esperar pelo Lewandowski é um tiro no pé.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Henrique Finco

imagem de ML
ML

Lewandowski na hora da

Lewandowski na hora da verdade.

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Serjão
Serjão

Globo

Insisto: A Globo é o Golpe! Simples assim. Sem o suporte dessa mídia maldita e traíra do Brasil não existe Golpe!

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de Carla Antonia
Carla Antonia

Impeachment

Acabei de ler que o Hollande chegou a 14% de aprovação na França. O país está no caos, todo dia milhões de pessoas protestando na rua, a economia em pedaços: mas acho que o impeachment não está nem em cogitação.

O que acham nossos "juristas" de plantão?

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Não da para acreditar

A comissão processante do golpe esta fazendo escola! O titulo pode ser: Como fazer passar um golpe por um impeachment, tudo parecendo dentro dos parâmetros de direito e com aval do STF.

Seu voto: Nenhum (5 votos)

"Até porque não aceito

"Até porque não aceito pressão de ninguém". Então tá: "cridito" no senador do PMDB. 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Rolo compressor

Estão passando o rolo compressor acima dos 5 senadores que defendem Dilma na comissão de impeachment. Não aceitam diligencias importantes. Não querem reconhecer a importância do grampo do Jucá e etc.

Ainda, estão apressando tudo, inclusive se oferecendo para trabalhar a noite.

Entendo a luta dos nossos 5 senadores, mas, qual o motivo para a turma golpista querer apressar o assunto?

Seu voto: Nenhum (5 votos)
imagem de xicobarreto1
xicobarreto1

É o TEMPO stupid Cada dia que

É o TEMPO stupid

Cada dia que passa mais e mais degrada a situação interina, e aumentam as mobilizações de ruas.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de OBS
OBS

Tem que mudar o horário da

Tem que mudar o horário da reunião.  Começar a partir das 18hs. Quem votou, votou no domingo.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de CarloB
CarloB

É um verdadeiro massacre que está ocorrendo

Senado , Câmara , Mídia , STF , PF , PGR estão promovendio um verdadeiro rolo compressor e massace em cima da agora chamada oposição , movimentos sociais e setores da sociedade que não aprovam esse governo golpista.

Cadê as vozes mais à esquerda e os movimentos que sempre se vangloriaram de dizer que faziam oposição ao governo do PT.

Hoje não conseguem ser ouvidos para nada.

Sem espaço na mídia e levando porrada do Governo repressor.

Adiantou junta suas vozes a esse bando de corruptos que usurparam o poder?

Agora , realmente são os verdadeiros representantes da esquerda , aliás do zero à esquerda.

Como esse país é estranho. Antes para tudo que se queria aprovar tínhamos discussões , protestos , diversos movimentos participando do processo decisório , mas não estava bom , falavam que vivíamos um ditadura do PT.

Agora , em menos de um mês , estão aprovando o que querem e como querem , censurando e descendo o porrete em todos que discordam deles , mas está tudo bem , vivemos em plena democracia.

Esse país é surreal mesmo. 

 

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.