The Guardian: A prisão de Bannon repercute no Brasil por suas ligações com a família Bolsonaro

Analistas brasileiros descreveram a detenção do agitador de extrema direita como um golpe para o Bolsonaros.

Jornal GGN – A prisão de Steve Bannon está repercutindo no Brasil por causa dos laços estreitos com a família do presidente de extrema direita do Brasil, Jair Bolsonaro. A afirmativa é feita por Tom Phillips, correspondente do The Guardian no Brasil.

Leia o relato de Tom Phillips a seguir:

Eduardo Bolsonaro, tido como o braço político da família, é o líder do grupo de Bannon, o Movimento na América do Sul, e costuma se orgulhar de seus laços com o ex-estrategista de Trump.

“Compartilhamos a mesma visão de mundo. Ele disse ser um entusiasta da campanha do Bolsonaro [sic]”, Eduardo Bolsonaro tuitou após conhecer Bannon em 2018, ao lado de uma foto da dupla.

Quando Jair Bolsonaro fez uma visita de estado a Washington em março de 2019, Bannon foi convidado para jantar na embaixada brasileira, causando indignação e angústia entre muitos diplomatas de carreira.

Analistas brasileiros descreveram a detenção do agitador de extrema direita como um golpe para o Bolsonaros.

“Por incrível que pareça, a prisão de Bannon é pior para o bolsonarismo do que para o trumpismo”, escreveu Matheus Leitão na revista Veja.

“[Bannon] foi expurgado por Trump [e] acabou sendo adotado pela família Bolsonaro, que sempre o tratou com pompa e circunstância. O terceiro filho de Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, tornou-se não apenas um amigo, mas também representante de Bannon”, acrescentou Leitão.

Ricardo Kotscho, um comentarista de esquerda, chamou a prisão de Bannon de má notícia para os ideólogos Bannonistas dentro do governo de Bolsonaro, observando como Bannon era o guru do guru de Bolsonaro, o polemista e astrólogo norte-americano Olavo de Carvalho.

Tamanha é a proximidade entre o clã Bolsonaro e Bannon que um dos principais assessores de Jair Bolsonaro, natural da cidade de Sorocaba, ganhou o apelido de Sorocabannon.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora