Finalmente, o governo Dilma começa a se mover

Finalmente, o governo Dilma começa a escapar da paralisia dos primeiros meses.

1.     No front político, houve a reorganização do conselho político da presidência, com a redução simbólica e elegante do Ministro-Chefe da Casa Civil Aloizio Mercadante do centro das articulações.

Na saída do encontro, a palavra ficou com o Ministro das Cidades Gilberto Kassab e o Ministro do Planejamento Nelson Barbosa informando que a articulação seria coletiva e Mercadante continuaria com o protagonismo… na Casa Civil.

Parte dos problemas políticos criados foi de responsabilidade de Mercadante; a maior parte, foi assumida por Mercadante mesmo sem ter responsabilidade nos atos.

2.     Mais importante que o Conselho, em si, são as novas atribuições do vice-presidente Michel Temer.

Nos últimos dias ele se encontrou com Deus e o diabo, com parlamentares da base e com José Serra, com comitivas empresariais e jornalistas. Nos meses em que foi escanteado, não se ouviu dele uma queixa, uma crítica. Assumiu o posto que lhe cabia por imposição dos fatos e poderá se tornar na grande âncora política do governo.

3.     No campo econômico, a dobradinha Joaquim Levy-Nelson Barbosa começa a se mover.

Levy assumiu as negociações com o Congresso; Barbosa começa a soltar os primeiros resultados dos trabalhos de revitalização das concessões além de começar a exercer a interlocução econômica com as chamadas forças produtivas – de empresários a movimentos sociais e sindicatos.

Ao mesmo tempo, Levy tem mostrado flexibilidade para contornar os obstáculos políticos à aprovação do pacote econômico.

Aliás, se o pacote é recessivo ou não, discute-se outra hora. Inês é morta e não há, neste momento, como recuar do caminho proposto.

Leia também:  Nicolelis: Brasil deve estocar equipamentos e preparar população para nova quarentena

4.     Nos últimos dias, a crise amainou, com o governo retomando algum controle sobre o Congresso e, ontem, com a manutenção do grau de investimento pela Standard & Poor’s.

A economia continua preservando os principais fundamentos. As dúvidas são apenas de ordem política. O diagnóstico da S&P comprova que estão sendo dissipadas as dúvidas em relação a política econômica.

5.     Por outro lado, a desvalorização do real começa a surtir efeito.

Há uma bola quicando na área do MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior).  A recuperação da economia brasileira se dará com o fim dos problemas da Petrobras, com o aumento das exportações e com o reinício das concessões.

O que falta

Ontem, Dilma reuniu-se com seu Ministério para um início de articulação. Pediu empenho. Falta apresentar as ideias, o projeto de governo.

Ideias, há. A questão agora é aproveitar a relativa calmaria dos próximos dias para apresentar, finalmente, suas propostas para o segundo governo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

69 comentários

  1. Mercadante já tinha demostrado

    que era fraco na época do mensalão quando subiu na tribuna do senado e falou besteira. Demonstrou ali que pensava somente no seu projeto pessoal e não no Governo como um todo.

    Esse pessoal podia começar a pensar em alguma alternativa contra apenas a subida dos juros , porque todo esse esforço para economizar , acho que vai ser gasto somente com o pagamento da subida dos juros da selic. Precisava acabar de uma vez por todas com essa mamata dos rentistas e colocar o foco 100% no mercado produtivo.

  2. “2.  Mais importante que o

    “2.  Mais importante que o Conselho, em si, são as novas atribuições do vice-presidente Michel Temer.”

    não basta… é preciso mais atribuições e mais atribulações ao elegante discreto doutor Temer:

    nenhum país, nenhuma democracia, nenhum povo fiel sobrevive nem será mais feliz se não tiver, no horizonte distante da felicidade nacional, a sorte e a fortuna de sonhar com uma primeira-dama bela, elegante, charmosa… uma primeira-dama linda de morrer!

    o poeta maior da mulher brasileira já receitara… As muito feias que me perdoem 

    Mas beleza é fundamental.

      •  É o impeachment com uma nova

         É o impeachment com uma nova motivação: teríamos uma primeira dama “bela, elegante, charmosa …linda de morrer”, a esposa de Michel Temer, qdo este assumisse a Presidência da República. A receita da felicidade nacional.

         Convém lembra, porém, que já tivemos uma primeira dama com tais características,  a esposa de João Goulart.

  3. Concordo com a sensação de calmaria política,

    concordo que Mercadante aceitou carregar mais culpa que a dele real, concordo que M. Temer tem uma lealdade total, pelo menos nas aparências.

    Só falta Dilma mudar de estilo, dando liberdade aos ministros, dentro de um plano global.

    Será que vai agora?

    Alias concordo que o cambio nesta faixa em volta de R$ 3,15/ US$ 1.00 pode dar um grande impulso na indústria brasileira, sobretudo por substituição das importações. Mas o governo, i.e.. Dilma ela pessoalmente, Levy & Barbosa e sobretudo o BACEN devem explicitar qual é a estratégia cambial do governo, sem ter medo de pecar contra as bases teológicas do tal “tripé” financista. Se o setor industrial crer em cambio realista, vamos aceitar uma base de R$ 3,15/ US$ 1.00 em março 2015, como plano de voo, veremos investimentos. Se não crer, teremos mais um voo de galinha. A bola realmente está quicando na frente do MDIC…

    • Ok, Lionel, mas me permita

      Ok, Lionel, mas me permita uma pergunta: o que quer dizer “dar mais liberdade aos ministros”? “Liberar recursos, favores e facilidades?

      … Pra mim é aquela velha sinuca de bico a que me referi em outros comentários: se “negocia” com o Congresso é fisiologismo, corrupção, loteamento, projeto de poder; se não “negocia” é incompetente, centralizadora, tecnocrata, xiliquenta…

      Ou chama essa oposição persistententemente de cara de pau ou não tem jeito.

      • É abandonar a “gestão de ministros por piti”

        definir os eixos de ação de cada um e deixa-lo voar com as próprias asas, cobrando resultados de curto e médio prazo.

        Ela tem, como presidente, que ajudar a criar novos quadros políticos de alto nível. Ela mesmo foi cria do Lula, tem que ter a segurança e desprendimento de fazer o mesmo.

        Até agora errou totalmente, dando poder mais formal que real, á pessoas que não tinham condições para isso.

  4. Por aí, cai antes do Impeachment

    Nassif e amigos:

    Penso o seguinte:

    1 – Se a estabilidade do Governo Dilma depender de Temer, sugiro que a presidenta arrume as malas, porque ela deixará seu posto. Temer e seus asseclas do PMDB não farão um esforço sequer por Dilma, a não ser que lhes interesse muito, se é que estou sendo claro. 

    2 – Os fundamentos da economia não estão protegidos, estão arregaçados por uma política de arrocho que não começou agora: já se arrasta desde 2011, invertendo o ciclo de crescimento iniciado por Lula. A versão 2015 do arrocho é a mesma política, com menos vergonha de ser assumida. Enquanto o mundo inteiro caminha para abandonar as fracassadas políticas de arrocho, Dilma aprofunda a armadilha dos juros e afunda a economia produtiva nacional sem pena. Os reflexos – desemprego, miséria, inflação etc – serão gasolina na fogueira social que se tornou o Brasil neste fim/começo de mandato de Dilma. 

    E não vai dar para culpar os ricos. Afinal, ao adotar os juros e o arrocho como meta, foi o lado deles – dos ricos, do dólar organizado – que o governo escolheu. Só não deve esperar deles gratidão.

    • A independência operacional

      A independência operacional dos bancos centrais, o nosso incluso.  Grande armadilha. Os governos não mais comandam essa seara. 

  5. A PÁTRIA EDULCORADA

    Finalmente, o governo Dilma começa a se mover

    …enquanto isso, nas redes sociais à moda portuguesa…

    FINLÂNDIA QUER ABANDONAR O ENSINO DE DISCIPLINAS NAS ESCOLAS

    A Finlândia já tem um dos melhores sistemas de educação do mundo, que ocupa as posições de topo na matemática, nas línguas e na ciência dos prestigiados rankings PISA da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico. Somente países do oriente, como a Singapura e a China conseguem superar o país nórdico.

    Políticos e especialistas em educação de todo o mundo olham para o país como um exemplo e tentam replicar nos seus sistemas de ensino o sucesso que lhe reconhecem.

    Mas a Finlândia não está a descansar nos seus louros. Está a preparar a maior reforma na educação de sempre, abandonando o tradicional ensino por disciplinas e implementando um ensino por tópicos. Algumas disciplinas principais, como Literatura Inglesa e Física, já estão a ser eliminadas das turmas de 16 anos em escolas da capital Helsínquia.

    Em vez disso, os jovens finlandeses estão a aprender por tópicos, como a “União Europeia”, que engloba a aprendizagem de economia, história, línguas e geografia. Num ponto de vista mais profissional, um aluno que queira especializar-se em restauração opta por um curso que inclui matemática, línguas (para clientes estrangeiros), competências de escrita e habilidades de comunicação oral.

    Ou seja, nada de uma hora de história, seguida de uma hora de química e de uma hora de matemática. A ideia é eliminar uma das maiores interrogações dos estudantes: “porque tenho de aprender isto?”. No novo modelo finlandês, todos os assuntos leccionados estão interligados e existem motivos práticos para os aprender.

    “Aquilo de que precisamos agora é de um tipo de educação diferente que prepare as pessoas para o mercado de trabalho”, explicou Pasi Silander, responsável pelo desenvolvimento da cidade de Helsínquia, ao jornal The Independent, salientando que com os avanços tecnológicos algumas formas de ensino deixaram de fazer sentido. “Os jovens já usam computadores avançados. No passado, os bancos tinham muitos funcionários a fazer cálculos, mas agora tudo mudou. Temos, portanto, de fazer as mudanças na educação necessárias para a indústria e sociedade modernas.”

    A maioria dos professores sempre leccionou disciplinas individuais ao longo das suas carreias e por isso são muitos os que se opõem a estas mudanças. Não é difícil percebermos porquê: o novo sistema é muito mais colaborativo, forçando os profissionais de diferentes áreas a juntarem-se para definir o plano curricular. Marjo Kyllonen, responsável pela educação na capital finlandesa e um dos autores desta reforma, baptizou o novo modelo de “co-teaching” e assegura que os professores que concordarem com ele vão receber bónus salariais.

    Cerca de 70% dos professores das escolas básicas de Helsínquia ja foram preparados para o novo modelo, de acordo com Silander. “Mudámos mesmo a mentalidade. É ligeiramente difícil convencer os professores a entrar na nova abordagem e a dar o primeiro passo… mas aqueles que o fizeram dizem que não conseguem voltar atrás.”

    O novo sistema de ensino finlandês está a ser “testado” em Helsínquia, mas a intenção dos responsáveis da capital é que este seja aplicado em todo o país por volta de 2020.

    • “No novo modelo finlandês,

      “No novo modelo finlandês, todos os assuntos leccionados estão interligados e existem motivos práticos para os aprender.”

      Descontada a possibilidade, sempre presente, de que a reforma finlandesa esteja sendo completamente mal compreendida…

      Um sistema de ensino em que tuod que é ensinado tem “motivos práticos” é uma receita para um gigantesco desastre.

  6. O governo Dilma nunca deixou

    O governo Dilma nunca deixou de se mover, mas blogueiros como Nassif só enxergam o que a velha mídia reproduz e tem como fonte a própria velha mídia, bastar ler os sites do Governo, de sindicatos…. 

  7. É pra rir ou pra chorar

    Me pergunto se o fato do vice-presidente Michel Temer assumir “novas atribuições”, como diz o Nassif, é bom ou é ruim. E nesse angu todo me pergunto: é pra rir ou pra chorar?

    • Qunado se tem um governo de

      Qunado se tem um governo de coalizão governa com os partidos que fazem parte do governo. Se o PT ou outro partido que governa sozinho deveria ter feito uma chapa só com ele….

  8. É pra rir ou pra chorar

    Me pergunto se o fato do vice-presidente Michel Temer assumir “novas atribuições”, como diz o Nassif, é bom ou é ruim. E nesse angu todo me pergunto: é pra rir ou pra chorar?

  9. Ou ela fazia isso ou

    Ou ela fazia isso ou renunciava né? Mas o que realmente falta é o tal “saco de bondades”. Claro que dentro dos limites impostos pelo “ajuste do Levy”. Mas algo que mostre claramente que o governo continuará com políticas públicas para o povão. E nada desse negócio de “esperem que daqui a pouco melhora”.

    Se essa confiança, que foi o que garantiu a vitória contra os tucanos, se restabelecer, o golpsimo fica restrito aos coxinhas. E as classes trabalhadores organizadas vão para as ruas com mais garra para defender o governo. 

    • a conceituação de classe trabalhadora não é fácil

      não é fácil se conceituar classe trabalhadora, não é fácil distinguir (discriminar). Muitos do que se tomam por coxinhas de classe média integram o operariado em conjunto. Uma dimensão importante é a ideologia, “classe trabalhadora” não significa que seja consciente de si mesma como classe.

  10. “Falta apresentar as ideias,

    “Falta apresentar as ideias, o projeto de governo.”?

    Caso isso seja verdade é preciso parar de achar que o Brasil é governado pelo PT ao longo de 13 anos. Na esfera macro isso pode parecer que o PT tem plano de Governo SIM, mas o Nassif insiste em dizer que Não há plano de governo. O ajuste fiscal e as outras ações são o que? Isso nãos eria plano de Governo? Recuperar a tal credibilidade junto aos agiotas internacionais?

     

    • Concordo e gostaria que o

      Concordo e gostaria que o Nassif expusesse qual seria na sua opinião o plano de governo que a Dilma deveria explicitar?

  11. Quer dizer que ainda não é o

    Quer dizer que ainda não é o fim de um governo 4 anos antes.

    O PT ainda não morreu e tem grandes chances de eleger o seu candidato em 2018 ?

    Que bom !

    Já estava acreditando que o PT iria acabar.

    Ufa !!!! ainda bem que não !

    • O PT ainda não morreu e tem

      O PT ainda não morreu e tem grandes chances de eleger o seu candidato em 2018 ?

       

      Claro que tem. Basta só a Dilma fazer agora tudo que não fez nos 4 anos anteriores. E claro, combinar com os russos.

    • Você é o próprio ignorante do

      Você é o próprio ignorante do absolutismo. Se aparece uma crítica ao governo, você absolutiza e considera que o crítico está prevendo o fim do governo. Se aparece um elogio, absolutiza, como se o crítico estivesse decretando a salvação do governo.

      Em suma, você é um absoluto ignorante.

      • Ignorante é o seu pai que te

        Ignorante é o seu pai que te colocou no mundo, ele poderia ter feito coisa melhor.

        Dito isto, vamos aos fatos, é o seguinte :

        Tenho a ousadia de fazer uma critica/comentário quando o Nassif diz de forma absoluta que o PT acabaou, como disse num post recente.

        Não se pode ser taxativo é garantir que um partido acabou 4 anos antes do fim.

        Foi isso que me referi.

        Entendeu orelhudo !

        A politica é dinâmica como está provado neste post.

        Se quiser lhe faço um desenho em 3D para você entender melhor, cabeção !

         

  12. Que papo é esse de inês é

    Que papo é esse de inês é morta se você mesmo afirma que o Levy tem feito esforços em “flexibilizar” o ajuste e já há sinais de revisão nas medidas provisórias?

    • Vou parar de chamar as

      Vou parar de chamar as pessoas de besta para não ser gongado aqui. Só por isso.

      Mas você é de uma ignorância cavalar. As críticas que leio aqui vejo em Lula, Delfim, até no PT. São essas críticas que estão fazendo a montanha se mover, não esses amuos de quem não entende um milimetro do jogo político. Sabe quem dá atenção ao que você escreve? Ninguém. Minto: eu, porque tenho prazer indizível de pentelhar os muito chatos.

      • Cavalar é a sua falta de

        Cavalar é a sua falta de educação.

        E quem é alguém que escreve “Lula, Delfim, até no PT” para chamar os outros de ignorantes?

      •     Grosseiro você, hem?

            Grosseiro você, hem?  Quer dizer que entende muito do jogo político?

        Dilma foi massacrada sim, até por blogueiros que, como se disse mais acima, ou embaixo, que pautam suas opiniões pela grande mídia.  E muito, por ser mulher.  Há um machista bem escondidinho dentro de cada homem, mesmo os mais graduados, vamos dizer assim.

    • De fato. Está irritante a

      De fato. Está irritante a forma como se massacra o governo a pretexto de defendê-lo.

  13. Educação

    Ainda falta reavaliar a situação do FIES que, pelas atuais mudanças muitos universitários principalmente do interior, já começam a trancar suas matrículas por não terem condições de pagar o diferencial. O que será destes jovens?

  14. Educação

    Ainda falta reavaliar a situação do FIES que, pelas atuais mudanças muitos universitários principalmente do interior, já começam a trancar suas matrículas por não terem condições de pagar o diferencial. O que será destes jovens?

  15. quase um governo de Direita!

    e alguns ainda tem a cara de pau de afirmar que este governo é de centro-esquerda. Tá díficil de encaixa-lo como centro-direita. Sem o pratagonismo do PT ele fica hegemonicamente de direita. 

  16.  
    O Partido dos

     

    O Partido dos Trabalhadores, já ocupando a presidência da República em 2006. ACABOU ! conforme a opinião abalizada dos cientistas políticos, alocados nas principais redações da grande imprensa. Como sabe-se hoje, aquelas opiniões abalizadas, na verdade, eram apenas opiniões de aluguel cuja profundidade não ultrapassava a fundura do pires do cafezinho, que os especilistas tomavam com seus contratantes no momento da encomenda. O Brasil, naquela quadra, vivia o período carnavalesco que restou conhecido como “O Mensalão Petista”. Nem o PT. Muito menos o Brasil, COMO PODEMOS NOTAR, não acabaram como era o desejo dos corvos.

    Ora, o Pais assiste a nova temporada carnavalesca, cujo tema é “O Petrolão”. Esta é uma versão bem mais caprichada que a anterior. Como se pode observar, o orçamento foi visivelmente ampliado, graças à generosidade dos novos patrocinadores. Quiçá, a inclusão da Petrobras na atual versão, tenha sido a espoleta a deflagrar tamanho número de interessados em participar da nova carnavalização. Os torcedores, de antanho, digo, analistas, retomam com rara ferocidade e convicção que, desta vez, ou vai, ou, racha. Dessa o PT, a Petrobras e o Brasil, não escaparão!

    Será que os udenistas, aves de agouro, que nunca acertaram porra nenhuma, iriam acertar desta feita? KKKKKKua KKuaK.

    Orlando

  17. “O governo Dilma nunca deixou de se mover, mas (…)”

    “O governo Dilma nunca deixou de se mover, mas blogueiros como Nassif só enxergam o que a velha mídia reproduz e tem como fonte a própria velha mídia, bastar ler os sites do Governo, de sindicatos….” .Cito comentarista mais abaixo.( Se fosse Nickname nem seria lido,ou no máximo 1 estrelinha – sniff…choro aos cântaros).O blog se alimenta,se realimenta e alimenta e realimenta seus participantes(os q se manifestam).Assim,se mantém.Assim,são mantidos.Egos nossos de cada dia.De repetitivos,este agora esporádico comentarista não chega aos pés(rompi promessa pra mim mesmo de não mais logar – mas me chegou um manifesto pra eu não mais me logar, mesmo 😉   )

      • é óbvio pra massa e afins, mídia, reinaldão, boas companhias.

        pode ser que eu esteja enganado (isto não é ironia). Mas ainda acho que é como um jogo de xadrez quando se podem passar minutos e horas pensando em jogada ou em jogadas futuras. Ou na capoeira quando existe uma paradinha, pode ser demorada, ate´, pra ir com um golpe. As coparações , analogias são muitas, desde algumas danças a outras ditas artes marciais. Ou a um romance que se encontram pérolas depois de páginas e páginas que (depende do gosto) são paralisantes, sacais. Simpartizantes, militantes de carteirinha, exceto a cúpula da cúpula, mídia, blogs, servem, sim.

  18. O Temer parece muito com o

    O Temer parece muito com o Amigo da Onça. Certamente ele assistiu à excelente série House of Cards. Se ele surtar, incorporar e misturar os dois vai ser uma desgraça tropical pra Dilma: Frank Underwwod e Amigo da Onça num mesmo personagem. Ai meu deus ….. 

  19. A hora é essa.

    Vamos deixar de picuinhas, senão vamos afundar o País.

    Quem sabe faz a hora e não pensa em ir embora.

    E pra não perder o costume: ” Globo cadê o DARF?”

  20. Ainda É Cedo, Amor – III

    “Finalmente” :pras ansiedades humanas.O q não exclui(e acentua)erros de análises,de prognósticos políticos,de criticas tão cedo(sim,deixe-se a oposição tão cedo se opor,ou se esperava conversão?E que sejam ouvidas e aplaudidas as manifestações diversas por serem sinal de democracia, de mais democracia,é nessa tecla que se deve bater,e não ver nelas só golpistas -como previsivelmente… – se viu por aqui, um horror de comentáríos(na maioria)inteligentes.Ao elogiar a maioria estou elogiando a mim próprio em 1º lugar.Q se dêem vivas bem alto pelas liberdades de investigações,doa a quem doer,e seu julgamento justo,e eventuais punições.Surpresas são pra encher linguiça ou pra rebanhos.

  21. O que falta ?

    Um Ministro da Justiça quer controle a PF e ponha ordem naquele barraco. Nos EUA agentes do FBI que fizessem o que aqueles PF’s do Paraná fizeram , no múiniumo treriam sido afastados e responderiam a um processo afministrativo.
    No Brasil é essa zona

  22. Política de valorização do salário mínimo até 2019.

    Dilma assina MP que estende política de valorização do salário mínimo

    Medida Provisória

    Na cerimônia de assinatura, a presidenta exaltou a continuidade da política iniciada no governo do ex-presidente Lula e a solidez econômica do Brasilpor

    Portal Brasil publicado: 24/03/2015 18p4 última modificação: 24/03/2015 18p4 —Economia e Emprego 

    A presidenta Dilma Rousseff assinou, nesta terça-feira (24), Medida Provisória que mantém a atual política de valorização do salário mínimo até 2019.

    Durante a assinatura, Dilma exaltou a continuidade da política, iniciada no governo do ex-presidente Lula, e a solidez econômica do Brasil.

    “Até 2019, essa política, que representou um ganho real no salário dos trabalhadores, passa a ser uma realidade”, afirmou a presidenta, que também lembrou a valorização de 70% do rendimento entre os anos de 2011 e 2015.

    Em relação ao ajuste fiscal, a presidenta reforçou que, nos últimos anos, o Estado atuou fortemente para aplacar os efeitos da crise internacional. Como exemplo, ela citou o Programa de Sustentação do Investimento (PSi), a desoneração da folha de pagamento e o Plano Brasil Maior.

    “Nós buscamos de todas as formas impedir que o Brasil tivesse uma crise em profundidade”, afirmou a presidenta. “Muitas pessoas acham que não valeu a pena, não foi suficiente e não ocorreu. É obvio que essas pessoas não olham o que teria acontecido se não tivéssemos feito a política de investimento, quanto as desonerações”, complementou.

    De acordo com Dilma, atualmente, o País passa por uma queda muito grande na arrecadação de tributos e, para resolver essa distorção, o governo federal tem utilizado medidas contracíclicas.

    Mas, apesar das mudanças que precisam ser feitas, a presidenta afirmou que o Brasil está “passando por uma dificuldade conjuntural” e que tem uma economia sólida, sem fragilidade com relação à economia internacional e nenhum endividamento excessivo.

    A presidenta também citou a influência das secas que assolam várias regiões do País. “Choveu bastante no Nordeste, temos nível de aumento nos reservatorios importantes, tudo isso volta a equilibrar o País novamente”, afirmou.

    Por fim, Dilma reafirmou a manutenção dos programas sociais e garantiu que sua gestão irá primar pela eficiência no gasto público. “Vamos manter todas as políticas sociais, manteremos o Minha Casa, Minha Vida, o Bolsa Familia”, disse.

    “Para fazer isso, eu quero reconhecer que o governo federal vai fazer profundos cortes no seu lastro, vai buscar [corrigir os focos de] ineficiência em todos os ministérios”, complementou a presidenta.

    Cálculo do reajuste do salário mínimo

    No Brasil, o cálculo para reajustar os valores do salário mínimo tem como base a Lei n° 12.382, de 25 de fevereiro de 2011. De acordo com o texto da lei, a cada ano, o aumento do salário mínimo corresponderá à variação do Produto Interno Bruto (PIB) do ano retrasado mais a inflação do ano anterior medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

    URL:

    http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2015/03/dilma-assina-mp-relacionada-a-valorizacao-do-salario-minimo

     

     

  23. O primeiro movimento é um falso despiste que não se vê

     

    Luis Nassif,

    Tenho a impressão que você não precisa fazer esses malabarismos de redação para manter o nível de atratividade do seu blog. Eu tenho insistido muito nesse assunto e hoje vi um post no blog de Brad de Long que vale a pena mencionar. Aliás se for permitido talvez o Ivan the Union faz uma tradução do post e ele pode virar post aqui.

    Trata-se do post “Internet Media and the Fall of GigaOm: The Honest Broker for the Week of March 15, 2015”.

    Os seus malabarismos começam no título deste seu post de terça-feira, 24/03/2015 às 09:54: “Finalmente, o governo Dilma começa a se mover”. Aguça a curiosidade de qualquer um. Mesmo para mim que lembrava que na campanha ela prometera mudar a política econômica e o futuro demitido ex-ministro da Fazenda não se furtou em debater com o Armínio Fraga a fazer a defesa do governo, e que, portanto, já ali não tinha dúvidas de que ela estava se movendo, o seu título ficou atrativo. O que será que ela fez que Luis Nassif conseguiu transformar neste post pensei eu!

    Bem, para esclarecer fui ler o post e veja como você o inicia, embora com você a frase viesse negritada, o que não farei:

    “No front político, houve a reorganização do conselho político da presidência, com a redução simbólica e elegante do Ministro-Chefe da Casa Civil Aloizio Mercadante do centro das articulações”.

    Ora, não se trata de um movimento governamental, mas de um passo de ballet.

    Salvo a proeminência de Michel Temer, o seu texto não chega a fazer um “pas de deux”, mas não foge do diapasão introdutório. E falando em Ballet, isso me lembra de trazer para as páginas do blog o texto de Mauro Rasi para o suplemento Mais da Folha de S. Paulo supondo Fernando Henrique Cardoso sendo derrotado em 1994. E talvez transcrevo o texto em um segundo comentário aqui neste post onde ele fica bem a calhar.

    E quase ao fim do post você diz que não cabe o questionamento em saber se o Plano de Joaquim Levy é recessivo. Não sou economista, mas poderia dizer que só os que não são Keynesianos é que podem imaginar que um plano que corta gastos não seja recessivo. E como já disse Richard Nixon imitando Milton Friedman: somos todos keynesianos agora, não há ninguém que não diga que o plano é recessivo. Só que o plano é recessivo porque ele precisa contrabalancear a desvalorização da moeda que não é recessiva e assim fica elas por elas. É como diz a presidenta Dilma Rousseff muda-se a realidade muda-se o Plano

    Eu abordei isso em comentário que enviei para Marcelo Castro junto ao comentário dele enviado terça-feira, 24/03/2015 às 13:03, para o post “Era tudo inevitável…, por Antonio Delfim Netto” de terça-feira, 24/03/2015 às 12:29, aqui no seu blog e com a transcrição de artigo do ilustre economista publicado no jornal Valor Econômico. Em meu comentário, que intitulei “Ajuste com desvalorização é a tempestade perfeita nossa”, considerei que a conjugação de corte de gastos com desvalorização do real é o que o Brasil precisava no atual momento. Reproduzindo minhas palavras:

    “Sem a desvalorização do real, o ajuste seria idiota. A desvalorização sem o ajuste exporia a economia a nova valorização do real”.

    E se é assim tão simples por que não se fez a desvalorização antes? Porque, dado o tripé e dado as condições externas, não se conseguia fazer muita coisa.

    Clever Mendes de Oliveira

    BH, 24/03/2015

    • GygaOm e a mídia alternativa nas mãos da agiotagem

      VC venture capitalist é a versão moderna do velho conhecido investidor, que aplicava nas empresas e era sócio do lucro. Como o BC não gosta de concorrência, criminalizou a atividade, com o auxílio de seus empregados e instituiu o monopólio do crédito diretoa agentes financeiros por ele acreditados.

      O artigo do Brad é uma peça de debate fantático, obrigado pela indicação, mas contorna de maneira sutil este problema, que no final, nos comentários é abordado de forma transversa.

      Na minha opinião, que vai acompanhada da do Armstrong e do seu Sócrates, vamos para uma destruição criativa à la Shumpetter, doa a quem doer.

  24. Começa a se mover?

    Não pareceu ontem na votação sobre a dívida de estados e municípios.

     

    Ah, entendi!

     

    Não foi comentado qual a aceleração desse movimento, certo? Pode ser, inclusive, aceleração negativa…

  25. Sinceramente gostaria muito

    Sinceramente gostaria muito de saber o que se passa na cabeça do Temer. Ás vezes tenho a nítida impressão que ele vai dar um bote. A cara e o jeito de olhar é o de uma raposa olhando para um galinheiro cheio de galinhas gordas.Ir à festa da marta junto com gente bem esquisita me deixou de pé atrás.

  26. A política é arte de negociar

    A política é arte de negociar e a esquerda diminui no congresso ,  e devemos atuar com a realidade agora é dividir com muita prudência o governo, com inteligência e naturalidade e jamais esquecer da base social, apoiadora da Dilma e Vencedora para Presidente, mas como na minha cidade ganhamos com 66% dos votos para Dilma, cidade no interior de Minas, terra do Aécio, prefeito com boa avaliação apoaindo declarado ao Aécio, mas no congresso a maioria foi o resultado no congresso, praticamente direita.

  27. ESTÃO SE MOVENDO CONTRA OS PEQUENOS, COVARDIA.

    Nassif, ontem enviei onten um comentário que não foi publicado a cerca do não fornecimento de CND para as pequenas empresas a respeito de possiveis dívidas inexistentes, ao consultar o contador hoje pela manhã fique surpreso com a seguinte informação: Anos atrás dívidas do INSS abaixo de R$ 20,00 não eram emitidas GUIAS PARA O PAGAMENTO, sendo as mesma imcoporadas no valor do próximo mês, o que a receita esta fazendo é uma ilegalidade em não baixar este valores no meu caso R$19,20 competência 12/2010, porém para resolver a pendenga você deve comparecer a RECEITA FEDERAL via contador, só que a RF esta agendando o atendimento em mais de 45 dias e estão deixando as EMPRESAS sem CND, impedindo estas empresas de funcionarem adequadamente. Nassif vamos ser Sinceros este Governo esta Louco, Será que preferem quebrar as empresas para arrecadar R$19,20 que não é devido? O que será que esta havendo, seria vingança pela pouca quantidade de votos? Não sei realmente o que é mas o certo é que o GOVERNO DILMA ESTA REALMENTE PERDIDO. Isso é coisa de gente sem nenhuma noção de um funcionamento de uma empresa, se a RECEITA FEDERAL quebrar as empresas vai arrecadar de quem, não seria mais lógico que notificassem as empresa e via ferramentas digitais os contadores informassem os procedimento, mas que deixasse as empresa funcionarem até eles sanarem a dúvida. Porque esse pro assim dizer TERRORISMO FISCAL? Isso parece quando agente esta totalmente sem dinheiro e começa a quebrar os cofrinhos e contar a moedinha para ver se consegue fazer alguma coisa. TERIA DILMA quebrado mesmo o governo e esta cobrando dívidas indevidas, porque o contador me informou que as empresas estão preferindo pagar o que já foi pago para funcionar e isso é ROUBO, ninguém deve pagar o que njão deve pois se estão fazendo isso com valores pequenos se o calo apertar vão também extorquir valores maiores para tapar o ROMBO de TANTA ROBALHEIRA. Vê se publica isso, que pelo menos cheque quem mandou cometer tal ilegalidade.

  28. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome