Nova chance do PT de se redimir com Lula, por Aldo Fornazieri

Enquanto Lula uniu o povo e engrandeceu o país perante o mundo, Bolsonaro desagrega o povo com ódio e destrói a credibilidade do Brasil no exterior

Foto Rodolfo Buhrer/Reuters

Nova chance do PT de se redimir com Lula

por Aldo Fornazieri

As circunstâncias e a conjuntura estão dando ao PT uma nova oportunidade de se redimir para com Lula. O PT é um grande devedor de Lula, pois o partido não foi capaz de defende-lo e de mobilizar a sociedade contra a sua condenação e prisão injustas. Lula sempre foi maior do que o PT. Claro que o PT foi e é imprescindível para Lula. Mas dificilmente o PT existiria sem Lula. No mínimo, sem Lula, não teria a importância que veio a ter.

Lula, como líder, é uma daquelas raríssimas singularidades que cumpre um papel demiúrgico na política, capaz de criar o novo, de colocar no mundo da atividade política algo que não existia, de gerar uma esperança de sentido universalizante, para além das hostes partidárias e de seus seguidores e para além das fronteiras do próprio país. Num mundo cada vez mais desigual e injusto, Lula se constituiu como símbolo da luta pela igualdade e justiça. Num país pobre e abissalmente desigual, Lula se forjou como uma esperança de redenção dos pobres e dos humilhados.

Em novembro do ano passado publiquei um artigo (Destino de Lula: abandono e solidão), chamando a atenção para os riscos que Lula corria na prisão. O artigo foi contestado por Gleisi Hoffmann, presidente do PT. É forçoso constatar, no entanto, que de lá para cá o PT pouco fez de significativo em prol da liberdade de Lula. Tudo o que fez foi mais no plano simbólico, no plano declaratório, das intenções e das resoluções partidárias. Não que isto não seja importante. Mas é absolutamente insuficiente para que a campanha adquira uma dimensão social, para que a liberdade de Lula se torne uma exigência majoritária da sociedade e para que ela adquira uma dimensão de mobilização de rua. Somente quando isto se tornar realidade Lula terá chance de ser solto. Agora mesmo, Lula sofreu uma segunda condenação e o que se viu foi uma tíbia reação do PT.

Em dois momentos pregressos havia um ambiente político e social favorável para que se fizesse uma mobilização de massa para a liberdade de Lula: 1) no contexto de sua condenação e prisão; 2) no momento em que Lula liderava as pesquisas de intenção de voto para as eleições presidenciais de 2018 e que ainda não havia uma interdição final à sua candidatura. O PT foi fraco e omisso naqueles momentos e deixou as oportunidades passarem. Um prócer do petismo culpou a ausência de cultura de mobilização popular por não ter havido fortes manifestações. Somente em circunstâncias muito singulares as massas se mobilizam espontaneamente. Cabe aos líderes, aos partidos e aos movimentos sociais criar uma cultura de mobilização popular. O que falta hoje no campo progressista são lideranças virtuosas e corajosas e capacidade de direção e comando.

Agora, as circunstâncias, o destino, a Fortuna, estão dando ao PT uma nova ocasião para que o partido mobilize a militância, os simpatizantes e a sociedade em favor da liberdade de Lula. Esta conjugação de fatores favoráveis pode ser resumida nos seguintes pontos: o governo Bolsonaro começou de forma desastrosa e a pesquisa CNT/MDA mostra que a sociedade não lhe concede nem o bônus de início de governo; mesmo sendo tirado da liberdade, da atividade política e silenciado em Curitiba por um judiciário persecutório, Lula permanece vivo na alma de parte importante da sociedade que o tem como paradigma de bom governante; a morte do menino Arthur, neto do ex-presidente, desencadeou uma onda de solidariedade pelo seu sofrimento e pelo caráter trágico dos acontecimentos que o envolvem; no carnaval, vozes espontâneas da multidão, em vários pontos do país, protestaram contra Bolsonaro e pediram Lula Livre.

O fato mais importante da conjuntura que favorece Lula é a rapidez com que se autodecompõe o governo Bolsonaro. O presidente se revela que é política e psicologicamente incapaz de governar. É o principal inimigo de si mesmo: promoveu várias trapalhadas com sua equipe econômica, desagrada os militares, triturou publicamente o ex-ministro Bebianno e desmoralizou Sergio Moro. Permanece em guerra aberta contra a oposição e as esquerdas. No caso da Venezuela, junto com seu chanceler, feriu claramente a Constituição. Nenhum governo sério teria um ministro da Educação que este governo tem.

O entorno ideológico de Bolsonaro e de seus filhos vem se mostrando, todos os dias, aos olhos da sociedade, o quanto sórdido e desumano que é. As declarações de Eduardo Bolsonaro em relação a Lula em face da morte do seu neto causaram nojo, asco e repulsa. Trata-se de gente perigosa porque portadora de mente psicopata. Não há nem misericórdia e nem compaixão no coração desse entorno. Por isso, são pessoas capazes de cometer as maiores atrocidades, as maiores vilanias, as maiores monstruosidades. Os nazistas já mostraram o que a psicopatia política é capaz de fazer.

A brutalidade mental dessas dos bolsonaristas ideológicos, alimentada por ódios e recalques, os impele para a violência para a maldade banal, para o crime sistemático. Não era de se esperar que esses portadores de psicopatia política sentissem compaixão pela dor de Lula e pelo infortúnio do pequeno Arthur. Afinal de constas, os seus congêneres pelo mundo afora mataram idosos, estupraram mulheres e crianças e as queimaram vivas e construíram campos de concentração, de tortura e de morte. Dessas pessoas se pode apenas esperar o pior. Precisam ser contidos e a sociedade precisa ser advertida quanto ao perigo que representam.

Quanto mais se decompõe o governo Bolsonaro, quanto mais agride direitos, quanto mais desumano e retrógrado se mostra, quando mais se degrada moralmente, mais a figura de Lula torna-se uma falta terrível para a recomposição e união do Brasil. Quanto mais indecente se torna esse governo, mais a falta da presença livre e pública de Lula se torna uma tragédia para um país que se embrutece e para um povo que não encontra limites em sua dor e em sua desesperança. Mais criminosa se torna a condenação injusta de Lula porque ela impediu que o Brasil e o seu povo pudessem ser conduzidos por um Lula sensato, unificador, assentado sobre o trono de sua sabedoria e de sua experiência que advêm de sua capacidade de entender as necessidades e a alma do povo brasileiro.

A decomposição do governo Bolsonaro e a falta crescente que Lula faz ao Brasil não se tornarão frutíferas se não se transformarem em energia ativa, em mobilização e em combate. São coisas que se não forem transformadas em mobilização e protesto podem alargar a desesperança, aprofundar a frustração, a resignação e a impotência.

O PT não ganhará nada se não for capaz de resolver dois graves problemas: ser efetivo na luta por Lula Livre; e, renovar-se junto à sociedade reduzindo drasticamente os graus de antipetismo persistente. Poderá caminhar para nova derrota eleitoral em 2020, nas eleições municipais, se não mudar seu modo de ser, de proceder e de agir. A decomposição e o fracasso do governo Bolsonaro não se traduzirão, automaticamente, em ganhos para o PT e para as esquerdas. Os dirigentes dos partidos de esquerdas, dos sindicatos e dos movimentos sociais deveriam ser atormentados todos os dias por esta advertência para que ela sirva de estímulo para que saiam de suas zonas de conforto político e mental.

Existem elementos de sobra para fazer uma campanha eficaz e mobilizadora em favor da liberdade de Lula. É preciso mostrar amplamente que o juiz e os desembargadores que condenaram Lula não eram juízes naturais do caso e agiram como juízes de exceção; que Lula foi condenado sem crime e sem prova; que Lula está preso e que políticos acusados de alta corrupção, a exemplo de Aécio Neves, Temer, Serra e outros, estão soltos; que sob o governo Lula o Brasil teve um de seus melhores momentos de sua história; que Lula legou muitos benefícios ao povo brasileiro; que enquanto Lula uniu o povo e engrandeceu o país perante o mundo, Bolsonaro desagrega o povo com ódio e destrói a credibilidade do Brasil no exterior. Elementos de convencimento existem. O que parece não existir são capacidades e vontade.

Aldo Fornazieri – Professor da Escola de Sociologia e Política (FESPSP).

 

14 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

JJLopez

- 2019-03-05 19:39:00

Concordo com o professor Fornazieri. Os cardeias do PT precisam sair às ruas e mostrarem para o povo que Lula é um sequestrado e como tal deve ser liberado o mais urgente possível. Não adianta Gleisi, Pimenta, Mercadante e outros ficarem usando a tribuna da câmara e do senado. Não adianta dar declarações à rádios e tvs e nem na vigília. Eles precisam se unirem e por exemplo ir ao Viaduto do Chá, à Paulista e lá falarem ao povo. mais parece que eles tem medo e em outros logradouros públicos e falarem direto com o povão. Eles deveriam também protestar em frente ao STF a Globo. Eles precisam tirar esses caras da zona de conforto enfrentá-los cara a cara. Duvido que façam isso.

valter sena

- 2019-03-05 14:55:26

Ala direita reformista de Hddad Tasso Genro Ze Cardoso Laranja Podre Aluiso Mercadante com as leis que eles criou pra colocar o Lula na cadeia que mais que ele fica preso.

André Lameira

- 2019-03-04 21:09:59

O problema é que existe uma disputa dentro do PT entre se "integrar" ao bolsonarismo (caso do Washington Quáquá, Fernando Haddad, Rui Costa, Humberto Costa, Camilo Santana, Jacques Wagner) e atacar o bolsonarismo (ala da Gleisi Hoffman, Paulo Pimenta, Fátima Bezerra e praticamente toda a base sindical e militante). Se depender do Haddad por exemplo (aquele que não defendeu a Dilma, disse que golpe era uma palavra muito forte, elogiou Sérgio Moro em plena campanha eleitoral e desejou "boa sorte" ao Bolsonaro) a política é "eleição 2022". Ou seja, a ala conformista do PT não tem política nenhuma, e não vai mexer um dedo para libertar o Lula. Por outro lado, a ala combativa não foi à posse de Bolsonaro, foi à posse do Maduro, e hoje a CUT já fala em greve geral. Ou seja, entendem que não há o que negociar com Bolsonaro, e que a hora de atacar é agora.

Antonio Ubirajara da Silva

- 2019-03-04 14:25:30

Eu sou muito grato a Lula por tudo de bom que ele fez por mim, pelo Nordeste, pelo Brasil e pelo povão! Por isso, escrevo com muito orgulho, na palma da minha mão, a palavra "GRATIDÃO" em homenagem ao maior e melhor Presidente da nação, o Estadista "Luiz Inácio Lula da Silva", o eterno Presidente do meu coração!!! #LulaLivre #LulaPresoPolítico #LulaCondenadoSemProva #LulaInocente (Poeta nordestino, de Sousa, no Sertão da Paraíba)

Hildermes José Medeiros

- 2019-03-04 14:04:29

Claro, que na essência estão certos os problemas apontados, que levaram à deposição de Dilma Rousseff, à prisão do Presidente Lula (demiurgo, sim), e à eleição de Bolsonaro. Entretanto, não é correto dizer que só o PT erra, centrar nas esquerdas, apenas no PT, a falta de apoio decisivo para libertar Lula. Os movimentos sociais (negros, LGBT, e demais beneficiários das políticas públicas implantadas), os sindicatos, os demais partidos, não só os que se dizem de esquerda, mas que foram parceiros dos governos petistas, que pela inação de todos, mostram que de alguma forma, parte aceitou a pregação da extrema-direita vencedora, mesmo com todas as falcatruas, ou quiseram chegar ao poder junto. Lula preso não é problema apenas do PT e da esquerda: é um problema da sociedade brasileira, que se não acordar, terá sérios dificuldades para voltar alcançar um nível de convivência aceitável, nos limites da Democracia. Os partidos e os movimentos sociais são tão somente meios para a sociedade exercer seus direitos e atingir seus objetivos. Os incomodados ou se mudam, ou exercem pressão para manter suas prerrogativas.

lucileuza sobreira de jesus

- 2019-03-04 13:29:09

Boa tarde, os PT não fez muita coisa nem fará pelo grande líder, pois cada luta pelo próprio umbigo, salvando sua propria pele, a defesa se comporta passiva e moderada diante de uma juíza parcial, imoral, intolerante, pretenciosa e com uma sentença pronta. Vi com muita indignação a defesa petrificada diantenda altivez de uma mulher que prezava mais fazer a vontade de seu indicador que o papel que seu cargo lhe exige, justiça, tetia eu ficado presa por "disacato" se assim fosse recebido pela corte a minha posição de desmascará-la e fazê-la descer do altar onde a puzeram os idólatras da própria imagem.

Antonio Ubirajara da Silva

- 2019-03-04 12:29:09

Eu sou muito grato a Lula por tudo de bom que ele fez por mim, pelo Nordeste, pelo Brasil e pelo povão! Por isso, escrevo com muito orgulho, na palma da minha mão, a palavra "GRATIDÃO" em homenagem ao maior e melhor Presidente da nação, o Estadista "Luiz Inácio Lula da Silva", o eterno Presidente do meu coração!!! #LulaLivre #LulaPresoPolítico #LulaCondenadoSemProva #LulaInocente (Poeta nordestino, de Sousa, no Sertão da Paraíba)

[email protected]

- 2019-03-04 12:06:37

Sábias palavras!.... Lula foi e sempre será um grande líder! Uma pena que o PT não tem aprendido Com esse grande líder. Lula foi o presidente que vai ficar na história...

José Bueno

- 2019-03-04 11:30:37

Nós que ficamos revoltados com a enorme injustiça com Lula e com a truculência do golpe, acompanhamos diariamente as notícias e os comentários apresentados nos sites dos jornalistas que resistem, heroicamente. Compartihamos estas informações com nossos amigos e parentes, necessariamente mais intelectualizados, através da comunicação eletrônica. Ou, ainda, saímos pelas ruas comentando com quem podemos tudo o que lemos e pensamos. Mas, ao mesmo tempo, ficamos profundamente frustrados com a incapacidade de participarmos de qualquer tipo que seja de proposta bem organizada de mobilização que atinja o grande público. Além das passeatas e concentrações, cada vez mais raras e difíceis de serem organizadas e repercutidas, e de outras iniciativas destemidas mais localizadas e limitadas como a de Curitiba, as lideranças de esquerda não estão sendo capazes de usar os recursos mais elementares de comunicação e mobilização do povo, em grande parte desinformado e manipulado, e no qual eu me sinta chamado a me engajar.

Antonio Fernando Silva Souza

- 2019-03-04 11:24:53

Como diria o Valter Pomar, o PT é a Geni da vez. Acho que o professor Aldo, aparentemente apoiando Lula, ataca o PT. De novo, citando Valter, o esporte preferido dos "analistas" de esquerda e de direita.

Maria Luisa

- 2019-03-04 09:57:20

Enquanto as esquerdas e o PT se dividem e não dão as mãos é dos militantes, progressistas, intelectuais na Europa que esta havendo resistência e luta. Na semana passada, ficamos sabendo, não sei se procede, que os advogados de Lula deveriam ir à Genebra em função de um evento para falar do caso Lula, porém sem receber mais os honorarios, eles não puderam ir. Fiquei pensando porquê o PT não paga pelo menos parte dos honorarios? E demais petistas e nos mesmos podemos contribuir para que os advogados continuem fazendo as denuncias de lawfaire internacionalmente. Professor, pelo menos na França, ha varios projetos em andamento, sobretudo em relação a um ano da morte de Marielle, que vai ganhar uma rua em sua homenagem, e aqui quem depreda qualquer tipo de bem publico é processado, ja temos manifestações marcadas para o primeiro ano da prisão de Lula e ações que vão na direção de apoio na campanha do nobel da paz para Lula, que parece não interessar o Brasil...

Genaro

- 2019-03-04 08:56:08

Nassif; O Fornazieri falou tudo. Será que o PT não poderia multiplicar para todas as capitais e grandes cidades a experiência da Vigília Lula LIvre, que ha mais de 300 dias resiste, junto com o Lula. Penso que existem milhares de petistas ou não, que não se conformam com esta hedionda injustiça, e querem de alguma forma externar esta revolta, mas poucos podem ir para curitiba. Criando Vigilias Lula Livre permanentes e 24 hs por dia seria uma forma de iniciar uma mobilização maior. Força Lula, Arthur presente, presente, presente. Genaro

Ezequiel Martins

- 2019-03-04 08:11:08

Valeu Professor. Bela análise. Colocou o dedo na ferida do PT: o imobilismo das lideranças do PT favorecem os algozes de Lula. Só acho que o Sr. foi um pouco injusto com a Gleisi Hoffmann. Ela é uma das poucas lideranças do partido que tem feito alguma coisa pelo Lula. Acho que de modo estrategicamente equivocado, mas, enfim, ela é ativa na defesa de Lula. Bem pior, na minha opinião, são o silêncio e o imobilismo de governadores e parlamentares do PT sobre o caso Lula. Gente que em muitos casos só se elege graças ao Lula. É de doer.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador