O projeto da Petrobras é promover a concorrência contra a Petrobras, por Andre Motta Araujo

Não há na história das grandes corporações projeto semelhante. O mercado conquistado é um ativo da empresa, é um VALOR que compõe seu patrimônio. Não cabe ao presidente da empresa agir contra o interesse da corporação que preside.

O projeto da Petrobras é promover a concorrência contra a Petrobras

por Andre Motta Araujo

O presidente da PETROBRAS lança novamente seu único projeto, o de criar concorrentes para dividir o mercado que a empresa conquistou em 66 anos de história, mega investimentos, muito trabalho e dedicação de seus engenheiros e trabalhadores, construindo refinarias do zero em charcos e matagais.

Não há na história das grandes corporações projeto semelhante. O mercado conquistado é um ativo da empresa, é um VALOR que compõe seu patrimônio. Não cabe ao presidente da empresa agir contra o interesse da corporação que preside.

Pelas regras do capitalismo, das sociedades de capital aberto aqui e no resto do mundo, o CEO de uma empresa deve lealdade a companhia e não a outros interesses ou objetivos. Se é uma política de Estado diminuir o papel da PETROBRAS cabe esse projeto ao Ministro de Minas e Energia, ao CADE, à Agência Nacional de Petróleo e, de outro lado, cabe ao presidente da PETROBRAS defender a companhia que preside contra prejuízos que esse projeto de Governo causará à PETROBRAS. MAS jamais é papel do dirigente maior da empresa ajudar a desmontá-la, a desmanchar seus ativos e com isso a empresa perder valor em posições de mercado. Acionistas minoritários irão processar a empresa por jogar fora ativos que compõe seu valor de mercado. A PETROBRAS é alvo preferencial desse tipo de ação, já tem gente se preparando.

O presidente da PETROBRAS pretende agora dividir ou sair do mercado de gás, o mais promissor das novas formas de energia, isso depois de defender a venda de OITO das 13 refinarias da PETROBRAS. Neste último caso o prejuízo será imenso, não se trata apenas da venda de ativos físicos, ao vender refinarias que são únicas em cada região, a PETROBRAS dá de graça o mercado de combustíveis daquela região, mercado que hoje é da PETROBRAS. Ora, o mais valioso não é a refinaria em si, é o MERCADO que ela domina e que vale várias vezes o ativo físico da refinaria. Quando alguém vende uma padaria bem localizada, o valor maior não está no balcão e no forno, está na freguesia, uma padaria do mesmo tamanho em bairro despovoado vale muito menos. Então qual o motivo, do ponto de vista da empresa PETROBRAS, para se desfazer de refinarias dominantes em mercados estratégicos do País? Vai aumentar a concorrência, diz o presidente da PETROBRAS, sim e em que isso beneficia a PETROBRAS, não é sua função trabalhar para concorrentes.

A LENDA DO PREÇO BAIXO

Diz o presidente da PETROBRAS que a divisão do mercado de gás fará os preços baixarem até 40%. Qual a base dessa afirmação? Como é possível determinar isso? Quer dizer que a PETROBRAS cobra pelo gás 40% a mais do que deveria cobrar? Se o gás pode ser barateado em 40% por que a PETROBRÁS não pratica essa política de preços? Nada faz sentido.

Na esteira do PLANO REAL o Ministro Malan dizia que era bom liquidar os bancos estaduais e trazer bancos estrangeiros porque isso baixaria os juros, vieram os bancos estrangeiros Santander e HSBC, este último comprando um banco popular, o Bamerindus, forçado a se vender pelo Governo por alegadas pequenas irregularidades, a ideia era a mesma lenda neoliberal, OS JUROS VÃO BAIXAR. Não baixaram.

É a mesma lenda da cobrança de bagagem nos voos. Dizia a ANAC, “os preços das passagens vão baixar” após a cobrança pelas malas. NÃO BAIXARAM.

Porque se deve acreditar que o preço da gasolina e do diesel vai cair após a PETROBRAS entregar o mercado para a Shell e para a Exxon?

As aberrantes declarações do presidente da PETROBRAS estão passando em branco pela mídia econômica. Não há uma única análise crítica sobre o projeto de desmanche da PETROBRAS, uma privatização branca com desculpas esfarrapadas, diz que vende refinarias e o sistema gás para investir no pré-sal, mas as plataformas do pré-sal TAMBEM estão sendo vendidas em cotas para multinacionais do petróleo, o GASEN, gasoduto estratégico já foi vendido, a única tarefa da nova gestão da PETROBRAS é o desmanche da empresa, qual será a etapa final? A venda da marca LUBRAX e do prédio sede, já devem estar cuidando disso, é uma questão de tempo, que tal vender o Fundo PETROS para o Bank of America?

AMA

O GGN ESTÁ EM CAMPANHA NO SITE “CATARSE” PARA LANÇAR UMA SÉRIE DE REPORTAGENS E UM DOCUMENTÁRIO INÉDITO SOBRE PREVIDÊNCIA, TOMANDO AS CONSEQUÊNCIAS DA CAPITALIZAÇÃO NO CHILE COMO EXEMPLO DO QUE O GOVERNO BOLSONARO DESENHA PRO BRASIL. PARA SABER MAIS E APOIAR ESSE PROJETO, ACESSE: www.catarse.me/oexemplodochile

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora