Trovantis – e a origem da vida, por Gustavo Gollo

Os trovantis são concreções de arenito calcário que se alimentam de minerais calcários absorvidos através das águas das chuvas.

Trovantis – e a origem da vida, por Gustavo Gollo

Os trovantis são estranhas formações minerais que ocorrem nos Cárpatos, especialmente na Romênia. A peculiaridade que os torna dignos de nota é o fato de que esses pedregulhos erráticos crescem, movem-se e reproduzem-se.

Os trovantis são concreções de arenito calcário que se alimentam de minerais calcários absorvidos através das águas das chuvas.

Não há uma diferença mineral entre as concreções e as areias dos arredores de onde elas vivem; os trovantis diferem do meio ao redor apenas devido a sua organização microestrutural.

A vida dessas criaturas minerais transcorre muitíssimo lentamente, sob uma taxa de crescimento da ordem de milímetros por século.

Durante fortes chuvas, no entanto, os trovantis são capazes de absorver quantidades de água grandes o suficiente para dilatá-los. Tais dilatações, e retrações subsequentes, podem explicar a lenta movimentação das criaturas inorgânicas, que se daria, assim, à maneira das lagartas mede-palmos.

Pequenos fragmentos desgarrados das pedras-mãe lançados no ambiente ao redor – rico em seu alimento calcário –, garantiriam a reprodução das criaturas.

Foi sugerido que os trovantis teriam sido originados por terremotos, como seixos que tivessem sido abrasados em uma esteira rolante. A suposição é refutada pelo formato da maioria dessas concreções, muitas delas portadoras de ejeções bulbosas incompatíveis com tal origem.

Muito mais verossímil é que descamações dos trovantis ao cair no solo absorvam os sais ali presentes e os incorporem à sua estrutura, de modo similar ao que ocorre com as estalactites. A peculiaridade dos trovantis decorre de sua estrutura cristalina, herdada por seus esporos. Ao absorver os sais presentes no solo, os cristais reproduzem sua estrutura e crescem à taxa de uns poucos milímetros por século. Ao mesmo tempo, espalham seus esporos, reproduzindo-se, assim, de modo análogo aos seres orgânicos.

Leia também:  Desculpe-me, minha Presidenta, por Fernando Horta

Foram descritos no interior dos trovantis anéis de crescimento similares aos das árvores. Ao que parece, no entanto, os anéis resumem-se a duas camada externas, formando uma estrutura que mais se assemelharia à casca das árvores.

Os trovantis, esses replicadores inorgânicos, constituem uma viva ilustração das criaturas que imaginei como originárias da vida em nosso planeta, e de todos os seres vivos orgânicos que aqui habitam.

Veja também:

A História do Mundo – a série, por Gustavo Gollo

Como um parasita se transformou em espermatozoide?, por Gustavo Gollo

Gustavo Gollo é multicientista, multiartista, filósofo e profeta

# Evolução # Biologia # Ciência # Biologia generalizada # Origem da vida # metaevolução # Replicadores

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora