O xadrez da Polícia Federal na era das corporações

A criação do Sisbin

Nos anos 90, ajudei o então Secretário de Segurança do Ministério da Justiça Walter Maierovitch, com informações sobre as ferramentas utilizadas no mercado financeiro para lavagem de dinheiro.

Na CPI dos Precatórios, passei dias e dias, com minha coluna na Folha, desbastando cada instrumento financeiro utilizado para esquentamento de dinheiro, desde as operações zé-com-zé na Bolsa de Valores até as jogadas com títulos estaduais.

Por conta desse trabalho fui convidado pelo então Ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos para abrir um encontro em Pirenópolis (GO), juntando representantes de todos os órgãos de fiscalização – o Ministério Público Federal, Polícia Federal, Receita, Banco Central, COAF, para lançamento da Sisbin (Sistema Brasileiro de Inteligência). Estavam lá figuras que se tornariam referenciais nos anos seguintes, como o Procurador Geral Cláudio Fonteles e o diretor da PF Paulo Lacerda. Foi o primeiro Encontro Nacional de Combate à Lavagem de Dinheiro (ENLCA) – agora denominado de Encontro Nacional de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro.

O pedido de Márcio foi para que eu “descesse a lenha” nos métodos de investigação até então implementados, que desconheciam as nuances do mercado financeiro, e explicasse alguns mecanismos do mercado financeiro para lavagem de dinheiro.

Aproveitei para conversar com alguns dos presentes e o quadro apresentado era entusiasmador. Em Brasilia haviam sido montadas salas de situação onde se reuniam representantes de todos os órgãos para estudar as estratégias conjuntas contra a lavagem de dinheiro.

Descrevi essas mudanças em coluna de 14 de maio de 2005 (http://migre.me/tnFcZ). A partir dali, começava a se fechar o cerco ao crime organizado, à ideia, que imperava desde os anos 70, de que seria impossível o cerco aos paraísos fiscais e às contas, que migrariam de um banco para outro sem deixar rastros.

Saí da reunião com a sensação de que estava sendo construído um novo país. E que o jogo político, os financiamentos de campanha convencionais, jamais seriam os mesmos.

Aparentemente, Márcio esqueceu de informar o governo.

A nova Polícia Federal

Nesse período, houve uma completa reformulação da Polícia Federal. Novos equipamentos, novos métodos de investigação e, principalmente, uma liderança serena e segura de Paulo Lacerda, que incutiu um orgulho extraordinário na força.

Na época, conversei com um consultor contratado para trabalhos de gestão na PF. Na hora de definir o objetivo, houve consenso: em 20 anos ter o mesmo nível do FBI.

A PF ganhou equipamentos de ponta, aprendeu a fazer gestão, aprimorou seus métodos de invesigação e, principalmente, teve acesso a parcerias internacionais armadas até os dentes com as novas tecnologias. A prisão do comendador Arcanjo – chefe da contravenção do Mato Grosso – foi um feito extraordinário. Através do GPS, o FBI orientou os agentes até o cômodo da casa onde Arcanjo se escondia.

Como consequência natural, a nova Polícia Federal – assim como o Ministério Público Federal (MPF) – quis testar a musculatura adquirida.

Houve tentativas iniciais de invasões de escritórios de advogados. Depois, Operações de nomes vistosos, algumas discretas e bem-sucedidas – como a da Daslu -, outras polêmicas e conflituosas, como a Satiagraha e a Castelos de Areia.

Leia também:  Xadrez para entender o ato de Toffoli requisitando os dados do COAF, por Luis Nassif

Dois episódios liquidaram com essa lua-de-mel.

O primeiro, a maneira como o governo Lula atuou no caso Satiagraha, humilhando a grande referência da PF – Paulo Lacerda, na época na ABIN (Agência Brasileira de Inteligência) – e os delegados da Satiagraha. Salvou o PSDB e gerou um ódio mortal na corporação.

A segunda, a indicação de José Eduardo Cardozo para o Ministério da Justiça.

Cardozo montou uma estratégia fatal.

Na parte administrativa, deixou a PF às moscas. Não implementou um programa sequer.

No auge da guerra contra a TelexFree – o maior golpe já aplicado contra brasileiros na história – depois de muito cobrar a participação do Ministério da Justiça, Cardozo acabou me colocando em contato com um alto quadro da PF. A primeira frase da autoridade: “Senhor jornalista, quando vier a Brasília vamos conversar para contar o que o Ministro está fazendo com a PF”.

Para manter-se no cargo sem ser incomodado, Cardozo entregou todos os anéis e dedos para a corporação, trouxe cerca de dez policiais federais para sua assessoria, garantiu à tropa a ampliação do poder, mantendo a presidente desinformada sobre a marcha do golpe. E há suspeitas de que tenha sido responsável por parte dos vazamentos que inundaram a imprensa no período.

Semanas atrás, policiais da PF fizeram chegar à Casa Civil um material que mostraria aparelhamento da Lava Jato pelo PSDB do Paraná. Junto com o material, o alerta para não passar o material para o Ministério da Justiça, “senão mela”. Dias depois o dossiê saiu publicado na revista Veja. Questionadas, as fontes da Casa Civil confirmaram que o MJ havia tido acesso aos documentos. Pode ter sido coincidência; pode ser que não.

Outra figura chave foi o líder do governo no Senado, senador Humberto Costa. Apanhado na Operação Sanguessuga, Costa fechou um pacto político com a PF, ajudando a aprovar um conjunto de leis que permitiu à PF um emponderamento inédito.

A lei 12.830 garantiu controle total sobre inquérito policial. Agora, tudo passa pela PF, desde inquéritos do IBAMA, INSS. Imagine-se um delegado comandando 400 investigações.

Outra foi a lei 12.850, de combate ao crime organizado e à delação premiada. Em qualquer país do mundo, a delação é acompanhada pelo Ministério Público. A nova lei dá agora essa exclusividade aos delegados.

Costa e Cardozo tiveram papel central na aprovação dessas duas leis.  E se aliaram aos delegados nas discussões sobre a MP 650, que pretendia definir uma carreira única para o órgão.

Na verdade, os delegados colocaram uma faca no pescoço do governo e saíram vitoriosos.

A faca, no caso, foi um bilhete manuscrito de Alberto Yousseff que continha um mero “Dilma 17 viagem”. O bilhete apareceu em abril de 2014 e não foi encaminhado à Procuradoria Geral da República, ficou nas mãos dos delegados.

Apenas no último dia 11 de março uma reportagem da revista IstoÉ (http://migre.me/tnH8O) relatou parte da história. Segundo a revista, a contadora de Yousseff, Meire Poza, contou que, ao tomar conhecimento do bilhete, o delegado Márcio Anselmo vibrou: “Que coisa maravilhosa! “. Os documentos foram guardados no porta-malas de uma Range Tober Evoque apreendida pela Lava Jato, e que ficou a serviço da PF, e só reapareceram agora.

Leia também:  Moro rebate coluna publicada na Folha de São Paulo

Teria sido esta a arma da qual se valeram delegados para forçar o governo a aprovar a MP 657/2014, tornando privativo de delegados de classe especial o cargo de diretor-geral da PF (http://migre.me/tnHnd). Em apenas duas semanas, a MP virou a Lei 13.047.

O feito foi comemorado pelo deputado e delegado Fernando Franceschini, que se vangloriava de ter botado “o governo de joelhos” (http://migre.me/tnHu1).

O ponto final foi o pacto em torno do helicóptero do senador Zezé Perrela, aliado e amigo de Aécio Neves, transportando 450 quilos de cocaína. O abafamento do caso teria sido fruto de um acordo entre a banda tucana da PF, em troca de segurar a Operação Acrônimo, que envolvia o então candidato ao governo de Minas, Fernando Pimentel. Chegou-se ao feito inédito de um delegado da PF soltar uma declaração inocentando Perrela, fato sem precedentes na história da PF.

Ainda não se contou a influência do tráfico na política brasileira. Mas essa é outra história.

Esse é o mundo sem corrupção criado nas fantasias alimentadas pela Lava Jato, a partir do momento que escolheu lado.

As novas corporações

A Procuradoria Geral da República e a Polícia Federal tiveram papel central nas armações contra Dilma. Foram parciais, em alguns momentos flagrantemente partidárias, mas fogem do figurino tradicional do golpismo latino-americano, de aplainar o terreno para um salvador da oposição – embora na prática seja isso o que ocorre, ao livrar os líderes da oposição de indiciamentos.

Nos dois casos, houve uma reação das corporações para se transformar em poderes autóctones.

Tome-se o caso do PGR Rodrigo Janot. Não se tenha dúvida de que foi o grande estrategista da Lava Jato. Criou as condições para o sucesso da Operação, provavelmente definiu o escopo das investigações, amarrou a cooperação internacional, alocou na força tarefa seus melhores procuradores e seus melhores recursos, monitorou passo-a-passo para não sair da legalidade e fez três intervenções que mostraram claramente o seu lado no jogo:

1.    Ao encaminhar para a Lava Jato denúncia vaga (e incorreta) de um obscuro parlamentar do Norte, com base em reportagem da revista Veja informando que a OAS teria feito reformas no sítio de Atibaia. Duas instâncias tinham recusado ir adiante, pela precariedade das informações. Janot deu seguimento ajudando a ressuscitar a tese do impeachment, que tinha perdido fôlego no final do ano passado.

2.    Ao autorizar a liberação dos grampos com conversas informais de Lula.

3.    Ao devolver o processo de Lula ao juiz Sérgio Moro.

E, no entanto, Janot é um procurador exemplar. Não tem ambições pessoais: ao contrário, é representante integral das ambições da corporação. Seus assessores pessoais acreditam que “ele quer fazer o correto”. E essa convicção mantém coesa a corporação. Toda sua estratégia visou ampliar a influência institucional do Ministério Público Federal, blindar a Lava Jato contra as interferências que anularam operações anteriores, à custa de um pacto com a Globo, incluindo a blindagem da organização. Temperou com um tanto de solidariedade mineira.

Leia também:  Gaspari: Moro pode ter soltado delação de Palocci depois de convidado para ministro de Bolsonaro

Mas não lhe peça para analisar os desdobramentos dessa atuação na vida política nacional, os impactos dessa radicalização nas próximas gerações, a abertura do precedente de um golpe legalizado (é golpe, sim), as consequências do vácuo político criado, as ameaças de retrocesso dos avanços sociais conquistados. Seu foco é o MPF, ponto. Ele não é especialista em Brasil: é em MPF. Aliás, ele não é Brasil: é MPF.

Trata-se de uma corporação com grandes especialistas em todas as áreas do direito e com algumas contribuições inestimáveis para o avanço civilizatório. Mas a inteligência corporativa é escassa, especialmente para temas políticos e institucionais. Como declarou certa vez um ex-presidente da ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República), o Brasil é um oceano de corrupção que circunda a única ilha de honestidade, que é o Ministério Público. Questionar, quem há de?

Há plena convicção na corporação (com as notáveis exceções individuais) de que é possível controlar totalmente a corrupção, que arrebentar com cadeias produtivas produzirá uma economia mais forte, que criminalizar toda forma de apoio às empresas trará segurança jurídica, que criminalizar a política, a purificará. É uma segurança férrea, inamovível, questão de fé.

Mais do que um problema do MPF, reflete o desmoronamento institucional a partir do momento em que a presidência deixou de articular um projeto de país.

Em 1964 havia uma corporação com poder: a militar.

Agora, o que se tem é uma implosão do sistema político e do sistema institucional, com cada poder aproveitando o vácuo para ampliar seu latifúndio e sem um poder central capaz de articular e unificar as ações, atuar como algodão entre cristais, articular pactos entre os poderes.

Na hipótese de queda de Dilma, esse será um complicador a mais. Na parte política, armado de suas prerrogativas constitucionais, o poder empalmado pelo grupo de Eduardo Cunha, tendo Michel Temer como bastante procurador. Na outra ponta, o MPF e a PF pintados para a guerra. Pairando acima o STF (Supremo Tribunal Federal), mas tão acima, tão acima, que não venha ninguém atrapalhar seu sono. E, na base, a multidão dos desassistidos, organizados por todo o país, inconformados com as janelas que se fecharão na grande noite que se prenuncia.

Daqui até 2018 há uma grande caminhada.

Em sua nova versão, mais uma vez Brasilia tenta enquadrar o restante do país, encaixotar o país em gabinetes, monitorados por tecnologias avançadas, com a missão salvacionista consagrada no evento de ontem na PGR, sobre as 10 medidas contra a corrupção.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

83 comentários

  1. do Brasil, SOS ao Brasil (2)

    “CPI, empreiteiras e meia pizza 

    Luis Nassif – 24/03/1997

    A divulgação do mapa de venda de títulos do estado de Pernambuco muda substancialmente o eixo das investigações conduzidas pela CPI dos Precatórios. E deve levar as investigações para águas muito mais profundas: o das empreiteiras do setor público e dos grandes esquemas de arrecadação de fundos eleitorais.

    […]

    Clareada a cena, não haverá mais como adiar esse difícil acerto de contas com o passado. Não é tarefa para uma coluna, sequer para um jornal. Será o grande desafio da nacionalidade, a ser encarado por todos as pessoas empenhadas em construir uma nação moderna e limpa. Os próximos meses dirão se o Brasil já amadureceu o suficiente para encarar o grande desafio da modernidade. Ou se continuará aceitando passivamente a versão da meia pizza.” 
    .

     

  2. Não me passa pela cabeça, nem

    Não me passa pela cabeça, nem por um minuto, que o Sr. Janot e seus seguidores do MPF, mais alguns delegados da PF sejam homens e mulheres focados APENAS no combate à corrupção e no sucesso do consórcio MPF e PF. Não vem com essa! São pessoas inteligentes, sabem dos impactos de suas ações e escolheram, de forma inegável, atuar à margem do que se pode chamar de comportamento ético ou mesmo legal. As investigações, os métodos e o direcionamento claro da Lava Jato mostraram (e monstram diuturnamente) que tais rapazes e moças são capazes de quase tudo para justificar seu desejo golpista. Há mistura de egos, projetos pessoais, golpismo e direitismo descarado, além de falta de ética na condução das investigações. Exigir do outro comportamento ilibado, mas agir de forma descarada é ser cafajeste. E estes perderam a vergonha, pois aliaram-se a uma mídia golpista, arcaica, feudalista e que se acha inquestionável dona do Brasil. Alguém que se alia a Globo, Folha, Veja, Estadão, etc, já se declara o que é: corrupto, cafajeste e entreguista. Entreguista! Alguém que não tem o menor desejo de construir uma nação, mas sim de entregá-la para alguém que fale inglês. São escravos mentais, subservientes e adoram receber prêmios nos EUA. Seus filhos e netos terão vergonha de seus nomes. O mal está feito.

    Agora que a esquerda falhou, não há dúvida. Mas falhou na gestão do poder. Como eu queria ter um Putin! Esse sabe jogar. Não estou dizendo que devemos concordar com ele e elevá-lo a categoria de santo. Não! Estou dizendo apenas que este, se aqui estivesse, se fosse ele no lugar da Dilma / Lula, garanto-lhe que a direitinha fascista e aliada a interesses externos não tinha saído do buraco onde estava.

    Mais uma vez a história nos entrega, no momento decisivo, líderes fracos, ou não tão fortes quanto a situação demanda.

    Deus, por certo, não é brasileiro!

    Abs,

    • Também fiquei pasmo com, em

      Também fiquei pasmo com, em se tratando do Nassif, essa conclusão rasa: Janot “pinta o sete” mas, “no fundo”, é apenas um procurador exemplar e que quer apenas o melhor para a instituição. Todo o desenrolar dos fatos diz justamente o contrário, com tantas circunstâncias envolvidas: aparelhamento pelo PSDB, chantagens sobre membros do Executivo e do Legislativo, vazamentos seletivos, investigações parciais e direcionadas etc.

      Seja Janot ou outro qualquer o “mentor” disso -parece-me mais uma confluência de forças, um bloco que tem contradições mas alinhadas com o mesmo objetivo-, é tudo menos “inocente”. O objetivo é o golpe, a destruição das forças populares e de esquerda e o realinhamento a Washington. 

    • Eles não mandam neles, quem

      Eles não mandam neles, quem manda neles é a elite, a verdaeira golpista, que quer fazer o país retroagir ao tempo em que ela vivia a certeza de ser americana e o povo que se lixasse.

    • Muito bom, Ericson, daí

      Muito bom, Ericson, daí reproduzo:

      “Exigir do outro comportamento ilibado, mas agir de forma descarada é ser cafajeste.”

      E mais:

      “E estes [MPF e PF] perderam a vergonha, pois aliaram-se a uma mídia golpista, arcaica, feudalista e que se acha inquestionável dona do Brasil. Alguém que se alia a Globo, Folha, Veja, Estadão, etc, já se declara o que é: corrupto, cafajeste e entreguista.”

      Valeu pela ótima abordagem e análise. Direto ao ponto. sem rodeios.

  3. “O que é pouco tem vergonha

    “O que é pouco tem vergonha de dar muito!” Dizia meu saudoso pai.

    Temo que até eu, em breve esteja clamando pela volta dos militares. Num velho círculo que parece não sair do lugar:

    “(…) restauração da monarchia e até ditadura militar, reclamada em altas vozes das columnas de vários jornaes(…) Houve até político, litterato, jornalista, tido na conta de grande sabedor, que, com todo o desembaraço nos aconselhou a renuncia da indepencia e a submissão ao protectorado dos Estados Unidos… Tanto é profunda a incapacidade desses levianos directores da opinião brazileira! (…)”

    ROMERO, Silvio. O Brazil Social.  1 – O problema. Revista do IGHB, volume LXIX, parte II, pp.106/107, 1908

  4. Luis Nassif, como sempre sou

    Luis Nassif, como sempre sou uma pessoa pasma.

     

    Podemos falar um pouquinho no tal de choque de gestão?

     

    Quer saber o pior?

     

    Sou bem fiel teu admirador,

     

    Ou seja,

     

    Sigo você,

     

    Será um contrapoint?

     

    Oh,

     

    Hungout!

    • Olha, se este promotor não

      Olha, se este promotor não está de má fé é simplesmente impressionante o grau de incompetência destes concursados, é assustador . . . . .

      • Primarismo

        Acompanhei ontem a palestra pelo Jota. Um dos slides descrevia a articulação política num cenário de presidencialismo de coalizão como “o verdadeiro esquema”. Isto é a criminilização da atividade política. Montar uma base de apoio nomeando indicações políticas para áreas do governo acontece em toda democracia. Se o indicado (ou responsável pela indicação/nomeação) comete alguma ilegalidade é outra história…

  5. Questão de fé?

    Nassif,

    alguns militares (talvez muitos) em 64 foram movidos pela fé, ou pela convicção. Se o MPF também se orienta por crenças, cabe a nós todos explicar que não se trata de uma teocracia. Também em 64 havia a fé de que os militares acabariam com a praga da corrupção. Naquela época se discutia se isso era ou não um golpe e, durante muitíssimos anos, se falou na revolução” de 64 que, aliás, não teria dado tão certo, mas que teria salvado o país…etc.

    Não se usava, então, a palavra GOLPE. Assim, não havia a pergunta. Hoje há, e a resposta é simples:

    NÃO VAI TER GOLPE!!!!!

  6. Uma dissecação do poder

    Primeiramente, excelente análise. Uma verdadeira dissecação do poder.

    Mas da mesma forma que você criticou o livro Operação Banqueiro, porque faltou o papel da mídia na história, pergunto:

    E a Rede GLOBO, onde entra nessa história?

    Creio que sem a participação da Globo e demais familias do oligoopólio da Mídia não teria sido possível  enterrar a Satiagraha e elevar aos céus a Lava Jato. Basta olhar o papel da Veja (com apoio/conivência da Globo) nos dois episódios.

    São duas operações idênticas (pelo menos do ponto de vista policial e judiciário) que tiveram desfechos diametralmente distintos. Por que?

    Qual o papel do monopólio da mídia. O MPF e a PF tem essa preponderância sobre os demais poderes por conta do papel desempenhado pela Grande Mídia. Não fosse ela, e se tivéssemos ainda o PSDB no poder, teríamos um engavetador no MPF e uma PF sucateada (queimando pés de maconha no nordeste).

    Essa força toda dada pela Grande Mídia ao MPF, a um juiz de primeira instância e a PF é para derrubar o governo. Caso venha um governo aliado da Grande Mídia, o pêndulo inclina para o outro lado e esse poder todo desaparece. 

    Imagina um Gilmar Mendes e cia do STF, porque agora vai ter mídia favorável, desancando em cima das arbitrariedades de um juiz do interior, de uma PF que ultrapassa os limites e um MPF que passa por cima de princípios constitucionais. É um escarcéu ao contrário. E tudo volta como dantes no quartel de Abrantes.

    Até o dia que o povo, cansado de pagar a conta, acorda com o chacoalhar de um novo líder como foi Getúlio e Lula.

     

  7. Foi o PT que acabou com as instituições?

    Nassif, há cerca de 6 anos, tive uma conversa com um professor catedrático aqui na USP, com alguma atuação em órgãos federais em Brasília. Ele dizia “o PT esta acabando com as instituições brasileiras”. Confesso que na época fiquei sem entender. Este professor era uma pessoa de centro político, ponderada. Ainda não existia este anti-PTismo exacerbado de hoje. Com o tempo a ficha foi caindo. Acredito que o professor se referia a essa liberdade ou autonomia que o PT legou, talvez ingenuamente, às corporações como a PF, o MPF, etc. Essa autonomia pode ser muito perigosa, porque o requer maturidade das próprias corporações para exercê-la. Conforme você coloca bem, muitas destas corporações não souberam manter sua sobriedade, sua missão principal. Até a própria USP abusou da sua autonomia recentemente quando nas mãos do reitor Rodas (mas isso definitivamente não é culpa do PT!). Enfim, com um pouco de otimismo, acredito que faz parte de um processo de crescimento e equilibração. As corporações se mantidas autônomas, percebem seus exageros e tenderão a se compensar. Resta saber quanto tempo demora-se para atingir o equilíbrio…. 
     

  8. Ah, e por falar em dissecação

    Ah, e por falar em dissecação do poder, se “vejo sangue” desmaio. Mas se ninguém for capaz de “ver sangue” estaríamos fritos. Qualquer apendecite nos mataria. 

    Não tenho problema em ver as entranhas do poder. A hipocrisia rola solta de todos os lados e por todos nós, desde aqueles que se negam a ver até aqueles que dizem que jamais fariam “uma coisa dessas”.

    Acredito que as relações sociais de poder são um processo evolutivo, com altos e baixo, mas quando visto no longo prazo e de maneira ampla acho que há uma evolução. Creio até que há evidências disso, uma delas é que nunca fomos tantos e vivemos tanto tempo.

  9. Belo texto do Nassif, mas

    Belo texto do Nassif, mas algumas observações:

    1) O maior erro de Dilma foi nomear Cardozo como MJ;

    2) Hoje, podemos notar que Cardozo e sua “omissão” ou “submissão” em relação a PF é fruto de “algo” que alguma banda interna possui contra ele. Não há outra explicação; 

    3) O que essa PF fez com o PT, Lula e Governo Dilma JAMAIS se repetira em qualquer outro Governo daqui para frente.

    4) PSDB e PMDB sabem que “polícia” tem de ser no “cabestro”,  sem esse papo de “polícia republicana”;

    5) Dentro da instituição já se tem noção de que tudo que foi conquistado pelos delegados nos  governos do PT irão retroceder no próximo governo. Seria como voltar a ser a PF dos tempos do FHC, ou seja, sucateada e com “rédias bem curtas”;

    6) Esse futuro e previsto “Retrocesso Institucional” na PF é fruto da “amibição” de alguns delegados  em quer ter “status” de Ministro do STF…

    7) A “Super PF” dos tempos de  Dilma está com os dias contados…quem viver verá!

  10. inconcebível é a

    inconcebível é a partidarização da pf e desses outros óirgãos…

    tem gente em curitiba que passa todo dia em frente da pf na guantanamo de cidade

    e já ouviu discursos políticos internos em altos brados contra o governo popular…

    isso  é muito perigoso num regime que se quer democrárico….

     

  11. Análise muito boa, só

    Análise muito boa, só colocaria mais um dado, até porque convivo diariamente com esse pessoal, além dos inúmeros erros do PT que não soube exercer o poder, há algo quase natural nas castas do Judiciário, do Ministério Público e da Advocacia Pública: São na sua quase totalidade analfabetos políticos, com pouquíssimo ou nenhum conhecimento de Economia e, pasmem, na sua maioria também com quase nenhum conhecimento de História. Tirando os livros “acadêmicos”, sua leitura geral é quase nenhuma.

    Essa mistura explosiva de poder (quase) sem limites com esse desconhecimento de tudo que nao seja os manuais legais, forma um pessoal movido facilmente pela grande mídia. E não preciso dizer aqui quais são os efeitos da grande mídia em pessoas sem profundidade.

    No momento atual, acredito que o golpe através do  Impeachment caminha em largos passos (infelizmente) e não consigo ver como reverter essa situaçao.

    Falta de aviso não foi, no mínimo desde as “jornadas” de 2013 (que de “jornadas” nada tiveram…) que as pessoas com um mínimo de senso vislumbraram exatamente para onde o País estava indo.

    É absolutamente inacreditável que Dilma e muito mais Lula, com sua tamanha vivência política não tenham agido naquele momento para impedir o desastre que está prestes a ocorrer.

    Enfim, acontecendo (espero que não) ou não o golpe, que isso sirva de liçao para o PT e para os demais partidos de esquerda. Que analisem que esse tipo de aliança com PMDB e afins só serve para levar uma facada pelas costas nos momentos de crise.

    Com ou sem impeachment, o PT e a esquerda precisam voltar às ruas, fazer uma limpeza ética interna (sim, é necessário, saber que o pt recebeu Delcidio em seus braços me causa ansia de vômito) e construir novas lideranças em todas as faixas etárias.

    Essa é a única saída porque se formos depender do “republicanismo” da nossa direita…

  12. É exatamente assim que eu

    É exatamente assim que eu enxergo a situação.  

    Um “partido dos concursados” de pessoas muitas vezes muito talentosas e inteligentes, mas que enxergam o mundo apenas a partir de pontos de vista extremamente limitados e se recusam (as vezes conscientemente, as vezes inconscientemente) a aumentar a abrangência de sua visão.

    Para eles é importante a adoção do seu credo moralista e para isso o aumento do seu poder.  Desdenham de quem tem voto e portanto se contaminou pela podridão da política.  Ter voto é um delito  como se a força política em si fosse uma força imoral versus a “meritocracia” daqueles que “estudaram”.  Por isso é um exercício de natureza anti-democrática do poder.

    Impressionante neste sentido também as semelhanças com Mani Pulite na Italia e não consigo imaginar um fim diferente do acontecido na Itália.  O império contra-atacará, e acabará prevalecendo, pois o real poder deriva de apoio político e não de um termo de investidura.

    Combate a corrupção não é feito com ações punitivas apenas.  Sem mecanismos de controle e accountability reais, ele será equivalente a polícia que sobe um morro e retira uma facção de traficantes apenas para outra facção entrar. 

    Por enquanto há indignação nacional e apoio a lava jato.  Quando a espiral de austeridade (porque a austeridade economica também é um efeito imediato dum moralismo primal) continuar e os efeitos reais da paralisia econômica gerada em parte pela “prevenção” a corrupção (que se pese também profundos erros de condução da economia no passado recente e também condição externa) se fizerem ainda mais presentes a mesma opinião pública que hoje os incensa mudará de ventos.  Como mostra o datapopular, a maioria da população quer um governo grande, porém governo grande e eficiente.

    Um dos maiores erros economicos de Dilma foi não ter realizado o ajuste necessário na época favorável mas ter se iludido com resultados de curto prazo.  O maior erro economico do governo pós-Dilma será não perceber que atualmente a espiral de austeridade será catastrófica.  Ajuste é necessário, mas um ajuste programado e crível, mais parecido com o que foi feito na Inglaterra do que o que se tentou fazer na Grécia.  Um governo gerado por esse ambiente moralista não conseguiria fazer a transição ao pensamento macroeconômico (e não estou falando de nenhuma heterodoxia).  Porém não percebe que nesse ajuste alguns dos principais elementos a ajustar são justamente salários, benefícios e pensões dessa base.

    Em muitos sentidos Dilma é um dos expoentes máximos desse partido cujo lema é achar que o mundo não é como ele é, mas como ele deveria ser.  Qualquer outro político nunca teria deixado a situação chegar a esse ponto. Dilma deixou porque, no fundo, concorda com boa parte do exposto acima.

     

  13. Se Janot acredita que ao MPF

    Se Janot acredita que ao MPF cabe limpar o país das mazelas da corrupção, porque engaveta tudo do aecim e deixa o Cunha sambar na cara do pais?

    • Boa pergunta, Nilva!

      Esse papo de Nassif de que Janot não sabe de nada, só do seu Minitério PubliCUZINHO, é a maior conversa pra boi dormir. É GOLPISTA ! É PARTIDÁRIO! PQP

      • Essa é a questão

        Essa é a questão, Nilva e Ana. Eles têm uma “tioria” na cabeça.

        O Nassif encara só como “espírito de corpo”. Mas é mais: é descaramento de classe.

        … E pra arredontar essa bola procura “erros” no PT, Lula e Dilma…

  14. Se Janot acredita que ao MPF

    Se Janot acredita que ao MPF cabe limpar o país das mazelas da corrupção, porque engaveta tudo do aecim e deixa o Cunha sambar na cara do pais?

  15. Senti falta. ..

    Senti falta de um personagem: Daniel Dantas.

    Sempre me admirei como ele conseguiu se safar. Não pela ajuda de Gilmar Mendes, mas pela forma com que a própria PF, ou governo, se livrou da Satiagraha e do Lacerda.

    Claro que a midia ajudou DD,  mas porque o governo contribuiu com ele?

    Ele anda sumido ultimamente, mas não acredito que esteja “inativo”.

    • Prezado Edsonmarcon,

      Sempre quando leio todo esse jogo de xadrez aqui apresentado (que para mim parece mais um jogo de poker),e sobre as notícias sempre de um “mesmo lado” da ‘midiona” me pergunto: por onde “ele” anda.

      Não se noticia mais nada sobre “ele”.

      Onde está?

      O que faz nestes dias tão “turbulentos” para nós brasileiros?

      Estará “comandando” como um bom jogador que é?

       

    • Eu sinto falta é do Dornelles

      Eu sinto falta é do Dornelles, que agora vai assumir o Governo do Rio devido a doença do Pezão.

      O partido dele, o PP, do qual ele é Presidente, é um dos principais envolvidos nessa chacrinha da lavajato. Mas não se fala uma palavra sobre o Dornelles!

      O nome dele é Dornelles “Vargas”. Foi ministro do Sarney (do Tancredo), do FHC… Sempre esteve “por aí”, portanto.

      … E ninguém fala nada!

      Nem ele, rsrsrs…

      É a maior incógnita nisso tudo.

  16. Procurador exemplar, Nassif?

    Procurador exemplar, Nassif? Janot é desonesto, prevaricador e pilantra.

    Como o golpe vai ter reação, ele que se cuide. É inimigo da democracia e assim será tratado.

    Se ele acha que o Brasil é um shopping de Brasília onde é saudado como herói pelos coxinhas está muito enganado 

  17. Nassif acreditando em bilhetinho da QuIstoÉ e do Tuma

    Nassif acreditando em bilhetinho da QuIstoÉ e do Tuma

    Bandido Youssef preso em 17 março/2014. Bilhetinho apreendido em 29 de abril/2014. Para salvar a própria pele, quantos outros bilhetinhos desses podem ter sido escritos pelo bandido na carceragem da PF em Curitiba, sob encomenda da PF e/ou do MPF golpistas? Marcio Anselmo, Igor Romario, Erika Mialik fizeram campanha descarada para o PSDB. De posse de um bilhetinho desses (mesmo que não tivesse sido forjado na carceragem) de maio a outubro de 2014, se o bilhetinho fosse realmente algo tão forte contra Dilma (e aí tinha que haver provas vinculadas) por que os delegados aecistas não negociariam com a campanha do PSDB, para eleger Aecio, após conseguir a MP. Seriam bandidos de carater, de cumprir trato com o governo que odeiam?

    O bilhetinho para promover livro vagabundo do Tuma é ums bomba tão grande, que, publicado na QuIstoÉ duas semanas atrás, tá sendo repercutido agora… pelo GGN, e não pela TV Golpe!

  18. O caso Lina Vieira, uma

    O caso Lina Vieira, uma tucana, esposa de ex-ministro de FHC, foi mantida no cargo de chefe da Receita Federal até o final do segundo mandato de Lula, tendo sido exonerada somente quando acusou Dilma de estar interferindo na Receita Federal. Só para citar um exemplo do quanto o PT foi ingênuo com essa coisa de “republicanismo” que levou a manter tucanos em postos chaves: como por exemplo Janota…

    Oposição convida Lina Vieira para CCJ

    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2009/08/oposicao-convida-lina-vieira-para-ccj.html

    • Prezado Spin Bom Não é

      Prezado Spin

      Bom dia

      Não é ingenuidade, pois Daniel Dantas negociou com PSDB e PT para ser o que é hoje.

      Como ele mesmo disse: “Só tenho medo dos intermediarios, porque acima,  estão toods em minhas mãos”.

      Quer maior exemplo que o seu procurador no stf?

      Abração

  19. Ninguém pode mais se enganar.

    Ninguém pode mais se enganar. Tanto polícia como Ministério Público, com exceções de praxe, deixaram de ser servidores da República. Eles não fazem nada por si mesmos. O que fazem é unicamente para servir aos desidérios da classe dominante, das elites econômicas ou, se preferem, da Casa Grande, que os trazem pela argola de uma coleira. Voltaram todo o conhecimento que adquiriram para se porem a este serviço. Alguém lá de cima da pirâmide os comanda, não mais a Constituição ou idealismos profissionais superiores.

    Se estas elites são aliadas de estrangeiros contra o povo brasileiro, e se até são contra profundos interesses da nacionalidade, para eles pouco importa, sua capacidade de idealismo chinfrim não navega até estas alturas. Seu idealismo urra de satisfação com o reconhecimento das elites por seu bom trabalho, como por exemplo com uma premiação da televisão.

    Tudo o querem é serem bem reconhecidos como servidores fiéis da elite. Este é também um efeito colateral e cultural de uma tendência global/ocidental de supercrescimento de fechadas elites e de empobrecimento geral das massas inferiores. Eles estão trabalhando em sintonia com essa onda internacionalista.

    São compenetrados trabalhadores da elite, fascinados pela elite, esta elite que não se peja em soltar seus cães ferozes contra a Democracia, para readquirir na força bruta “de volta o seu país”, o país que julgam que lhes pertence e sempre lhes pertenceu. Eles são obreiros de uma causa que é a causa da certeza de que as elites devem pôr e dispor do país como queiram e assim comandá-lo, e não o povo, pela democracia.

    Por isso já estamos a perceber que hoje, neste momento, o povo brasileiro já não é mais livre como foi nas últimas décadas. Ele mesmo está a sentir que já começou seu mergulho atroz em uma nova época de densas trevas.

    Até os apresentadores de televisão já dobram a língua quando se referem ao PMDB e ficam sérios, piscando, como ao tempo da radical censura. O povo está muito amedrontado vendo pela televisão seu querido presidente e sua querida presidente serem vilipendiados por uma récua de ladrões e cafajestes que se sucedem em berros contra o que de mais venerado eles traziam.

    É tradição das elites brasileiras, sobretudo paulistas, a definição de que as questões sociais são um caso de polícia.

    O povo está com medo do futuro que o golpe das elites pode lhes trazer. E o povo já não é mais tão ingênuo como ao tempo dos governos absolutistas das elites.

  20. Conclusão: de um lado, há uma

    Conclusão: de um lado, há uma febre generalizada de exorbitância em todas as instituições e esferas de poder formais e não formais importantes no Brasil: Polícias, notadamente a Militar e a Federal, MPs, Congresso, Judiciário, de primeira à última instância (pois é, quando um juíz da Corte Suprema pode panfletar a torto e à, hum, direita, sentar a bunda num processo pelo tempo que quiser, etc. e os outros membros dela lavam as mãos, há aí flagrante conivência a essas exorbitâncias), corporações de comunicação regidas por pensamento único, OABs da vida, entidades patronais hiper politizadas, e por aí vai.

    E de outro lado, um Executivo e uma Constituição acuadas ao máximo.

    Sim, é cada vez mais visível o surgimento de vozes e de uma “unidade” no tecido social tentando salvar a nossa jovem democracia, mas…

    Mas não sei se vocês repararam em quem anda em apreensivo silêncio no meio desse fogo cruzado de febres, exorbitâncias e emparedamento: o povo. Mas o povo mesmo, tá?, numericamente falando, o povo de classe C pra baixo (afora a parcela dele progressista e organizado, claro).

    Que durante essa crise, que é pra lá de conjuntural, é crise histórica, crise da braba mesmo, o grosso da nossa população só está sendo convocado para engrossar números de pesquisa de opinião e de taxas de desemprego. Mas é assim desde o primeiro golpe, o da proclamação da República, né?

    Ah, e há as Forças Armadas… Ao menos na aparência, temperatura normal, a mais comportada das instituições, como manda o figurino. Quer dizer, até que algum febril infeliz tenha a exorbitante idéia de colocar em dúvida o princípio federativo, a própria União.

     

  21. Para nunca esquecer

    (Correio Forense, 14.04.2004)

    Ministro terá que explicar acusações de ex-chefe do FBI

    Policiais Federais do Brasil “sentem-se inferiorizados e desmoralizados devido à dependência de verbas” do governo dos Estados Unidos. A afirmação é de Carlos Alberto Costa, que chefiou o FBI no Brasil. Ele prestou depoimento nesta terça-feira (13/4) no Senado.

    Revista “Carta Capital”, Edição 283 de 24 de março de 2004

    Fiel transcrição:

    Carlos Costa, que chefiou o FBI no Brasil por quatro anos, fala sobre ordens dos Estados Unidos para “monitorar” o País e relata: como os EUA “compraram a Polícia Federal”

    Revista Carta Capital nº 185

    RELAÇÕES CARNAIS
    Documentos mostram, e provam, como os EUA, muito além dos acordos, financiam a polícia brasileira. Por Bob Fernandes, de Brasília

    Isto É de 21/11/02

    A CIA continua no Brasil
    Documentos obtidos por ISTOÉ provam que a agência de espionagem atua clandestinamente no Brasil. 

  22. pf

    A PF é uma polícia política(GESTAPO) e a lava jato um tribunal de exceção.    Temos a reencarnação de Andrey Vyshisk(Procurador-geral) ,Junotvyshisk (PROCURADOR-GERAL) e ROLAND FRESLEY,(Juiz nazista),MOROLAND(JUIZ FASCISTA).

    GOLPE,SIM,MAS TUDO DENTRO DA”LEI”. 

    RADICALMENTE CONTRA A CORRUPÇÃO,DOS OUTROS

  23. Foi armação.

    Entendo que em algum momento vamos descobrir que tudo que está acontecendo foi armado e planejado nos mínimos detalhes. Quando da eleição já se percebia o clima, se Dilma ganhar não governa. E olhem que tentaram de tudo para dar o golpe ali mesmo com tse, urnas e o escambau. Então não é um fenômeno  natural. Dúvido que Janot seja o lider disso, certamente um general. Alguém deu o comando. A uma inteligência nisso. Janot faz afagos a Aécio, o tal do Chico e Francisco! Como se explica isso Nassif? Até o mais desinformado brasileiro não confiaria em Aécio.  Já Aécio antes diplomático até agradável virou um politico descontrolado. Como se explica isso? Tem muita coisa estranha aqui. A minha teoria é que alguém ou um grupo deu o comando. Tudo pensado e pesado e não é para combater a corrupção é pelo poder e por muitos outros interesses. Sigam o dinheiro.  Veremos.

  24. Nassif em post há alguns
    Nassif em post há alguns meses nos alertou de que tinha muita carne debaixo do angú para que Zé Cardoso, com todos os senões, fosse reiteradamente mantido como ministro do Minju – kkkkkk.

    Neste artigo, Nassif parece que elucidou o mistério de tanta “força” de Zé Cardoso.

  25. Se Janot blindou Aécio e

    Se Janot blindou Aécio e outros incorrendo no crime de prevaricação, aliou-se à fétida globo e seus satélites, divuldou o grampo da conversa privada de Dilma e Lula que quase causa uma guerra civil…

    O comportamento do MPF e PF sob a batuta de Janot sempre foi parcial focando a investigação no PT com claros objetivos políticos, até as pedras sabem das ligações dessas instituições com membros da oposição golpista… 

    E para fechar com chave de ouro estamos diante de mais uma tentativa de golpe no país e a possibilidade das velhas raposas corruptas do PMDB assumirem o poder e comandar a chave do cofre… qual é a virtude de Janot?

  26. “E, no entanto, Janot é um

    “E, no entanto, Janot é um procurador exemplar.”

    Kkkkkkk. O Nassif esqueceu de acrescentar que é para o Psdb. Humm… Lista de Furnas, Liechtenstein, Anastasia. Tudo exemplarmente esquecido.

    Para o Cunha também, uma vez que as acusações contra ele caminham suavemente. E só após o inclito encaminhar ações pelo impeachment. E para o Renan e para todos os políticos que podem dar o golpe em que o “procurador exemplar” esta metido até a medula. E para o Temer. E para qualquer político que possa ser pressionado para dar o golpe.

    E para os cidadãos americanos, país para o qual foi fidelissimo ao entregar os documentos para acabar com a Petrobrás e entrega-la aos interesses americanos.

    E para ferrar o Lula, admitindo-o ministro do Estado mas submetido a um juiz comum.

    Enfim, exemplar para implementar o golpe em que ele e seus janotas, que só aceitam viajar na classe executiva e para os quais pagamos salários para que eles implementem “a agenda econômica” que consideram certa para o país. Então não é só  na perseguição política que esses procuradores exemplares atuam? Agora vão implementar a agenda econômica também. E quando vão se dedicar exemplarmente à INSTITUIÇÃO JUSTIÇA, já que são pagos com o dinheiro arrecadado com os impostos pagos por todos os brasileiros?

    Obs: na questão Perrela, se houve um pacto, foi mal feito. O governador Pimentel continua sendo perseguido. 

     

  27. “Entre querer ser e pensar que já se é”

    Coincidência ou não, volta-me à mente uma citação de Ortega y Gasset muito repetida pelo Min. (e ex-professor meu) Barroso:

    “Entre querer ser e pensar que já se é, vai a distância entre o sublime e o ridículo”.

    MPF e PF – com Moro a reboque – foram com muita sede ao pote. Enfraqueceram tanto e tão rápido o governo e o PT, sem atacar os demais, que mudaram a correlação de forças de forma significativa e deixaram oposição e Congresso na frente do gol. Sem barreira. Só com uma goleira manca, depois de tantos pisões, como último obstáculo para matarem a partida.

    E por que a citação de Ortega y Gasset? Ora, embriagados pelo megalomania e pelos holofotes, procuradores e delegados acharam que já estavam na nova era. Pensavam já ter sedimentado para todo o sempre o novo peso de suas corporações no desenho institucional brasileiro. Que nada! Não contavam eles com o cinismo-máster e a cara de pau do PMDB. Assim como não hesitará em votar impeachment sem crime de responsabilidade, terá o partido escrúpulos de votar no Senado afastamento de PGR? De colocar um interventor linha dura na PF sob um Nelson Jobin no Min. Justiça? De aprovar emenda à Constituição colocando mais 4 ministros alinhados no STF?

    Talvez nem precise chegar a tanto. A simples ameaça pode já funcionar, como no caso do embate FD Roosevelt vs. Suprema Corte a respeito da constitucionalidade do New Deal.

    Pensa quem está por trás da Lava Jato que, com facilidade, também conseguirá deixar Temer de joelhos? Ora, PMDB é a casa dos profissionais. Não haverá nenhum prurido em via alinhamento Congresso/Executivo enterrar a “caça às bruxas” (Serra) e permitir a “união nacional” (Temer). O que será da Lava Jato sem o palanque da imprensa familiar? Pensavam os procuradores que tinham casamento de papel passado com a grande imprensa? Que nada. Era apenas uma simples “ficada” na noite enquanto interessava aos dois. Com o golpe, Temer tem a $ECOM na mão. O que oferecem MPF e PF? Manchetes? “Já cansou”… “o país precisa de uma concertação nacional para sair da crise”, não é mesmo? Inaugure-se uma nova página…

    Quem mais já consegue ver a capa da Veja com Temer com semblante determinado e a legenda: “O Plano Temer – como em 6 meses o time de craques na Esplanada trará o Brasil de volta ao centro do jogo”?

    Dilma, com seu “republicanismo” míope e seu pavor de sujar as mãos da sua pessoa física, casados com sua falta de habilidade política, é a presidente perfeita para o “partido dos concursados” (como denomina o amigo Ciro d’Araujo) sambarem em cima. Temer e PMDB? Não mesmo! Os concursados “espertos” não viram isso? Realmente como nota o Nassif não há nenhuma sagacidade política. Além, claro, da já revelada total ignorância sobre economia em nível elementar. Talvez todo esse enredo sirva pelo menos para atualizarmos o banco de perguntas utilizado nos concursos. Menos códigos decorados e mais lógica, raciocínio e sagacidade. Não foi isso que fizeram com o ENEM? Então…

  28. Falta agora os golpistas

    Falta agora os golpistas combinarem com os russos… No caso, os russos somos nós, simples cidadãos indignados com a intentona fascista, também os membros das organizações sociais, os Boulos, Stediles, UJS, sindicatos e centrais sindicais, novas lideranças estudantis e populares que estão por aí, embora sem holofotes, etc. Quer dizer que os golpistas acham que vão se segurar contando com apoio do que existe de pior na política e do aparelho infiltrado no estado, só porque a globo é a comandante em chefe do golpe? Aqui, ó! Como perguntou Garrincha após a preleção do técnico: “Já combinaram com os russo?” Não vai ter golpe, vai ter luta. Não foram os brasileiros politizados e organizados que desejaram, mas há momentos em que não deixam às pessoas outra opção que não a luta aberta.

  29. Quando,esbarraram no

    Quando,esbarraram no trensalão e mandaram a investigação de volta para o Cemitério Publico de São Paulo.E logo em seguida o Chuchu,decretou sigilo sobre os documentos dos metros e trens.Desisti na hora de levar a tal lava ajato a sério.

    O mais escandaloso foi as trocentas viagens do MPF para Suíça e ninguem descobrir as 5 contas do Cunha e família.

    Precisou a Suíca enviar para o Brasil as provas,ainda naquele tom “acho que vocês esqueceram isso aqui”!

    Cara pode parecer absurdo,mas o  Cunha se tornou fantoche do Janot. Por que ainda não se inciou as investigações contra a sua esposa e filha! notem estou falando investigação não condenação sumaria.

  30. Politica

    Bom dia,

    Nos brasileiros que defendemos esse país estamos muitos preocupados de como será o nosso futuro.

     A situação é crítica e cheia de interesses individuais (institucionais).

    Excelente análise e ficou o entendimento que o governo do PT proporcionou a investigação e não esperava que a corporação faria chatagem e acordos obscuros e seletivos para beneficiar a oposição e setores da imprensa, e ai chegamos a situação de golpe.  Nos resta mobilizarmos para encontrar uma forma de barrar esse golpe.

  31. Excelente artigo, mas o

    Excelente artigo, mas o Nassif continua aliviando a barra do Jonot.

    Até prova em contrário e pelas evidências, Janot é golpista, e está prevaricando.

    O Aécio está rindo da cara do povo brasileiro.

    O excelente post prova isso.

  32. O Xadrez da Polícia Federal na era das corporações

    Nada como um indivíduo inteligente, bem informado, esclarecido e imparcial!

    Vida longa à vc, Luis Nassif!

    Continue assim.

    Um grande abraço.

    UMVF

     

  33. dúvida

    “para lançamento da Sisbin (Sistema Brasileiro de Inteligência)” se é sistema, então não seria “do” Sisbin?

  34. Discordo da análise das intenções

    “Nos dois casos, houve uma reação das corporações para se transformar em poderes autóctones.”

     

    Nassif, não querem ser poderes autóctones, mas sim submissos ao conservadorismo. Não vão ficar indignados quando o Temer cortar suas asinhas, aliás, isso nem vai ser preciso, pois vão de bom grado voltar aos gabinetes para investigar miudezas. 

    Zelotes, Carf e trensalão estão aí para provar que não lhes interessa investigar a TODOS, interessa é derrubar o PT.

    Só ficariam furiosos se lhes cortassem as centenas de privilégios que possuem, mas é o tipo de coisa que um governo golpista não vai querer fazer. 

    Portanto, é um casamento por amor! A maioria se identifica com o PSDB e é anti-petista, não vai haver rusgas…

  35. Equívoco.

    V. Sa. não estaria equivocado relativamente ao nome do país, palco dos lamentáveis, no mínimo, episódios relatados no texto. Sim, conquanto após duas graduações acadêmicas, três pós-graduações, inúmeros cursos, etc, estou convicto de que o país em comento no artigo, ou seja, o Brasil, não é mencionado naqueles eventos como um “caso perdido”; ao contrário é citado como o “país do futuro”, que, iludidos financiam com impostos leoninos (com trocadilhos, por favor). Então, não seria o caso de, em face da gravidade do momento, que tudo pare e se inicie do zero absoluto.

  36. justiças

    …e por falar em justiça, o que dizer da justiça eleitoral após a chamada justiça criminal? Estou tentando entender um orgão que se diz primar pela democracia com softwares de última geração convocando o eleitor a fazer biometria para evitar fraudes que garantam que a escolha de um candidato eleito pelo povo seja cumprida! Agora vem minha indagação: pra quê? Se a vontade da maioria em uma eleição democrática não conta? Como disse certo algoz(chamarei assim a pessoa em questão)” a vitória  nas urnas de um canditado não legitima sua posse”. Como prova da minha descrença devemos nos apegar mesmo à justiça… de Deus!

     

    • ninguém sabe..

      Companheiro Valdemilson, na realidade, no sistema atual de urnas eletrônicas, ninguem sabe quem é o verdadeiro vencedor de qualquer eleição, sa urnas não produzem nenhuma prova nem contra e nem a favor, sem contar que o chefe do TRE é comprometido com o partido governista = NINGUEM SABE QUAL A VONTADE DA MAIORIA, E NÃO TEMOS COMO CONTESTAR, por outro lado, a vontade da maioria não dá salvo conduto para acabar com o Brasil.

  37. Equívoco.

    V. Sa. não estaria equivocado relativamente ao nome do país, palco dos lamentáveis, no mínimo, episódios relatados no texto. Sim, conquanto após duas graduações acadêmicas, três pós-graduações, inúmeros cursos, etc, estou convicto de que o país em comento no artigo, ou seja, o Brasil, não é mencionado naqueles eventos como um “caso perdido”; ao contrário é citado como o “país do futuro”, que, iludidos financiam com impostos leoninos (com trocadilhos, por favor). Então, não seria o caso de, em face da gravidade do momento, que tudo pare e se inicie do zero absoluto.

     

     

  38. O ZEZÉ PERRELLA MOSTROU O CARTAZ “EU CONFIO NA POLÍCIA FEDERAL.

    Se não é motivo de riso sei lá o que, Zezé Perrela mostrando um cartaz “EU CONFIO NA POLÌCIA FEDERAL” e os dois ao lado dele e inclusive ele rindo sacasticamente. É o retrato da PF que a maioria tem, só eles pensam que esquecemos o HELICOCA.

  39. O ZEZÉ PERRELLA MOSTROU O CARTAZ “EU CONFIO NA POLÍCIA FEDERAL.

    Se não é motivo de riso sei lá o que, Zezé Perrela mostrando um cartaz “EU CONFIO NA POLÌCIA FEDERAL” e os dois ao lado dele e inclusive ele rindo sacasticamente. É o retrato da PF que a maioria tem, só eles pensam que esquecemos o HELICOCA.

  40. Espero que quando o Ciro Gomes for eleito presidente em 2018 não

    Espero que quando o Ciro Gomes for eleito presidente em 2018 não cometa os mesmos erros dos governos petistas de ser tão ingênuos e republicanos com essas corporações tão poderosas e tendenciosas. Além disso, é chegado o momento de enfrentar o aparelhamento dessas corporações pelo PSDB.

  41. Boa análise, Nassif.
    Mas você

    Boa análise, Nassif.

    Mas você foi muito condescendente como o MP, em especial com o Janot(a). Assim como você e o PGR, sou mineiro. E quando você cita ‘solidariedade mineira’, a metáfora será entendida por poucos. O que Janot(a) oferece a Aécio Cunha não é apenas solidariedade, mas blindagem e proteção; e as razões não são nobres, como se vê.

    O MPF, do qual Janot(a) é o representante-mor, toma instruções como alto comando, que fica nos EUA. Portanto, citando parte do texto “Seu foco é o MPF, ponto. Ele não é especialista em Brasil: é em MPF. Aliás, ele não é Brasil: é MPF.”, digo que o PGR representa os interesses estrangeiros, sobretudo estadunidenses, que consiste manter a América Latina subjugada aos interesses daquele país.

    Nas próximas análises espero que o jornalista se atente a esse aspecto. 

    Quem produziu excelente reportagem, desmascarando não só o PGR, mas também, Gilmar Mendes, Deltan Dallagnol e o delegado da PF, Marlon Cajado, foi o jornalista Marcelo Auler. Sugiro a reprodução da reportagem dele, aqui no GGN.

  42. a verdade

    Na hora que Dilma e Lula caírem,  vai haver um drástico  “redimensionamento”  do  combate a corrupção no país… Não foi um influente ex-assessor da Casa Branca que disse por esses dias que a Lava-jato  ” tem que ter um ponto final e alguns terão que ser perdoados ” ?…

    Sei…

  43. Muito bom!
    Mas está faltando

    Muito bom!

    Mas está faltando algo, porque poder por poder não se explica apenas pela ressurreição. Certamente estas figuras todas nomeadas, Cardoso, Janot, a República do PR e esta banda PMDB, sem excluir-se o santuário do STF e seu mais ilustre anjo, Mendes, e, claro, os petistas formados na base deste partido de centrão – compete com o PMDB, esta história está para ser descrita, ou já está? –, enfim, estes servidores públicos, concursados ou votados, não podem ser compreendidos como agentes de si e/ou de suas corporações voltados apenas para si mesmos e/ou suas corporações e em detrimento do Estado. A ressurreição cobra um sentido e uma liturgia como devoção maior: “Se Cristo não ressuscitou, a nossa pregação é vazia, e vazia também a vossa fé” (1Cor 15, 14). Tem-se os pregadores e a fé, falta-nos, no entanto, para que se saia do vazio, a compreensão do corpo que materializa a fé e a pregação desta fogueira Estatal, a se ressuscitar.

    Mas para compreender o corpo de cristo e sua ousadia de ressurreição, é preciso navegar um pouco mais pela dialética do materialismo histórico, trazer a questão da luta de classes, expor os poderes reais, que parecem de mãos invisíveis (apesar do negrume fóssil: uma sombra?), e pautar sem receios e sem meios termos que o Brasil não é uma ilha exemplar de democracia: mas um nó – e muito precioso – na rede dos grandes interesses mundiais (nem se diga para esta tão vilipendiada América Latina!). Autônomo ou autóctone, ninguém e nem uma instituição o é, neste capitalismo. Buscar as fés e pregações apenas como de naturezas internas é pouco, é pregar vazio.

    Sugiro, se o GGN pode, que tente modelar um quadro informativo do que acontece em nível mundial, Geopolítica: o cerco à Rússia e ao Oriente Petroleiro, o controle dos preços de petróleo para provocar a crise em países “conturbados politicamente” (Venezuela, Brasil, etc.), o surgimento do Banco BRICS (para financiar projetos de infraestrutura, ou seja, onde estariam as grandes empreiteiras!) e o fortalecimento deste grupo econômico, a guerra na Argentina (o que na Argentina foi realizado e serve hoje como temas para grandes debates públicos e de guerra política é o que no Brasil jamais se questionou com o PT!), etc., etc.

    Sugiro. Porque faz falta. Pensar o Brasil como um problema estritamente brasileiro é fatal de estar sempre a sugerir uma compreensão embaçada. Neste sentido, é até engraçado personalidades mundiais se surpreenderem que a Presidente do país use telefones comuns, mesmo após Snowden. Mais que engraçado: é patético se pensar como país. E daí, para que Inteligência e Forças Armadas? Se qualquer juiz, e qualquer mesmo, pode grampear e liberar ao público qualquer coisa… é troça, nem piada, nem pegadinha, mas é troça com o país e fica mais claro quando pede desculpas por ofício. Pior que isso, só uma carta de um vice-presidente para a presidente mesmo. Carta! É o país do ridículo, onde sequer a honra de seus ex-presidentes consegue defender (no caso do Lula, porque FHC… é um imor(t)al). 

  44. O Brasil tem que

    O Brasil tem que REESTRUTURAR  COMPLETAMENTE suas corporações, a começar

    pelo Judiciário,onde” processos q não vêm ao caso” dormem por muitos anos,vejam o

    caso recente dos processos arquivados(OBSTRUÍDOS) por Gilmar Mendes,referentes à ERA FHC!!

    NÃO DÁ PARA ACEITAR O STF SE OMITIR QUANTO À CUNHA (RÉU) COMANDAR O

    PROCESSO DE GOLPE CONTRA UMA PRESIDENTA Q NADA DEVE A JUSTIÇA!!

    O cenário não podia ser pior visto q uma Ministra do STF recebe um prêmio de uma emissora

    COMPROVADAMENTE MANIPULADORA DE INFORMAÇÕES e ela ainda ACHA TD LINDO E MARAVLHOSO!!!

    CADÊ O COMBATE À CORRUPÇÃO!? Denunciem mesmo ao mundo essa vergonha aqui!!!!

  45. A fonte do Nassif se recusa a

    A fonte do Nassif se recusa a aceitar é que quem detonou a Satiagraha, foram o Gilmar e o Judiciário, com o papel decisivo da imprensa pra fazer chacrinha com ABIN, etc, etc. Um notoriamente de oposição e outro historicamente aparelhado – da imprensa, desnecessário é comentar o propósito de desinformar, manipular e rebaixar qualquer debate sobre qualquer assunto.

    Simplesmente for-ça-ram a saída de Paulo Lacerda.

    O Helipóptero foi simplesmente abafado por ativistas da própria PF, já no contexto de guerra total ao lulopetismo.

    Por mais que esse Cardozo de fato seja um banana, o MJ há muito é uma casa de lóbe de polícias, sobretudo na SENASP. A SENAD, por sua vez, foi capturarda pelas comunidades terapeuticas, e assim por diante…

    A PF era controlada enquanto estava sempre com o pires na mão. O principal ruído dentro da PF depois que passou a ter recursos foi causado porque foi integrada por coxinhas leitores desses jornais e revistas. É dessas fontes que extraem as “tiorias” que buscam “fundamentar” em um “eu estou lá, eu ví (sic)” qualquer…

    Por isso que se voltaram contra o governo que mais lhes deu condições de trabalho. Ganham mais que Professores Doutores, Oficiais Generais, Pesquisadores da EMBRAPA e acham pouco; se acham a “inteligência nacional”…

    O caso do MPF é outro. Também por causas dos ideólogos da oposição se voltaram contra o que chamaram de “Lei da Mordaça” proposta pelo José Dirceu lá atrás. De lá pra cá não tiraram mais o alvo da cabeça. A “tioria” pra “fundamentar” já estava pronta.

  46. Outra perspectiva

    Nassif,

    Tenho uma provação para você nos ajudar. Vamos olhar este momento por outra perspectiva. Para uma teoria ser aceita, não há necessidade provar que ela está certa; basta alguém não conseguir provar que ela está errada.

    Por este ponto de vista, faço a seguinte provocação: prove que a presidente Dilma não quer ser impedida. Por favor, liste todas as ações que comprovem que ela não quer ser impedida.

    Caso aceite a provocação poderemos elaborar mais sobre a questão.

    Abraços.
    Douglas.

  47. Um dos mais fortes textos

    Um dos mais fortes textos escritos pelo Nassif sobre a crise. Não sobra ninguém .

    Mas ele insiste na integriadade de Janot. Uma pessoa séria jamais faria o que ele vem fazendo como PGR, preocupado exclusivamente com o MP. Ele foi nomedo para a defesa da ordem jurídica no país e não para agradar seus pares. É bom que Lula veja a distorção fatal que criou.

    Sobre a PF a coisa é muito séria. O envolvimento de Humberto Costa e Zé Cardozo no “empoderamento” de policiais como verdadeiros príncipes da república, é uma das coisas mais abjetas e perigosas dessa crise toda. Ainda que se consiga manter de pé a nossa democracia, teremos sempre esse fantasma de uma polícia superpoderosa a nos ameaçar. 

    Como na ditadura militar.

    • Pelo visto Janot é o

      Pelo visto Janot é o sindicalista do MPF, é o politico populista tratando da sua base, o MPF. Não pensa o País, não tem grandeza mínima para isso.

      Mas se for ver, ele não está tão errado, ele foi eleito na lista do MP para isso mesmo. Votaram nele para ter benesses e fortalecer a corporação. Quem errou duplamente foi Dilma em indicá-lo.

      Ainda mais um Governo com enormes dificuldades no congresso jamais poderia perder uma fatia de Poder na PGR.

      A meu ver, é um dos motivos que Dilma deve cair, ela não Governa, esse é o principal problema.

      O que ocorrerá se ela conseguir barrar o impedimento ? Mais do mesmo, ficará sitiada até  o final de 2018 e o País para, á míngua. 

      Temer terá dificuldades também, mas terá mais força para deter essas corporações e a oportunidade de tentar algo de diferente.

       

       

  48. Que fazer agora?

    A questão que fica é como um governo de um Pais tal qual o Brasil pode não ter no seu primeiro escalão, no circulo proximo à presidência, analistas dos movimentos pelo quais passam o Brasil e o mundo?  

    Agora Inês é morta ou esta quase la. Lula chega ao governo muito tarde. Quando Dilma foi reeleita, muitos dentre nos pedimos Lula na Casa Civil. Talvez Lula não quisesse assumir nenhum cargo no governo Dilma, mas como faltou visão do momento politico duro que viria pela frente para esse governo! E não foi por falta de aviso. Quantas vezes, Luis Nassif avisou que o golpe estava a caminho?!

    Da bem para entender poque um sujeito como José Dirceu esta preso até hoje. Sinceramente, um governo Dirceu jamais cairia de bobo-republicano, nas mãos de um conspirador tal qual José Eduardo Cardozo.

    Acho que se consumado o golpe do Congresso, ele não tera fim com as eleições de 2018. Ou… Ou o povo brasileiro mudou muito de Vargas para ca, mas talvez tenhamos pela frente longos anos da Velha Republica de volta ao Palacio do Planalto.

    Quanto à PF e o MPF ? Vão comer nas mãos dos proximos Ministros da Justiça e de gente, como Gilmar Mendes.

    Feliz ano velho para eles!

  49. Nassif, esse é o grande

    Nassif, esse é o grande problema do Governo e o motivo pelo qual ele dave cair.

    Deixar essas corporações ter autonomia que tem é um verdadeiro absurdo.

    Na próxima fase, ficando Dilma ou entrando Temer, a prioridade zero deverá ser axfixiar de todas as formas essas duas corporações, deixá-los a pão e água.

     

  50. Concurseiros Janotinhas!

    Os meninos de classe média continuam de costas para o Brasil; formam-se em Direito e deparam-se com as dificuldades de manter todos os serviços que um escritório de advocacia demanda. No caso de São Paulo, uma justiça e o ICMS mais caros do Brasil para seus insumos e custas; daí apelam para a meritocracia de seus “paitrocínios” que os mantém anos fazendo cursos caríssimos com direito à mesada para acalmar os namorados. O aprovado sente-se um super herói, tipo Charles Bronson, que pode enxaropar de tão encantado com o próprio umbigo. Esquecem que foi o PT que ampliou grandemente a oferta de cargos graças aos acertos na economia e à sua visão estratégica de Estado. Tal injustiça deixou-me mais aborrecido com a resposta do Janot, em Portugal, ao comentar a afirmação de Lula sobre a ingratidão na interceptação ilegal: ele só devia gratidão a seus esforços e de sua família. A autorreferência está patente, pois não enxerga o esforço de toda uma sociedade sofrida que mantém suas “prerrogativas” e de sua tribo, para manter a independência ante a captura dessa tribo (ou seria uma seita do totem tuiuiú?) pelo poder econômico e nem passou pela cabeça pequeno burguesa dos concurseiros janotas das citadas corporações que Lula cobrou coerência profissional ante a suposta prevaricação pró Aécio. Mais uma má escolha do PT com o atenuante de que está lidando com categorias que confirmam a piada dos serventuários da Justiça: promotor acha que é Deus, juiz tem certeza!

    • É isso aí.

      Faço minhas as suas observações. São um bando de coxinhas patrocinador e soberbos. A resposta desse Janot(a) é a prova disso.

  51. A gigante bandalha de

    A gigante bandalha de sempre

    Num simplificado abstrato “teste prático” de honestidade, costumo perguntar o que faria a maioria das pessoas encontrando uma pasta com R$ 50.000,00 juntos cartões de apresentação do proprietário, contendo endereço e telefones. A maioria dos interrogados acredita que menos 10% da população devolveria essa grana. Vários, acreditam que ninguém devolveria a grana (assumindo que todo mundo é ladrão, inclusive eu).

    Mas, vamos acreditar que 25% do povo é gente honesta e ética. Assim sendo, 75 % da população é gente desonesta e sem ética. Então, que cerca de 75% dos políticos e magistrados seriam desonestos e destituídos de ética. Baita tragédia.

    Como não bastassem as diárias acusações, provas e explícitas evidências de grandes roubalheiras de nossas elites, vistas nos meios de comunicação, de há muitas décadas, tem ainda outro tenebroso agente para os dias de hoje, nessa gigante latrina.

    Desde os tempos da ditadura militar que escutamos dizer que os concursos para juiz seriam de cartas marcadas. Ou seja, só passa quem é filho de juiz, neto de juiz, sobrinho de juiz, e outros mais parentescos privilegiados, fora os poucos brilhantes e competentes de sempre. Se isso é verdade, então, temos a bela mistura de ladrão com incompetentes atuando como magistrados. Pior, muito pior, é que por força dos que querem destruir a nossa economia, o Brasil ficou quase que inteiramente na mão dessa gente.

     

     

     

  52. Nassif, discordo de sua conclusão.

     Vejamos:       1 Ministério Público e 1 Polícia Federal chantageia o PT.     1 Ministério Público e 1 Polícia Federal chantageia o PSDB.          Trocam meia tonelada de cocaína do helicóptero de Deputado do PSDB por atraso na investigação de corrupção de um Governador do PT.                  1 Procurador Geral da República demora 3 anos para pedir esclarecimentos à Secretaria de Cooperação Jurídica Internacional do Ministério Público Federal sobre envio de documentos solicitados pela Justiça Suiça em investigação de corrupção de Empresa Suiça no Brasil.   Documentos arquivados em pasta errada na Procuradoria Geral de 1 Estado brasileiro.                     1 Juiz chefe da Lava Jato, que não inquire ninguém em processo de corrupção de Senador do PSDB de 2006, recebido em 2012.                    1 Procurador de sua equipe declara que é inócuo e “juridicamente inviável” investigar crimes de governos anteriores aos do PT: cometidos antes de 2003.    Mas o processo com o Juiz ,seu chefe, contra Senador do PSDB é de 2006!        Esse Procurador ainda diz que “Não faria sentido que [o esquema] fosse colocado à disposição da oposição (PSDB) para que ela arrecadasse dinheiro para suas campanhas usando o governo federal (…) Seria um absurdo você imaginar que todas as pessoas (Equipe da Lava Jato) conseguiram estar no mesmo lugar, na hora certa, no momento certo, todos com a mesma mentalidade, com o objetivo púnico de acabar com o partido (PT)”!           

          Nassif, você informa que “A Procuradoria Geral da República e a Polícia Federal tiveram papel central nas armações contra Dilma. Foram parciais (…) ao livrar os líderes da oposição de indiciamentos”. E concorda que aplainaram “o terreno para um salvador da oposição”. Mas conclui que o “Janot é um procurador exemplar” e que o “desvio” do MPF “reflete o desmoronamento institucional a partir do momento em que a presidência deixou de articular um projeto de país.” Penso que   A DILMA FOI PROGRESSIVAMENTE ENCURRALADA POR GENTE QUE DEVERIA FAZER JUZ AO SALÁRIO QUE É PAGO PELO POVO.                                    O JANOT, O MORO, PROCURADORES E POLICIAIS SÃO TÃO CRIMINOSOS QUANTO OS EMPRESÁRIOS, TRAFICANTES E POLÍTICOS QUE INVESTIGAM E/OU NÃO INVESTIGAM, OU PIORES, POR COMETEREM SEUS CRIMES AO ABRIGO DA LEI.             

  53. Esse vinho que o Nassif toma é bom!

    “A lei 12.830 garantiu controle total sobre inquérito policial. Agora, tudo passa pela PF, desde inquéritos do IBAMA, INSS. Imagine-se um delegado comandando 400 investigações.”

    A lei só diz que o delegado de polícia preside o inquérito policial. É um velho sonho de consumo dos delegados terem a exclusividade da investigação, vide PEC 37, que foi apelidada pelos procuradores de PEC da impunidade e acabou sendo rejeitada

     

    “Outra foi a lei 12.850, de combate ao crime organizado e à delação premiada. Em qualquer país do mundo, a delação é acompanhada pelo Ministério Público. A nova lei dá agora essa exclusividade aos delegados.”

    Primeiro, a lei não é exatamente nova. É de 2013 (mesmo ano da anterior). Segundo, qualquer pessoa minimamente informada já viu que quem assina os acordos de delação é o MPF, não os delegados.

    E convenhamos, se “Dilma 17 viagem” fosse algo importante, dois anos depois a PF não teria nada de concreto contra a Dilma?

    Acho que o Nassif deu uma viajada…

     

     

    • E o helicoca?

      “O ponto final foi o pacto em torno do helicóptero do senador Zezé Perrela, aliado e amigo de Aécio Neves, transportando 450 quilos de cocaína. O abafamento do caso teria sido fruto de um acordo entre a banda tucana da PF, em troca de segurar a Operação Acrônimo, que envolvia o então candidato ao governo de Minas, Fernando Pimentel. Chegou-se ao feito inédito de um delegado da PF soltar uma declaração inocentando Perrela, fato sem precedentes na história da PF.”

      Tenho dificuldade em aceitar este ponto. Como mostra um documentário eram vários policiais participando da apreensão. Acreditar que todos eles iriam particiapar do “acordão” e ninguém fosse protestar, incluindo o MPF e a Justiça é meio surreal. Apesar do que acabei de escrever este episódio ainda é um mistério. Como 450 quilos de pasta-base foram apreendidas e ninguém foi preso, nem mesmo o piloto, é um enigma que precisa ser decifrado.

  54. Eu seria a favor da

    Eu seria a favor da decretação de eleições diretas antecipadas. Apesar dos riscos inevitáveis, seria uma boa saida para toda pressão acumulada.

    E seria a opotunidade para uma depuração au complet, inclusive e principalmente no campo das esquerdas e eveidentemente no próprio Pt. Seia uma boa hora para desembarcar figurinhas carimbadas como Humberto Costa, Zé Cardozo, Mentor, Marcos Maia, o casal Gleise e Bernardo. E inúmeros outros, sem deixar de incluir o Mercadante e aquele pessoal do Acre.

    Essa seria realmente uma boa, é ou não é?

  55. Nassif,para mim não resta

    Nassif,para mim não resta duvidas…Janot é um dos cabeças do GOLPE!

    Acabo de ler que Janot entrou com denuncia contra 7 deputados do PP.

    Ninguém me tira da cabeça que a ligação que moro fez para Janot..Era pedindo instruções…sobre como agir…

    Ele no minimo ordenou:Passe os grampos para a Globo…ela saberá o que fazer!

    Obvio que naquele fatídico dia 16 de março.A intenção foi clara: promover uma manifestação dramatica…com mortos e histeria coletiva….para que Dilma sobre pressão Renunciasse.

     

  56. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome