O xadrez do presidente interino

Os primeiros movimentos do futuro presidente interino Michel Temer, na montagem do Ministério, mostraram uma semelhança interessante com Dilma Rousseff.

No governo Lula, Dilma fez fama de boa gerente. Sua competência estava restrita à execução da tarefa encomendada, não à visão do todo, de quem distribui as tarefas.

Vê-se o mesmo no estado maior de Temer. Todos eles – Eliseu Padilha, Moreira Franco, Romero Jucá, mesmo Michel Temer – são habilíssimos articuladores políticos. Entregue-lhes uma lista de cargos a serem loteados e eles saberão como distribuí-los equitativamente pela base aliada.

Ocorre que todo governo precisa, ao lado da fisiologia, de uma parte legitimadora perante a opinião pública e os agentes econômicos. O estado maior de Temer só domina a técnica da fisiologia. Na hora de pensar a estrutura total de governo, tem demonstrado um amadorismo gritante nos seus primeiros movimentos.

Peça 1 – Os impasses do Ministério

O presidente do Banco Central tem status de Ministro de Estado, para prevenir ações judiciais contra o próprio Henrique Meirelles, quando presidiu o governo. O cargo acabou ganhando status indevido, como se fosse uma antessala da independência do BC.

Provavelmente aconselhados por José Serra, o estado maior de Temer decidiu retirar o status de Ministro. Fez sem preparar o mercado. Para o mercado soou como tentativa de minar a independência do banco. Isso, mais o escasso nível técnico do futuro Ministério certamente não ajudarão a inflar positivamente as expectativas do mercado.

O segundo erro – esse tremendo – foi anunciar o Ministério da Defesa para Newton Cardoso Filho quem, além de filho, tem apenas 36 anos.

Foi considerado um desrespeito pelos militares.

Antes disso, um enorme lobby jornalístico brasiliense, a serviço de Raul  Jungmann, espalhou que os militares não aceitariam Antônio Mariz de Oliveira – um dos maiores criminalistas brasileiros, inclusive tendo como um de seus clientes o próprio Exército – porque seria de segunda mão, já que recusado para a Justiça devido ao veto do poder maior, a turma da Lava Jato. Esses colegas brasilienses às vezes exageram no primarismo.

Leia também:  Intercept 2 – Dallagnol articulava com Luis Roberto Barroso

Tirar do páreo alguém com a estatura de Mariz para entregar ao filho de Newton Cardoso é de uma insensibilidade e falta de informação gritantes. Ainda mais sabendo-se do olho gordo de alguns militares em cima da Defesa e do GSI (Gabinete de Segurança Institucional).

Para Relações Exteriores trouxe José Serra, e conseguiu desagradar o PSDB antes mesmo de começar o interinato. Hoje em dia Serra representa apenas ele próprio e o deputado Jutahy Magalhães. Acabou descontentando tanto o presidente do partido Aécio Neves que, na sessão do impeachment, deixava transparecer seu desânimo com a operação, por se considerar prejudicado pelo futuro governo Temer.

Nem se fale do criacionista indicado para o Ministério de Ciência e Tecnologia, o Ministério da Educação para Mendonça Filho  e outros menos votados.

No plano social, a possível indicação de Alexandre de Moraes para Ministro da Justiça provocará um terremoto nas relações com os movimentos sociais. Como fez com a PM em São Paulo, Moraes tratará de politizar ainda mais a Polícia Federal, transformando-a em polícia política. A panela de pressão irá estourar no colo de Temer.

Peça 2 – As vulnerabilidades de Temer

Nos 180 dias de interinato, Temer terá que administrar conflitos de toda ordem.

No plano político, no final do interinato, para se tornar titular terá que obter 2/3 dos votos do Senado favoráveis ao impeachment. Daqui até lá, ficará refém das demandas do Senado.

No plano jurídico, estará nas mãos do Procurador Geral da República (PGR) Rodrigo Janot, que na hora em que quiser aciona o gatilho e propõe a abertura de processos contra Temer; e na do presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Gilmar Mendes. Do lado de Janot há indícios de alinhamento com o PSDB de Aécio; no caso de Gilmar Mendes, certeza. Não há sinais de que o Ministério Público Federal (MPF) irá arrefecer sua ofensiva contra Temer.

Leia também:  Itaipu: Paraguai divulga conversas que colocam Itamaraty em xeque

Aliás, o fato de ter sido sorteado para Gilmar o processo sobre as supostas propinas a Aécio em Furnas amplia a desconfiança sobre ajustes pouco republicanos. Há muito Gilmar deveria declarar-se suspeito de julgar questões políticos do PT (por ser visceralmente contrário) e do PSDB (por sua militância ostensiva).

Até agora, todas essas trombadas ocorrem em um caderno em branco, onde Temer tem plena liberdade para montar seus desenhos políticos.

Imagine-se quando Temer tiver que arbitrar demandas empresariais reais, enfrentar restrições orçamentárias, administrar demandas políticas e, especialmente, as demandas corporativas. Todos os grupos que ajudaram no golpe tratarão de buscar o retorno do investimento político, incluindo aí as corporações públicas. Ontem mesmo, aliás, Temer recebeu no Palácio Jaburu o presidente da ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República) José Robalinho. Certamente não foi até lá para discutir a futura política de direitos humanos do governo.

Por outro lado, Temer gera expectativas contraditórias nos partidos com potencial para disputar 2018, o PT e o PSDB: querem que arrume a casa, a ponto de permitir uma recuperação futura da economia; mas que não seja bem-sucedido a ponto de se tornar candidato em 2018. E aí se entra em uma interrogação.

Peça 3 – os caminhos jurídicos

Ontem, o Ministro Teori Zavascki negou provimento ao mandado de segurança da AGU (Advocacia Geral da União) propondo a suspensão do processo de impeachment por vício de origem: o fato de ter sido motivado por um ato de vingança do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha.

Leia também:  Bolsonaro pediu conservadores no 2º escalão do MPF a candidato à PGR

Teori negou, sob o argumento óbvio que um procedimento aprovado por quase 400 parlamentares não poderia ser tratado como um ato de vontade do presidente da Câmara, sem a apresentação de provas mínimas.

Houve quem lesse no voto a negação da análise de mérito do impeachment – o fato de ser proposto sem a caracterização de crime de responsabilidade. Mas Teori limitou-se a mencionar os argumentos do mandado. Ou seja, o questionamento do mérito do impeachment ainda está em aberto.

Até agora, nem AGU nem o PT provocaram o Supremo sobre a questão de mérito, os argumentos estapafúrdios invocados para a destituição de uma presidente da República e que estão claramente analisados nos escritos do pai da teoria do impeachment, ex-Ministro Paulo Brossard.

As inconstitucionalidades desse processo estão escandalizando juristas de todos os quadrantes do planeta, chamaram a atenção da imprensa internacional, provavelmente gerarão uma moção de censura da Corte Interamericana de Direitos Humanos.

Por que, então, a AGU, o governo Dilma, o próprio PT se eximiram de levar essa questão ao Supremo, preferindo estratégias ridículas com o deputado Waldir Maranhão, presidente interino da casa, e com um mandado de segurança que, segundo muitos juristas, teria escassa possibilidade de passar?

Uma das hipóteses é pretender não dar tanta força ao Supremo, chamando-o para apreciar o mérito.

O motivo mais lógico é que um presidente interino interessaria ao PT em 2018. Consolidar-se-ia a noção da ilegalidade, recuperaria a imagem de Dilma, como vítima de um golpe, e deixaria o partido livre para reagrupar forças e preparar-se para 2018 confiando no fracasso de Temer.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

137 comentários

  1. “” Ajustes pouco republicanos

    “” Ajustes pouco republicanos “” , esse pessoal não se preocupa com isso .

    Republicanismo somente  para seus interesses  corporativos e  paulada  para os contestadores.

    Se Temer não acordar – o  que acho dificil – os militares tomarão o poder .

  2. Temer como golpista não tem

    Temer como golpista não tem méritos próprios nenhum, deverá favores para os que o colocaram ali, a guerra intestina será cruel, e não há garantias de fogo amigo e traições, os tucanos vão se engalfinhar de olho em 2018, um vai querer puxar o tapete do outro, a cara desse governo será bizarra, e não chega a 2018. 

  3. Outra realidade

    “O motivo mais lógico é que um presidente interino interessaria ao PT em 2018. Consolidar-se-ia a noção da ilegalidade, recuperaria a imagem de Dilma, como vítima de um golpe, e deixaria o partido livre para reagrupar forças e preparar-se para 2018 confiando no fracasso de Temer.”

    Caro Nassif, se o pmdb tiver forças para implantar seus interesses no Congresso, então teremos parlamentarismo nas eleições de 2018, e então não haverá mais eleições diretas para presidente… Aliás, se o sistema eleitoral for de voto distrital, a “Lei de Duverger” observa que em duas ou três eleições acabam os partidos de minorias e só sobrevivem dois partidos fortes, o que num brasil de temer, seria o pmdb e o psdb (ou outro partido conservador), e não o PT, que depende dos votos de minorias para eleger deputados…

    Agora junte a isso o retorno do financiamento privado de campanhas políticas (talvez já nesse ano) e sua análise para mim não faz muito sentido. A situação parece-me mais como um futuro de dominação permanente, como o PRI no México.

    É bom lembrar que a mídia tradicional irá tratar a era temer como o paraíso na terra, mesmo que tudo esteja desabando a crise será retratada como uma coisa boa para todos! lembra do “Apagão” de 2001 que foi considerado como “educativo”? lembra da Seca de São Paulo que foi considerada um fenômeno da natureza? Lembra que as Olimpíadas estão prontas? O ufanismo que o MP proibiu no Governo Dilma será mais do que permitido num governo temer.

  4. Mesma leitura!

    >>> O motivo mais lógico é que um presidente interino interessaria ao PT em 2018. Consolidar-se-ia a noção da ilegalidade, recuperaria a imagem de Dilma, como vítima de um golpe, e deixaria o partido livre para reagrupar forças e preparar-se para 2018 confiando no fracasso de Temer.

    IPRESSIONANTE

    Vou escrever um post ainda, mas o ponto principal será extatamente este.

    Minha leitura dos últimos dias até a sessao (cujo link no youtube acabou de cair) é exatamente essa: daqui para frente o PT e o ex-governo vao jogar apenas para cumprir tabela.

    Preferem que Temer faça o trabalho sujo, sendo oposição até 2018.

    (Trabalho sujo que nao Deixaram Dilma, com Levy, terminar)

    Falta combinar com a Lava Jato em Curitiba e com o PGR. Sem falar na mídia e no massacre dos movimentos sociais.

    Mas o objetivo principal do meu post é escrever para a militância e para os legalistas.

    Para que se preparem para essa estratégia e não sejam pegos surpresos por essa traição aos princípios.

    Minha dúvida é se Dilma fará de grado sua parte no roteiro que lhe reservam – o cordeiro a ser imolado.

    Ela se mostrou disciplinada e disposta a se sacrificar em prol “da causa”.

    A questão é: o que é “a causa” aqui?

    (1) Aumentar as chances em 2018 para seguir tentando mudança gradual por dentro do sistema carcomido de 88 ou (2) exacerbar o conflito e denunciar ao máximo o quao caduco e viciado esta esse sistema, com vistas a parir um novo?

    O establishment do PT – que chegou a essa condiçao dentro do sistema de 88 – certamente prefere a opçao (1). Isso ja ficava claro ontem e hoje mesmo no discurso de alguns Senadores.

    Mas e Dilma?

    Ela nao é do establishment partidario e nem politica profissional.

    É dada a voluntarismos.

    Mas tb é disciplinada e leal ao extremo (ao ponto do auto-sacrifício físico).

    Para mim ela é uma incognita, mas penso que tende mais a fazer o jogo que Lula lhe recomendar.

    Mesmo porque, se quisesse reagir com toda a força, teria os meios/estrutura sem o partido?

     

    • Caríssimo,

      não tem algo errado não nessa leitura do Nassif do voto do Teori?

      Não o li inteiro, mas a parte que li sobre a impossibilidade de analisar a questão do mérito diz q ela significaria uma infração direta do art. 86 da CF q fala da “competência exclusiva” do Senado para julgar o presidente.

      O resto do “xadrez” reputo ser teoria da conspiração: Lewandovski deixou claro q a análise do mérito, se possível, só pode se dar na hora apropriada, ou seja, depois da decisão do Senado. E muito provavelmente a maioria da corte é da opinião de Teori, Barroso, Celso de Mello, Gilmar, Toffoli e Fux (já temos a maioria!) que tende a decidir q nem cabe manifestação.

      A maior probabilidade, e a explicação mais simples e óbvia (lembremos da lâmina de Occham!) para as ações e omissões do momento, é q o governo esteja tão arrasado e temeroso pelo futuro quanto nós mesmos estamos.

      A conclusão óbvia é que o Lulismo finalmente fez água.

      Não como construção do bem estar social, bem entendido, com conquistas q se não se tornaram adquiridas pelo menos, na visão da maioria, deveriam se tornar, mas como engenharia política reformista obrigada a dialogar com as forças políticas brasileiras (CN basicamente) como elas são.

      Essa aí fracassou e rotundamente. Não por razões estruturais, creio (e suspeito muito das análises de quem tem a reforma política como panaceia), mas porque seu sucesso exige uma liderança política firme, habilidosa e razoavelmente sem escrúpulos, coisa que falta inteiramente à honrada sra. Dilma Rousseff.

      Nenhum golpista tem um programa positivo para o país. Apesar do que dizem, o golpe é da ordem do interesse mais comezinho, de um lado, e do outro da raiva e do rancor.

      O plano, que transcende os golpistas propriamente ditos e que é mais adequadamente descrito como um fenômeno “cultural” (o antipetismo), é a destruição não da esquerda (há sempre uma esquerda necessária para a direita!), mas de toda esquerda que possa ser viável politicamente – ou seja, basicamente Lula e o PT. Eles irão perseguir esse plano – e Lula e os outros petistas – à margem de Temer e talvez até a contragosto dele (por razões óbvias, para Temer quanto menos conflitos melhor, especialmente agora).

      No sentido “positivo”, se é que faz sentido usar esse termo, Nassif intui a verdade qdo fala de Janot/Gilmar: o plano é instalar o PSDB em 2018. Eu aposto ainda em Aécio como o grande campeão branco, no posto do político caluniado, “investigado”, sobre o qual finalmente nada se descobriu.

      Não se enganem: Temer, Cunha e o PMDB não significam nada para os verdadeiros senhores da situação. São apenas os agentes do caos necessário, da derrubada do PT. Não vai demorar para que comecem a ser destruídos também. O q aconteceu com Cunha é o aperitivo do que vai acontecer com cada um deles – Jucá, Renan e finalmente Temer – e francamente me espanta que, sendo experientes como são, eles ainda não o tenham percebido. 

      Mais uma vez: o objetivo é instalar o PSDB no Planalto, e dessa vez sem concorrência significativa. Ainda me parece bastante possível q Temer seja cassado pelo TSE. Mas se não for, será jogado às feras no momento certo, segundo a conveniência do PSDB (por exemplo, depois de um rompimento, ou como pretexto para um rompimento).

      A verdade é que o PSDB tem o controle da mídia e das corporações do Estado. Falta-lhe os votos apenas. Mas do mesmo jeito q, no futebol, o gol é apenas um detalhe,  nisso se dá um jeito, que pode ser inclusive o extermínio de toda oposição. O roteiro do processo do impiti – Janaína-Reale, Anastasia, etc. – dá um pista sobre quem manda realmente nessa bananeira aqui.

      No momento, por razões de circunstância, estão usando intermediários: o objetivo é não ter de usa-los mais.

      • Sobre Teori (e outros?) não há dúvidas

        Creio que o que Nassif quis dizer é que muitos interpretaram que nao se pode mais recorrer no Mérito AO STF como um todo.

        Sobre Teori nao ha duvidas:

        >>> Houve quem lesse no voto a negação da análise de mérito do impeachment – o fato de ser proposto sem a caracterização de crime de responsabilidade. Mas Teori limitou-se a mencionar os argumentos do mandado. Ou seja, o questionamento do mérito do impeachment ainda está em aberto.

        Evidentemente que a análise do mérito está aberto para O PLENO DO STF.

        O que eu e outros apontamos no Twitter é que – ou por vontade de aderir ao golpe ou por falta de vontade de entrar no tiroteio – Teori INDIVIDUALMENTE JA SE PRONUNCIOU SOBRE O MERITO.

        E o pior: em obiter dictum. Ou seja, em parte “supérflua” da decisão que não tem relevância na fundamentação. Quase que meramente por retórica.

        Transcrevo:

        >>> A segunda circunstância que limita o controle jurisdicional é a natureza da demanda. Submete-se a exame do Supremo Tribunal Federal questão relacionada a processo por crime de responsabilidade da Presidente da República (impeachment), que, como se sabe, não é da competência do Poder Judiciário, mas do Poder Legislativo (art. 86 da CF). Sendo assim, não há base constitucional para qualquer intervenção do Poder Judiciário que, direta ou indiretamente, importe juízo de mérito sobre a ocorrência ou não dos fatos ou sobre a procedência ou não da acusação. O juiz constitucional dessa matéria é o Senado Federal, que, previamente autorizado pela Câmara dos Deputados, assume o papel de tribunal de instância definitiva, cuja decisão de mérito é insuscetível de reexame, mesmo pelo Supremo Tribunal Federal. Admitir-se a possibilidade de controle judicial do mérito da deliberação do Legislativo pelo Poder Judiciário significaria transformar em letra morta o art. 86 da Constituição Federal, que atribui, não ao Supremo, mas ao Senado Federal, autorizado pela Câmara dos Deputados, a competência para julgar o Presidente da República nos crimes de responsabilidade. Por isso mesmo, é preciso compreender também que o julgamento, em tais casos, é feito por juízes investidos da condição de políticos, que produzem, nessa condição, votos imantados por visões de natureza política, que, consequentemente, podem eventualmente estar inspirados em valores ou motivações diferentes dos que seriam adotados por membros do Poder Judiciário. <<<

        Dessa forma, o bloco do golpe fica com, ao menos: Gilmar, Toffoli, Celso de Mello e Teori. Provavelmente no dia entram tb Fux e talvez Carmen Lucia. Capaz ate de Rosa Weber ir com essa maioria. Nao acompanho muitas sessoes do STF mas de todas que vi nunca vi Weber votar contra uma maioria expressiva.

        Barroso é incógnita para mim. Pela postura política que tem tido, não espero uma defesa enfática da democracia e da legalidade afrontando abertamente a maioria. Mas acredito que sua biografia o impeça de aderir a essa interpretação falseada da Constituição.

        Se esse calculo estiver certo, a bancada legalista teria de 3 a 4 votos.

        Esse placar seria uma vergonha – mas necessário para nosso aprendizado institucional.

        Nota:

        O fato de Teori dizer isso ONTEM em obiter dictum é bem eloquente.

        Disse isso “por alto” em tempo: (1) de ser citado por Senadores da bancada do golpe da tribuna e (2) de ser lido de forma escandida em com muitas entonações no Jornal Nacional.

        Será que esse obiter dictum foi iniciativa estritamente pessoal?

        • Esqueça saídas jurídicas, o

          Esqueça saídas jurídicas, o seu país não têm uma justiça de verdade para isso. O que vocês brasileiros têm é um bando de cabeças brancas brincando de juízes e que não conseguem entender a seriedade do cargo.

      • Concordo, Joseph (e Romulus).

        Concordo, Joseph (e Romulus). Os executores do golpe agiram basicamente por olho grande e raiva: olho grande que sempre tiveram somados à raivinha de Lula, PT, PT, PT e Dilma (que não os “tratava bem”).

        Mas foram empurrados para isso.

        Pra mim ainda está por ser contada em detalhes a enquadrada na Globo que foi dada mediante o caso FIFA – a Suiça até tentou entregar o Cunha, mas…- assim como o “premio” de homem do ano para FHC em 2014.

        A ida do Aloysio Nunes clara está. E a recente declaração do Obama ratifica tudo isso. O que dá dó mesmo é que era possível ver os cordéis balançando sobre o fundo preto desde o início.

        Só discordo, portanto, de que o PSDB tem o controle da mídia. Pra mim é o contrário: sem mídia eles não seriam nada; a hora que os donos da comunicação quisessem puxar o tapete deles, puxavam.

        E continua assim….

        Repito: o plano vai mais longe; entre os objetivos está dividir o país! Afinal, outros tantos já foram destroçados e…

        Acho mesmo que estão esfregando as mãos querendo que haja resistencia.

    • No aguardo, Romulus…

      … do seu post. Que é por aí:

      “Mas o objetivo principal do meu post é escrever para a militância e para os legalistas. Para que se preparem para essa estratégia e não sejam pegos surpresos por essa traição aos princípios.” Que tem que ter “rua”, sim! E tem que ter “libelo de escrivaninha”, sim! Mas mesmo essas estratégias não podem mais ficar alheias ao rigor do defensável e aos novos tempos da expressão digital de, hum, massas. E outra: o Renan (e não só ele, claro) já sinalizou: que ele é parlamentarista desde criancinha…rs. Precisamos então ficar atentos a essa possível “terceira via” golpista, no caso de uma vulnerabilidade crítica do interino. E não menos atentos à possibilidade de ela se tornar promissora e legítima (a médio e longo prazo), como superação ao nosso presidencialismo de ocasião, de horizontes estreitos, que de ocasião a ocasião… lá vamos nós de novo, precisar renovar os “votos” de sua defesa, justamente quando é a estrutura da representação parlamentar que (e nos) oblitera.

  5. “O segundo erro – esse

    “O segundo erro – esse tremendo – foi anunciar o Ministério da Defesa para Newton Cardoso Filho quem, além de filho, tem apenas 36 anos.”

    Parece que o Temer fez outra besteira. Indicou Raul Julgman, que dizem, não tem curso superior. Os gal. não irão aceitar.

    E torço pelo Temer. Torço muito para ele sifu o mais rápido possível.

    E que ele figure no seu devido lugar, na galeria de golpsita e traidor.

    • O problema é se essa
      O problema é se essa indicação do Newtom Cardoso não for uma artimanha para justificar a escolha de um militar (Etchegoyen para a pasta…) Só apareceram nomes até agora que os militares se recusariam… aí no fim das contas, ele acaba indicando o General Etchegoyen.  Lembrando que o ministro da Defesa tem sido um civil justamente pq se for militar, vai ser de uma das armas, e as outras dus não aceitariam… Será que é um estrategema para tornar Etchegoyen mais palatável para a Marinha e a Aeronaútica ??

  6. Tem um grupo de deputados

    Tem um grupo de deputados querendo penalizar a Dilma, caso ela fale no exterior que está sofrendo um golpe de estado.

    Alegam que a Dilma agindo assim, está denegrindo a imagem do país.

    Eles querem que a Dilma diga que está num processo de impeachment.

    É mole ! A que ponto chegamos

  7. Nassif, o pessoal do interino

    Nassif, o pessoal do interino tem feito algumas que beiram a irresponsabilidade total, para não dizer temeridade (não resisti ao trocadilho). Além do Ministério da Defesa com o deputado de 36 anos, temos o nome para o Ministério da Justiça. Como a Polícia Federal vai encarar o chefe, que tem como cliente de escritório de advocacia uma cooperativa suspeita de lavar dinheiro para uma organização criminosa? Para não falar do MPF e do próprio Judiciário. Pelo visto, estamos vendo o começo da verdadeira crise política que assolará o Brasil. Alguém topa um bolão de quanto tempo o interino permanece? Seis mese? Dois anos? E não cogito retorno da Dilma.

  8. “Consolidar-se-ia a noção da

    “Consolidar-se-ia a noção da ilegalidade, recuperaria a imagem de Dilma, como vítima de um golpe, e deixaria o partido livre para reagrupar forças e preparar-se para 2018 confiando no fracasso de Temer.”

     

    Se Dilma for efetivamente impedida, em 2018 o PT não vota à presidência mas nem fu! Quiça, com sorte, em 22…  Não é só um golpe! Trata-se de um processo midiático e jurídico de desmoraização do PT e do projeto progressista do qual o PT é ou “era” parte importante.

  9. faz sentido…

    “e deixaria o partido livre para reagrupar forças e preparar-se para 2018 confiando no fracasso de Temer.”

     

    isso explicaria a postura relaxada e tranquila que Dilma tem demostrado nos últimos dias…   nunca vi Dilma tão alegre e relaxada…

  10. Inacreditável a miopia ou
    Inacreditável a miopia ou cegueira do PT.

    Um outro quadro catastrófico se desenha e eles não enxergam, só enxergaram o golpismo e parcial idade de Moro quando do sequestro de Lula, apesar dos apelos de muitos feitos ao longo de dois anos.

    Agora o PT conta como uma vida política partidária normal, com as instituições funcionando imparcialmente após o golpe???
    Não vêem que a República do Paraná, PF e MPF perseguirão implacavelmente Lula e o PT??? Ainda duvidam que irão prender o Lula nos próximos dias?
    Não vêem a possibilidade de o PT e outros partidos de esquerda terem seus registros partidários cassados em 2018, após a janela de filiação partidária, impedindo que boa parte da esquerda não concorra às inúteis eleições?

    Quem é o General do PT? Crasso?
    Vão ser brurros assim no raio que os partam.

    • O problema não é…

      O problema não é miopia, o problema é o que fazer?:

      1) A que recorrer? O STF?

      2) Todos sabem que o proximo será Lula, mas como protege-lo, se nem o Presidente escapou de grampo?

      3) Todos sabem que a esquerda serão caçados, mas recorrer a quem? STF?PGR?PF?

      • Só vejo saída no exilo

        Só vejo saída no exilo político.

        Quanto ao combate, e em se tratando de muitas forças descomunais (algumas inatingíveis até), mire-se em apenas uma delas que seria a espinha dorsal: a Rede Globo.

        O restante ou são inatingíveis ou desmoronariam junto com a Globo.

         

    • Comentários tipo esse de Seu

      Comentários tipo esse de Seu Álvaro abundam nos posts. Há uma máquina de moer democracia comandada por um império, há elites vagabundas que vendem a própria pátria, há milhões de escravocratas impenitentes nesse país, milhões de Egos cheios de “meritocracias”, onde só eles são os bons, especialmente de São Paulo para baixo, e Seu Álvaro acusando o PT de não se defender. Mas… se o PT somos nós, quem assim acusa, pelo menos já passou no site do PT e viu os pedidos de ajuda financeira? Se viu, está contribuindo? Está se preparando para fazer uma grande vaquinha para arrecadar fundos para ajudar o Presidente Lula e sua família? Porque eles não sossegarão enquanto não arruinarem o Presidente e seguramente teremos de ajudar. Está certo, o PT cometeu muitos erros, muitas ingenuidades, mas também fez muitas coisas boas. Eu sei que a crítica de Seu Álvaro é com boas intenções… Mas não exagere, Seu Álvaro, no momento a vítima é o PT, e está indefeso, necessitando de nós.   

  11. Caro Nassif
    Temer terá

    Caro Nassif

    Temer terá maioria no Congresso e no Senado.

    Contará com o apoio, do STF, da PF, e das FFAA.

    Afinal, afastaram os comunistas comedores de criancinhas, mortadelas, corruptos, bolivarianos e bricsnianos.

    Entregarão o Pré Sal, desaparecerão com a Reserva Interna, inaugurarão obras até então invisiveis, que surgirão do nada graças aos golpistas.

    Os empresários, que até agora seguraram a grana, num governo golpista, apoiado por eles, investirão, coincidindo com as melhorias da economia,, e o Temer navegará nessa onda, as mídias golpistas cantarão odes aos salvadores da pátria.

    A repressão comerá solto, pois os revoltados, serão mortadeleiros, comunistas, baderneiros e por ai afora.

    O PT, PCdoB, os 135 deputados pegarão pesado contra o governo golpista, e serão transformados em bandidos.

    Serão 180 dias de saques, distribuição do botim.

    Chega de xadrez por enquanto.

    Saudações

     

  12. O PT e o governo não levaram

    O PT e o governo não levaram e nem vão levar a questão de mérito ao STF, por uma razão obviamente ululante: caso o fizessem, o STF se pronunciaria favorável ao fundamento apresentado na denúncia, as tais das pedaladas fiscais e isso retiraria o discurso de golpe. O STF já mostrou a que veio e a serviço de quem está apostos. Os ministros do STF não têm aquilo roxo, no dizer de Collor, para  anular o processo de impeachment, depois de todo o imbróglio na câmara e no senado, da atuação desastrada de Maranhão, dos enormes recursos financeiros e emocionais despendidos, com o país rachado ao meio. Seria colocar mais lenha na fogueira e transformar todo o circo que se armou, em torno da cassação do mandato da presidenta Dilma, em mais uma chacota internacional. Para eles a melhor e mais conveniente solução é coonestar toda a farsa armada e saírem pela tangente. São uns borrabotas mequetrefes. Se tivessem de fazer algo, teriam feito na origem, afastando Eduardo Cunha ou acolhendo algum dos recursos da defesa da presidenta Dilma, antes da votação na câmara. Preferiram lavar as mãos.

  13. Questão interessantíssima

    Pois é, é uma questão interessante: Temer conseguirá presidir o país como vem presidindo há mais de década o PMDB? Mas e o país, mesmo à direita, que “não cabe” nesse PMDB? Essa parte não lhe deve nenhuma fidelidade “estatutária”, não é mesmo? A não ser quando o fisiologismo e o programático (neoliberal e evangelizador) caminharem juntos, deliberações para rachar essa união provisória ocorrerão sem grandes obstáculos.

    Mas acontece que, para além (ou no entorno, ou como substrato) do fator partidário-fisiológico, do fator velha receita de economia dependente e do fator “moral higienizadora da pessoa de bem”, há tantas carcomidas demandas corporativas dentro do Estado (Ministério Público, Polícia Federal, Forças Armadas são as mais notórias) e fora dele (grande mídia é a mais exemplar) que se reergueram, desejosos de entrar e/ou não sair mais da negociata, que essa vulnerabilidade do Temer indicia fortemente um funeral de governo anunciado.

    E assim andamos em círculos para assim toparmos de novo com aquela questão mais interessante ainda, a interessantíssima: como resposta aos prováveis (e) insolúveis impasses dentro do “acordão” à direita, esta precisará assumir sua face mais, hum, crua e nua, a radicalização autoritária?

    Depende. Que aí vai depender do tipo de oposição que a esquerda (movimentos sociais, novos e tradicionais, dilmistas, lulistas e demais esquerdas, inclusive aquela tutelada, leia-se Marina) irá promover durante o vulnerável, inconstitucional e provisoriamente temeroso governo Temer, até seu cortejo fúnebre.

  14. Que atitude “nobre”…

    “um presidente interino interessaria ao PT em 2018. Consolidar-se-ia a noção da ilegalidade, recuperaria a imagem de Dilma, como vítima de um golpe, e deixaria o partido livre para reagrupar forças e preparar-se para 2018 confiando no fracasso de Temer.”

  15. Alguns pontos

    O carnaval que se tornou a “escolha de ministério” de Michel Temer foi isso mesmo, um carnaval.

    Mas isso, somado ao que já vem se percebendo há algum tempo, só demonstra que está cada vez mais complicado fazer qualquer coisa politicamente “na surdina” neste país. Parece que a imprensa “plantou” informantes em todas as instâncias da República e nada mais escapa. Sujeito pensou, já está publicado na internet.

    Quanto aos falados 180 dias, este é o práximo máximo que a Constituição estabelece ao Senado. Não vejo motivos, ou ritos obrigatórios que levem esse julgamento a durar mais de 60 dias, mas acredito que não chegue a isso.

    Qual é o rito do julgamento para que leve 180 dias ? Nenhum.

    A lei manda que o Presidente do Senado oficie a acusada, dê ciência da acusação e determine a data do julgamento ( no caso de Collor foi 30 dias depois da recepção ), que neste dia apresente-se a acusada, seu advogado e numa sessão presidida pelo Presidente do STF seja lida a peça acusatória, ouvidas as testemunhas arroladas pela defesa e acusação, a própria acusação, a defesa e se faça a votação. Apenas isso. Relamente não vejo Renan marcando o julgamento para daqui a 180 dias. O que pode haver são pedidos de adiamento. Apenas isso.

    E quanto a decisão de Teori Zavaski sobre o mérito, eu posso ter entendido errado, mas pelo que li ele já antecipou que o STF não entrará no mérito e estabeleceu que o Senado é a instância final desse julgamento, conforme definido no Artigo 86 :

    A segunda circunstância que limita o controle jurisdicional é anatureza da demanda. Submete-se a exame do Supremo Tribunal Federalquestão relacionada a processo por crime de responsabilidade daPresidente da República (impeachment),que, como se sabe,não é dacompetência do Poder Judiciário, mas do Poder Legislativo (art. 86 daCF). Sendo assim, não há base constitucional para qualquer intervençãodo Poder Judiciário que, direta ou indiretamente, importe juízo de méritosobre a ocorrência ou não dos fatos ou sobre a procedência ou não daacusação. O juiz constitucional dessa matéria é o Senado Federal, que,previamente autorizado pela Câmara dos Deputados, assume o papel detribunal de instância definitiva, cuja decisão de mérito é insuscetível dereexame, mesmo pelo Supremo Tribunal Federal. Admitir-se apossibilidade de controle judicial do mérito da deliberação do Legislativopelo Poder Judiciário significaria transformar em letra morta o art. 86 daConstituição Federal, que atribui, não ao Supremo, mas ao SenadoFederal, autorizado pela Câmara dos Deputados, a competência parajulgar o Presidente da República nos crimes de responsabilidade. Por issomesmo, é preciso compreender também que o julgamento, em tais casos,é feito por juízes investidos da condição de políticos, que produzem,nessa condição, votos imantados por visões de natureza política, que,consequentemente, podem eventualmente estar inspirados em valores oumotivações diferentes dos que seriam adotados por membros do PoderJudiciário.

     

    • O STF ou apenas o Teori?

      Ou o antecipado pelo Teori… por enquanto?

      Claro que é “forte” um registro de posição sobre a “natureza da demanda” como esse:

      “O juiz constitucional dessa matéria é o Senado Federal, que, previamente autorizado pela Câmara dos Deputados, assume o papel de tribunal de instância definitiva, cuja decisão de mérito é insuscetível de reexame, mesmo pelo Supremo Tribunal Federal.”

      Mas afirmar categoricamente que o Senado é a última e derradeira instância não é também consentir de maneira não menos resoluta que a (des)caracterização do inciso II do primeiro parágrado do art. 86 (“nos crimes de responsabilidade…”) é, se não letra morta, letra morta-viva, um walking dead que estaria disposto lá só pra se diferenciar da competência de julgamento do Supremo para crimes comuns? Quer dizer…

      Bom, sei lá, Cidadão… Se não há a quem mais recorrer quando somos penalizados à “morte” funcional e de reputação por termos algumas vezes deixado de separar o lixo orgânico do não orgânico, o que nos resta fazer? Desobediência civil ou algo que o valha? 

      • O Teori

        A decisão é do Ministro Teori, mas não acredito que o entendimento da maioria dos Ministro seja diferente.

        Veja que não se trata aqui de “torcida”, apenas de interpretação da Constiuição.

        Repito que vejo dois problemas graves em outro entendimento que não esse expressado pelo Minstro Teori :

        a – se decidir de forma diferente disso, o STF estaria cassando uma atribuição que constitucionalmente é exclusiva do Senado. E pior, estaria cassando a seu favor;

        b – a Carta diz também, no mesmo artigo que o Senado é quem julga os próprios ministros do STF. Se o STF decidir que pode rever o julgamento de um Presidente no Senado, por extansão ele estaria admitindo que também poderia rever um julgamento de um de seus próprios Ministros. Isso é uma aberração jurídica. Transformaria o STF num corpo de 11 pessoas que não poderiam ser alcançadas pela lei e sem controle de nenhum outro poder da República.

        Fora isso, e as outras atribuições que são exclusivas do Senado ? Por exemplo, um tratado internacional, que a Constituição prevê que, aprovado pelo Congresso, passa a ter status de Emenda Constitucional ? Se admitirmos que o STF pode rever tudo que o Senado faz, então num caso desses o STF poderia se “recusar” a recepcionar um tratatado internacional recepcionado pelo Senado ? dizendo que ele é inconstitucinal ?

        Enfim, levado ao pé da letra, no fim teríamos uma República onde o Senado não serviria mais prá nada, ficaria sem poder algum.

        • Mas peraí…

          Vamos simplificar, Cidadão. Acho que gente tem que começar pensando assim: o STF mantém ou não mantém a guarda da Constituição? Se o STF é guardião dela, quem dá a última palavra é o Senado? O Senado até pode ser uma maria-vai-com-as-outras, desde que essa maria e as outras sigam o que prescreve (ou, no limite, o entendimento do prescrito) a última palavra que é dada pela Carta Maior.

          Ou seja, é apenas e exclusivamente atribuído ao Senado “sentenciar” o impedimento COM justa causa (crime de responsabilidade indubitavelmente tipificado), assim como é atribuição exclusiva do STF declarar inconstitucional um tratado (art. 102, III, b), celebrado (também privativamente) pela Presidência da República e referendado pelo Congresso Nacional (art. 84, VIII), se e somente se parte ou um todo dele afrontar com desrazão o celebrado em nossa Carta. 

          Aliás, como você mesmo notou, taí outro caso em que o interna corporis vai por água abaixo: sim, “compete privativamente ao Senado Federal […] processar e julgar os Ministros” do STF entre outros “nos crimes de responsabilidade” (art. 52, II), mas se a gente inventar um crime de responsabilidade que não é crime ou nem mesmo lançar mão disso… pode ficar assim, elas por elas, sem o guardião da Constituição interceder?

          Simplificado, grosso modo mesmo, esse raciocício faz sentido pra você, Cidadão? 

          • O meu entendimento é esse mesmo

            Até porque, veja bem, Collor foi denunciado, julgado e condenado por :

            Art. 9º São crimes de responsabilidade contra a probidade na administração:

            7 – proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decôro do cargo.

             

            O que é decôro ? O que é incompatível com o decôro ? Elenque todas as possibilidades que possam ser consideradas incompatíveis com o decôro de um Presidente ? Não resta dúvida que a última palavra em matéria constitucional é do STF e ele pode entender de outro modo, mas a meu ver,  o que o STF vai dizer é justamente que a Constituição confere ao Senado, presidido pelo Presidente do STF, julgar se houve crime de responsabilidade ou não.

             

          • Olha…

            … Cidadão, entre o processo de impedimento de 1992 e o de agora tem toda uma diferença (de desde antes, na “coleta” pra embasar a denúncia e na “organização social” pra motivar a aceitação dela) e alguma semelhança (aí na parte do “ritual’, afora o “aperfeiçoamento” do recente e… Ah, dizer que as crises econômica e de governabilidade são par a par é balela, aí só acreditando piamente em expedientes de propaganda enganosa e/ou subliminar), é só dar uma simples googleada.

            Claro, em 2014, e salvo engano uma década antes, o Collor foi absolvido pelo Supremo relativamente aos tais crimes comuns (por tecnicalidades, falta de provas, ou prova ilegal, o afastamento da teoria do “domínio do fato”… Ops…rs.), mas o que subsistiu, a partir daquela CPMI, como crime de responsabilidade “contra a probidade na administração” no julgamento feito pelo Senado logo após a renúncia dele… estava pra lá de caracterizado, seja contra a dignidade, honra, decoro ou o diabo que for, não houve nem passou a haver mínima controvérsia aí. De novo, é só googlear.

            Agora, no caso da Dilma… tenha a santa paciência, né? Só o fato de existir mundos e fundos de controvérsia… in dubio pro reo, né?

            Pô, Cidadão, será que você não consegue perceber que, solapado o princípio de presunção de inocência (cuja obrigação de garantir é inescapável à “última trincheira” institucional), é a própria cidadania, toda e qualquer, que vai pro ralo? 

          • Exato, Cicero.
            E Janaina – a

            Exato, Cicero.

            E Janaina – a genia – nao usou esse artigo “papa-tudo” do decoro.

            Ela fez uma denuncia inepta para qualquer pessoa – de boa-fe – que tenha estudado Direito.

            E, convenhamos… seria mesmo dificil dizer que Dilma faltou com o decoro, mesmo sendo um conceito aberto.

        • Peraí… O stf pode analisar

          Peraí… O stf pode analisar constitucionalidade de tratados. Tratado é como lei ou emenda constitucional: tem que estar de acordo com nossa constituiçao. Nao tem aberraçao alguma nisso. O stf faz controle juridico de acordo com a constituiçao. É o STF que diz se alguma definiçao juridica está em acordo ou desacordo com a constituiçao. No caso do crime de responsabilidade, o STF deveria analisar se eh ou nao um crime de responsabilidade conforme definido na constituiçao. Pedalada é operaçao de credito? O Stf pode dizer se sim, ou nao, justamente pq há dubiedade sobre isso. O que ele nao pode é rever o merito da condenaçao: se de fato tem crime de responsabilidade, o stf nao pode anular a decisao do senado.

          a confusao aqui é essa: confundem a materia de merito com o merito da votacao.

          a discussao no entanto eh desnecessaria, pq o stf nao vai querer discutir isso, pois nao querem a dilma la.

          os ministros sao amigos e convivem com ctz com a parcela do povo q odeia o pt

  16. Vou ser radical

    Ensaiei fazer este comentário, pois embora remota, haveria a possibilidade do golpe não passar em alguma instância.

    Agora o fato está praticamente consumado.

    Pelo menos os 180 dias virão, não sei de que forma.

    É certo que virão com muitas revoltas.

    A virulencia, só os dias dirão.

    A história do Brasil é cruel para a maioria da população.

    O povo sempre foi um estorvo para as elites.

    Mesmos nos lapsos de tempos em que houve “democracia”, a grande maioria da população, até pela suas extremas necessidades e quando governados por presidentes progressistas, o abismo sempre foi enorme, e qualquer política social que as contemplasse surtiu um efeito minorador daquilo que poderíamos afirmar como soluções amplas e definitivas.

    Passados mais de 500 anos, e o país continua miserável, com privilégios só para poucos.

    Esses doze anos de Lula e Dilma não deixam margem de dúvidas, apesar de todos os pecados cometidos por ambos, acreditando na “solidez” da nossa democracia e instituindo governos republicanos.

    O resultado é um desastre porque não quiseram acreditar que o pior poderia vir.

    Por isso proponho que todos aqueles que estão se sentindo lesados nos seus direitos, tanto no passado como agora no presente, que chegou a hora de reunir as grandes lideranças do pais que tem um projeto nacionalista de defesa da nossa autonomia e soberania, para buscar a qualquer custo, forças intelectuais, estratégias, equipamentos de defesa para poder enfrentar a minoria da elite que sempre subjugou o nosso país a um destino de subdesenvovimento, para facilitar o saque das nossas riquezas em conluio com governos estrangeiros.

    Não dá mais.

    Ou lutemos para vencer, ou pereceremos na imobilidade.

    Que país nós queremos?

    A elite sempre soube, e por isso sempre o teve. E nunca permitiu dividir com o resto da população.

    Está na hora de nós, a grande maioria, conquistá-lo e declaramos independentes.

    Não há conquistas sem custos e baixas. Temos que ter isso em mente.

    Todas as instituições do país tem que ser tomadas e dominadas pela forças nacionalistas que devem compor esse movimento; prefeituras, governos dos estados, governo federal, o nosso judiciário (que sempre foram deles), MP, PF, PMs estaduais, e Forças Armadas, se não estiverem do lado dos defensores da soberania nacional.

    Não tem que ter papas na línguas, isso é levante mesmo. E não poderia ter outro nome.

    É guerra mesmo. Ou vamos morrer apenas sonhando com um milagre divino que venha nos resgatar dos nossos sofrimentos.

    No passado eles sempre nos dominaram com as forças das armas.

    Hoje eles usam como tacão, as armas do judiciário e da mídia.

    Voltemos nossos olhos para o passado, mas com os avanços tecnológico do presente.

    Eles mudaram de tática, e nós não podemos se dar a esse “luxo”, até porque nós não temos mesmo.

    Então é o uso do tradicional, mas atualizados, a semlhança dos jogos avançados dos videogames.

    Discutir a próxima peça do xadrez é discutir o óbvio. É o embate sem medo.

    Sem essa coragem, continuaremos numa Aushuwitz disfarçada.

  17. Acho que seriam Raul Jungmann

    Nassif,

     

    Acho que o correto é Raul Jungmann e Mendonça Filho, esses políticos menores de nosso Estado de Pernambuco.

  18. Até quando vamos ficar levando porrada?

    Não está na hora de comecarmos a reagir contra os golpistas? Contra os políticos temos a arma do voto e teremos de ser mais atuantes do que fomos nas últimas eleicões para punir ao máximo os que contribuiram para o golpe. Contra o judiciário é extremamente difícil, já que tem uma protecão contra a vontade popular. Mas contra os meios de comunicacão, podemos agir agora.

    Devemos boicotar os produtos dos 10 maiores assinantes da Rede Globo: Genomma, Via Varejo, Unilever, Hypermarcas, Caixa, Ambev, Petrobrás, Telefonica, Banco do Brasil, Fiat. E escrever no site ou no facebook destes fabricantes, que o estamos fazendo não por antagonismo à marca ou ao produto mas pelo fato deles estarem financiando uma mídia corrupta que conspira contra os interesses nacionais. Se essas marcas forem afetadas pela nossa acão, podemos destruir o tripé que dá a legitimidade ao golpe neste momento.

    Entendo que isso implicaria mudanca de hábitos ou um certo sacrifício, mas temos de admitir que o objetivo final é muito mais importante do que os pequenos contratempos, que possivelmente serão passageiros (e quanto mais efetivo mais rápida a duracão).

    Ah, obviamente cancelem toda e qualquer assinatura de produtos Globo (jornal, Época, etc), Veja, Folha de SPaulo ou Estadão.

    Triste é ver que Caixa, Banco do Brasil e Petrobrás, inexplicavelment sustentam a Rede Globo, com mais afinco que suas contrapartes privadas (no caso da petrobrás me refiro ao varejo).

    Somente quando a dor atingir onde eles entendem é que teremos nossa voz reconhecida. Acho que isto vale mais que uma cerveja.

    http://g1.globo.com/economia/midia-e-marketing/noticia/2016/04/genomma-desbanca-varejo-em-ranking-de-maiores-anunciantes.html

    Genomma – Asepxia, Cicatricure

    Via Varejo – Casas Bahia, Pontofrio

    Unilever – Axe, Becel, Cif, Closeup, Comfort, Dove, Hellman’s, Knor, Lifebuoy, Lux, Omo, Rexona, Seda, Surf, Trésemme, Vim, Ades, ala, Arisco lista https://pt.wikipedia.org/wiki/Unilever

    Hypermarcas – Assolan, Adocyl, Finn, Sanifil, Ponpom,  lista https://pt.wikipedia.org/wiki/Hypermarcas

    Ambev – Guaraná, Skol, Antarctica lista: https://pt.wikipedia.org/wiki/AmBev

     

     

     

     

  19. Fadiga de material, traição,

    Fadiga de material, traição, totalitarismo corporativo, democracia débil e tradição, os motivos do golpe.

    Consumado o esbulho do governo Dilma, resta e expectativa de que surjam frentes de pensamento e de organização da sociedade que deem alento para que surjam estruturas de poder, substituindo as profundamente desmoralizadas neste advento que a história terá muito que aprofundar e relatar.

    Majoritariamente as analises atribuem à deficiência politica do governo a causa principal que motivou o golpe. Sobre este aspecto devemos lembrar que houve algumas mudanças do staff politico de Dilma tentando adequar às novas necessidades, terminando por ter uma linha de frente de primeira grandeza dentro da pobreza da representatividade que o mundo líquido de Bauman nos explica, seja em qualquer área de conhecimento que for. Tivemos Jaques Wagner e Ricardo Berzoini substituindo Miguel Rossetto e Pepe Vargas.

    Mas, os golpes não podem ser explicados por razões de curto prazo, assim nos demonstra a história.  Derrubada de governos são gestados por período de tempo superior ao próprio mandato. Para não me alongar fica a celebre frase de Lacerda, “o corvo”; ‘Esse homem não pode ser candidato; se candidato não pode ser eleito; se eleito não deve tomar posse; se tomar posse não deve governar’.

    Golpes na América Latina têm pai estrangeiro e mãe pátria, segundo os próprios documentos oficiais americanos sobre os golpes das décadas de 60/70.

    Tendo pai estrangeiro e gestadora pátria e para se entender os motivos dos golpes cito dois trechos históricos:

    Carta Testamento de Vargas:

    “Mais uma vez as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se e se desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam; e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes.

    Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, (…)

    A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se à dos grupos nacionais revoltados (…)

    Quis criar a liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobras, mal começa esta a funcionar a onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculada até o desespero. Não querem que o povo seja independente. ”…

    Incrível de tão atual, né?  Tem mais…

    Do Observatório de Imprensa, em artigo de Luiz Alberto Muniz Bandeira:

    “Ontem, foi o suicídio de Vargas. Hoje, a deposição de João Goulart. Amanhã será outra revolução made in USA contra todo e qualquer presidente reformista”– escreveu Edmar Morel [MOREL, Edmar. O Golpe começou em Washington. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira,1965, p. 18]. De fato, o golpe militar fora planejado, articulado e, a partir de julho de 1963, impulsionado por Washington, quando o Pentágono começou a elaborar vários planos de contingência, denominados Brother Sam, que consistiam no envio da força-tarefa norte-americana, incluindo o porta-aviões Forrestal, para o litoral do Brasil, a fim de dar apoio logístico aos insurgentes e desembarcar marines, se o golpe de Estado provocasse uma guerra civil.”…

    Obama repete James Carville, então estrategista da campanha presidencial de Bill Clinton, afirmando “It’s the Economy”; eles naturalmente não estavam se referindo apenas a assuntos exclusivamente internos.

    Para concluir a demonstração de que golpes são gestados durante longo tempo e não se reporta aos lideres empossados por vitória democrática nas urnas, e sim, e bem mais preciso, contra o que é cobrado, em determinado momento da história de um País, pelo inconsciente coletivo de um povo. Em outras palavras as necessidades de uma nação como entidade imaterial formada pelo povo, que se materializa nas ações de pensadores e coletividades.

    Não é fortuito, nem aleatório, que os golpes das décadas de 60/70, tiveram as mesmas motivações:

    Externa.  Bloquear a formação de novas relações comerciais dos países periféricos que pretendiam criar uma maior independência em relação ao grande irmão do norte, e impedir o incentivo na criação e manutenção de empresas genuinamente nacionais que pudessem competir com as mastodontes internacionais.Interna. A melhoria das condições de vida da população fornecedora de mão de obra através de uma melhor redistribuição de riquezas. Resumindo, democratizar a vida do País.

    Por isso, os golpes no continente ocorrem em sequência, atingindo  em determinado período de tempo quase todos os países onde as elites não conseguiram retomar o poder pelas vias democráticas – através das urnas. Derrubam – se todos aqueles que não se submeteram às pressões externa para deixar de amparar as empresas nacionais, os que questionam à cartilha americana e os insubmissos aos interesses dos coronéis. Dá para entender os motivos pelos quais continuamos fornecedores de commodities, dependentes da gangorra econômica externa; com a estrutura intacta de coronelato, na economia, no legislativo e no judiciário; um continente formado por países entre os de população mais pobre, e detentores do recorde de maior desequilíbrio social e pior distribuição de renda. Daí o título emprestado (coincidência?) de Honduras;  “republiqueta de bananas”, por ser politicamente instável, submisso a um país rico e frequentemente com políticos corrompidos e sociedades opressoras. A economia é em grande parte dependente da exportação de produtos in natura. Países de classes sociais estratificadas, incluindo uma grande e empobrecida massa de trabalhadores e uma plutocracia que compreende as elites de negócios, política, militares e do judiciário.

    Esse rápido histórico serve para demonstrar que a queda de Dilma não se deve às condições de inapetência politica de um governo, tanto que está ocorrendo dentro de uma avalanche orquestrada, com a mesma metodologia e organização, que já deixou a sua marca em Honduras, no Paraguai e agora no Brasil, e que pelos mesmos métodos de desgaste e retaliação faria o governo indicado por Cristina Kirchner cair por golpe, se não tivesse perdido nas urnas. Parece ser algo que se torna cíclico, e de acordo com os avanços da inclusão social e na necessidade corporativa americana de maior espoliação das riquezas dos seus periféricos.

    A nova formatação dos golpes tenta iludir a população com aspectos falseados de normalidade jurídica. Desta vez, o “meme” enganatório  é o mesmo, a corrupção, com as diferenças de, lá atrás, comunismo; hoje,  petismo. Mas, como não há mais guerra fria para justificar tanques nas ruas, recorrem àqueles que são reconhecidamente provedores e garantidores dos privilégios da elite, o Poder Judiciário. Qualquer estudo irá posicionar indelevelmente a participação ativa do Judiciário no amparo dos interesses das elites em qualquer período da história. Ao mesmo tempo que  policiais e delegados lembram mais jagunços protetores e paus mandados de seletivo segmento, outrora capitães do mato e capatazes, do que forças de normalização democrática. Poder legislativo, sempre ao reboque de quem dá mais. Todos temerosos e submissos à mídia oligárquica, partidária e ficcionista e, paradoxalmente, sedentos por holofotes. Sociedades com o rótulo de “casa grande e senzala”.

    Mais ainda há algo semelhante, mas desigual – as forças repressoras e as de resistência.

    Os grupos de resistência nas décadas de 60/70 eram formados mais pelo aspecto ideológico e os de repressão pelas Forças Armadas, melhores preparadas. Nestes golpes atuais os usurpadores não mais contarão com as FFAA e a resistência não se dará apenas pela questão ideológica. A noção pragmática de inclusão já domina as consciências de toda a população, o que fará com que as reações sejam mais duras de ambos os lados.

    A noção de golpe

    Se a noção da legalidade em 64 foi desmascarada após a derrubada de Jango, neste golpe atual a ideia da ilegalidade já é reverberada pela mídia internacional, pela ONU/OEA, por inúmeros pensadores e formadores de opinião e por lideranças internacionais.  Há grande resistência em todas as camadas da sociedade.

    Se os governos militares não conseguiram manter a coesão mesmo se aliando a lideres fortes como ACM, Maluf, Sarney, Collor, personas que já não existem, pela própria fragmentação do mundo liquido profundamente esboçado por Bauman, mesmo fazendo “um outro golpe dentro do golpe” para auferir mais dureza e controle, mesmo expulsando ou forçando a saída de vários oposicionistas, prendendo e metralhando tantos outros, fechando o congresso, amordaçando e caçando juízes dissidentes, e, ainda assim a “pax “(paz imposta pela força aos derrotados)não aconteceu, quanto mais agora com todas as fragilidades apontadas nos parágrafos acima, e com um presidente, Temer, politico de fraca estrutura moral, debilidades politica, criticado internacionalmente e com desconfianças de cada um dos aderentes à derrubada do governo Dilma pela pecha de traidor que lhe ficou grudada e marca do seu caráter usurpador.

    http://assisprocura.blogspot.com.br/2016/05/fadiga-de-material-traicao.html

  20. Por crer que Temer irá se dar

    Por crer que Temer irá se dar mal, o PT não evitou que o poder fosse pra  Temer-Cunha-Renan-Jucá. E o jeito de fazer isso, impedir essa turma de ter o poder de fato, seria Dilma renunciar e forçar que Temer fizesse o mesmo para que o povo escolhesse alguém com legitimidade pra governar. Agora vai que Temer se dá bem ( ou seja agrada o andar de cima, dá umas migalhas pro andar de baixo e ainda com blindagem da mídia] e aí o Brasil vai ficar sob o PMDB. 

  21. O PT precisa ser mais valente

    Nassif, essa sua conclusão é baseada em fontes ou sua intuição ? Discordo dela em parte porque acho que apesar de o governo Dilma ter atravessado um tufão, ele poderia ainda ter saida mais honrosa que esse impeachment, que hoje é visto como salutar por 50% e pouco mais da população brasileira.

    Outro senão, é que seria melhor para Lula que o governo Dilma continuasse em outro patamar, é obvio, mas com ele, por exemplo enquanto Mininstro da Casa Civil. Acho que com Dilma fora, Lula ficara uma presa ainda mais fragil de Moro e Janot.

    Em todo caso, mesmo com Dilma fora do poder federal, eu não acredito que Moro encerre sua preciosa Lava Jato sem a apoteose final, que sera a preventiva de Lula. Nem que seja apenas para os holofotes.

    No mais, o governo que se anuncia me sugere apenas coisas ruins. So desejo boa sorte ao povo brasileiro mais humilde, esse enganado pela classe politica em quem vota, pela imprensa de seu Pais, pelos doutos do Judiciario brasileiro e pela prorpria classe média.

  22. De novo no primeiro dia, com alegria.

    Como aquelas caminhadas de escoteiro, rumo a uma aventura, a caminhada é tanto ou mais importante que a própria meta, até porque às vezes o objetivo é uma mistura de miragem com arco-íris, nem sempre tão real ou palpável, mas o caminho é bom, e as companhias melhores ainda.

    Andamos nestes últimos anos por um caminho errado, com escolhas erradas e com companheiros errados, que tomaram o governo de nós, na traição, e que levam o nosso sonho por caminhos mais distantes do que pretendíamos.

    Voltaremos agora um pouco atrás, a reagrupar as turmas perdidas, as ovelhas desgarradas, os amigos mais criteriosos que não seguiram pela rota equivocada que nós seguimos inadvertidamente.

    Recomporemos as bandeiras, a bússola e novos hinos serão cantados por todos. Quero que este primeiro dia depois do Golpe seja bonito e cheio de esperança (já estava de “saco cheio” com esta enrascada) e apontemos novamente para o caminho de 2002, desta vez sem “carta aos brasileiros”, que acabou valendo nada para aqueles maus brasileiros que receberam a carta e se aproveitaram dela.

    Caminhar com má companhia piora tudo, o caminho e também o destino para onde vamos arrastados pelo “mercado”, e isso cansa demais.

    Recentemente estive com minha mulher, de camiseta vermelha, em manifestação em contra o golpe e confesso que foi maravilhoso, pois reencontrei toda essa gente que eu tinha perdido pelo caminho.

    Caminhar novamente do lado com as corajosas senadoras que defenderam Dilma até o final (com elas vou até o fim do mundo), com a Jandira Feghali e outros da câmara, me enche de orgulho e satisfação, pois prefiro caminhar bem acompanhado – mesmo para uma miragem ou arco-íris, que andar em má companhia num caminho árido, rumo a um futuro certo, mas que favorece apenas 1% da população.

    Convido a todos a olhar o futuro com otimismo, temos os melhores sonhos, as melhores amizades e companhias e muita disposição para caminhar, com alegria, com fé (a fé nunca costuma falhar – Gilberto Gil), pois isso é o que irá cativar aqueles milhões de cidadãos adormecidos pela TV. Qualquer ato de violência ou de luta radical será convertido pela rede Globo em pontos contrários aos nossos interesses, em compensação, a cada canção, sorriso e a cada flor, serão milhões de brasileiros que se irão somando….caminhando e cantando….com a juventude, o povo e um novo sonho, seja daqui a 180 dias ou até 2018 mesmo, tanto faz, desde que estejamos juntos.

  23. A pulverização partidária traz um elemento de instabilidade a ma

    A pulverização partidária traz um elemento de instabilidade a mais. Partidos médios como PSB, PP, PR, PSD e o próprio PSDB não têm compromisso nenhum com o PMDB. Caso o governo interino do Temer fracasse, isso abre espaço para essas legendas ocuparem o espaço deixado pelo PMDB. Na verdade, essas legendas estão dando corda para que o PMDB se enforque, por isso as sucessivas renúncias de quadros dessas agremiações aos ministérios do governo interino. Não há comprometimento da casta de políticos fisiológicos com o sucesso do governo, nos primeiros sinais de fraqueza do Michel Temer será descartado como lixo.

    A paisagem política no Congresso Nacional é desoladora. São mais de trinta partidos espalhados pelos corredores do Planalto a caça de cargos e verbas, parecendo mais um ajuntamento de animais carniceiros em disputas. São ratos, chacais, hienas, abutres, besouros vira bostas. Essa é a imagem que fica da política para uma parcela considerável da população. Se antes havia a imagem da Dilma como uma presidenta honesta para encobrir o esgoto do Congresso Nacional, agora acabou.

    A classe política estará exposta como nunca. Agora intelectuais, estudantes, jornalistas, movimentos sociais estarão com a alça de mira apontada para a banda podre da política. Além disso, a classe média não vai bancar a defesa de um governo atolado até o pescoço na corrupção. Temer assume a presidência nu, expondo toda a nudez frontal dos políticos corruptos do PMDB.

    Dessa forma, resta a nós não permitir que a narrativa golpista prevaleça. Portanto, companheiros: SEBO NAS CANELAS!

  24. o quanto pior é o melhor

    É Nassif, você explana sempre com o bom senso. Temer é o aliado da hora. O PMDB de Cunha entrou em parafuso sem o seu líder. Renan também deve rodar nas baias do STF. Lula se disse disposto a ajudar Temer sob o pretexto de gostar de Meirelles. Está tentando entrar de bicão na festa e se conseguiir , pode estar certo de que faz bagunça por lá. O cenário, ao contrário do que pensa o povão ” coxinha” , está ruim não por culpa do PT ,ou de Dilma e não mudará em um passe de mágica. A coisa urge mudanças e quando demorar, a turba vai gritar. Primeiro , os que esperam sua fatia e depois os idiotas que acreditaram no golpe. E que fique bem claro: Isto não é torcida contra ou teoria da conspiração, somente é o que aprendemos com experiências que teimam a repetir. Mas há a mídia e como agirá ela? Provavelmente se voltará contra Temer, que é só uma bucha de canhão como foi Eduardo Cunha, Sérgio Moro etc. Na verdade ela apoia o PSDB e é para ele que irá trabalhar neste período. Acho que o Temer não dura um ano no poder.

  25. Outra jaboticaba brasileira.

    Outra jaboticaba brasileira. Imagina se nos EUA há um impeachment dum presidente republicano e o vice adota uma política democrata. Aqui acontece isso = o vice toma o caminho inverso ao titular – o que aconteceu quando saiu Jânio, o Bebum, e veio Jango, antípodas políticos ( com uma diferença = na época, a votação de vice e presidente eram separadas. Portanto, Jango tinha votação expressiva, o que não é o caso de Temer ).  Se eu pudesse interferir, eu iria impor um mandato de 5 anos e o presidente nunca mais teria direito a se candidatar e sem vice. Acontecesse algum problema com o presidente – doença, impedimento, e caso extremo, morte – se fariam novas eleições. 

  26. Mais uma observação

    Nassif, erelendo agora seu texto, encontrei mais um item que cabe discussão.

    No plano jurídico, estará nas mãos do Procurador Geral da República (PGR) Rodrigo Janot, que na hora em que quiser aciona o gatilho e propõe a abertura de processos contra Temer;

    Aqui entra outro conhecido nosso, o Artigo 86 :

    § 4º O Presidente da República, na vigência de seu mandato, não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções.

    Ou seja, a partir do momento em que Temer se tornar Presidente, sucedendo ( ou seja, após o julgamento no Senado ) a Dilma, qualquer processo contra ele só poderá ser aberto com autorização de 2/3 da Câmara e só por crimes cometidos a partir do momento em que tomar posse. Seja crime de responsabilidade, com julgamento pelo Senado ou seja crime comum, com julgamento pelo STF.

     

  27. “Há muito Gilmar deveria

    “Há muito Gilmar deveria declarar-se suspeito de julgar questões políticos do PT (por ser visceralmente contrário) e do PSDB (por sua militância ostensiva)” – Esse Nassif é mesmo um pândego!

  28. A chance

    O golpe abre uma grande chance. Está ficando claro que uma proposta de desenvolvimento sustentável tem que romper com paradigmas do neoliberalismo. Romper com o rentismo e o predomínio dos grandes monopólios internacionais. Na Europa e nos Estados Unidos a reação ao neoliberalismo veste as cores do nacionalismo e da xenofobia, calando fundo entre os trabalhadores, que lutam por não perderem os direitos que conquistaram na Era de Ouro do capitalismo (1950-1980), querem voltar ao período anterior à globalização neoliberal. Em outros países a reação à globalização desagua em lutas fratricidas entre etnias e agrupamentos religiosos. No Brasil a situação é diferente. A direita que abraçou o neoliberalismo (tradicionalmente o PSDB, agora o PMDB) não tem proposta para o povo. Ao mesmo tempo em que carrega a agenda neoliberal (Estado enxuto e o absoluto predomínio do capital financeiro) defende a perpetuação da exclusão, do Estado exclusivo para os brancos e abastados. 

    Aí se abrem duas frentes de luta distintas. De um lado contra a agenda neoliberal: baixar os juros, subir o real, combater a evasão fiscal, os paraísos fiscais e a corrupção. Isso é de interesse de (quase) todo o setor produtivo: os grandes e os pequenos da agropecuária e da indústria, trabalhadores, classe média, universidades, corporações no interior do Estado, etc. De outro lado, a luta pela nclusão social, coisa que não interessa à classe média e alta, que sempre se beneficiou com a pobreza. Como equacionar isto? Carregar as duas pautas ao mesmo tempo?

  29. Golpe consolidado, esqueçamos

    Golpe consolidado, esqueçamos qualquer mudança de rota, colocar um escorpião destes como vice foi demais, as Instituções brasileiras só servem a Burguesia, novamente se fortalecerá as Oligarquias Regionais como no Maranhão e Bahia, Flávio Dino no MA que se cuide pois o bigodudo nojento quer tomar de novo os cofres do Estado……tudo muda para nada mudar, a roubalheira agora esta livre, não tenham dúvidas que a PF será enfraquecida e só pegará (como dantes) apenas meia dúzia de sacoleiros do Paraguay, o Pré-sal ( a cereja do bolo) irá para os States, a terceirizaçaõ avancará, pois a FIESP, FEBRABAN E ANFAVEA vão cobrar a fatura que com este parlamento imundo passará fácil (em nome de Deus e da Bala), daqui a alguns meses tudo estara normal, debates de eleições municipais no Diário Oficial que é a Globo e todos os candidatos do PT, PCDOB e de esquerda participando e corroborando com o monopólio, não basta fazer omeletes tem que participar…..quanto a mim não participo mais desta farsa eleitoral, anularei meus votos, me resta alguns anos para a aposentadoria e se não aprovarem logo a aposentadoria somente com 200 anos de contribuição penso em terminar meus dias em Portugal, Uruguay, sei lá qualquer lugar minimamente civilizado, quando ao meu único filho de 10 anos de idade, já vou providenciar a cidadania italiana por parte da mãe dele, para ter uma opção de escape…….

    E pensar que em cada município brasileiro temos parlamentos do mesmo nível pra baixo, desta merda da Câmara e Senado Brasileiro…..é assustador.

    Para entender melhor isso tudo é só ler Lima Barreto, indico os Bruzundangas, e outros livros do autor, para entender que isso aqui não tem solução……

  30. Golpe consolidado, esqueçamos

    Golpe consolidado, esqueçamos qualquer mudança de rota, colocar um escorpião destes como vice foi demais, as Instituções brasileiras só servem a Burguesia, novamente se fortalecerá as Oligarquias Regionais como no Maranhão e Bahia, Flávio Dino no MA que se cuide pois o bigodudo nojento quer tomar de novo os cofres do Estado……tudo muda para nada mudar, a roubalheira agora esta livre, não tenham dúvidas que a PF será enfraquecida e só pegará (como dantes) apenas meia dúzia de sacoleiros do Paraguay, o Pré-sal ( a cereja do bolo) irá para os States, a terceirizaçaõ avancará, pois a FIESP, FEBRABAN E ANFAVEA vão cobrar a fatura que com este parlamento imundo passará fácil (em nome de Deus e da Bala), daqui a alguns meses tudo estara normal, debates de eleições municipais no Diário Oficial que é a Globo e todos os candidatos do PT, PCDOB e de esquerda participando e corroborando com o monopólio, não basta fazer omeletes tem que participar…..quanto a mim não participo mais desta farsa eleitoral, anularei meus votos, me resta alguns anos para a aposentadoria e se não aprovarem logo a aposentadoria somente com 200 anos de contribuição penso em terminar meus dias em Portugal, Uruguay, sei lá qualquer lugar minimamente civilizado, quando ao meu único filho de 10 anos de idade, já vou providenciar a cidadania italiana por parte da mãe dele, para ter uma opção de escape…….

    E pensar que em cada município brasileiro temos parlamentos do mesmo nível pra baixo, desta merda da Câmara e Senado Brasileiro…..é assustador.

    Para entender melhor isso tudo é só ler Lima Barreto, indico os Bruzundangas, e outros livros do autor, para entender que isso aqui não tem solução……

  31. A imprevisibilidade do Governo Temer.

    Os dias que se seguem trazem muita imprevisibilidade. Os primeiros passos dados mostram que em nada mudou a construção ministerial de Temer, é uma distribuição de cargos entre amigos políticos mais próximos, gente do mercado e aliados políticos de ocasião.

    A discussão que se abre é a seguinte: o que Temer pretende fazer com sua “ponte para o futuro” será possível de ser viabilizado?  Os meios de comunicação aliados, a repressão nas ruas aos movimentos sociais e à juventude, o Judiciário e o Legislativo dão conta de sua implementação?

    A população média, que foi levada como uma boiada para pedir o Impeachment e o povão desligado do mundo da Política e da realidade econômica que se desenha com Temer podem continuar a serem manipulados? Ou virá a fúria louca de uma manada desgovernada, quebrando tudo por se sentir enganada?

    Nós que somos de uma parcela da sociedade mais informada e mais consciente dos passos pretendidos pela Elite brasileira, que no final das contas patrocinou a faixa presidencial para o Temer continuaremos nossa Luta contrária ao que se passa, ao Golpe de Estado e ao retrocesso econômico-social sem descontrole, chateados estamos, mas, prontos para a batalha futura.

    E esse povo todo midiotizado, que não vai acreditar no que vê, quando uma CLT for rasgada, quando o pai aposentado tiver sua aposentadoria em vias de não lhe garantir aumento anual e nem sequer a segurança de receber 1 salário mínimo ou, ainda, quando se propor que os homens só podem aposentar a partir dos 65 anos, etc. O que se faz com este povo?

    Qual o limite do controle das massas? E, quando se assistir um arrefecimento do “combate à corrupção” dos aliados de Temer? A população vai ser manipulada a acreditar que tudo era só com o PT que acontecia?

    Estaremos criando um descontrole social maior ou um desalento de tal magnitude que tudo será como o desejado no script da Elite brasileira, para implementar a sociedade do 1%?

    Soltar fogos de Fora Dilma e leve o PT junto dura quanto tempo?

    A Rede Globo e parcela da massa contrária ao Golpe e mais exaltada vão poder se encontrar pela frente mais alguma vez?

    E, nós veremos o silenciar de um Mídia Ninja, dos Jornalistas Livres, etc. por parte do Governo Temer? Como se dará a relação Internet e Governo Temer?

    A escolha do Ministro da Justiça do PSDB é sinal de que teremos uma linha dura contra o conjunto da sociedade mais organizado e ligado aos movimentos sociais e perseguição maior ao PT visando eleições futuras e manutenção do Golpe pós-Julgamento no Senado. Eles, os movimentos sociais, encontram seus caminhos de se manifestar, suas lutas estão em campo faz tempo. E as Olimpíadas, por hora, inibirão ações mais radicais do Governo Temer contra os movimentos sociais e contra a juventude. 

    Agora, quero ver o que fazer com a massa dos midiotizados. Quem controlará eles, se um dia fizerem igual fizeram no 13 de março na Paulista e sua fúria, quase louca, de querer derrubar todo o mundo da Política.

    E a molecada desligada do mundo, quando seu smartphone não mais acompanhar a tecnologia de ponta e o seu Mizuno não puder ser comprado. Só na vitrine da loja namorando e vendo que não passa de um sonho.

    Está muito fácil dar a faixa presidencial para o Temer. O difícil é a previsibilidade do pós-Golpe de Estado, em uma sociedade ensinada e experimentada a TER e não a SER e que, a plutocracia quer dificultar a Vida dela, com a valorização brutal do Mercado em detrimento do Setor Produtivo com uma distribuição de renda e com empregos de qualidade e com salários capazes de tornar o sujeito participante do banquete da propaganda capitalista.

    A Esquerda militante se vira, não vai se desesperar se o ônibus na rodoviária a espera e o avião vira artigo de luxo. E, esse povo todo que assiste Rede Globo de Televisão e vê o merchandising na novela das 9, mas não vai mais poder viajar de avião ou comprar o sonhado I-Phone 8, como é que se faz para explicar, que o Governo da mudança, que tirou o PT, que só “fez coisas ruins para o País” não permite esta possibilidade, que um dia tiveram com Lula e Dilma?

    O descuido no discurso pode levar a consumação do ditado: O PEIXE MORRE PELA BOCA! Talvez, aí esteja a estratégia de darem pouco a palavra ao Temer, por hora.

    Deputado e Senador da oposição (agora, por hora, situação) dizendo barbaridades dos anos do PT no Governo Federal e apoiando o Neoliberalismo radical Plus 2.0?

    As contradições entre discurso e prática cabem em 2016?

    Dilma chegou ao patamar de menos de 10% de aprovação pelo modelo econômico implementado, também. Não apenas fruto do boicote ao seu Governo no Legislativo e perseguição total da velha mídia. Não obteve apoio das ruas para o Plano Levy e o Legislativo oposicionista se aproveitou, por completo, da situação.

    E o contrário pode existir? Ter apoio irrestrito da velha mídia assegura a implementação do Neoliberalismo radical Plus 2.0 pelo Governo Temer? Assegura popularidade? Assegura continuidade até 2018? Assegura uma atitude mais radical de implementar um parlamentarismo ou de adiar as eleições de 2018 para 2020, se justificando com a ideia de que somente 4 anos de Governo podem ajustar de vez a casa, arrasada é óbvio pelo PT? Em tempos de Internet isto é possível? impedir  de termos candidatos progressistas, do PT, de esquerda ou desenvolvimentistas? Eu creio que não!

    Temer é impopular e ilegítimo no Poder e quer implementar um modelo de sociedade exclusivo para uma parcela pequena da sociedade e que podemos dizer mínima.

    Veremos o que se sucederá. O povo organizado vai Lutar contra e dará um jeito de sobreviver e encontrar caminhos para manter uma Vida equilibrada financeiramente e com dignidade. E povo desorganizado, o povo mais medroso, o povo midiotizado, o que farão, quando o salário não comportar o carrinho de supermercado cheio e o churras com cerva gelada e nem der para a classe média tradicional trocar de SUV ou manter o seu plano de saúde top, sem estourar o cartão e o orçamento mensal?

    Em um Governo desenhado como de solução para os problemas do País? Do País ensinado a ser feliz pelo bolso e pelas coisas materiais.

    Continuamos na Luta! Hoje um pouco tristes, nós, militantes aguerridos da Esquerda, porém, não vamos abaixar a cabeça não! Vamos, sim! Defender com ideias e ações coletivas, para ampliar a consciência popular, o Mandato legítimo da Presidenta Dilma, que, acreditamos, após o período de Julgamento no Senado, será retomado e poderá colocar de novo a Democracia em Pé e a busca por uma sociedade mais igualitária e desenvolvida no prumo certo, novamente. E, com a Presidenta Dilma mais amadurecida do que nunca e mais fortalecida socialmente. 

    Enfim, o outro lado da contenda tentará ferir de morte o mandato de Dilma, bem sabemos, mas a realidade concreta, o cotidiano pode pregar surpresas. A sede de ir com tudo ao pote de ouro poderá ser o tropeço definitivo dos golpeadores de hoje. Se não vier o retorno da Presidenta Dilma continuaremos na Luta! A Esquerda se uniu neste episódio e tem uma parcela de brasileiros unida em torno dela, que é significativa, aguerrida e consciente dos passos a serem dados. E tem votos suficientes para concorrer em qualquer Eleição e ganhar, novamente, tendo junto dela todo um conjunto da sociedade ligado à Constituição, ao Estado Democrático de Direito e à Democracia, ela ganhou este tecido social, que estava disperso e com o Golpe ficará junto da candidatura democrática das esquerdas em 2018.

    PS.: O que chama atenção é ver uma parcela de remediados comemorar o que seria impensado comemorar numa sociedade minimamente informada. É o desmonte da razão e do conhecimento. Fruto de uma sociedade muito longe de ter consciência sobre Política, sobre Economia, sobre em que lugar estamos na pirâmide social e qual a nossa possibilidade em meio ao Governo ilegítimo do Temer de aprofundarmos um tanto mais e, certamente, de forma permanente, a sociedade do 1% versus exclusão social e a ampliação das desigualdades sociais.  Um dia quem mexe com as emoções de remediados alienados vai pagar a conta. Já está próximo o dia de ter gente que não pode pôr os pés fora de casa com medo de não voltar para casa são e salvo.

     

  32. Governo Paralelo

    GOVERNO PARALELO

    Proposta Nº 1

     

     

    Comissão Popular de Inquérito

     

    Art. 1° Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.

     

     

    Se o que se quer é combater a corrupção de forma mais eficiente e não combater quem a tem combatido de forma incansável, eis aqui um excelente instrumento.

     

    Em todas as casas legislativas, em todos os níveis, municipal, estadual, distrital e nacional, existe as chamadas CPIs, para examinar questões especificas propostas pelos parlamentares das tais casas.

     

    Dependendo das composições políticas e partidárias, essas comissões têm servido mais para acobertar os interesses dos governos de plantão, sejam quais for sua coloração ideológica, do que realmente apurar, punir e apontar rumos sobre os delitos investigados. Está aí a Assembléia Legislativa de São Paulo e sua resistência em instalar CPIs contra o governo que não nos deixa mentir.

     

    Isso tem trazido enorme desgaste a prática política, levando a maioria da sociedade ao desânimo e a falta de perspectiva com relação a solução de problemas causados pela corrupção incrustada em todo os poderes, em todas as instancias.

    Precisamos então inovar e renovar esse instrumento investigativo, criado pelo parlamento Inglês há séculos e que até os nosso dias não sofreu qualquer evolução, vindo desse fato, creio, muito de seus vícios, manipulados por parlamentares e políticos em geral, cada vez menos comprometidos com a transparência  e apuração dos fatos. No Brasil a introdução para valer deste instrumento data de 1934.Então vamos ao novo instrumento que passo a descrever.

    01 – A CPI 2.0 – Comissão Popular de Inquérito – Será estabelecida através de Projeto de Emenda Popular para todas as casas legislativas do país, com todos os poderes de uma CPI, como conhecemos hoje. Essa iniciativa evita o desgastante trabalho de travar a batalha casa a casa legislativa para a implantação dessa extraordinária ferramenta.

    02 – Nas casas legislativas onde já existe um número regular de CPIs por ano legislativo a serem instaladas, será destinado a quantidade 1/3 para a Iniciativa Popular. Onde essa quantidade não está estabelecida, um número de CPIs 2.0 será estabelecido por ano legislativo, de acordo com o colégio eleitoral de cada grupo de cidades.

    03 – O pedido de CPI 2.0 será protocolado junto ao Tribunal Eleitoral competente, por organizações sociais e/ou membros da sociedade civil, desde que conte, o pedido, com um número mínimo de assinaturas solicitando sua instalação.

    04 – Feita a checagem das assinaturas de pedido de instalação, o tribunal contará prazo para a coleta de assinaturas necessárias ao andamento da CPI 2.0.

    05 – Caso haja duas solicitações de mesmo teor, previamente aprovadas junto ao tribunal, a CPI 2.0 a ser instalada será aquela que no prazo regimental estabelecido conseguir as assinaturas exigidas; Ex. Se o grupo X registrou seu pedido 2 minutos antes do grupo Y, o tribunal contará prazo e mesmo que o grupo Y tenha conseguido antes as suas assinaturas, deverá aguardar o fim do prazo dado ao grupo X para atingir seus objetivos.

    06 – As assinaturas a serem obtidas para instalação da CPI 2.0 será proporcional ao universo de eleitores da localidade, como estabelece a CF para encaminhamento de emenda popular.

    07 – Aprovada a instalação da CPI 2.0, toda a sua composição será feita de acordo com as determinações dos grupos que a solicitou, podendo dela fazer parte ou não parlamentares.

    08 – Será destinada verba e condições gerais (financeira, material e humanas) para a instalação e funcionamento da CPI 2.0, devendo seus membros receber os mesmos proventos dos parlamentares eleitos durante o seu funcionamento.

    09 – O prazo de funcionamento da CPI 2.0 é o mesmo de uma CPI, tendo seus membros os mesmos poderes e imunidades, que cessarão imediatamente ao seu término, devendo seus componentes voltar às suas funções anteriores.

    10 – As decisões, propostas e encaminhamentos tomados pela CPI 2.0 terão força de Medida Provisória, só podendo ser derrubada pelo parlamento através de votação qualificada.

    A simples existência em todas as casas legislativas do país de tal instrumento tem a força de uma espada de Dâmocles sobre a cabeça do parlamentar e fará com que pensem duas ou mais vezes antes de legislar apenas em causa própria ou de grupos restritos. Também serviria para evitar o surgimento de diversos escândalos em nível municipais e estaduais, proporcionando ao munícipe um maior controle de gastos.

    Edivaldo Dias de Oliveira

  33. klatoo barada nicto (3)

    os 13 anos de lulismo chegam ao seu patético e anunciado desfecho. sem a bolha das commodities, a estratégia de conciliação permanente expirou seu prazo de validade. a Direita já não quer conciliar, seu objetivo é a brutal espoliação da renda e dos direitos dos trabalhadores.

    apesar da imensa vitalidade das ruas em apoio à Democracia, Dilma já se resignara a sair escorraçada do Planalto. jamais teve qualquer intenção de “resistir e lutar até o fim”, como declarou em seu discurso no último 1º de Maio. mesmo com o Povo sem Medo inundando as ruas, Dilma se manteve isolada nos gabinetes e atos oficiais. passou a nítida impressão de esgotamento pessoal, como se houvesse perdido, além da capacidade, a vontade de continuar governando.

    Lula, por sua vez, desapareceu desde o teatro dos horrores encenado na votação da Câmara. após sua condução coercitiva, prometera percorrer o país de ponta a ponta. esteve presente em apenas poucos de eventos, e logo dedicou-se ao que mais gosta de fazer: os conchavos de gabinete e acordos fisiológicos.

    agora, o lulismo, ex-governista, aposta no quanto piro melhor. mas 2018 continua sendo um ano longe demais… 2018 permanece como uma miragem inalcançável por qualquer dos atuais agentes políticos estabelecidos. as instituições faliram. não sairemos desta crise. a partir dela só há portais de entrada: ou o neo-fascismo ou a refundação da República e a reconstrução da Democracia.

    ainda mais grave do que a crise política, econômica, social e institucional, vivemos os horrores de uma inédita crise ecológica. não apenas a economia, mas principalmente nossos corpos estão sendo profundamente afetados pelas mudanças climáticas.

    dengue, zika, chikungunya, insônias, náuseas, labirintites. nada mais do que sintomas da crise ecológica. rompeu-se o delicado equilíbrio dos eco sistemas.

    e assim, num tempo da hiper conexão e do excessivamente simbólico, chegamos a esta sexta-feira, 13. é tudo descarado, está tudo escancarado.

    klatoo barada nicto. Gort: “user invalid id”. 5,4,3,2,1…

    .

  34. EUA controlam ONGs expulsos da Rússia

    Para lembrar a algum governo que queira realmente garantir a SOBERANIA NACIONAL:

    MOSCOU – Um grupo que trabalha sem finalidades de lucro e promove a democracia é o mais recente grupo ligado aos EUA a ser banido de território russo, nos termos da lei sobre organizações “indesejáveis” que o presidente Vladimir V. Putin assinou em maio. 

    NYT esconde que os EUA controlam as tais “Organizações Privadas (Não Governamentais) Sem Finalidades de Lucro e suuuuuuuper Pró-Democráticas” (ONG-SFL-SuuuuuuPD) que a Rússia acaba de expulsar de seu território – 12/3/2016, Moon of Alabama

    O que vem a ser uma Organização Privada (Não Governamental) Sem Finalidades de Lucro e Pró-Democracia?

    Rússia bane do território russo Organização Sem Finalidades de Lucro e Pró-Democracia (ing.)

    MOSCOU – Um grupo que trabalha sem finalidades de lucro e promove a democracia é o mais recente grupo ligado aos EUA a ser banido de território russo, nos termos da lei sobre organizações “indesejáveis” que o presidente Vladimir V. Putin assinou em maio. 

    Na 5ª-feira, o gabinete do procurador geral da Federação Russa declarou banido o “National Democratic Institute”, acusado de “ameaçar os fundamentos da ordem constitucional e da segurança nacional da Rússia.”

    O trecho acima, publicado pelo jornal NYT dedica-se atentamente a não explicar o que realmente é o tal grupo “sem finalidades de lucro e pró-democracia”. Nem alguma mínima referência à fonte do dinheiro que mantém o tal grupo ou às relações com outros estados e governos não russos.

    O National Democratic Institute, grupo que promove a democracia e a sociedade civil, operava na Rússia diretamente desde o final dos anos 1980s; em 2012 decidiu fechar o escritório que mantinha naquele país, como se lê no website. Mas continuou a criar e implantar programas na Rússia mediante organizações parceiras. Madeleine K. Albright, ex-secretária de Estado dos EUA é a presidenta do grupo.

    Interrogada sobre as sanções que os EUA impuseram ao Iraque, Madeleine Albright disse certa vez (vídeo) que 500 mil crianças iraquianas era “preço justo” [orig. “worth it”]. Como se sabe, qualquer organização liderada por gente desse tipo sempre será moralmente boa. Mas quem paga as contas? E por que paga?

    Para saber exatamente o que é essa organização “sem finalidades de lucro” é importante conhecer a posição russa. Mas o ‘jornalista’ do NYTatentamente esconde de seus leitores o fato de que o NDI presidido por Albright é organização mantida pelo governo dos EUA. 

    É “organização sem finalidades de lucro” tanto quanto as Forças Armadas dos EUA são “organização sem finalidades de lucro”. 

    A  NDI envolveu-se ao longo dos anos em dúzias de golpes de direita para “mudança de regime”. É filha em linha direta de descendência de outra “organização sem finalidades de lucro”, a National Endowment of Democracy [aprox. Dotação Nacional para a Democracia] norte-americana:

    A National Endowment of Democracy, NED é organização de direito privado, mantida pelo Congresso dos EUA, e ferramenta sempre controvertida de política externa dos EUA, porque sempre atua apoiando esforços dos EUA para derrubar governos estrangeiros. Como escreveram Jonah Gindin e Kirsten Weld, no NACLA Report on the Americas de jan./fev. de 2007: 

    “Desde [1983], a NED e outras instituições governamentais e não governamentais para promoção da democracia intervêm com sucesso a favor, não de qualquer democracia, mas só de um tipo muito particular de democracia de baixa intensidade, que opera em cadeia com economias pró-mercado, em países que vão da Nicarágua às Filipinas, da Ucrânia ao Haiti, sempre derrubando governos ‘autoritários’ pouco amistosos no trato com os EUA (muitos dos quais, antes, foram apoiados, quando não foram diretamente postos no poder, pelos EUA), e substituindo-os por aliados pró-mercado escolhidos a dedo”[Nota 2, no orig., sem referência (NTs)]. 

    A NED opera principalmente mediante quatro institutos centrais: o National Democratic Institute for International Affairs (NDIIA ou NDI), oInternational Republican Institute (IRI), o American Center for International Labor Solidarity (ACILS) e o Center for International Private Enterprise – os quais representam respectivamente: os dois maiores partidos políticos dos EUA, os grandes sindicatos nacionais e a comunidade empresarial.+

    Designar o NDI e organizações irmãs como “não governamentais” é obviamente falso. Dizer que seriam “pró-democracia” só é verdade se se esclarece que se trataria de um determinado tipo de “democracia” que só funciona em países estrangeiros, onde seja preciso promover interesses empresariais e comerciais dos EUA, acima dos interesses das populações locais (e também contra esses interesses).

    A organização que o procurador geral da Federação Russa chutou para bem longe do território russo é, bem obviamente, órgão do governo dos EUA. A NDI atuava clandestinamente na Rússia, financiando operações e ações e movimentos contra o governo legal e legítimo que os russos elegeram, e contra o interesse do próprio povo russo.

    O New York Times, de mentalidade paroquiana atrasista e golpista, não apenas não informa, como faz o possível para que seus leitores tenham chance praticamente zero de virem a ser corretamente informados sobre esses fatos.*****

    Veja mais em: http://port.pravda.ru/russa/17-03-2016/40593-eua_ongs-0/#sthash.2oExspne.dpuf

  35. É a lava-jato estúpido.

    O objetivo central é anular a lava-jato.

    O que vier depois é lucro.

    Uma anulação da lava-jato favorece a todos, principalmente ao PT e ao PMDB.

    Gilmar aceitou investigar Aécio. Piada.

    O nome de Gilmar aparece na lista de furnas.

    Provavelmente nunca mais ouviremos falar desta lista.

  36. Me recuso a chamar um

    Me recuso a chamar um golpistas de presidente. No máximo e com a maior polidez, usurpador. Qualquer democrata que chamar o Temer de presidente não passa de poliana. 

  37. Contra-golpe. Boicote comercial.
    Dentre as estratégias do PT deveria constar o boicote à mídia golpista e às empresas que nela anunciam. Boicote comercial.

    • Boicote ao Itaú

      Perfeito, Catarina.

      O Banco Itaú foi um dos financiadores do golpe e emplacou seu empregado na chefia do Banco Central.

      O Banco Itaú precisa sofrer as consequências de seu golpismo contra a Democracia e o Direito

      • Boicote

        Vamos boicotar. E deixar bem claro o boicote nas páginas sociais deles. Se não for possível fechar uma conta porque é onde recebemos o salário, passar o investimento para outro banco e deixar esse recado para eles. Nos recusemos a usar os servicos dos golpistas.

  38. Nassif,

    “O motivo mais lógico é que um presidente interino interessaria ao PT em 2018. Consolidar-se-ia a noção da ilegalidade, recuperaria a imagem de Dilma, como vítima de um golpe, e deixaria o partido livre para reagrupar forças e preparar-se para 2018 confiando no fracasso de Temer”.

    Caro, não esqueça que a próxima etapa visa a prisão e a inelegibilidade de Lula.

    • Bem lembrado, Rui

      Mas prisão de Lula acho que não (a não ser que uma criminalização mais geral da esquerda se torne um “projeto”, que isso seja necessário como… vai, “cortina de fumaça”), inelegibilidade, sim.

      Ou ainda, como eu disse alhures, e muitos outros andam dizendo, que se lance o parlamentarismo como “terceira via” golpista, numa tentativa de cala-boca a todos os presidenciáveis, da esquerda à direita, potenciais desestabilizadores políticos da “nova ordem”.

      Aliás, é o que muitos senadores anteciparam ontem e hoje no pré-voto fatídico, corroborando o acontecido na Câmara: tudo não passou de uma moção de desconfiança informal, que só aguarda “formalização” do STF. E aí, pra formalizar o resto, é um pulo, né?, transformando o golpe em um sistema de governo parlamentar completinho. 

    • Se o PT realmente pensou
      Se o PT realmente pensou assim que nem o Nassif sugere, ele foi de uma irresponsabilidade impar. Primeiro que não há mais garantias de volta ao poder pela via democrática. Os golpistas que tomaram o poder hoje não fizeram o golpe para ficar apenas 2 anos e meio. O grupo que assume pensa em ficar de 6 a 10 anos pelo menos. Segundo que revelaria que o partido não teria estratégia nenhuma caso ainda fosse governo. O poder executivo teria se tornado um fardo pesado demais para ser carregado. Sem estratégia ou sem saber como lidar com o problema, preferem deixar alguém metido a espertinho se aventurar para depois voltarem à carga quando a maré estivesse favorável. Numa dessas, uma série de políticos da década de 60 apoiou o golpe, achando que os militares iam entregar o poder docemente para eles depois de um curto período e, logo em seguida, viram que a coisa não ia ser bem assim. Se eles pensaram assim, serão varridos da política brasileira em pouco tempo pela total falta de capacidade de avaliação da situação.

  39. o pt errou

    O PT vem errando em muitos aspectos, na comunicação principalmente. O Cardozo é o pior dos quadros do partido, sabotador. O que vamos assistir agora é um verdadeiro saque ao país, tudo com o apoio da Globo e no maior descaramento vão continuar colocando a culpa no PT, vão prender Lula e inviabilizar a candidatura dele pra 2018.

    • A Globo não vai apoiar, pelo

      A Globo não vai apenas apoiar, pelo contrário, vai governar, aliás, sei lá porque cargas d´agua o pais que adota uma Operação como a Mãos Limpas se dá mal e termina com o pais sendo governado pelos verdadeiramente corruptos, na Itália com Berlusconi, no Brasil com o TEMERoso…Lá e cá, um ponto em comum: a midia atuando como parte interessada do processo e salvando a pele de seus aliados..,..,o office boy do planalto não será incomodado com caça às bruxas como a Globo fez e continuará fazendo contra o PT,  pelo contrário, o governo usurpador será vendido como sendo um governo que trabalha, as obras em andamento e em em fase final de acabamento, como por exemplo a transposição do São Francisco, serão mostradas como realização do governo usurpador: tá vendo povo, as obras estavam paradas e agora foram terminadas…SQN

  40. Governo Temer

    Temer não tem o traquejo político para aguentar os rojões que ainda vem pela frente. Ele vai acabar segurando uma bomba de dinamite que vai estourar nos nossos colos e o pior é que acabaremos por juntar os estilhaços dessa explosão. E esqueci de citar um detalhe: agora o PT é oposição e o PT como oposição vai colocar mais dinamite nessa bomba para que a essa explosão tenha um efeito definitivo na vida dos brasileiros.

    • Não importa a qualidade da
      Não importa a qualidade da oposição… importa a quantidade !!! Temer tem uma base de 400 deputados !!! Se quiser, revoga até a Lei Áurea com isso !!!

  41. LUTO >>>>> DO VERBO LUTAR…

    Quando a cabeça não pensa o corpo padece, já dizia minha avó. Pois é, quem apoiou essa infâmia sentira e muito na própria pele essa infância que foi esse golpe. Foi o pior caminho abrir mão da democracia quando poderíamos experimentá-la por 100, 200 anos, é assim nas grandes economias. LUTO >>>>> DO VERBO LUTAR…

  42. A dúvida é se o dinheiro do Temer vem com o FMI a reboque

    Pelo visto vai ser duro ver a grana que o Temer prometeu para levantar o Brasil do marasmo econômico em que estamos metidos.

    O FMI deve estar babando para entrar aqui e mostrar serviço, distribuindo tostões a conta-gota pois está falido também.

    Vivemos em tempos interessantes.

  43. Avante Brasil!

    Bom dia senhores debatedores

     

    Enfim, terminou a primeira fase do teatro processual de expulsão da presidenta da república,  com fulcro na ignorância do povo bovino.

    Diante desse processo teatral delinquente, não tecerei mais uma “análise” do cenário político brasileiro, vez que já sabemos como nossos políticos estão “profundamente” interessados no bem comum. Aliás, é emocionante ver como “nossos representantes” trabalham em busca de um “futuro melhor” para o “povo brasileiro”.

    Tudo por aqui é lindo e a televisão não nos deixa mentir.

    De fato e de direto, o brasil é o país do futuro.

    Dá vontade de trabalhar, trabalhar e trabalhar para que possamos avançar, avançar e avançar em busca de um “futuro melhor”, para nós, para nossos filhos(as), para todo o sempre! 

    Cada dia que passa, o Brasil acorda com mais ordem e mais progresso!

    Viva! Avante Brasil!

    Brasil: ame-o ou deixe-o!

    Viva!

    ——————————————

    Todavia, não queria avaliar nosso maravilhoso cenário político. Afinal, “nossos” representantes  estão aí  trabalhando  até a madrugada, sem adicional, para o nosso futuro cada vez melhor.

    Quero seguir outro caminho de “análise”.

    Vou, pois,   aproveitar esse momento para  tecer alguns  comentários “técnicos” acerca de nosso cenário econômico atual.

    Para tanto, buscarei os ensinamentos da “ciência econômica” aplicada para embasar minha “análise”

    Vejamos.

    Se pegarmos alguns gráficos econômicos, baseados em séries históricas sérias, devidamente auditadas pelo tribunal de contas interpretativo para o passado com vistas para o futuro,  poderemos encontrar belíssimas projeções.  

    Todas apontando para o crescimento econômico em prol do povo brasileiro. 

    E, nesse sentido,  tudo nos leva a crer que  a meta será cumprida! 

    E  falar em meta,  segurança jurídica e   processo teatral delinquente, é mais que suficiente oara  provocar a  simpatia e a atração   dos “empresários” do mundo todo – com aquele espírito animal de porco  – , mormente, os que emprestam o dinheiro( sem pedaladas, é claro!).

    Não tenham dúvidas: já estamos atraindo gente muito boa para engrandecer ainda mais o  nosso Brasil democrático para o futuro.

    Viva!

    Com esse processo teatral delinquente  para o futuro melhor da nação, ” a gente aprendemos” que as contas do brasil é como as contas de padaria. Simples assim.

    Explico: na sua casa se a despesa for maior que a receita você deve cortar despesa para equilibrar o orçamento. Simples assim.

    Por exemplo, vamos imaginar uma situação de orçamento doméstico:

    Rubricas   Despesas                      Valor

    Escola secundária do filho:            1.000,00( até o enem, depois ele passa e será de graça numa “federal” Avante Brasil)

    Empregada doméstica:                    800,00  sem correção, 60 horas semanais(  você pode sentar para negociar que prevalece!)

    Plano de saúde particular :             3.000,00( médicos, laboratórios todos juntos em prol do Brasil. Avante brasil!)                           Supermercado:                               2.000,00( com “tomate”  para alimentar nosso futuro. Avante Brasil!)                          

    Aluguel:                                           3.000,00(para agradar o rentista  concorrente do banco, ambos contra o MST) 

    Juros do banco:                              5.000,00( meta para 2016 imexível! Avante brasil)

    Total:                                               14.800,00

     

    Salário    Receita:                          10.000,00 (3.000,00 na CTPS que gera emprego!  o resto “por fora” para agradar o brasil, o                                                                 patrão e o seu paraíso.  Avante Brasil!)                

    Saldo negativo:                              4.800,00 ( cheque especial 500% a.a impactando na meta imexível para agradar o                                                                      rentista amigo. Avante brasil)

    Vejam vocês como é simples. Basta cortar a escola do filho(1.000,00), o plano de saúde (3.000,00) e “negociar” com a empregada doméstica para que ela trabalhe de graça. Ou, talvez, pagá-la menos, após o “negociado”. É bom lembrar que você precisa aumentar sua “meta” de juros para “AGRADAR” o CAPITAL externo, gerador de emprego com carteira assinada! 

    Pronto.

    O “orçamento” ficará equilibrado  e seguirá ” a lei” do mercado. Você não desagradará seus rentistas amigos da ordem e do progresso. Simples assim.

    Avante Brasil!

    Desempregados  preparem, portanto,  suas CTPS! É certo que o PS de suas carteiras talvez sofra alguma “alteração” para o futuro melhor da nação.

    Avante Brasil!

    Agora teremos mais “empregos formais”. O fantasma do desemprego é coisa do passado!  Nossa divisão de trabalho está prestes a avançar, avançar e avançar ( nos direitos e com deveres).

    Viva!

    Temos políticos preparados no comando da “nação”. 

    Hip hip hurra!

    Mérito, produtividade e oportunidades estão, nesse momento,  “negociando” suas metas para o futuro nação !

    Avante Brasil!

    Panelas vazias    que antes eram batidas nas janelas,  agora ficarão cheias de comida gerando empregado formal para muitas empregadas domésticas “sem carteira assinada, só caia em cilada, você vai ser minha doméstica”.(prevalece o negociado)

    Viva!

    Aliás, vale lembrar,  essas terão agora o “direito” de sentarem na mesa de jantar com  suas patroas para negociarem o salário e  a melhor forma de realizar o trabalho doméstico.

    Avante Brasil.

    E tudo isso, graças aos ensinamentos da ciência econômica. Ciência que nos mostra como devemos agir perante o “mercado” em prol de um futuro cada vez melhor.

    Bravo!

    Por fim, tenho notícias de que os fatores de produção estão em festa na casa grande  do CAPITAL.

    O trabalho e a TERRA,    já chegaram. Carros de BOI estão estacionados na porta! A polícia está lá, com suas armas  para garantir a segurança de alguns para todos. Ao final, especula-se que  o padre vai rezar uma missa com a Bíblia na mão. 

    Hoje, portanto, é festa lá nesse “ap”.  Tem boi, bala, bíblia e birita  até o amanhecer!

    E a festa, depois que o padre for embora, vai ser do cabide. E o trabalho já disse que vai se despir primeiro!

    Confesso-lhes: é emocionante!

    Viva o Brasil. Viva o povo brasileiro. 

    Avante Brasil!

     

     

     

     

     

     

     

     

  44. O governo Temer vai ser um eterno criador de crises

    Não lhe sobra outra alternativa.

    Não se sustentará, salvo se produzir um arranque espetacular na indústria nacional, com a tecnonologia a reboque, destes de embasbacar a comunidade internacional.

    O Brasil é grande, cheio de gente trabalhadora e  motivada, será que ele consegue dar um Rumo, um Norte e uma Estrela para o povo e a nação brasileira?

    O Brasil continua a deriva.

  45. Comentários como esse abaixo
    Comentários como esse abaixo de Seu Álvaro abundam nos posts. Há uma máquina de moer democracia comandada por um império, há elites vagabundas que vendem a própria pátria, há milhões de escravocratas impenitentes nesse país, milhões de Egos cheios de “meritocracias”, onde só eles são os bons, especialmente de São Paulo para baixo, e Seu Álvaro acusando o PT de não se defender. Mas… se o PT somos nós, quem assim acusa, pelo menos já passou no site do PT e viu os pedidos de ajuda financeira? Se viu, está contribuindo? Está se preparando para fazer uma grande vaquinha para arrecadar fundos para ajudar o Presidente Lula e sua família? Porque eles não sossegarão enquanto não arruinarem o Presidente e seguramente teremos de ajudar. Está certo, o PT cometeu muitos erros, muitas ingenuidades, mas também fez muitas coisas boas. Eu sei que a crítica de Seu Álvaro é com boas intenções… Mas não exagere, Seu Álvaro, no momento a vítima é o PT, e está indefeso, necessitando de nós.

  46. A sociedade brasileira está se esgarçando

    O Caos e a Guerra Civil estão na soleira da porta do Brasil. Com o fraco desempenho da econômia Estados e Prefeituras estão ficando inadimplêntes, as empresas privadas tomam medidas acauteladoras frente a fraca demanda do mercado e os políticos na véspera das eleições em suas bases municipais, precisam gastar para impressionar seus eleitores.

    Cenário de alta demanda de dinheiro, com pouca disponibilidade.

    O Temer vai ter de trazer dinheiro para o Brasil de algum lugar com urgência urgentíssima.

    Ou mostra credibilidade e justeza nas suas ações e estratégias, ou fracassará rapidamente, junto com os oportunistas que lhe acompanham, estão com um grande abacaxi nas mãos, na minha opinião.

    Fora isto, os corruptos que assaltaram o Brasil e nos colocaram nesta situação devem ser investigados e punidos, doa a quem doer, é o mínimo que se espera. Como muitos do congresso estão com o rabo preso, os batedores de carteira que acham que escaparam da Lei com o impedimento da Dilma que estava apurando tudo, os holofotes estarão apontados para as investigações que devem receber o total apoio da Presidência da República.

  47. As árvores e a floresta (1)

    Uma vez consumado o Golpe, importante separar a parte do todo, o conjuntural do estrutural, as árvores da floresta. Começando pelas árvores.

    1. É Golpe. Não houve crime de Dilma, nem justificativa plausível que sustentasse isso nos relatórios aprovados na Câmara e Senado. O governo Temer é ilegítimo e criminoso, assim como criminosos são todos os que o apoiam.

    2. O último governo Dilma, interrompido de forma ilegítima, foi o mais limpo de todos os tempos. Não houve um traço sequer de favorecimento, corrupção ou enriquecimento ilícito de Dilma ou de seus auxiliares diretos. O PT se aprimorou, gestão após gestão, na redução da corrupção endêmica até chegar no estado da arte da honestidade governamental, que espantou o mundo (pois não há similar em lugar algum). Com o Golpe, o país jogou essa conquista no lixo. Governantes honestos, como Dino e Haddad, mostram que quando não se rouba, dá pra fazer muita coisa.

    3. Nassif matou a charada: Temer e os que o sustentam dominam apenas uma coisa: a tecnologia da fisiologia, irmã siamesa da corrupção. Por ser honesta e não querer entrar nesse jogo, Dilma caiu. Não por acaso Temer, o “usurpador corrupto”, na brilhante definição de Greenwald, e metido até a tampa em antigos esquemas no Porto de Santos, já botou o pé na Camex.

    4. O governo golpista que se configura é medíocre. Diferente do Golpe de 64, agora há ódio de classe e gênero, que provavelmente desembocará num regime fascista. Não há visão de desenvolvimento, como nos militares. Só instinto predatório. De similar em ambos os golpes o cinismo e a corrupção.

    4. Nos curto e médio prazos perderão todos: os miseráveis, os pobres e a classe média burra e iletrada – que veste amarelo, apoia corruptos, mas não sabe ler o mundo. Menos o 1% dos superricos, que deram o Golpe, com maquiagem jurídica e midiática espúria.

  48. As árvores e a floresta (2)

    Uma vez consumado o Golpe, importante separar a parte do todo, o conjuntural do estrutural, as árvores da floresta. Olhando agora para o longo prazo.

    1. A condenação de uma mulher honesta será uma ferida de fogo na nossa história, como a morte de Tiradentes. A marca da injustiça. Duas diferenças: Dilma é mulher e não conspirou, como o mineiro. Alguém aqui no blog comparou sua deposição com a morte de Sócrates, porque ambos eram honestos, tiveram oportunidade de aceitar ilícitos para evitar o pior, mas não o fizeram, por questão de princípios. O Brasil precisa mais de Dilma que Dilma do Brasil.

    2. O Golpe marca o fim da Democracia brasileira. Democracia não é um pedaço de papel, é um valor intangível, que está dentro das pessoas. O Golpe mostrou que não há apreço pela democracia nem nos corruptos que tomaram o poder, nem na “República” (ou “Getapo”) do Paraná, nem na velha mídia, nem no acovardado STF. Restaurar a legalidade será tarefa hercúlea do povo brasileiro, que parece ainda não ter se dado conta da imensa perda.

    3. O Golpe ilegal construído com aparências de legalidade jurídica mergulhará o país na violência e no caos por décadas. Por onde passa um boi, passa uma boiada. Uma nova classe de tiranos togados, talibans messiânicos, violentos e incontroláveis, como Sérgio Moro, emergirá do Golpe. E a tirania tenderá a aumentar para conter o contragolpe.

    4. O Golpe das elites mostra que nossas elites não entendem o que é uma nação grande, autônoma e autossuficiente. Não entendem que a redução das desigualdades, cláusula pétrea da Constituição de 1988, é condição para o desenvolvimento. Não há país desenvolvido com uma elite medíocre. O Brasil não merece a elite que tem, suburbana e vagabunda, rasa, corrupta, sonegadora e sugadora de recursos públicos. O campo progressista precisa se unir e se reorganizar para retomar o poder e ocupar, em definitivo, o lugar da elite apodrecida que estorva o nosso futuro. Será tarefa de gerações.

    • Um dia expulsaremos essa
      Um dia expulsaremos essa elite !!! Quando ela pilhar tudo o que tiver de valor no país já !!!

      O Brasil está morto para sempre !!!

      Essa elite vai devolver o país ao povo quando já tiver levado tudo o que tem de valor !!! Tal qual os Prtugueses, que roubaram o ouro Todo do Brasil e só depois que o nosso ouro estava todo nos cofres ingleses, largou isso aqui !!

      Quando todo o nosso sub-solo estiver seco, talvez a elite largue isso aqui, quando estivermos pior que a Somália !!!

  49. Golpe consumado: a luta agora será longa.

    Em relação à “Peça 3 – os caminhos jurídicos”, Nassif se equivoca. Como já tive a oportunidade de comentar em outra oportunidade, o golpe e JUDICIÁRIO, no sentido de ser capitaneado pela Justiça Federal (STF à frente) e o MPF (o que, evidentemente, não excluem outros agentes – PF, mídia, legislativo). Mas nada, nada mesmo, teria se iniciado e prosseguido sem o concurso do BLOCO JUDICIÁRIO.

    E teori (minúsculo mesmo), em sua decisão de ontem, deixo ABSOLUTAMENTE claro que o STF não irá se intrometer no processo do Senado, não irá avaliar o mérito do processo.

    Para sanar dúvida a respeito, reproduzo a seguir parte da decisão de teori, extraída das páginas 6 e 7 da mencionada decisão:

    “Submete-se a exame do Supremo Tribunal Federal questão relacionada a processo por crime de responsabilidade da Presidente da República (impeachment), que, como se sabe, não é da competência do Poder Judiciário, mas do Poder Legislativo (art. 86 da CF). Sendo assim, não há base constitucional para qualquer intervenção do Poder Judiciário que, direta ou indiretamente, importe juízo de mérito sobre a ocorrência ou não dos fatos ou sobre a procedência ou não da acusação. O juiz constitucional dessa matéria é o Senado Federal, que, previamente autorizado pela Câmara dos Deputados, assume o papel de tribunal de instância definitiva, cuja decisão de mérito é insuscetível de reexame, mesmo pelo Supremo Tribunal Federal. Admitir-se a possibilidade de controle judicial do mérito da deliberação do Legislativo pelo Poder Judiciário significaria transformar em letra morta o art. 86 da Constituição Federal, que atribui, não ao Supremo, mas ao Senado Federal, autorizado pela Câmara dos Deputados, a competência para julgar o Presidente da República nos crimes de responsabilidade. Por isso mesmo, é preciso compreender também que o julgamento, em tais casos, é feito por juízes investidos da condição de políticos, que produzem, nessa condição, votos imantados por visões de natureza política, que, consequentemente, podem eventualmente estar inspirados em valores ou motivações diferentes dos que seriam adotados por membros do Poder Judiciário”.

    O que é importante frisar: golpe foi consumado; agora, em cena, os atores/agente habituais que costumamos acompanhar terão seu protagonismo atenuado; ganha relevância outro ator/agente: o povo. Evidentemente, a temporalidade de ação desse ator/agente abstrato é uma temporalidade larga e estendida.

    Sigamos na luta!

    O que posso desejar agora: muita disposição e sorte para todos nós nessa nova jornada pela restauração da democracia brasileira; jornada que não será, provavelmente, larga e estendida no tempo.

    • quanto às pgs 6 e 7…

      o que dizer disso:

      Ministro Roberto Barroso, em seu voto vencedor na ADPF 378 (p. 87 do voto), ao aduzir que “A indicação da tipicidade é pressuposto da autorização de processamento, na medida em que não haveria justa causa na tentativa de responsabilização do Presidente da República fora das hipóteses prévia e taxativamente estabelecidas. Se assim não fosse, o processamento e o julgamento teriam contornos exclusivamente políticos e, do ponto de vista prático, equivaleria à moção de desconfiança que, embora tenha sua relevância própria no seio parlamentarista, não se conforma com o modelo presidencialista, 

      e todos os ministros seguiram seu voto quando da definição do rito do impeachment vencendo o prório teori (minúsculo mesmo).

      opa! acho que errei: Barroso venceu foi Fachin??  Fiquei na dúvida.

       

       

    • A ação do Maranhão, ponto fora da curva do golpe, a Real do Golp

      Não se analisou a motivação da ação do Presidênte da Câmara dos Deputados Federais, Waldir Maranhão, exigindo que lhe pagassem o pau para ele integrar ao script do processo de impedimento que está sendo urdido por ambas as partes, mas que se mostram velhacamente antagônicas. Farsa rocambolesca e circence.

      Só um ingênuo para pensar que num país onde 90% senão 110% dos envolvidos com o governo brasileiro estão enfiados até o pescoço em falcatruas penais e devem satisfações com a justiça não existe uma luta de vida e morte para escapar da punição e da cadeia, assim, mesmo a mídia e a net não falando, fica claro e evidente que o atual processo foi montado para que não desse em condenação a nenhum dos bandidos que assaltaram o povo e a nação, livrando-os de penas e punições.

      O Maranhão pegou o bonde andando e quis receber sua parte para manter a farsa do impeachment que irá absolver a todos, os articuladores não contavam com sua ousadia, e cá entre nós, se você quer vencer é preciso ser ousado, anulando a votação ele conseguiu o seu intento. Agora que já foi devidamente integrado e recompensado pode continuar na presidência.

      O roteiro do Golpe, que é útil para a pizza na esplanada, mas que sucumbe o Brasil nas trevas e liquida de vêz com o povo, esta sendo executado, como se vê, aos trancos e barrancos. Com surpresas de todos os lados, mas com um só intento, passar a conta de forma final e inexorável para o Brasil e sua população.

      O Nassif, dono do espaço colaborativo aqui, deve estar inteirado de alguns destes detalhes que estão sendo omitidos, mas que transparecem nestes momentos singulares, como a anulação de sessões pelo Maranhão e outros, mas colabora para o andamento da farsa. Os dois lados, tanto o governo da dona Dilma, como a oposição, vejam que existem condenados de todas as cores, remam para o mesmo objetivo. A democracia brasileira foi liquidada e enterrada, o que exigirá uma luta imensa para a sua retomada.

      Por outro lado, como a solução para os problemas reais do Brasil e sua população escapa ao alcance intelectual dos bandidos que estão fugindo da cadeia, ou seja, a formulação de política pública que entregue Rumo, Norte e Estrela para o Brasil, quando conseguirem o seu intento de absolvição, já terão destruído todas as condições anteriores de um desenvolvimento saudável e pacífico.

      O Brasil e seu povo não merecem isto, uma injustiça sem tamanho está sendo perpetrada contra nós, a vingança será maligna.

      • Vingança nada !!! 
        Se o

        Vingança nada !!! 

        Se o pessoal do regime militar se auto-anistiou, todos os militares, torturadores, etc, curtiram a velhice, os netinhos, e ainda arrotam superioridade, pq nos vingaremos agora ??

  50. PERPLEXIDADE E INDIGNAÇÃO

    A decisão do senado de aceitar prosseguir com o julgamento da Presidente da República por crime de responsabilidade inexistente evidencia à exaustão o fato de que a busca de tutela judicial junto ao STF constitui a melhor, e talvez a única, alternativa capaz de evitar a destituição do mandato presidencial de maneira flagrantemente inconstitucional.

    E restam já evidenciados os fundamentos que demonstram o fato de que as decisões da câmara dos deputados e do senado que autorizaram o julgamento violam o artigo 85 da Constituição Federal, e, por conseqüência também o artigo 86, em razão da inexistência de condutas ilícitas tipificadas atribuíveis à Presidente.

    O texto intitulado AINDA HÁ TEMPO PARA TUTELA JUDICIAL, postado ontem na forma de comentário no GGN e em dois outros sites, demonstra que os fatos apontados na denúncia como sendo prova de crime de responsabilidade não constituem crime nenhum, em face da inexistência de prévio pronunciamento legal acerca da arguida irregularidade das práticas denunciadas na época em que foram realizadas.

    E inúmeras manifestações de pessoas e instituições altamente credenciadas têm sido firmes na afirmação de que não existe crime de responsabilidade da Presidente Dilma.

    No texto acima referido resta demonstrado que as denominadas pedaladas fiscais não eram consideradas práticas irregulares até outubro/2015, e que tal prática foi realizada pelo governo Dilma apenas antes da referida data. Bem como que as pedaladas fiscais não envolvem ato de ofício da Presidente, visto que a administração orçamentária é conduzida por um grupo de servidores que não inclui a primeira mandatária.

    Ademais, restou demonstrado que o governo aponta que o aumento de despesas com juros foram compensados pela redução de outros gastos públicos, tendo assim sido garantida a inexistência de violação da Lei de Responsabilidade Fiscal.

    E resta também demonstrado que os decretos de créditos suplementares foram sempre considerados prática regular, utilizada por diversos governos desde a década de 90 do século passado, e que a mudança de entendimento ocorreu apenas em data posterior à assinatura de tais decretos pelo governo Dilma. Bem como que os decretos de créditos suplementares assinados pela Presidente Dilma foram referendados pelo congresso nacional, em decisões que comprovam a regularidade dos referidos decretos.

    Ademais, em face da ampla demonstração da inexistência de crime de responsabilidade da Presidente da República, resulta evidente a violação dos artigos constitucionais supra referenciados, o que caracteriza a obrigatoriedade da apreciação do mérito da causa por parte do STF, que não poderia se eximir de julgar uma violação da Constituição Federal.

    Então, é dever da Presidente Dilma Roussef utilizar os meios legais aptos a defender o mandato presidencial que lhe foi conferido pelo povo brasileiro.

    À luz do exposto, resta caracterizada uma situação que causa perplexidade, na medida em que a defesa da Presidente Dilma permanece sem interpor ação judicial apta a evitar a ilegal e inconstitucional interrupção do mandato conferido por 54 milhões de votos.

    • ADENDO AO COMENTÁRIO

      Cabe acrescentar que a inteiro da teor da decisão do ministro Teori Zavaski no mandado de segurança 34.193, interposto pela defesa da Presidente Dilma Roussef, não aborda as questões relativas à inexistência de crime de responsabilidade e à resultante violação dos artigos 85 e 86 da Constituição Federal.

    • ADENDO AO COMENTÁRIO

      Cabe acrescentar que o inteiro teor da decisão proferida pelo ministro Teori Zavaski evidencia que mandado de segurança 34.193, interposto pela defesa da Presidente Dilma Roussef, não aborda as questões relativas à inexistência de crime de responsabilidade e à resultante violação dos artigos 85 e 86 da Constituição Federal.

  51. O fim das liberdades e da democracia

    O fim da democracia, das liberdades e de um regime

    Por todos esses anos da conturbada política brasileira de traição à Pátria, roubalheiras mil e  incontáveis trapaças, com base em tudo que já escutei, vi e li, ousar afirmar que cerca de 90% dos políticos e juízes estariam enquadrados em coisas erradas e ou bandidagens e ou incompetências. Idem, na área da grande mídia “livre”. Com toda certeza desse mundo que o povão também assina em baixo.

    Assim sendo, a turma de preto (informação) que vem no comando de tudo isso, presentes em todos os lugares, possui ficha corrida de todo o mundo, desde os menores desvios de condutas até aos maiores e mais comprometedores. Passando por pequenas trapaças, traições, amantes, homossexualismo, sonegações, roubalheiras e outras incontáveis mais.

    Independente de outros acertos e compromissos, de posse de semelhante tenebroso e explosivo arquivo, o milagre do convencimento aparece em poderoso “argumento” para direcionar a grande maioria das pessoas, para essa ou aquela direção. Eis a razão pela qual a presidente vai receber o inevitável impeachment. Simples, aterrorizante e inacreditável golpe contra Dilma/PT.

    Realmente, o sistema capitalista caminha a passos largos para a quebradeira global, por várias razões, principalmente, pelo devastador desemprego tecnológico, incontrolável corrupção, gigantescas concentrações de riquezas, acelerada destruição da democracia, e crescente vigilância, opressão e controle sobre o cidadão, empresas e governos, etc.  

     

  52. O que mais me chocou ontem

    O que mais me chocou ontem não foi a aprovação do impeachment. Foi a entrega pelo “juiz” do Supremo Teori Zavascki dos processos do Aécio e do Cunha para Gilmar Mendes e seu cachorro Dias Toffoli julgarem. A desistência se deu no dia certo  e a roleta foi certeira. Como sempre,no STF os processos caem “coincidentemente” nos escaninhos que interessam cair. Daqui há uns tempos veremos que tais processos darão em nada e o simulacro de apuração servirá apenas para limpar  a ficha de quem lhes interessa limpar.  

    Dito isso me lembrei dos vários artigos que o Nassif escreveu quando das tentativas de impeachment no inicio do governo Dilma e a garantia peremptória que o vice lhe fez de que não estava no golpe. Assim como Temer esteve no golpe desde o inicio não é verdade que o PT e a AGU vão deixar a coisa correr para limpar a ficha da Dilma e voltar ao poder em 2018. É incompetência mesmo. A mesma incompetencia que fez o partido dar montanhas de dinheiro para a mídia que foi um dos braços do golpe. E mesmo que tivesse provocado o STF iria perder. E iria perder pelo mesmo motivo e a mesma roleta que faz “coincidentemente” os processos respectivos cair com os juizes respectivos.

    Além do que o PT vai voltar ao poder com quem? Lula vai ser preso e todas as lideranças petistas vão cair em série. O próximo a ser atacado vai ser o Haddad, é só aguardar. O Alexandre de Morais está aí pra isso, montar uma policia federal política que, como no golpe de64,  novamente vai dizimar todas as lideranças populares. Começou ontem, os manifestantes contra o impeachment que se dirigiram para a Av. Paulista foram duramente reprimidos enquanto os favoráveis comemoravam em frente a Fiesp. Em Brasília a violência foi ainda maior.

    E não é verdade que as raposas do poder erraram ao indicar o Newton Cardoso Junior. Foi jogo político para rejeição do seu nome poque desde sempre o candidato ao cargo foi Raul Jungman. Aquele que foi sócio da mulher do Ricardo Noblat , jornalista infuente em Brasília, no desvio de milhões do Incra numa assessoria jornalistica que o governo do Lula mandou apurar. E que, pelo certeiro gatilho do STF, caiu nas mãos do cachorro Toffoli do Gilmar.

     

    • Essa informação está no

      Essa informação está no Conversa Afiada. Será que explica?

      Nessa quarta-feira 11/maio, dia do Golpe, o porta-voz da Casa Brancahttps://www.whitehouse.gov/videos/2016/May/20160511_Press_Briefing_HD.mp4 Josh Earnest disse:

      – temos confiança na estabilidade (sic) das instituições democráticas (sic) brasileiras para enfrentar essa crise;

      – o Brasil tem um sistema de leis e uma democracia maduros (sic);

      – os brasileiros conceberam um sistema (legal) para resolver esse tipo de problema;

      – os Estados Unidos ajudarão e apoiarão seu amigo (sic) e parceiro (veja em tempo);

      – ainda sobre a questão politica: o Brasil tem instituiçoes maduras e estaveis (sic).

      • No news. Óbvio que a Casa

        No news. Óbvio que a Casa Branca vai reconhecer o governo interino. E, com a desfaçatez e cinismo de sempre, se pronunciam como se estivessem totalmente alheios e desinteressados, fingindo serem meros espectadores.

    • Ao contrário

      Cara Venturini, não vejo assim: a “escolha” foi perfeita para quem trabalha para o Serra (com quem, aliás, o GM andou almoçando – publicamente – dia desses). O Aécio e o Cunha já eram; totalmente descartáveis. Após o golpe contra a Dilma (sem razão legal), agora os golpes contra esses dois, com toda a razão. Como sempre, o Serra “limpando” o seu (dele) caminho…

  53. Nem tanto lá, nem tanto cá…

    O Nassif questiona porque, até o momento, o PT ou a Dilma não entraram com um questionamento quanto ao mérito do processo de ‘impeachment’.

    Como o processo apresenta fragilidades importantes, do ponto de vista formal, passíveis de questionamento – a principal delas, certamente é o fato de ter sido conduzido pelo Eduardo Cunha, afastado pelo próprio STF – me pareceu jurídica e polticamente correto que, até o julgamento da admissibilidade do impeachment pelo Senado, estes vícios formais estivessem no centro dos questionamentos jurídicos apresentados. 

    Ou seja, o processo de ‘impeachment’ propriamente dito começa apenas agora. Como o STF poderia julgar o mérito de um processo que sequer estava ainda efetiva e formalmente instalado? Ou seja, o momento de se questionar o seu mérito é exatamente este – entre a admissibilidade do processo de ‘impeachment’  e a decisão final. E deve ocorrer antes da decisão final do Senado posto que, sim, apenas a partir desta decisão final é que seria constitucionalmente controversa a possibilidade de sua anulação pelo STF.

    Mas porque o STF pode, eventualmente, desqualificar o processo de impeachment, quanto ao mérito, antes da decisão final pelo Senado? Pela mesma razão, entendo eu, a partir da qual o STF não interferiu antes: a manutenção da necessária independência e equilíbrio entre os poderes e a salvaguarda da Constituição.

    A instauração de um processo de ‘impeachment’ depende de uma clara configuração do cometimento de crime de responsabilidade pela chefia do Executivo. Como estamos em um regime presidencialista, não há qualquer exigência constitucional de que a manutenção do cargo de Presidente, enquanto chefe do poder executivo, exija a comprovação de maioria política na Câmara de Deputados ou no Senado.

    Neste sentido, valer-se de uma eventual maioria política, em qualquer das casas legislativas, ou em ambas, para afastar a chefia do Poder Executivo, sem uma clara configuração de crime de responsabilidade – única hipótese constitucionalmente prevista para tanto – configura claramente um abuso de poder, constitucionalmente indevido, por parte do Legislativo,  sobre as prerrogativas da chefia do Poder Executivo, legalmente fundamentadas na soberania popular através do sufrágio universal. Neste sentido, o Legislativo estaria, sim, cometendo um crime contra a soberania popular ao extrapolar de maneira indevida os limites constitucionais de sua esfera de poder.

    Argumentando-se, por outra via, para que esta questão fique mais clara, vamos supor que houvesse, sim, a adequada tipificação do cometimento de um crime de responsabilidade pela chefia do Executivo. Tendo-se aberto o processo de ‘impeachment’ pelo Senado, este, no seu julgamento final, pode vir a entender que, mesmo na hipótese de ter ocorrido um crime de responsabilidade (a admissibilidade do processo, portanto, teria sido perfeitamente legal) o mesmo não justifica, entretanto, plena e politicamente, o afastamento do(a) chefe do Poder Executivo. Esta seria uma decisão perfeitamente legal, a qual não poderia ser invalidada pelo STF, porque a hipótese para a abertura do processo estaria adequada e legalmente configurada e cabia ao Senado a decisão final quanto ao mérito do mesmo.

    Retomando-se o fio anterior do argumento, se o ato ou atos que originaram o suposto crime de responsabilidade não se encontram legalmente tipificados, a abertura do processo de ‘impeachment’ caracteriza, neste caso, um indiscutível abuso de poder por parte do Legislativo sobre o o Poder Executivo, valendo-se de maioria eventual, para ferir o equilíbrio, a autonomia e a independência, constitucionalmente previstos, entre os poderes, cabendo a partir deste momento, sim, o questionamento quanto ao mérito do processo.

    Se este questionamento não vier, aí sim, poderemos discutir se o PT ou a Dilma se conformaram ou não ao processo de ‘impeachment’ e especular sobre os porquês.

    • Perfeito seu argumento

      André,

      Perfeito seu argumento quanto ao momento de se entrar com o questionamento do mérito no STF, o que eu também sempre entendi, e agora com mais clareza ainda após esse seu comentário bastante oportuno e esclarecedor

       

    • Imenso

      Um imenso comentário sem abordar o fato mais importante que deu início ao processo do impeachment.

      Eduardo Cunha foi protegido por Teori por mais de 150 dias sem tomar nenhuma providência quando a PGR enviou-lhe o processo. Essa história também não está bem contada, depois de todas as qualificações ditas por Janot sobre Cunha.

      Depois de consumado o estrago, porque passando pela Câmara e da forma como passou, seríamos muito ingênuos esperar que o desfecho não seria esse de hoje.

      O senhor Teori esperou o circo dar aquele espetáculo dantesco e só depois cassou o Cunha.

      O que deve ser analisado e com muito cuidado é: qual foi o motivo que levou Teori a agir assim.

      Se todos os ministros do STF tem reiterado que não devem interferir noutros poderes, porque Teori cassou Cunha?

      E o comentário tece um monte de parágrafos apresentando argumentos que na hora adequada o STF fará justiça?

      É preciso dizer com todas as letras que todas as instituições, a começar pelo executivo, Dilma e seus ministros foram um desastre, PGR idem, MPF deslumbrado, PF sabidamente aecista, e um STF dos piores que o país já teve.

      E querer acreditar que o STF fará o papel dele?

      Se quiserem a resposta, é só procurar no noticiário a reunião do Cunha com o pessoal do STF tratando do aumento dos seus salários.

      Mas Teori cassou Cunha.

      Eu gostaria que o autor do comentário me explicasse isso.

  54. “O motivo mais lógico é que

    “O motivo mais lógico é que um presidente interino interessaria ao PT em 2018. Consolidar-se-ia a noção da ilegalidade, recuperaria a imagem de Dilma, como vítima de um golpe, e deixaria o partido livre para reagrupar forças e preparar-se para 2018 confiando no fracasso de Temer.”

    Continuo defendendo minha tese de que não haverá eleições para presidente em 2018. Não se gasta bilhões de dólares para praticar um golpe de estado na oitava(acho)economia do mundo para devolver o poder 2 anos depois. Ninguém é tão burro assim.

    Penso que tentarão impor o parlamentarismo na tentativa de impedir para sempre a volta da esquerda ou coisa parecida ao poder.

    Golpe é golpe. Não é brincadeirinha não.

    E quem se meter a besta de protestar contra o golpe vai entrar no pau e na bala.

    Olhem só quem é o Ministro da Justiça. Com certeza é um republicano.

  55. Saiu o post sobre ontem/hoje:

    >>> Golpe: saldo do Senado, STF e próximos passos <<<

     

    ROMULUS___QUI, 12/05/2016 – 11:26ATUALIZADO EM 12/05/2016 – 11:31

    Saldo do Senado, STF e próximos passos

    Minha leitura das estratégias futuras a partir dos últimos dias até a sessão de votação da admissibilidade do impeachment no Senado é:

    – Com relação ao impeachment, daqui para frente o PT e o ex-governo vão jogar apenas para cumprir tabela.

    Preferem que Temer faça o “trabalho sujo” (ou “lição de casa” conforme o freguês), sendo oposição até 2018. “Trabalho sujo” ou “lição de casa”, aliás, que não deixaram Dilma, com Levy, implementar.

    * * *

    Nota sobre Levy: ontem e hoje comentei a sessão do Senado no Twitter. Em determinado momento comentei que Joaquim Levy foi o cavalo de Tróia dos mercados dado a Dilma.

    Para ficar ainda em Homero, Dilma caiu num canto de sereia e, enfeitiçada, deu seu mandato em sacrifício àquele canto melífluo, de lógica cartesiana.

    Interessante que o Cavalo de Troia – Levy – causou a sua destruição mas saiu da cidadela murada de Troia antes que tudo fosse consumido pelas chamas. LEIA MAIS »

    • Respondendo

      O José Eduardo Cardoso e o PT não provocarão o STF para análise do mérito por dois motivos:

      -Em 4 manisfestações dadas por ministros do STF, provocadas pelo PT, AGU, PCdoB e PDT, esses explicitaram o que está descrito na lei do impeachment, a Presidente da Republica poderá ser cassada por dois motivos:

      * Crime comum, julgado pelo STF,

      * Crime de Responsabilidade, julgado pelo Senado,

      Baseado nisso, os 4 Ministros (Fanchin, Zavaski, Teori e Barroso) descreveram que não cabe análise do mérito pelo STF. A Carmem Lúcia também explicitou isso em uma entrevista. Então portanto, será uma derrota para o PT.

      -Dada a derrota no STF, o pt não quer perder o discurso de Golpe. Pois essa Tese seria derrubada pelo STF.

       

  56. Você só se esqueceu de um fator

    Você só se esqueceu de um fator, caro Nassif: desfechado o golpe, o perseguido da vez será o Lula. Para esse golpe ser finalizado, resta ainda tirá-lo definitivamente da cena eleitoral. Acho difícil o PT construir outro candidato tão forte quanto ele até 2018. Além disso, parece ue você ainda confia demais nas instituições. Para mim, não virá nada de Janot, STF e quetais que não a ratificação do golpe e a perseguição implacável contra PT. Parece que está tudo acertadinho, combinado, até mesmo com os russos.

  57. É revelador o silêncio da

    É revelador o silêncio da lava jato sobre a indicação do alexandre de morais para ministro da justiça.

    Forte repressão nas ruas e varrer o que sobrar do PT.

    Vem chumbo grosso por aí. 

  58. Espetáculo circense com ares de democrático

    Um dos calcanhares de Aquiles dessa pretensa democracia brasileira é que o impechment não é um julgamento de fato. Está sendo, em princípio, mera formalidade para uma destituição ilegítima. Ainda que a Carta Magna preveja tal recurso, a falha nele está em ser instrumento meramente político.

    Apenas como refresco à memória, basta lembrar que os golpes modernos na América Latina se dão invocando os recursos legais e moldando os atos dos líderes políticos dentro de algum artigo de lei convenientemente usado para, quando não a destituição sumária, a inviabilização política desses líderes.

    As castas hegemônicas locais – a saber: mídia, judiciário e a oposição tresloucada – são os agentes operacionais. Obviamente há um comando obscuro e mais poderoso manobrando nos bastidores, mas a dificuldade em se apontá-los é enorme.

    Aos moralistas que insistem que impeachment não é golpe, tenham a hombridade de reconhecer que não é exatamente novidade que expedientes previstos em lei sejam usados com segundas e terceiras intenções. O nome textual “impeachment” é aqui convenientemente usado apenas para dar ares de legalidade um expediente que visa qualquer outra coisa, menos a manutenção da Democracia.

    Esse processo de impedimento gira em torno dos interesses e das motivações momentâneas. E esse processo é tão frágil que não há recurso contra os abusos de quem utiliza esse instrumento como ferramenta com interesses escusos, como é o caso presente. Parece não haver outra instância isenta de interesses ou imune de ser movida a roldão dos interesses imediatos à qual recorrer.

    O impedimento, ou melhor, ESSE impedimento, está repleto às tampas de subjetividade e tão discutível em sua matéria que causa espanto. Ocorre que não será esse desprendimento, evidentemente, o norteador para que o Senado decida se Dilma cometeu ou não crime.

    A constatação imediata é de que se trata de um jogo com cartas marcadas desde o início. E essas cartas estão sendo distribuídas desde o começo. Não há justiça nem isonomia nesse processo de impeachment. É uma demanda que está viciada desde o princípio. Tanto que o resultado já é sabido e está previsto sem ponto de retorno.

    E há dois tipos de agente aí, que contribuem ativamente para que o impedimento se concretizem, como Cunha e Temer, e os demais que vêm no lastro, agindo conforme seu apetite imediato.

    E, repetindo pela enésima vez, temos a imprensa hegemônica, interesseira e vendida insuflando e inflando cada vez mais e forçando a opinião pública na direção de suas conveniências.

    E, o estupro à Democracia, a custo conquistada há 31 anos, é novamente perpetrado a olhos vistos. E a indignação não é por ser Dilma. Caso é que fosse qualquer outro em seu lugar, porque o alvo sempre foi o PT, as mesmíssimas manobras, se fossem conduzidas por esse outro presidente hipotético, estariam devidamente engavetadas, com toda a complacência e conivência dos mesmos personagens que hoje querem a cabeça de Dilma.

  59. GILMAR ACEITA DENÚNCIA CONTRA AÉCIO E DESARQUIVA OUTRA DENÚNCIA

    CONTRA O TUCANO

     

    E aí? O que está por trás disso?

    • Uma leitura que eu faço é,

      Uma leitura que eu faço é, das duas uma:

      1 – Ou Gilmar frita Aécio com o dedo de Serra por trás e queima definitivamente o mineiro e abre espaço para que Serra seja o candidato em 2018.

      2 – Ou então ele vai sentar em cima para depois inocentá-lo.

      Dada a proximidade de Serra com Gilmar, e vendo o momento presente, acredito mais na primeira hipótese.

  60. Nassif, tenha em mente que

    Nassif, tenha em mente que esta etapa do golpe já está consolidado. Não há ponto de retorno.

    Mas ele não termina aí.

    Não é novidade pra ninguém que o próximo alvo é Lula. É questão de tempo. Vão querer prendê-lo a todo custo. E mesmo que saia inocentado – o que acredito que não será rápido – o negócio é inviabilizá-lo para 2018 e quiçá para sempre.

    • Parece mesmo que tudo está

      Parece mesmo que tudo está traçado com uma clareza impressionante, mais ou menos nesse roteiro mesmo de retirar Dilma do poder, prender Lula, prender a própria Dilma e o máximo de figuras relevantes do PT; e em seguida, de algum modo, já imaginado e traçado por eles (MP, parcela do Judiciário, mídia [Globo e satélites] e polícia federal) banir o PT da política partidária.

      Eles já têm apresentado os argumentos que inventaram e já estão usando.

  61. Newton Cardoso Ministro da defesa

    A indicação, ainda que por algumas horas, do newton cardoso filho para ministro da defesa, desastrosa sobre todos os sentidos, dá ideia do desastre que é o goveno temer. Começa com uma ofensa aos militares. Tudo a temer.

    • Quem dera !!! Está abrindo

      Quem dera !!! Está abrindo caminha para Etchegoyen !!! Vai vir com tanta bomba que Aeronaútica E Marinha vão acabar aceitando um ministro da Defesa do Exército !!!

      Quanto mais atrito Temer arrumar com os militares, melhor !!! 

      Tomara que invadam o palácio e tirem o corpo do usurpador, dizendo que ele se suicidou !!!

  62. Novo impeachment

    Hélio Bicudo acaba de se pronunciar sobre o novo ministério e afirma ter “preocupação com as mais recentes notícias sobre a formação do novo governo”
    Será que o cidadão pegou gosto e vai pedir outro impeachment?

  63. Uma das hipóteses é pretender
    Uma das hipóteses é pretender não dar tanta força ao Supremo, chamando-o para apreciar o mérito

    Uma ação no stf tratando da questão do mérito da acusacao contra Dilma é a última bala do revólver e me parece que a estratégia da agu confirma essa posição. Esse tiro só pode ser dado quando todas as outras opções estiverem totalmente esgotadas. Não podem correr o risco de o stf decidir prematuramente que a questão é política e não cabe a justiça interferir. No meio do processo isso seria uma senha para o linchamento. A duvida geral acaba favorecendo o governo.

    • Seu ponto de vista tem muito

      Seu ponto de vista tem muito mais lógica que o do Nassif. Se o STF dizer que há crime de responsabilidade, a narrativa do Golpe se enfraquece, mesmo que seja uma posição politica do STF. 

      Não há sentido para o PT em deixar Temer assumir para “se preparar para 2018”. ainda mais porque todas as “medidas impopulares” de Temer terão como motivo propagado a “herança maldita” de Dilma e do PT. 

  64. Valeu o post principalmente pelo parágrafo final

     

    Luis Nassif,

    Bom post. Há ainda alguns pontos de vacilo seu. Como mineiro, você não poderia deixar de escancarar a origem paulista do golpe. Talvez não tenha feito isso exatamente pela sua formação e base logística paulista. De todo modo ficou esse débito com os leitores do blog.

    E talvez pelas duas razões acima apontadas: ser mineiro e ter formação e base logística paulista, você parece-me inadequado na avaliação de Aécio Neves. Como já disse aqui várias vezes tenho, por quem é do PSDB, a mais profunda repugnância. A minha aversão ao PSDB decorre do total desrespeito que eles têm pelo eleitor.

    Percebo o menosprezo que o PSDB tem pelo eleitor uma vez saber que eles pensam muito próximo do que eu penso e, no entanto, entoam para os eleitores uma canção diferente. Desde a época da criação do partido (Eles eram contra o fisiologismo – fisiologismo legal – mesmo sabendo que o fisiologismo legal é da essência da democracia), da campanha do plebiscito sobre o presidencialismo e o parlamentarismo (Eles defendiam o parlamentarismo sob o argumento de que o governo bom o povo põe e governo ruim o povo tira o que é falso e eles sabem que é falso, e acusavam que no presidencialismo latino americano o presidente tem muitos poderes, o que é verdadeiro, se bem que havia a limitação do governo do presidente ser apenas de cinco anos, mas não hesitaram em aumentar o poder do presidente com a introdução da reeleição).

    E há mais exemplos do discurso que revela desprezo pelo eleitor como o slogan que a inflação é o mais injusto dos impostos, pois atinge o pobre algo que eles já sabiam falso quando o lançaram e que a situação recente da economia americana revelando aumento da desigualdade com inflação baixa e juros baixos serve bem para refutar.

    Com essa ojeriza toda ao PSDB, e Aécio Neves talvez só não tivesse o conhecimento suficiente para saber que todas essas teses do PSDB eram falsas, o que diminuiria o demérito que eu tenho por ele, eu ainda vejo dois méritos em Aécio Neves que nunca vi aqui sendo explicitado. Ter vencido a gagueira que ele possuía no início da carreira política, provavelmente também ter vencido outros problemas associadas a essa gagueira e, mesmo com um comportamento próprio de playboy que ele adota, e, então, com todas essas deficiências, ter-se tornado governador e depois senador e ter conseguido eleger A. Augusto Junho A. governador e senador federal.

    Esses pontos de vacilo e talvez outros que eu poderia indicar se fizesse uma leitura mais detalhada do seu texto, podem ser desconsiderados se se leva em conta o que você diz no final do texto que volto a repetir aqui:

    “O motivo mais lógico é que um presidente interino interessaria ao PT em 2018. Consolidar-se-ia a noção da ilegalidade, recuperaria a imagem de Dilma, como vítima de um golpe, e deixaria o partido livre para reagrupar forças e preparar-se para 2018 confiando no fracasso de Temer.”

    Tinha pensado em dizer algo assim antes, já no post “A pergunta de Maierovitch para José Eduardo Cardozo” de quinta-feira, 14/04/2016 às 08:46, aqui no seu blog onde por sugestão de Jeferson Miola é transcrita a seguinte pergunta de Walter Maierovitch endereçada ao Advogado-Geral da União, José Eduardo Cardozo:

    “Diante de tal quadro, não se sabe por que o governo Dilma, ao insistir na atipicidade de condutas, não se antecipa e busca um pronunciamento do STF, por violação à regra constitucional asseguradora da tipicidade. Caso conhecida a ação, poderiam os ministros do STF debruçar-se sobre a tipicidade em tese e chegar a eventual trancamento do impeachment por falta de justa causa (atipicidade)”.

    O endereço do post “A pergunta de Maierovitch para José Eduardo Cardozo” é:

    http://horia.com.br/noticia/a-pergunta-de-maierovitch-para-jose-eduardo-cardozo

    Não tenho dúvida que a razão é a que você apontou acima. Eu apenas acrescentaria que o medo de ser derrotado também atingiu a oposição que hoje já é governo. Ela poderia arguir desde o início que os decretos são inconstitucionais. Como se sabia maioria não quis perder esse trunfo de poder alegar que tudo está sendo feito de acordo com a Constituição. Ao que me parece nós não ficaremos sabendo se o impeachment é ou não legal.

    Clever Mendes de Oliveira

    BH, 12/05/2016

  65. A ANÁLISE É BOA, MAS PODE SER AINDA PIOR…

    E se tudo isso foi armado para entregar o Pré Sal?

    Esse tipo de trambique costuma dar como propina as ações das próprias empresas multinacionais no exterior, onde elas rendem lucros altíssimos. Alguém pode até dizer que desse jeito elas também pertenceriam a brasileiros. Entretanto, o trambique não pode aparecer, porque é ilícito; e seus lucros ficarão lá pelo exterior mesmo. Ou seja, enriquecerão as economias estrangeiras. O contrário do que ocorre com a Petrobrás, que distribui bilhões e bilhões de lucros a brasileiros, movimentando a nossa economia. Logo, isso interessa apenas aos ladrões, e não ao país.

    Por isso eu discordo do autor, de que pode ter sido uma estratégia do PT, para voltar em 2018 com mais força. A corrupção e o imperialismo internacional não compram políticos, apenas para que façam “coisas” para eles. Também compram, para que deixem de fazer. Ou seja, os próximos acontecimentos, como a forma de ingressar no STF, as mobilizações da militância em frente a esse tribunal (que praticamente inexistiram nas votações do congresso, por culpa do próprio PT), etc; serão fundamentais para dizermos se o PT quis sair do poder ou não.

    Mas uma coisa eu digo: Se quis, não foi para voltar mais forte em 2018; e sim para deixar que o Temer entregue o Pré Sal às empresas estrangeiras, que seriam suas sócias, e também dos petistas (ou pelo menos parte do PT), que teria se vendido por isso!

    Não seria o máximo? Queimam a Dilma, que muita gente não gosta dentro do PT, entopem os bolsos com propinas, esperam o Temer meter os pés pelas mãos, e ainda voltam como vítimas e heróis ao mesmo tempo…

    A TERCEIRIZAÇÃO DO TRABALHO seria a tarefa complementar do Temer dentro da negociata. Pois provocaria demissões em massa, seguidas de contratações por empresas terceirizadas, pagando metade do salário que ganhavam antes! Porque assim, dimuem os custos, aumenta-se as exportações, e mais dólares entram no país. Não para aumentar ainda mais nossas reservas internacionais em torno de 1,5 trilhões de reais, muito menos para podermos importar mais bens do exterior, a preço barato para nosso povo; mas sim para garantir a remessa de lucros em dólar para o exterior, dessas empresas que os ladrões colocarão no lugar da Petrobrás. Seria o PARAÍSO DOS EXPORTADORES!

    A CLASSE MÉDIA  DE RENDA E ANALFABETA DE POLÍTICA vibra, porque não é apenas ignorante, mas principalmente IDIOTA! Tem muita madame, profissional liberal, e dono de pequenas empresas comemorando; porque o preço da mão de obra vai cair. Assim, poderão contratar empregados, serviçais, e domésticas, por uma mixaria…

    Por que a burrice? Ora, Se o sujeito ganha 10 mil por mês, e sua doméstica ganha 1 mil. Daqui há uns 10 anos, seguindo a política de elevação da renda da Dilma, ele ganharia 20 mil (mesma renda média dos americanos) e sua doméstica ganharia 2 mil, talvez 3 mil, no máximo. Por que a tendência é elevar mais as menores faixas de renda. Ou seja, enquanto a serviçal aumentasse em 2 mil por mês sua renda, o imbecil aumentaria 10 mil.

    O mesmo ocorre com o EMPRESÁRIO “MARIA VAI COM AS OUTRAS”! Ele fica deslumbrado, porque agora poderá contratar funcionários pela metade do preço. Ele tem uma folha de pagamento de 20 mil que será reduzida pra 10 mil. Só que o idiota não percebe, que seu faturamente cairá de 100 mil para 50 mil por mês, já que o mercado consumidor INTERNO será reduzido pela metade também. 

    É preciso dizer com todas as letras:

    O BRASIL É UM PAÍS DE IDIOTAS E INJUSTIÇADOS!

    Os idiotas são as figuras identificadas acima, que cairam na onda dos cabos eleitorais e da globo, marchando pelo impeachment, para derrubar a MELHOR ADMINISTRAÇÃO QUE O BRASIL JÁ TEVE. Os injustiçados são aqueles que passaram fome na infância, tiveram uma péssima formação escolar, saem 4 hs pro trabalho, voltam pra casa lá pelas 22 hs, não têm internet em casa, não têm noção da importância da política, e ainda sofrem a lavagem cerebral da globo e dessas imundícias de igrejas, deveriam ser colocadas em seu devido lugar e dar descarga nelas…

    A entrega do Pré Sal está sendo articulada há muito tempo:

    https://www.facebook.com/democracia.direta.brasileira/photos/a.300951956707140.1073741826.300330306769305/738836229585375/?type=3&theater

  66. ORGANIZAÇÃO E UNIÃO DA ESQUERDA

    Se a esquerda não se organizar contra o governo Temer eu penso que todos afundarão e não apenas o PT. Eu penso que todos os partidos de esquerda corre perigo se não reagirem com união. A direita não faz campanha apenas contra o PT, mas contra a esquerda, porém a direita não está se dando conta que sem a esquerda eles não são nada, ainda mais que boa parte desse ministério sinistro estão sendo investigado, no entanto, a investigação também pode não ir para frente caso a direita faça um acordo com PGR. Se Janot for justo e imparcial sobrará poucos da direita inclusive o Temer que também poderá ir para o saco. A palavra é… ORGANIZAÇÃO E UNIÃO DA ESQUERDA.

    • Corrigindo:
       
      Se 2+2=7

      Corrigindo:

       

      Se 2+2=7 sobrarão poucos da direita inclusive o Temer que também poderá ir para o saco. A palavra é… ORGANIZAÇÃO E UNIÃO DA ESQUERDA.

       

      Como não é…

  67. Pândego

    Temer é pândego. Em sua imaginação, o Macri telefonou para ele, hoje cedo. E o interino teve a deselegância de dizer em espanhol macarrônico que iria visitar o presidente argentino. Era trote e foi gravado!!!

     

  68. klatoo barada nicto (4)

    a realidade como delírio paranóico:

    – após o show de horrores na Câmara, o teatro de vampiros no Senado;

    – Newton Cardoso Filho rejeitado como Ministro da Defesa;

    – Secretário de Segurança de SP nomeado Ministro da Justiça e da Cidadania;

    – os homens brancos tomam o poder;

    – recatadas e do lar, mulheres totalmente ausente do Ministério Temer, pela primeira vez desde Geisel;

    – Temer, o golpista, cai no golpe do trote pregado pelos hermanos;

    – ainda mais uma vez, Dilma abre mão de lutar e fazer de sua saída do Planalto um ato de resistência política;

    – as gangues patrimonialistas começam também a se bicarem em seu pic nic de abutres;

    – o lulismo adota a estratégia do “quanto pior melhor”, em rumo a um 2018 longe demais;

    – mídia internacional destaca falência do Brasil e nossa condição de republiqueta bananeira, o projeto de país de uma elite escravagista e colonial, anti Povo e anti Nação;

    é tudo descarado, está tudo escancarado, tá tudo dominado.

    klatoo barada nicto. Gort: “user invalid id”. 5,4,3,2,1…

     

  69. “O motivo mais lógico é que

    “O motivo mais lógico é que um presidente interino interessaria ao PT em 2018”, Não acredito que no momento políticoatual e após tudo que ocorreu no Brasil, o PT faria uma leitura política tão equivocada como esta. Já que com o PT no governo foi possível praticamente acabar com o PT e agora fora eles acham que terão paz. É claro que operação Delenda est PT e Delenda est Lula vai continuar e será muito mais pesada. Não tem o menor sentido os golspistas praticamente ficarem expostos para o mundo e permitir um volta Lula. A luta agora será muito mais sangrenta e acho difícil o Lula não ser preso.

  70. Nassif, você atropelou a lógica.

    “O motivo mais lógico é que um presidente interino interessaria ao PT em 2018. Consolidar-se-ia a noção da ilegalidade, recuperaria a imagem de Dilma, como vítima de um golpe, e deixaria o partido livre para reagrupar forças e preparar-se para 2018 confiando no fracasso de Temer.”

    Vou mais longe, Nassif: faltou também com respeito ao Partido dos Trabalhadores.

    O STF na voz de Lewandowski já deixou claríssimo: o STF poderá , sim, entrar no mérito APÓS o senado aceitar o processo. 

    Breve o STF será provocado e você terá que reconhecer este erro grosseiro.

    E não se pode esquecer jamais!! Às vezes temos memória curta:

    Ministro Roberto Barroso, em seu voto vencedor na ADPF 378 (p. 87 do voto), ao aduzir que “A indicação da tipicidade é pressuposto da autorização de processamento, na medida em que não haveria justa causa na tentativa de responsabilização do Presidente da República fora das hipóteses prévia e taxativamente estabelecidas. Se assim não fosse, o processamento e o julgamento teriam contornos exclusivamente políticos e, do ponto de vista prático, equivaleria à moção de desconfiança que, embora tenha sua relevância própria no seio parlamentarista, não se conforma com o modelo presidencialista, 

    e todos os ministros seguiram seu voto quando da definição do rito do impeachment.

    O STF vai tentar salvar sua imagem perante a história e interromper este teatro de horrores. Não significa que não sejam golpistas. O verdadeiro golpe estar por vir….

    Aguardem o inferno!

     

     

     

    • O STF? O STF vive num mundo

      O STF? O STF vive num mundo elitista, em companhia de elitistas. Tirando o marco aurelio, barroso e lewandovisk, nao vejo outro ministro derrubando o impeachment a nao ser que esteja escancarado sua ilegalidade, se for possivel encobrir um pouco, eles farao. O PT começa sem 4 votos: Fux, Celso, Toffoli e Gilmar.

    • Talvez o PT,tenha certeza que

      Talvez o PT,tenha certeza que vão perder no STF,e não querem arriscar que essa derrota seja usada…para reforçar a retórica golpista,de que não foi golpe.

      • Depois pensei isto também, Eliane

        Além do mais, julgar o mérito é uma coisa. Mas, pelo que estou entendendo , terão que se pronunciar primeiramente se DEVEM ou não julgar o mérito. Aí fica mais fácil deles lavarem as mãos….

         

         

  71. Um golpe com tanta

    Um golpe com tanta elaboração, a mais complexa e espetacular operação de mudnça de regime que o mundo ocidental já viu, não vai se conformar em acabar assim, nas mãos do PMDB. Agora o “grande líder”  Aécio, depois de ter um salvo conduto de honestidade do STF, vai se lançar à elaboração do segundo golpe, o golpe dentro do golpe. Isso acontecerá depois da queda definitiva da Dilma. FHC já está abrindo caminho para o repúdio ao governo Temer, que segundo ele só sobreviverá se “der certo”, coisa que não vai dar. A Lava Jato vai ter muito o que fazer depois da considalidação da queda de Dilma, e o Teori vai ficar assoberbado, para o desmonte do governo suspeitocrático do PMDB e o alisamento do campo para os tucanos jogarem. O PMDB, até por intuição política, é quase certo que tem um pressentimento sobre isso. E isso pode indicar que uma das primeiras providências do governo temerário será a aprovação do projeto entreguista do Serra, que abre uma brecha maior que um boqueirão, por onde vão passar todas as petroleiras americanas que quiserem tomar posse do présal. Com a aprovação desse projeto, os temerários vão tentar aplacar a fome dos tucanos e deixá-los quietos, enquanto Temer toca seu barco por estes 180 dias. Mas talvez isso só vá servir como aperitivo para despertar mais ainda uma fome insaciável. Claro que o PSDB não vai ter paciência de esperar pelo fim do governo Temer para tentar chegar ao poder pelo voto em 2018, ainda mais com o medo pavoroso que tem de urna. O PSDB vai querer o poder total logo depois dos fatídicos 180 dias. Resta saber se o Temer vai poder continuar depois do segundo golpe, o golpe dentro do golpe a ser dado pelo PSDB. Se for, será como uma mera rainha da inglaterra.  E resta também saber se vai dar tempo para a mídia tentar beatificar o Aécio, para que este assuma o governo talvez como uma espécie de primeiro ministro, porque se a ira dos coxinhas voltar, contra o escandaloso governo Temer, haverá muita chance de sobrar também para o próprio Aécio.

  72. e alguem ainda duvida da

    e alguem ainda duvida da participação do estados unidos na confusão que ocorre no brasil? ontem a casa branca saudou o novo governo do brasil… nesses treze anos de governo do PT o brasil avançou bastante. e em pontos estrategicos. o pre sal é um deles. o dominio da produção do uranio enriquecido é outro. os segredos da nossa centrifuga é outro. nossas terras e oferta de água. no plano externo ajudamos a construir os BRICS e o Mercosul. os BRICS vão a pleno vapor com a ideia da criação de um banco proprio. não me espanta a ida de josé cerra para o ministerio das relaçoes exteriores. o governo americano deve saber bem quem é esse senhor…  a historia do brasil é de golpes e conchavos. se temos uma elite desprezivel governos fortes, como o americano, sabem como dar uma mãozinha…

  73. Tenho minhas dúvidas

    “O motivo mais lógico é que um presidente interino interessaria ao PT em 2018. Consolidar-se-ia a noção da ilegalidade, recuperaria a imagem de Dilma, como vítima de um golpe, e deixaria o partido livre para reagrupar forças e preparar-se para 2018 confiando no fracasso de Temer.”

    Tenho minhas dúvidas com relação a esta afirmação, que fecha o texto. Acho que falta o fator externo: o preço internacional das commodities.

    Acho que há possibilidade de a economia interna se readaptar relativamente aos novos preços, ou até de haver alguma melhora nos preços das principais commodities. Se isso acontecer, o governo Temer, apesar de seu caráter golpista ficar evidente a qualquer pessoa politizada e de bom senso, poderá ser beneficiado com a recuperação econômica. Com a ajuda mais que evidente da velha mídia, criando um clima de euforia, esse “crédito” seria conferido ao Temer.

    Seria a pessoa errada na hora certa. Tendo em vista essa possibilidade, é muito arriscado que um presidente interino “interesse” ao PT, na minha opinião. 

  74. Bom coneço

    Nassif,novo governo, ministério bem melhor que o anterior, jamos aguardar, é claro que pega um estado falido e, com sérios problemas nas estatais, como; Petrobrás, Caixa e Banco do Brasil…. muito trabalho pra frente. Vmos torcer pra dar certo.

    • ramao………….

      ministerio bem melhor que o anterior????????……………………..hahahahahahahahahaha
      conta outra…………..

      um bando de investigados

      isso não é ministério, é divisão de saques………….butim

  75. De volta

    Não há mais dúvidas que o governo golpista já acabou. Depois de o temer ser desmascarado como traidor e golpista; depois que se revelou ser ele um informante da inteligência de outro país; de ter nomeado o newton cardoso jr para o ministério da defesa; depois de satirizado pelos jornais do mundo inteiro;  ter escolhido o ministério que escolheu; e estar sob o comando do eduardo cunha;  devia ser convidado a renunciar em minutos.

    Chamar-se-á a Dilma para ficar até 2018, conforme definido por 54 milhões de votos.

    Há que se impor, aproveitemos a ocasião, algumas condições de governabilidade para e à Dilma:

    1. O afastamento do cunha, do gilmar e do janot; 

    2. O stf cassa o impedimento da câmara;

    3. O Lula no ministério;

    4.. Que ela seja obrigada a mostrar tudo o que fez (e que a globo seja obrigada a noticiar);

    5. Que se imponha a continuação da lava jato e do moro (agora sem a meta do golpe, vai ser interessante).

    Tudo o mais pode continuar como está. 

     

  76. pote de ouro

    O Brasil é grande (e bobo) e muito rico. E está sentado em cima de um pote de ouro (negro). O petróleo sorvido em grandes goles pelos paises ricos já destruiu muitas nações. As nações sedentas de petróleo ciosas da sua liderança mundial cooptaram e treinaram os seus servidores nativos premiando e adulando para manter o deles “caminho de vida”.  Nós somos a bola da vez.

    O ÇERRA45 está doidão para entregar o petróleo para a chevron. E a raça de bandidos que nos governam quer a sua parte. Igual um bando de urubus em cima da carniça. Eles não tem amor ao solo pátrio, desde que se locupletem, dane-se. Dilma caiu na cilada de que correções seriam necessárias. Foi o início do golpe. Mordeu a isca, foi atrás do Trabuco e se contentou com o Levy. Burra, o manteve por um ano. O estrago estava feito.  Ela ainda não sabe qual trem a atropelou. Fosse ela venal, essa mesma gang arranjaria um terceiro mandato para ela. Os Antonios Conselheiros de Curitiba  e seus milhões de beatos batedores de penico foram levados pelo megafone a serviço dos alienígenas a acreditar que tirando Dilma e o PT acabariam com o incêndio da corrupção. Tentaram apagar o fogo com baldes de gasolina. O interino é apenas um pavão, a sua vida de subserviência e fé no grande arquiteto lhe rendeu alguns bônus terrenos, triste ilusão.  

    Assistiremos pasmos o retorno ao Brasil província e os mais pobres que mal aprenderam a comer, terão que voltar a se acostumar com o relho do feitor.

  77. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome