CPI convoca diretores do Google, Facebook e Twitter para discutir crimes na internet

Jornal GGN – A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Crimes Cibernéticos aprovou na terça-feira (18) mais de duas dúzias de requerimentos apresentados sobre pedidos de informação e convites para ouvir especialistas, membros do Ministério Público e forças policiais que atuam no enfrentamento e combate a crimes cometidos no âmbito da internet. De acordo com a Agência Brasil, entre os requerimentos aprovados está a convocação de presidentes do Google, Microsoft, Facebook e Twitter.

A comissão foi criada para investigar crimes contra os direitos humanos, direitos fundamentais, como a criação de perfis falsos ou satíricos com o objetivo de subtração de dados, crimes contra a honra, inclusive injúrias raciais, racismo e agressões a homossexuais, pedofilia e crimes como estelionatos e extorsões, observou o portal.

No entanto, na semana passada, após definição sobre o comando da CPI ser delegado a partidos de oposição ao governo Dilma Rousseff (PT), a campanha de reeleição da presidente na internet também entrou na mira da CPI. Deputados querem investigar se houve uso de recursos irregulares para pagar “militantes virtuais” e “robôs” para “atacar” os adversários de Dilma.

Segundo a Agência Brasil, a CPI também pedirá cópia de relatórios, análises e estudos do Grupo de Trabalho de Enfrentamento aos Crimes Cibernéticos do Ministério Público Federal e da Unidade de Repressão de Crimes Cibernéticos da Polícia Federal. A procuradora da República Neide Mara Cavalncanti Cardoso de Oliveira, o delegado federal Carlos Eduardo Miguel Sobral também serão convidados a depor.

Os deputados receberão ainda os representantes da organização não governamental Safernet Brasil, que trabalha com o enfrentamento a crimes contra os direitos humanos na internet, e do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação.

Leia também:  O hack do Twitter expõe uma ameaça mais ampla à democracia e à sociedade

A CPI decidiu fazer audiências para discutir o que está sendo feito pelas empresas de telecomunicações e de aplicações de internet para contribuir no combate aos crimes cibernéticos. Além desses crimes,  que afetam o sistema bancário do país, também serão discutidas, em audiência da comissão, as implicações de crimes digitais nos sistemas de informática do governo e nos bancos de dados que contenham informações privadas de cidadãos.

Com informações da Agência Brasil

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. O PIG
    Massagem dos escrotos politico ao ego do PIG.
    Simples nao tem volta senhores o PIG perdeu para internet.
    Hoje do Pardal!
    Voces tem a midia!
    Nos temos nos outros e a internete!
    Perderam politicos e sera questao de tempo.

  2. O maior crime na eleição passada não foi virtual

    O maior crime na eleição passada, não foi virtual, foi a revista Veja que municiou o Aécio com notícia falsa contra Dilma. Factoide que foi amplamente divulgado por todos os meios de comunicação.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome