Frente Parlamentar em defesa da soberania nacional, por J. Carlos de Assis

Movimento Brasil Agora

Frente Parlamentar em defesa da soberania nacional

por J. Carlos de Assis

Organiza-se no Congresso Nacional, sob inspiração do deputado Patrus Ananias e com apoio de um grupo de senadores, entre os quais Roberto Requião e Lindberg Farias, uma frente parlamentar suprapartidária em defesa da soberania nacional. Talvez jamais na história republicana uma iniciativa desse tipo foi mais oportuna. A soberania do Estado brasileiro está em risco tendo em vista o programa em curso de desnacionalização sem paralelo, atacando inclusive alguns ícones históricos da economia nacional, como a Petrobrás.

Na avalanche de iniciativas recentes do Governo Temer, está patente que se põe em marcha um programa de desmonte do setor público e do que resto de setor privado nacional. A sociedade não tem nem tempo nem informação a respeito desse processo alienante, já que a grande mídia, que forma opinião, está literalmente vendida ao sistema financeiro que é o grande beneficiário do esquema de privatização. O objetivo último é vender na bacia das almas o patrimônio público para abrir espaço para o setor privado, sobretudo internacional.

Os abutres do sistema financeiro ganham na intermediação. Eles não estão interessados em comprar empresas estatais e empresas nacionais privadas para manter empregos e gerar tecnologia. Querem apenas se apossar delas por preço vil, para repassar logo adiante ou, no caso das privadas, para fechar e transformar numa representação local das grandes marcas internacionais. Isto está acontecendo nas barbas da sociedade brasileira com estímulo do Governo, que se mostra inteiramente vendido à privataria.

A Frente Parlamentar deverá ser uma plataforma de denúncia dessa situação, de informação ao povo, e de pedagogia sobre o que está acontecendo. Ela só terá sentido se tiver real capacidade de mobilização. Seus idealizadores não a querem ver limitada ao Congresso Nacional. O debate sobre a defesa da soberania deve ser levado ao grande público a fim de possibilitar alguma forma de mobilização popular que suste a sanha desnacionalizante do Governo sob pressão efetiva da opinião pública.

É notória, a propósito, a falta de difusão da informação sobre o retalhamento da Petrobrás. A empresa, a maior do Brasil e da América Latina, está sendo dividida aos pedaços para efeito de privatização fatiada. É um crime contra a soberania nacional, considerando que a Petrobrás é uma peça fundamental na estrutura energética brasileira. Deveria ser fortalecida e mantida como um instrumento de geração de emprego, de investimento e de tecnologia. Nesse sentido, é a mais estratégica de nossas empresas, e no entanto vai sendo sucateada.

No caso do que resta das empresas nacionais, depois da voragem privatista que vem desde o Governo Collor mas que foi acentuada agora, a ameaça imediata é acabar com a lei do conteúdo nacional, que resguarda um espaço de desenvolvimento para a indústria de bens de capital. Na mesma linha, a direção privatista do BNDES quer acabar com a TJLP, que é o meio para o único esquema de financiamento de longo prazo da economia brasileira. A onda privatista se expressa também nas PPPs, que só existem na dependência de dinheiro público.

Espera-se que a Frente Parlamentar acorde de sua covardia o empresariado nacional, traçando uma aliança potencial com a classe trabalhadora e os institutos universitários que desenvolvem tecnologia de uso empresarial. Sem isso o Governo não recuará de seu propósito alienante, que se traduz em verdadeiros crimes de lesa-pátria. A esse respeito, o senador Roberto Requião acha que se deve deixar clara uma advertência: não haverá segurança jurídica para os vendilhões da pátria e seus compradores. O roubo será revertido quando o povo retomar o poder.

12 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

EDSON PLAZZA

- 2017-02-17 15:28:27

FINALMENTE A ADVERTÊNCIA

"não haverá segurança jurídica para os vendilhões da pátria e seus compradores. O roubo será revertido quando o povo retomar o poder." Acrescente-se a isso uma intervensão administrativa na Globo, mais precisamente no depto de jornalismo. 

 

 

ze sergio

- 2017-02-16 17:47:29

isto....

Caro Frederico, fiquei curioso sobre seu comentário, mas não consegui entendê-lo. Se pudessee explicar? abs. 

roberio batista campos

- 2017-02-16 16:47:12

 a entrega, a preço vil, de

 a entrega, a preço vil, de setores estratégicos sseminacão deEssa Frente, mais do que oportuna, é bemvinda e necessária.Acredito que deve estmular a diisseminação de mais informações s'obre  a vena a preço vil, de setores estratégicos

do Brasil, por uma QUADRILHA DE GOLPISTAS USURPADORES.

 

Athos

- 2017-02-16 16:10:08

Como eu disse 1 ano atrás...
A bandeira está disponível no chão e é de quem pegar primeiro. Bolsonaro está doidinho atrás dela... Mas as esquerdas não querem, sabe como é, empunhar a bandeira de SEU país é coisa de facista. PS. Em uma lista de 60 países o Brasil foi 57 em QI…!

Orlando Soares Varêda

- 2017-02-16 15:40:15

  Dos 11 inúteis marajás.

 

Dos 11 inúteis marajás. Aquele bando de boçáis, muitos deles, tidos e havidos como fenomenais constitucionalistas,kkkKK agora vem mais um fdp desse. Para completar numericamente, a casta mais danosa ao Brasil. Para tal mister, estes incetos tal como abelhas rainhas diferenciadas, extrapolam, ao utilizar um aparato de apoio de causar inveja a qualquer colmeia por mais faraônica que seja.

O único que escapa da grave covardia que acomete suas excrescências desse supreminho acovardadozinho, sempre prontos há postarem-se de quatro, para os irmãos marinhos. Como dizia, o único que escapa a essa vergonhosa covardia, é o senhor Marco Aurélio.

Portanto aguardem, quando os brasileiros tomarem conhecimento de quem de fato são estes sujeitos, imediatamente os enxotarão à ponta-pés nas respectivas bundas, não sobrando cacos dessa colmeia exclusiva de abelhas rainha.

Orlando

Frederico Firmo

- 2017-02-16 15:24:51

Isto pegou na veia

Quando o tal do Ze Sergio aparece no blog, é que sentiram o alcance do assunto.  Seu discurso m*%&  para todo lado , tem na verdade um lado só.

João Conselheiro

- 2017-02-16 13:23:10

Discurso ambíguo.

Eu acho que os senadores e deputados que articulam essa frente merecem nossa admiração e respeito, porém, acho que eles dentro da câmara e do senado são bem diferentes do que falam e escrevem nos jornais e nos blogs. Todos se tratam de excelencias com os manjados tapinhas nas costas. Eu pergunto: Como levar a sério esse pessoal? Há dois comportamentos? Um dentro e outro fora das casas? O bicho tem que pegar lá dentro, os golpistas tem que ser tratados como tal e não com piadinhas e tapinhas nas costas.

WG

- 2017-02-16 12:56:49

Acho muito pouco. É como

Acho muito pouco. É como tentar parar um trem com as mãos. Faria diferença uma FRENTE DO JUDICIÁRIO. Mas isso não vai acontecer. Com raras execeções, os juízes formam uma casta de privilegiados, preguiçosos, reacionários e covardes. 

alexis

- 2017-02-16 12:56:22

Já era hora!

Foi perdida grande parte do voto evangélico e conservador, que anos atrás acreditava em Lula e nas bandeiras da nação brasileira com justiça social. Há tempo que se discute neste blog esta situação. As eleições do Rio de Janeiro colocaram isso em evidencia, onde não aparecem como prioritárias as bandeiras mais importantes: a nação e a justiça social. A Globo consegue despistar a grande parte da população brasileira sobre a verdadeira disputa política que vive o Brasil. Devemos recuperar as cores verde e amarela, que espertamente os coxinhas tiraram de nós, paradoxalmente, para entregar a nação ao mundo global. 

ze sergio

- 2017-02-16 12:43:37

e sério....

Por um conjunto de conspiradores não !!!! Destruido porque todas as elites, de todas as cores e ideologias lutam para não implantar o óbvio: "Do povo, pelo povo, para o povo". Nossas elites que dependem do Estado como qualquer parasita depende do hospedeiro, não quer abrir mão de tamanha regalia. E a nação brasileira descobrir que não precisa ser representada? Que pode representar-se? Que figuras que pensam ser indspensáveis não passam de medíocres? Bem, o povo já percebeu isto. Avalanche morro abaixo. Ninguém mais segura. A India lança espaçonave com mais de 100 satélites. Nós acabamos com Leve Leite e estamos estudando diminuir de uns 300 mil cargos comissionados (ou seja puxa-sacos de políticos mamando em salários e pensões públicas) para uns 280 mil. Lamentar? Não !!! Combater.     

Somebody

- 2017-02-16 11:50:17

É sério isso? Resolveram

É sério isso? Resolveram acordar e perceber que o país está sendo atacado e destruído por um conjunto de conspiradores?

M Thereza

- 2017-02-16 11:28:19

que seja ampla, coesa, com

que seja ampla, coesa, com garra e não se perca em picuinhas, egos inflados e disputas mesquinhas. Nós faremos nossa parte como pudermos. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador