Rejeição de brasileiros ao Congresso aumenta, diz Datafolha

Segundo levantamento realizado pouco antes da votação da reforma da Previdência, apenas 16% aprovam trabalhos de deputados e senadores

Foto: Luis Macedo/Agência Câmara

Jornal GGN – Pesquisa do instituto Datafolha, realizada às vésperas da votação na reforma da Previdência no Plenário da Câmara dos Deputados, entre os dias 4 e 5 de julho, com 2.860 pessoas, mostra um aumento de rejeição dos brasileiros ao Congresso Nacional.

Na pesquisa anterior, em abril, 22% dos entrevistados avaliaram o desempenho dos senadores e deputados como ótimo ou bom. Agora, segundo o instituto, são 16%.

O levantamento mais recente mostra ainda que 38% acham o Congresso ruim ou péssimo – em abril eram 32%. O grupo dos que consideram a atuação dos deputados e senadores regular teve variação de um ponto percentual, passando de 41% para 42%. Quatro por cento não souberam responder.

O Datafolha afirma que entrevistou pessoas com mais de 16 anos em 130 cidades. A margem de erro é de dois pontos percentuais e o índice de confiança é 95%.

A pesquisa revela que, quanto maior a escolaridade do brasileiro, maior a insatisfação com o Congresso. Entre os que têm ensino fundamental, 32% consideram o desempenho de senadores e deputados como ruim ou péssimo. Já entre aqueles com ensino superior, a proporção é de 47%.

O Datafolha mais recente aponta ainda que os moradores das grandes cidades são os mais insatisfeitos com o Congresso: 43% das pessoas que vivem em municípios com mais de 500 mil habitantes afirmaram que o desempenho do Congresso é ruim ou péssimo, contra 33% dos moradores de municípios com até 50 mil habitantes.

O instituto perguntou ainda sobre a avaliação do partido que elegeu Bolsonaro, o PSL. Entre os que aprovam o presidente, 26% consideram a atuação da sigla no Congresso ótima ou boa e apenas 10% ruim ou péssima.

Leia também:  Se aprovada, instalação CPI da Lava Toga será fonte de mais insegurança jurídica e política, alerta jurista

A mesma pesquisa mostrou que 33% dos brasileiros consideram que Bolsonaro faz um trabalho ótimo ou bom na presidência, índice que sofreu variação de 1% em relação a pesquisa de abril, quando 32% responderam da mesma forma. Outros 31% acham a atuação de Bolsonaro regular e 33% ruim ou péssimo.

O levantamento mantém Bolsonaro como o presidente com a pior avaliação no primeiro mandato, desde o governo de Fernando Collor de Mello, em 1990.

*Com informações da Folha de S.Paulo

Leia também:

Aprovação de Bolsonaro estabiliza em 33% e consolida divisão do país, mostra Datafolha

Pesquisador explica como a reforma da Previdência contribui para a recessão

Caro leitor do GGN, estamos em campanha solidária para financiar um documentário sobre as consequências da capitalização da Previdência na vida do povo, tomando o Chile como exemplo. Com apenas R$ 10, você ajuda a tirar esse projeto de jornalismo independente do papel. Participe: www.catarse.me/oexemplodochile

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. A grande maioria da população está desacreditada, sem confiança e também enojada, por grande parte dos deputados, senadores, governadores, prefeitos, vereadores e por grande parte do judiciário, das forças armadas, da grande mídia e de grandes empresários de empresas nacionais e estrangeiras. Tudo isso, sem falar no péssimo e vergonhoso mandato presidencial. Parece que o verdadeiro Brasil foi raptado e escondido do mundo, pois se observarmos e compararmos o Brasil de hoje com o Brasil do governo Lula é de chorar de vergonha e saudade. E por mais inacreditável que pareça, os causadores dessa tragédia com o Brasil, ainda tentam enganar a população dizendo que a culpa de tudo foi de Lula o do PT. Comparem de verdade e decida qual foi o período em que população viveu melhor, com mais crescimento, com mais qualidade de vida, com reconhecimento e respeito do governo, com mais oportunidades e inclusão social. Comparem em qual governo o cidadão e a cidadã, o trabalhador e a trabalhadora e o aposentado e a aposentada vivia melhor? Qual período em que a mesa era mais farta, o emprego não faltava, as oportunidades de planejar viajar e comprar eram facilmente conseguidas. O que fizeram com aquele Brasil próspero, que crescia exclusivamente para o bem estar da população e seus familiares? Enganaram a todos com mentiras e fake news para colocar a culpa em Lula e no PT, e o que aconteceu? Prender quem rouba; prender quem corrompe; prender quem sonega e prender quem trabalha para piorar a vida do trabalhador e da trabalhadora honesta é um dever de toda a população e não apenas da polícia. O que não se desculpa é usar a ocasião para destruíram a Petrobrás, os Estaleiros, as milhares de empresas que ficaram sem encomendas. O que não se desculpa é usar a ocasião para retalharam a CLT, que está praticamente inutilizada. O que não se desculpa é usar a ocasião para praticar o terror na educação pública. O que não se desculpa é usar a ocasião para facilitar o uso de armas, que irá reduzir a população por conta do grande aumento de crimes que acontecerá, segundo os grandes especialistas da área de segurança pública. O que não se desculpa é usar a ocasião para matar a previdência social por asfixia, até ela deixar de existir. O que não se desculpa é usar a ocasião para acabar com essas nossas conquistas e riquezas apenas por dinheiro, por poder, por status, por egoísmo, por preconceito contra os pobres, contra os negros, contra os mais necessitados e contra todos os que pensarem diferente deles. O Brasil que estão nos oferecendo é uma piada de mau gosto e é a verdadeira Fake News. O Brasil verdadeiro foi raptado a força e violentamente pelos mercenários do dinheiro fácil, da ambição e da ganância sob os olhos acovardados e submissos da grande imprensa, dos militares, dos políticos e do mais vergonhoso e omisso judiciário, dos que já conheci.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome