GGN Covid: o caos nas estatísticas, produzido pelo Pazuello de terno

O trapalhão Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, produziu um caos nas estatísticas nacionais de Covid, uma irresponsabilidade à altura de seu antecessor, Eduardo Pazuello.

Neste momento, é impossível estimar o ritmo da pandemia, em uma quadra em que é necessário mapear estreitamente o avanço das novas cepas.

Bugs no sistema de dados da Saúde fez com que fossem acumulados notificações não armazenadas no sistema. No dia 18 de setembro, veio tudo de uma vez, 150.106 casos, alterando completamente a média diária semanal – principal indicador de desenvolvimento da pandemia. A média saltou de 15.054 para 34.452.

Alguns dias depois, o Ceará precisou fazer ajustes no sistema – devido às distorções do sistema do Ministério – e retirou 12.028 casos notificados. Nos dias seguintes, anotou 48, 4 e 596 novos casos, mostrando a confusão do sistema.

Agora, tem-se o seguinte.

Ontem venceu o período de 7 dias que incluia os 150 mil casos. A média, por suposto, deveria voltar à normalidade. Olhando os dados, é possível que a média volte para a casa dos 17 mil, 15% acima da média anterior.

O que significa isso? Que a pandemia está crescendo 15% por semana. Ou a média será menor? Em suma, um caos total.

Aqui, nosso dashboard com os dados de ontem.

Repare que há 12 estados com crescimento intenso de novos casos e 9 com crescimento intenso de óbitos. Em outros momentos, seria sinal amarelo de lotação das UTIs em pouco tempo. E agora? São problemas estatísticos?

Repare vocês que essas distorções são graves. Foram apontadas pelo GGN há dias. Apenas a UOL foi atrás para saber o que estava acontecendo.

A cobertura da pandemia está insuficiente.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome