59 anos do fim da Guerra da Coréia

Por Andre Araujo

ACORDO DE PANMANJOUN – Hoje faz 59 anos que terminou a Guerra da Coréia, o primeiro conflito da Guerra Fria, enfretamento entre os dois grandes blocos ideologicos vencedores da guerra anterior.

Terminada a Segunda Guerra a Peninsula da Coréia, até então colônia do Japão foi dividida no Paralelo 38 em dois países, a Coréia do Norte no bloco comunista e a do Sul no bloco dos aliados ocidentais.

Em junho de 1950 a Coreia do Norte invadiu a do Sul e chegou a tomar a capital Seul. Os EUA correram em apoio ao pais invadido e o conflito escalou. A ONU entrou no conflito e sob sua bandeira, pela primeira vez depois da sua formação em 1946, os EUA e a Inglaterra enfrentaram forças comunistas, sob comando do General Douglas MacArthur, celebre comandante da frente do Pacifico na Segunda Guerra e depois Governador do Japão. O general americano chegou a conclusão que sem atacar a China Comunista, que abastecia o inimigo, o conflito poderia ser vencido pelos norte-coreanos. Estava determinado a ampliar o conflito atacando a China de Mao. O Presidente Trumam achou que não valia o risco porque poderia atrair a União Sovietica para a guerra que aumentava a cada dia, com intenso uso de bombardeios de ambos os lados. MacArthur insistiu, era muito mais famoso do que Truman, um novato no circulo do poder. Truman usou de sua autoridade e demitiu MacArhtur em um tenso encontro na ilha de Wake no Pacifico, substituindo-o pelo General Mattheuw Ridgway, tambem heroi da 2ª Guerra.

Apos 3,5 milhões de coreanos mortos e 55.000 soldados do lado anglo-americano o conflito acabou por negociação mas sem Tratado de Paz, vigorando até hoje um armisticio provisório que completará em 2013 60 anos, simbolizado por uma zona desmilitarizada no famoso Paralelo 38, divisa dos dois paises.

O resultado politico foi a consolidação de dois regimes na Coreia, o do Sul, um dos paises mais industrializados e prosperos da Asia e a do Norte, um dos paises mais miseráveis do planeta, dominado por uma dinastia comunista que está na 3ª geração, que já passou por varias crises de mortandade por fome, um regime sem qualquer futuro economico ou politico previsivel.

As duas Coreias são uma vitrine dos dois modelos economicos, a Coria do Sul um sucesso espetacular, pais pauperrimo que tornou-se potencia industrial de 1ª linha e a do Norte um pais-hospicio, desligado do mundo, com uma economia de sobrevivencia rudimentar, sendo que logo apos a Segunda Guerra a Coreia rica era a do Norte e a pobre era a do Sul.

As duas Coreias são a prova final e cabal da falencia do comunismo como modelo viavel de economia

Um laboratorio vivo para quem tiver duvidas ou dispor apenas de informação teorica sobre marxismo.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador