Com fundação, Lava Jato caiu na armadilha da onipotência, por Luis Nassif

A tentativa de criação da fundação de direito privado é um capítulo decisivo na história da Lava Jato. Desnuda definitivamente o deslumbramento pelo poder, e de seus integrantes

A tentativa de criação da fundação de direito privado é um capítulo decisivo na história da Lava Jato. Desnuda definitivamente o deslumbramento pelo poder, e de seus integrantes.

A tentativa de criação da fundação de direito privado é um capítulo decisivo na história da Lava Jato. Desnuda definitivamente o deslumbramento pelo poder, e de seus integrantes.

Trata-se de processo similar, em muitos aspectos, ao fenômeno do Plano Real. Cria-se um tema nacional único – na época, o combate à inflação, agora, o combate à corrupção –, o movimento exige super-heróis. A construção da imagem exige o herói sem mácula, despido dos sentimentos comuns aos mortais, como ambição financeira, gana pelo poder. À medida em que vão escalando novos patamares de prestígio ou financeiro, os freios naturais – escrúpulos, princípios – vão se flexibilizando.

Lá atrás, em um dos Xadrez, tentei especular o que aconteceria com os lavajateiros quando a curva de prestígio da empreitada começasse a cair. A resposta é essa tentativa canhestra de criação da fundação de direito privado para administrar R$ 2,5 bilhões de multas da Petrobras.

O Real arrebentou com as contas públicas, deu início ao processo de desindustrialização, promover a maior transferência de renda da história, na forma de uma enorme dívida interna sem contrapartida de ativos.

A Lava Jato promoveu a quebra da engenharia nacional, gerou milhões de desempregados, com apoio de uma mídia incapaz de blindar a economia contra a guerra ideológica movida pela operação. A destruição das empresas brasileiras era essencial para a vitória ideológica? Evidente que não. Mas o jogo ideológico exigia a construção da imagem dos novos atores políticos. E não se poderia comprometer a narrativa ficcional apontando os abusos cometidos. Esse superpoder foi entregue a um grupo de agentes públicos provincianos, deslumbrados e financeiramente ambiciosos.

Leia também:  Juiz determina retorno imediato de charges censuradas na Câmara de Vereadores de Porto Alegre

No início entraram de cabeça no mercado de palestras. O cachê cobrado por uma palestra superava em muito os proventos de um mês de trabalho. No caso da Lava Jato, o temor infundido em toda classe empresarial trazia um atrativo a mais para a contratação: compra de proteção já que os superpoderes do grupo eram exercidos sem nenhum discernimento.

Deram um by-pass nos regulamentos internos que proíbem outras fontes de renda, com exceção de aulas. Palestras milionárias recorrentes passaram a ser tratadas, então, como aulas convencionais. E quem iria questionar os grandes campeões brancos?

Com a fundação, rasga-se a fantasia. Há inúmeras maneiras de reverter os recursos das multas para o benefício público. A Constituição prevê uma série de fundos, geridos por conselhos de direitos de minorias, para receber esses recursos, com Fundo dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes, Fundos Nacional dos Direitos Difusos Lesados, fundos de assistência social, de saúde, de educação, com estrutura pronta de deliberação e de prestação de contas.

A Lava Jato tenta criar uma fundação para estimular, entre outras bandeiras, a disseminação do compliance. Um pouco antes, dois dos principais personagens da Lava Jato anunciam sua aposentadoria: o juiz Sérgio Moro para assumir cargo no governo, o principal procurador da Lava Jato, Carlos Fernando dos Santos Lima (ó, surpresa!) para se dedicar ao mercado de compliance.

Não apenas isso. No Twitter, Deltan Dallagnol tentou tratar as denúncias contra a fundação como fakenews.

  1. A Lava Jato escolherá todas as organizações que virão a fazer parte da tal fundação.
  2. Caberá ao próprio Ministério Público do Paraná a fiscalização da fundação.
  3. A fundação poderá contratar projetos de amigos, palestras de amigos, consultorias de amigos e de amigos dos conselheiros, dentro do objetivo estatutário de combater a corrupção e estimular os trabalhos de compliance. E sempre haverá a notória especialização, já que se consideram os maiores especialistas em corrupção corporativa. E quem são os demais especialistas? Justamente as ONGs que serão convidadas a integrar seu conselho consultivo.
Leia também:  TV GGN: A parceria entre procuradores e advogados contra a Petrobras, por Luis Nassif

Hoje, no Twitter, o procurador da República Wilson Rocha rompeu o pacto de silêncio da corporação e extravasou a indignação interna com os abusos da Lava Jato:

“O procurador @deltanmd afirma que a fundação será gerida pela sociedade. Ao confundir o Estado e suas instituições com a sociedade, os procuradores da “República da Lava Jato” flertam conceitualmente com o fascismo. Poucos se dão conta disso.

“A “Lava Jato” não faz acordo porque a “Lava Jato” não existe, não está na Constituição, em lei ou em ato normativo. O que existe é o Ministério Público Federal, instituição que não se confunde com a Lava Jato. Esse acordo e a fundação dele decorrente são um absurdo jurídico”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

26 comentários

  1. E o Cara Lavada insiste em dizer que essa canalhice está correta. O que mais revolta nessa canalha é o cinismo. Que são uns cretinos, traidores, quintas-colunas, ninguém mais duvida. Só lhes resta isso: a desfaçatez, o cinismo e a afronta à verdade. Nunca é tarde para desmascarar essa escumalha. Mais cedo do que se pensa saberemos a quem, de fato, se rebaixam, que solas lambem, a quem se rebaixam para destruir nosso parque produtivo. Espero que as universidades, em todos os ramos do conhecimento, se voltem para esmiuçar as ligações desses entreguistas encastelados no aparelho de Estado com os espoliadores nacionais e estrangeiros. É uma tarefa urgente a que os pesquisadores devem se dedicar, para o bem deste massacrado país.

  2. Do procurador Wilson Rocha: “O procurador @deltanmd afirma que a fundação será gerida pela sociedade. Ao confundir o Estado e suas instituições com a sociedade, os procuradores da “República da Lava Jato” flertam conceitualmente com o fascismo. Poucos se dão conta disso.” (https://twitter.com/WRochaAssis)

  3. o que realmente me assusta é a audácia dessa em propor algo tão bizarro e achar que tudo passaria incólume.
    Cadeia neles.

  4. As peças do tabuleiro se encaixando.

    Lava jato não é uma instituição como querem passar pra sociedade os procuradores do Paraná.
    Instituição é o MPF, Tentam com isso privatizar dinheiro público, sacando dinheiro de corrupção da Petrobrás.

    Agora fica claro porque dois dos principais personagens da lava jato pediram aposentadoria, Sergio Moro para ingressar no governo e o principal procurador da lava jato Carlos Fernando Lima (famoso na operação Banestado, sua esposa ,mandou dinheiro pro exterior através das contas CC5) Para se dedicar ao mercado de compliance.

    Outra curiosidade que não deve escapar aos nossos olhos. Zucolotto amigo e compadre do Sergio Moro ex sócio da Rosangêla Moro com quem tinha uma empresa de palestras e foi acusado pelo ex advogado da Odebrechet de cobrar 5 milhões por delação em conluio com DD(Deltan Dallagnol?) tornou-se membro da Associação Brasileira de Relações Governamentais, ou seja, virou oficialmente lobista.

    “Uma das primeiras medidas do Moro como ministro da justiça foi levar discussão ao congresso de legalizar o lobby.
    Caixa dois passa a não ser crime de corrupção e não entra no pacote anti crime.
    Uma das condições para ser ministro foi a exigência de ficar com a pasta do Coaf que controla irregularidades financeiras das contas de políticos e seus familiares como todo cidadão, Dados enviados através de bancos privados e públicos.

    Decreto do Bolsonaro(1º de Janeiro) para barrar o Coaf.

    A primeira legislação brasileira sobre lavagem de dinheiro é a lei nº 9.613, de 3 de março de 1998, aprovada durante o governo Fernando Henrique Cardoso.

    Para fiscalizar a sua aplicação, a lei nº 9.613/1998 criou o Conselho de Controle de Atividades Financeiras.

    Em seu artigo 14º, a lei nº 9.613/1998 diz:

    “Art. 14. É criado, no âmbito do Ministério da Fazenda, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras – COAF, com a finalidade de disciplinar, aplicar penas administrativas, receber, examinar e identificar as ocorrências suspeitas de atividades ilícitas previstas nesta Lei, sem prejuízo da competência de outros órgãos e entidades”.

    Em 8 de outubro de 1998, um outro decreto, o 2.799 também do governo FHC, aprovou o estatuto do Coaf, agora revogado por Bolsonaro.

    Advogado Carlos Cleto — Sem as atribuições suprimidas por Bolsonaro, o Coaf não tem mais como prosseguir na investigação do “caso Fabrício Queiroz”.

    Conclusão: a primeira medida de Bolsonaro, que se autointitula ‘’governo anticorrupção” foi enfraquecer o órgão anticorrupção.

    Links:
    https://www.viomundo.com.br/denuncias/advogado-denuncia-decreto-de-bolsonaro-suprime-atribuicoes-do-coaf-que-nao-tem-mais-como-prosseguir-na-investigacao-do-caso-queiroz.html

    https://www.brasil247.com/pt/247/sul/381592/Amigo-de-Moro-Zucolotto-vira-lobista-profissional-e-Lula-ironiza.htm

  5. “O Real arrebentou com as contas públicas, deu início ao processo de desindustrialização, promover a maior transferência de renda da história, na forma de uma enorme dívida interna sem contrapartida de ativos.”
    Perfeito o Plano Real, na verdade foi um plano de sequestro do Estado, ou melhor, do orçamento público via Fazenda e BC.
    Um grupo de banqueiros e economistas ou economistas banqueiros com formação nos EUA conseguiram criar na sociedade, através da mídia oligopolista, um consenso (da esquerda à direita, do trabalhador assalariado ao mega empresário) de que a inflação é o maior mal do país e o “tripé econômico” é a única solução capaz de combate-lo.
    Agora a Lava Jato faz o mesmo. Ou seja, um grupo de Procuradores e Juízes, com formação nos EUA, com apoio da mídia oligopolista conseguiram criar um consenso na sociedade (da esquerda à direita, do trabalhador assalariado ao mega empresário) de que o maior mal do país é a corrupção, e a forma de combatê-la é através de uma aliança MPF e Judiciário, via Força Tarefa da Lava Jato.
    Assim, essa fundação privada pode estar para esses “membros da Lava Jato” como a Fazenda e o BC estavam e estão para os “economistas do Plano Real”.
    Agentes privados tentado sequestrar o Estado. E a mídia oligopolista serve como instrumento sine qua para essas elites alcançarem seus objetivos.
    No fundo trata-se da mesma luta travada desde 1930. Seguir um caminho soberano, includente (mercado de consumo de massa) e desenvolvimentista (industrialização com investimento estatal em infraestrutura logística e energética), versus um caminho associado dependente, modernizante (do mercado de capitais com uma economia voltada a exportação de commodities e riquezas naturais) e excludente.
    Na luta por esses dois caminhos lideranças e seus partidos políticos se auto destroem, deixando o país rachado. Abrindo espaço para às forças armadas, mais especificamente o exército brasileiro, agirem como uma espécie de síntese autoritária para manterem a coesão social e territorial da nação. Com isso, aproveitam para colocar em prática seu ideário positivista de “ordem é progresso”. Assim, resgatam a soberania e o desenvolvimento, mas concentrando renda e mantendo relações de confiança com os capitais americanos e europeus.

  6. “No início entraram de cabeça no mercado de palestras”
    Até pra isso tiveram que prender Lula de forma injusta. Era Lula quem ganhava e muito com palestras no Brasil e mundo afora. Inaceitável para esses eunucos de palácio verem um nordestino sem todos os dedos fazendo palestra. A inveja mata

  7. De que lado a Globo está nesta história? É tudo o que eu preciso saber para antecipar o final dela. A lei? Ora, a lei! O que importa é o privilégio branco dessa camarilha curitibana entronizada pela poderosa no panteão da classe média antipobre e antinegro que tudo permite a ela.

  8. Deltan Dallagnol não vê nada de mais. É como o que rola com pastores dessas tais igrejas da prosperidade: “Se eu estou ficando rico isso se deve ao meu trabalho como pastor, é a recompensa de Deus.” Casa direitinho com absurdos como “há dinheiro solto na Natureza, quem for esperto pega”, “que mal pode haver em uma pessoa ficar rica e poderosa? Não é para isso que Deus nos criou? Não é isso o que Deus quer de nós? Olha lá o Salomão…”. Ou seja, pensamento mágico, algo como “não sou, como Jesus, o Filho de Deus. Mas sou seu amigo, seu afilhado, íntimo e cúmplice.”

    Mas nós já vimos isso na História, papas com poderes econômico e político.

    (Tinha um outro candidato a procurador que também dizendo-se protegido do divino fazia barbaridades com a esposa, tinha não?)

  9. A LAVA JATO É UM PROJETO(AMERICANO)DE PODER AO QUAL TODOS ESTAMOS SUJEITOS AOS SEUS ABUSOS EMPRESÁRIOS, POLÍTICOS E ETC …SE NOSSAS AUTORIDADES NÃO FIZEREM NADA POR BIRRINHA SÓ POR QUE FOI A ESQUERDA Q DENUNCIOU/DENUNCIA ISSO SERÃO ELES PRÓPRIOS AS VÍTIMAS,FORA Q TUDO ISSO É A COMPROVAÇÃO Q NO PAÍS NÃO HÁ SEGURANÇA JURÍDICA PRA NADA!
    OBS: NECESSÁRIO É A OPOSIÇÃO ELABORAR DOSSIÊS COM TODA AS PROVAS E CONSEQUÊNCIAS AO PAÍS DESSA AVENTURA LAVAJATIANA INDEPENDENTE DO LULA JÁ Q SOMOS TODOS NÓS Q SOFREMOS E LEVAR A CONHECIMENTO DE TODAS AS AUTORIDADES/INSTITUIÇÕES POSSÍVEIS E PRINCIPALMENTE AS FORÇAS ARMADAS PARA FICAR BEM CLARO À POPULAÇÃO Q SE DIANTE DAS PROVAS NÃO FAZEM NADA É PQ SÃO CÚMPLICES!!

    • Marcelo: Levar ao conhecimento das Forças Armadas ?
      Ora, meu caro. Os militares entreguistas sabem muito mais do que nós (eles têm serviço de inteligência).
      Quanto aos militares nacionalistas, sem existem, devem ser poucos e não estão nos postos de comando.
      Os antecessores dos atuais militares entreguistas instituíram uma ditadura que torturou e matou milhares de brasileiros, ampliou a desigualdade social (lembra-se do “primeiro crescer o bolo para depois dividir” ?), promoveu atos de terrorismo (bombas no RioCentro, OAB, bancas de jornais), criou a Operação Condor.
      Portanto, os militares são muitas coisas, menos inocentes e desinformados…

  10. Não são deslumbrados, foram sujeitos escolhidos a dedo para a empreitada ….

    Já eram pessoas manjadas e de presente receberam o material colhido pela espionagem…..ou os áudios de Dilma e Lula apareceram do nada em segundos nas mãos do justiceiro, áudios que não tinha ligação nenhuma com a investigação?

    Na época do governo Lula, Gushiken já havia denunciado que o governo era alvo de espionagem……o telejornal que anunciou isso encerrou em tom de chacota tocando a música do 007….por essas e outras só posso chamar a grande mídia de assassina, corrupta e mafiosa…..uma quadrilha que manipula e ludibria através de seus capangas, sim, jornalixos agem como capangas, gangsters….

    O que fazem e fizeram além de desvios funcionais é crime, em nenhum código de ética ou penal é permitido funcionários públicos receberem dinheiro por suas atribuições legais…. e se certa autoridade não pode falar dos processos que estão sob sua responsabilidade, imagine dar palestras sobre os mesmos…..

    Em um ambiente normal, toda essa turma já teria sido afastada e explicando por que passaram sobre a soberania do país entregando documentos e assinando acordos fora de sua competência legal…..só fizeram isso por que todos os outros eram frouxos, mancomunados ou lenientes…..ou para obedecer o pacto sinistro e silencioso dos lojistas, esses beneméritos da nação……

    Essa é mais um fato mal contado da história do nosso país, lugar onde presidente se matou, renunciou, morreu dormindo, morreu em acidente de avião, de carro, de infecção, em que um único preso morreu por comida estragada, em que candidato ao senado aparece em último em pesquisa 24 horas antes da eleição e aberta as urnas é o líder disparado…..e por aí vai, e nenhum jornalixo se interessa por essas estórias, afinal, sempre tem Lula ou algum petista pra aporrinhar…..

  11. È sempre o mesmo roteiro. Quando o povo começa a ser alertado de que a vaza jato é um projeto de destruição do país, eles desviam a atenção do povão criando uma cortina de fumaça. Podem crer, amanhã tem espetáculo circense da tal operação curitibana. E o povo é o trágico palhaço. Patifes!!!

  12. Esse sujeito é um traidor do Brasil valoriza tudo que vem dos USA, se ajoelha, não sabe falar não, é um fraco e aproveitador, se convidarem ele para a KKK não perde um minuto. Lembrem-se foi um dos primeiros a comprar várias unidades do Minha Casa Minha Vida para investimento, destinados ao povo de baixa renda é um sacana.

  13. É impressionante, uma nação que vai se dissolvendo dia após dia, destruída sob aplausos de seu próprio povo. Vemos servidores da justiça, brasileiros entregarem seu país a Estado estrangeiro, sentindo que o melhor é a forma de viver que mata o mundo, transforma pessoas em coisas, e afasta o conceito de humano cada vez mais. “COMO DEIXAMOS ISSO ACONTECER”.

  14. já li que o departamento de justiça norte-americano
    deu essa grana como “troco”pela informações sigilosas
    da petrobrtás e que, portanto, os lavajateiros
    seriam traidores da pátria..
    conheço gente que acha que deveriam
    ser presos urgentemente….
    alguns acham que a urgencia já seria um exagero!
    mas, fora de brincadeira,
    esse assunto é historicamente relevante
    e o nassif mostrou a sua perspicácia
    ao perceber a sua importancia
    para o futuro do país e para a resolução
    desses problemas infames que
    nos afetam atualmente…….

  15. De acordo com publicações da própria CIA…
    não há nenhuma outra qualificação, além da de ser um excelente espião, para todo aquele que cumpre as ordens do país que lhe paga

    esta fundação deve ser impedida de existir simplesmente porque o dinheiro com que pretendem criá-la deixou de ser da Petrobras com a celebração do acordo

    se estrangeiros pagam para procuradores e juízes, podem muito bem pagar por mercenários

  16. Quem exerce mais poder nesta terra de ninguém, o povo e seus verdadeiros representantes ou a cambada da lava jato, que representa os interesses dos EUA? Mesmo que a fundação não passe, ter chegado a tal ponto equivale a colocar o Brasil não condição de pais de quinto mundo.

  17. Nassif veja se é possível uma parceria sua com o Youtuber saia da matrix,ele é bom e no último vídeo.sobre a Lavajato ele colocou na descrição o endereço do seu site !!

  18. Excelente. Nassif. Eu vi que este site foi um dos primeiros a denunciar essa jogada. Tomara que vire uma bola de neve. Como dizia alguém, moralize-se tudo ou locupletemo-nos todos!

  19. “A “Lava Jato” não faz acordo porque a “Lava Jato” não existe, não está na Constituição, em lei ou em ato normativo. O que existe é o Ministério Público Federal, instituição que não se confunde com a Lava Jato. Esse acordo e a fundação dele decorrente são um absurdo jurídico”. (Wilson Rocha – Procurador da República). Então esta fundação não pode existir. Então como é que fica? Quem vai sustar este “empreendimento” dos que se consideram donos da “Lava Jato”?

  20. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome