Danilo Gentili não sofre censura, sua condenação está dentro da lei, avalia Renan Quinalha

Professor de Direito explica por que a condenação do apresentador cumpre regras sobre dignidade humana, honra e integridade. Gentili chamou Freixo de “deputado de m*” e Maria do Rosário de “p*”

Apresentador Danilo Gentilli em uma "piada" sobre zoofilia. Reprodução/Facebook

Jornal GGN – O apresentador do SBT Danilo Gentili foi condenado a indenizar o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL) em R$ 20 mil por conta de ofensas feitas pelo Twitter. Entre as agressões, Gentili chamou o parlamentar de “deputado de m***” e “farsante”, ele também chegou a associar Freixo com ações violentas e até criminosas: “E os seus black blocs? Mataram mais alguém esses dias?”, escreveu.

Ao analisar a condenação de Gentili, o professor de Direito da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e colunista da Revista Cult, Renan Quinalha explicou que “a contrapartida da liberdade de expressão é a responsabilidade pelo que se diz, sobretudo em relação a terceiros”.

“Censura seria impedi-lo de falar ou filtrar o conteúdo da fala dele, o que nunca ocorreu. Ele falou exatamente o que quis”, completou. Quinalha fez as observações em sua conta no Twitter prosseguindo sua análise em tópicos:

“É preciso entender que as liberdades de expressão (artística e humorística inclusive) são essenciais em uma democracia. Na ditadura, tivemos censura prévia de cinema, televisão, jornais, livros que eram proibidos de circular por autoridades do Executivo, sem processo e defesa”, pontuou.

O ativista de direitos humanos observou ainda que a situação política e democrática hoje é diferente da época da ditadura militar (1965 – 1985). “A Constituição protege a liberdade de expressão independente de censura ou licença. No entanto, a CF também assegura a dignidade humana, a honra, a integridade e a não discriminação. Liberdade de expressão não é liberdade de opressão”, completou.

As manifestações de Gentili são típicas de discursos de ódios. O apresentador do SBT já dirigiu muitos dos seus ataques no Twitter, em forma de piadas, contra minorias. Algumas de cunho racista, como essa: “Sério @LasombraRibeiro vamos esquecer isso… Quantas bananas vc quer pra deixar essa história pra lá?”. A mensagem de Gentili foi escrita após o redator Thiago Ribeiro criar um vídeo compilando conteúdos racistas de várias piadas do apresentador.

“Quem é comunicador e figura pública, precisa responder pelas ideias que veicula”, prossegue Quinalha, lembrando que o discurso de ódio contra grupos vulneráveis têm limite e o próprio Supremo Tribunal Federal decidiu sobre esse tema no caso Ellwanger, um editor de livros antissemitas que teve seu pedido de habeas corpus rejeitado pela Corte.

Não é a primeira vez que Gentili sofre condenação do gênero. Ele recebeu uma pena de 6 meses de reclusão em regime semiaberto por injúrias à deputada federal Maria do Rosário por ter, entre outras coisas, a chamado de “p***”. Gentili também está recorrendo nesta decisão.

O professor da Unifesp destaca também o caso Maria do Rosário, analisando que nele ainda é possível “discutir as fronteiras entre discursos de ódio e crimes contra a honra”.

“As ofensas utilizadas pelo Gentili foram extremamente misóginas. Ele teve oportunidade de se retratar ao ser notificado, mas insistiu e barbarizou ainda mais com o vídeo”, completa Quinalha.

O ativista arremata que o apresentador do SBT é esclarecido, tem condições privilegiadas e é assessorado. Com tudo isso, vem marcado suas manifestações públicas com ataques a dignidade, por meio de “piadas”, contra mulheres, homossexuais e judeus.

“[E ele] sempre se defende e fica por isso mesmo, no máximo, pagando indenizações ridículas”, destaca.

“O Judiciário erra, mas tem mecanismos de calibração. Não era como a censura da ditadura, que não estava sujeito a controle algum. Se a pena foi excessiva, com prisão e não permissão de regime aberto, ele vai responder em liberdade enquanto recorre e rediscute”, reflete Quinalha.

“Atualmente, o problema do Brasil não é a falta de liberdade de expressão do Gentili, é a cultura de ódio, intolerância e violência promovida por figuras públicas de modo inconsequente que até elegeram presidente. Entre palavra e ato, a distância é bem menor do que imaginamos”, conclui o articulista.

Quinalha pontua ainda que a decisão judicial não vai legitimar a perseguição a comediantes progressistas.

“Na atual conjuntura bolsonarista e com o judiciário conservador que temos, nunca precisaram de desculpas pra perseguição ideológica. Dois pesos e duas medidas sempre foram o forte das instituições”, ressalta.

“Ou seja, não precisaram prender Temer ou Aécio, apesar do tanto de provas, pra prender Lula. Judiciário é seletivo e essa visão formalista do direito e do processo é de uma ingenuidade enorme. O garantismo liberal que só beneficia opressão e violência precisa ser repensado”, pondera.

2 comentários

  1. Ainda bem que apareceu alguém com uma opinião não partidária, lógica e jurídica sobre o assunto.
    A liberdade de expressão não foi censurada. Censura prévia não deve existire certqamente, mas uma vez expressada pode sim ser “censurada”. A ignorância e a truculência acham que se pode expressar qualquer coisa impunemente. Não, pode-se expressar qualquer coisa. Mas não impunemente. Sem responsabilidade. Por exemplo, um nazista ou fascista ou comunista ou religioso qualquer têm o direito de se expressar dentro das suas crenças e visões. Mas NÃO pode (impunemente) incitar a violência (ex. matar judeus ou palestinos) ou inventar estórias sem provas sobre a integridade de terceiros (“ladrões”, “pedófilos”, “estupradore”s, “putas”, “mentirosos”, etc.). No momento que acusou, ou prova ou desdiz.
    Respeito e civilidade são das muitas condições para uma democracia. Principalmente quando sua não observância é gratuita.
    Danilo é apenas um caluniador sem limites, revoltadinho que acha que pode faltar ao respeito com quem quiser.
    E seu pretenso humor tem sempre o mesmo lado, ou seu ídolo “golden shower” teria muito mais chances de ser humorizado, até ridicularizado.
    Ou alguém tem dúvida disso?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome