Estados e DF têm 48 horas para explicar vacinação irregular em crianças

Ministro Ricardo Lewandowski também determinou atuação dos procuradores-gerais para adotarem providencias pela vacinação correta

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, deu um prazo de 48 horas para que Estados e municípios explicarem a vacinação irregular de aproximadamente 20 mil crianças.

Segundo o site Metropoles, a Advocacia-Geral da União (AGU) informou que essas crianças foram vacinadas de forma irregular, com o uso de doses para adultos ou de imunizantes ainda não autorizados para o público infantil.

O Ministério da Saúde informou à Corte que obteve dados considerados “extremamente preocupantes” sobre a vacinação de crianças e adolescentes.

Segundo a União, cerca de 2,4 mil crianças entre zero e quatro anos foram vacinadas de forma irregular, e o mesmo ocorreu com mais de 18 mil crianças entre cinco e onze anos, o que as colocaria em um “contexto de risco eminente” para a saúde.

Tal processo também poderia revelar a administração de milhares de doses de vacinas foram dos padrões adotados tanto pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) como pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO).

Lewandowski também determinou que os procuradores-gerais de Justiça dos estados e DF atuem para garantir a vacinação correta das crianças.

Veja abaixo a íntegra da determinação do ministro Ricardo Lewandowski.

jornalggn.com.br-tpi-15-adpf-754

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador