Gaspari: Doutores de Curitiba “superestimaram sua força e extrapolaram suas tarefas”

Jornalista da Folha critica o fato de que os procuradores da Lava Jato atravessaram as "autoridades brasileiras" que deveriam ter participado do acordo com os Estados Unidos e a Petrobras, que gerou um caixa de R$ 2,5 bilhões

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O jornalista Elio Gaspari criticou na Folha deste domingo (10) a conduta dos procuradores da Lava Jato em Curitiba, que usurparam a competência de outras instâncias de poder brasileiras para se beneficiar do acordo entre Petrobras e Departamento de Justiça dos EUA (DOJ).

O acordo foi firmado em setembro de 2018, e dizia que a Petrobras, para evitar um processo em solo americano em decorrência de denúncias da Lava Jato que teriam afetado os acionistas, deveria pagar uma multa que, em reais, chegou à casa dos 2,5 bilhões.

Esse dinheiro deveria ser destino, segundo o acordo com o DOJ, às “autoridades brasileiras”, não à Lava Jato de Curitiba.

“Seria razoável supor que os R$ 2,5 bilhões fossem para a conta do Tesouro Nacional”, escreveu Gaspari.

Em vez disso, e escanteando outras autoridades, o MPF em Curitiba assinou um acordo com a Petrobras em janeiro de 2019, que prevê a destinação de metade dos R$ 2,5 bilhões para um fundo patrimonial que será administrado por uma fundação de direito privada, que está em construção – com participação da turma de Deltan Dallagnol.

“Os doutores da força-tarefa superestimaram sua força e extrapolaram suas tarefas. Superestimaram seus poderes colocando sob sua jurisdição um dinheiro que deveria ir para o Tesouro. Exorbitaram suas tarefas quando estabeleceram que metade dos R$ 2,5 bilhões seja transformado num fundo para financiar uma fundação de direito privado”, assinalou Gaspari.

“Em dois momentos o acordo se refere às ‘Brazilian authorities’ como destinatárias do dinheiro. Em nenhum momento os procuradores de Curitiba ou mesmo a Procuradoria-Geral da República são mencionados no acordo americano.”

Leia também:  A Lava Jato foi um Sucesso, por Arnobio Rocha

“A turma da Lava Jato acha que pode tudo. Pode até nomear um procurador aposentado para presidir essa fundação milionária. Talvez possa, mas fica feio.”

Leia mais: Confira a íntegra dos acordos entre MPF, EUA e Petrobras

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. ” A Lava Jato completa quatro anos e, a essa altura, o montante calculado pela força-tarefa a ser ressarcido aos cofres públicos é de R$ 44,4 bilhões. A soma é pleiteada nas diversas ações judiciais propostas por procuradores federais em Curitiba e no Rio de Janeiro.”
    Portanto nada mais justo do que estes 2,5 bi sejam usados para dar continuidade ao combate à corrupção.

    • Até agora ninguém mensurou qto se obteve nas ações da lava jato e qto ela gastou para recuperar algo. Rola a boca pequena que gostou 1.00 real para recuperar 0,80.. portanto….!!!(

  2. Doutor é quem tem doutorado…..que mania idiota essa de chamar qualquer um de doutor…….

    Onde está o projeto do Requião que acabava com esse idiotice?

    E outra, estão fazendo a cama do capetão, logo logo saem com ele, o medinho é que ele fique revoltado e tasque a caneta nos ministros-zeruelas que engoliu por conta da sua eleição……..imagina o panico se ele põe na rua o justiceiro e principalmente o ministro-sinistro-jabaculeiro-lobista??

  3. A ousadia dessa república de Curitiba é incomensurável! Essa fundação é surreal! Fazer negociata com os americanos comprometendo os segredos industriais da Petrobrás devia colocar os responsáveis na cadeia!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome