Sou feio. Minha estética é bruta, por Romério Rômulo

Minha paixão é o avesso da ternura / Movida em todo caso à força bruta.

Arthur Bispo do Rosário

Sou feio. Minha estética é bruta.

por Romério Rômulo

1.
Onde meu corpo espuma, abissal
Eu tenho o prumo desproporcional
Como se inacabada fosse a obra
Do resto do volume que me sobra.
2.
Minha paixão é o avesso da ternura
Movida em todo caso à força bruta.
O mundo é uma praga, uma nervura
Onde só cabe um cão filho da puta.
3.
Soubesse eu das águas colossais
O mundo enfim retinto, duro, atado
Faria do meu couro recortado
Em tiras de esgotos desiguais

A impávida missão que me não dais.

Romério Rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora