Hoje é o Dia Nacional do Samba!

Conjunto formado no Brasil Colônia e um autêntico batuque na fazenda.

Onde nasceu o samba? Na África? No Brasil? Caso prevaleça a segunda opção, foi na Bahia? ou no Rio de Janeiro?

Seu nome é semba? Mas não existem os que o chamam de zambra, zambo, zamba ou mais ancestralmente de batuque?

Sua família é muito grande e se divide pelo país afora. Será por isso que seja conhecido pelas denominações de lundu, jongo, maculelê, samba-de-roda, maxixe, tambor de crioula, partido-alto e tantos outros? Ou teria surgido no ambiente rural dos terreiros das fazendas, nas raras folgas das senzalas, nas festas religiosas miscigenadas pela força do chicote do feitor?

De que forma esse ritmo transformou-se no retrato musical do Brasil, assumindo o papel de nosso representante mais conhecido dentro e fora do país?

Das primitivas rodas de batuque até a consagração internacional, o caminho foi longo, passando por gente humilde que combateu na Guerra de Canudos e “escolheu” o Rio de Janeiro para recomeçar a vida, juntamente com uma leva de migrantes que vinham do Vale do Paraíba e, mesmo trabalhando duro, morando em cortiços, divertiam-se nas festas promovidas pelas “tias” baianas, entre elas a famosa “Tia Ciata” e nas comemorações tradicionais como a Festa da Penha. Passando, também, pela conquista do rádio e da radiofonia, abrindo portas antes fechadas para o samba, a exemplo do Golden Room do Copacabana Palace e do Palácio Itamaraty.

As Escolas de Samba evoluem para um dos maiores espetáculos do mundo, envolvendo centenas de compositores, encantando milhões de pessoas, ao vivo e em cores, no Sambódromo e no mundo inteiro, em tempo real, pela televisão.

O samba já foi tema de inúmeras teses produzidas em cursos de pós-graduação, monografias e biografias; amado por todo o país; comemorado nacionalmente no dia 2 de dezembro – Dia Nacional do Samba – ; inspiração para compositores, músicos e cantores, reúne em torno de si quase uma unanimidade, menos no tocante aos seus inúmeros historiadores, que não chegam a um consenso quanto às suas origens e evolução.

Leia também:  A voz e o violão de Zé Luiz Mazziotti, por Aquiles Rique Reis

O mundo globalizado em que vivemos percebe o Brasil como o berço do Carnaval e do Samba. Em pleno século XXI o Samba acompanha a evolução dos tempos, em que, em vez de “Pelo Telefone”, agora comunica-se através da internet e outras mídias. Essa é uma história que deu Samba.

O escritor Jorge Caldeira diz que o cenário da epopéia do samba foi o Rio de Janeiro e os responsáveis pela sua construção foram Donga, Sinhô, Pixinguinha, Ismael Silva, e que Noel Rosa completou a obra, criando a figura do compositor nos moldes atuais.

Para comemorar o Dia Nacional do Samba só mesmo com muita música. Foi difícil, mas escolhi quatro Sambas que gosto muito.

– “A voz do morro” (Zé Kéti) # Zé Kéti.

– “Não deixe o samba morrer” (Edson Gomes da Conceição/Aloísio Silva) # Alcione e Jair Rodrigues.

– “O samba da minha terra” (Dovival Caymmi) # Danilo Caymmi.

– “O samba é meu dom” (Wilson das Neves/Paulo César Pinheiro) # Fabiana Cozza/Zimbo Trio.

 

E você, quais os seus Sambas preferidos?

 

Fontes de Pesquisa:

Os Grandes Sambas da História, fascículos da Ed Globo.
Almanaque do Samba, de André Diniz.
Construção do Samba, de Jorge Caldeira.

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

16 comentários

    • Ótima escolha

      Gão,

      Um samba antológico que marcou a vida de muita gente.

      “Retalhos de Cetim” fez grande sucesso nas casas noturnas rendendo o convite para gravá-la em um compacto pela Copacabana (150 mil cópias), abrindo as portas para o sucesso no Brasil e no exterior, tendo sido gravada por Jair Rodrigues, pela orquestra de Paul Mauriat e pelo guitarrista americano Charlie Byrd, figurando também entre as composições selecionadas pelo historiador Jairo Severiano como um dos maiores sucessos do ano de 1973.

      Abraços.

       

  1. …. q alegria !   mas porque

    …. q alegria !   mas porque nao eh feriado nacional.

    quem nao gosta de samba bom sujeito nao eh ….

    • Feriado no Dia do Samba

      Durvalino, e por que, não? Tem tanto feriado “besta” no Brasil, não é mesmo?

      Como bem disse Dorival Caymmi no “Samba da minha terra”.

      Samba da minha terra deixa a gente mole

      Quando se canta todo mundo bole, quando se canta todo mundo bole

      Quem não gosta de samba bom sujeito não é

      É ruim da cabeça ou doente do pé

      Eu nasci com o samba, no samba me criei

      E do danado do samba nunca me separei

      Grata pela participação

      Abraços.

    • Bela homenagem

      Amigo Luciano,

      Bela homenagem ao Dia do Samba, com Clementina de Jesus e Aparecida.

      “A Maria começa a beber”

       

      A Maria começa a beber
      No domingo de manhã
      A Maria começa a beber
      E vai até o anoitecer

      A Maria começa a beber
      No domingo de manhã
      A Maria começa a beber
      E vai até o anoitecer

      A Maria começa a beber
      E vai até o anoitecer

      A Maria começa a beber
      E vai até o amanhecer

       

      Grande abraço.

  2. METRALHADORA

    Amiga Laura,

    Já havia dado por encerrada a minha garimpagem básica com gravações de Aurora Miranda, porém, por uma feliz coincidência, achei essa preciosidade com exatamente 80 anos  de existência.

    Ainda nem coloquei no post http://jornalggn.com.br/blog/lucianohortencio/a-iluminada-aurora-miranda-no-palco-da-memoria, datado de hoje, porém vim correndo colocar aqui no seu lindo Post, homenagenado o dia Nacional do Samba, o samba e seus maravilhosos sambistas.

    Abraço do luciano

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=0eP8DrylgMo%5D

    • Que privilégio!

      Amigo Luciano,

      Grata por este presente no Dia Nacional do Samba. Você é um amigo muito especial.

      Como bem disse seu amigo Samuel Machado Filho foi a primeira de uma série de músicas gravadas por Haroldo Lobo.

      Abraços

       

  3. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome