Bolsonaro se diz “complacente” demais com “brutal interferência” do STF no governo

Bolsonaro voltou a subir o tom contra o Supremo Tribunal Federal, inclusive usando as Forças Armadas como escudo

Jornal GGN – Jair Bolsonaro voltou a subir o tom contra o Supremo Tribunal Federal, inclusive usando as Forças Armadas como escudo para criticar investigações em andamento. Em entrevista à BandNews, na noite de segunda (15), o presidente disse que a cúpula militar jamais aceitaria “um julgamento político para destituir um presidente democraticamente eleito”.​

Bolsonaro fez referência às ações que tramitam no Tribunal Superior Eleitoral e que podem gerar a cassação da chapa. As mais relevantes, que tratam do disparo de fake news em massa via WhatsApp, ainda não têm data para julgamento. Mas outras duas, que abordam a invasão da página Mulheres Unidas Contra Bolsonaro, já estão em debate.

“Me julgar por uma página que ficou fora do ar por menos de 24 horas para cassar a chapa Bolsonaro-Mourão? É inadmissível isso aí. Isso, no meu entender, é começar a esticar a corda. É começar a alimentar uma crise que não existe da nossa parte. Como vou dar golpe se já sou presidente da República?”, questionou Bolsonaro.

O presidente também disse que vê uma “brutal interferência” do Supremo no governo, por causa da limitar que impediu Alexandre Ramagem de assumir a Polícia Federal. Ele disse que está sendo “complacente demais” com as interferências.

“Não quero dar soco na mesa e afrontar ninguém. Agora, a gente pede sempre, pede sempre. Não afronte o Poder Executivo. Nós não queremos medir forças com ninguém. Nós queremos administrar e conduzir o Brasil um porto seguro”, afirmou.​

INQUÉRITO DAS FAKE NEWS

Bolsonaro também criticou o inquérito 4781, mais conhecido como inquérito das fake news.

“É um foco de atrito que o Supremo tem de inteirar. Da minha parte, eu pergunto para vocês: onde é que eu provoquei em algum momento o STF? Onde é que eu fui a origem de problemas para o Brasil em posições minhas? Não existe isso aí”, disse.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora