Coordenador da Lava Jato na PGR deixa o cargo

Com saída de José Adonis Callou de Araújo Sá, Augusto Aras anunciou Lindora Araújo para o cargo e decidiu aumentar a equipe

Do Migalhas

José Adonis Callou de Araújo Sá anunciou nesta quinta-feira, 23, que decidiu deixar o posto de coordenador da Lava Jato na PGR. Ele permaneceu no cargo por três meses, desde outubro do ano passado, quando foi indicado pelo procurador-Geral da República, Augusto Aras.

Tão logo a notícia se espalhou, Augusto Aras já anunciou novo nome para a função: Lindora Araújo. A subprocuradora atuava até então na coordenação de casos penais no STJ. Recentemente, mandou parecer ao tribunal defendendo a federalização da investigação da morte da ex-vereadora Marielle Franco.

Além disso, Aras decidiu ampliar a equipe. Agora, além dos seis procuradores que atuavam na equipe, o grupo de trabalho terá dois nomes novos: o procurador Vladimir Aras, que foi da equipe de Rodrigo Janot, e a procuradora Raquel Branquinho, que coordenou o grupo de trabalho na gestão de Raquel Dodge.

Segundo o jornal O Globo, divergências e insatisfação com a gestão do atual PGR motivaram a saída de José Adonis. Já o site G1 informa que, apesar das divergências de posição com Aras, esse não teria sido o motivo pelo qual deixou o cargo. Adonis, que é subprocurador-Geral da República, deve voltar a atuar em processos de Tribunais Superiores.

Veja como fica a nova composição:

  • Alessandro José Fernandes de Oliveira;
  • Hebert Reis Mesquita;
  • Leonardo Sampaio de Almeida;
  • Luana Vargas Macedo;
  • Maria Clara Barros Noleto;
  • Victor Riccely Lins Santos;
  • Raquel Branquinho;
  • Vladimir Aras.

Baixa

Adonis Sá coordenava uma equipe com mais seis procuradores, que já atuavam no grupo da Lava Jato na gestão de Raquel Dodge. No fim do mandato dela, o grupo pediu demissão coletiva da função apontando “grave incompatibilidade de entendimento dos membros desta equipe com a manifestação enviada pela PGR ao STF”. A manifestação citada envolvia pedidos de arquivamento de parte de delação do empreiteiro Léo Pinheiro com implicações envolvendo Rodrigo Maia e o irmão do ministro Dias Toffoli. Com a saída de Dodge, eles retornaram para o grupo de trabalho.

Leia também:  Lava Jato Lado B, uma série sobre a influência dos EUA e a indústria do compliance

Entre as atribuições do coordenador da Lava Jato na Procuradoria estão coordenar coleta de depoimentos, provas, audiências, requisitar informações e participar de negociações sobre acordos de delação premiada.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Nassif: nesse órgão nada muda e nada mudou. A troca de nomes foi pra distrair (como sempre) os avivados de CaifásDoBras, os InocentesÚteis, alguns VerdeSauvas desinformados e o restante daqueles 56 milhões de eleitores desse simulacro de governo. Os planos, safados e hipócritas, traçados pelo (então) VerdugoMor, no comando da gang de Curitiba, continuarão, pois esta é a vontade dos “15” Chefões fardados. Essa outra trupe apenas agasalha alguns novos coadjuvantes do teatrinho cuja peça foi ensaiada de 1º de janeiro de 2003 até que 31 de agosto de 2016, com aquela AvantPremière do corrupto Congresso. A partir de 1º de setembro instalou-se a DemocraciaDaBaioneta, com a QuerênciaDeCruzAlta no serviço de inteligência do governo tampão do MordomoDeFilmeDeTerror. Analise os dois últimos “comandantes” do grupo e veja se não tenho razão. Tudo bem, há por ali muita gente boa e decente. Mas o resto, principalmente a cúpula, só mostra que nessa nova manobra apenas mudou a mosca…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome